História Love By Accident - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Exibições 53
Palavras 2.653
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá Olá minhas amorecas! Como estão?
Demorei? SIIIIM.
Mas voltei e com mudanças na Fanfic! Vocês se lembram quando falei que estava querendo mudar o nome da fic? então, eu mudei. Agora é Love By Accident (Amor por acidente).
A capa que está da historia é a 1 e a que está no cap é a 2, eu não sei se ficou boa e qual ficou melhor, com "legenda" ou sem, então deem suas opiniões. Obrigada!
Boa leitura ^^

Capítulo 10 - Doze de Dezembro.


Fanfic / Fanfiction Love By Accident - Capítulo 10 - Doze de Dezembro.


Justin Drew Bieber
Não perguntem porque eu fiz isso, pois eu não saberei responder. Apenas fiz, eu precisava disso.
Olhar para Keisha e não poder saborear aqueles lábios macios me enlouquecia, mas o que me deixava ainda mais louco era não entender essa atração por ela mesmo sabendo que ela é uma criança, mesmo sabendo que depois de todos os enganos eu ainda sentia vontade tê-la ao menos por uma noite.
O beijo era desesperado, como se necessitemos daquilo mais do que o ar que respiramos.
Eu explorava cada parte da sua boca sem medo. O beijo foi se acalmando e aos poucos fomos nos separando com selinhos demorados. Selei seus lábios pela última vez e abri meus olhos me separando dela, meus olhos foram logo de encontro com os seus, verdes brilhantes. Ela sorriu boba e abaixou sua cabeça e suas bochechas foram tomadas pela cor vermelha. Eu não disse nada, eu não sabia o que dizer então simplesmente sai do carro e fui para meu lugar no banco do motorista e voltei a estrada até chegarmos no nosso destino.
Assim que chegamos sai do carro e dei a volta vendo Lesley já do lado de fora do carro também. A analisei de baixo a cima e saber que aquela criança carregava um filho supostamente meu fez com que eu me arrependesse de um dia ter dado dinheiro por virgindade e por esse beijo maldito dentro desse carro.
Atravessamos a rua e assim que pisamos, juntos, no tapete vermelho que ia até a porta de entrada, os flashes logo voltaram para nós e as perguntas foram disparadas. Continuei andando, porém notei que Lesley já não estava do meu lado, olhei para trás e a vi com sua mão sobre o rosto parada com os flashes sobre ela. Voltei para trás indo até ela e colocando minha mão nas suas costas e a direcionando para frente. Pensei em perguntar se estava tudo bem, mas preferi permanecer em silêncio, não poderia deixar ela pensar que as coisas entre nós melhorou apenas por um beijo. Assim que chegamos a entrada Caitlin apareceu abraçando Lesley ao meu lado e a puxando para dentro e eu fiz o mesmo. Assim que entrei vi algumas pessoas sentadas conversando, tomando bebidas e comendo alguns petiscos. Avistei mamãe junto de Ryan, Chris e papai em uma mesa e andei até eles e no caminho cumprimentando todos de extrema importância.
– Pai! - cumprimentei Jeremy com um aperto de mão e logo depois um abraço com tapinhas nas costas e logo depois sentei-me ao lado de minha mãe.
– Vocês demoraram, o que houve? - Pattie cochichou no meu ouvido disfarçadamente.
– Precisei parar, pois Keisha passou mal… - dei uma desculpa, mas me arrependi por isso assim que mamãe se levantou dizendo que iria atrás dela. Levantei-me junto e fui atrás dela em passos rápidos, já que dona Pattie não fazia questão de me esperar. Dei uma corridinha e consegui alcançá-la puxando seu braço.
– Onde você vai? - perguntei sem entender seu desespero, ela mesmo disse que essas coisas eram normais.
– Keisha chegou aqui passando mal também e foi direto para o banheiro, preciso saber se ela está mesmo bem. - falou e se virou seguindo caminho até o banheiro feminino. Respirei fundo, rezando para que Lesley não falasse nada fora do plano.
Voltei a mesa sentando-me no mesmo lugar e bebericando um pouco do champanhe que me serviram. Depois de alguns minutos Pattie apareceu parecendo estar mais calma e isso aliviou meu medo por dentro.
Logo o dono da festa, John Martin apareceu e todos se levantaram fazendo um brinde a ele e sua família. Logo depois Caitlin apareceu e meu olhar automaticamente procuraram por ela. Repreendi-me e desviei meu olhar assim que a vi vindo logo atrás de Caitlin e sentando na cadeira vaga a minha frente. Seu olhar se cruzou com o meu e eu desviei no mesmo instante.
– Dude, partiu pista? - Ryan falou e apontou para pista de dança que já bombava.
– Demorou! - falei e me levantei.
– Vamos também? - ouvi Caitlin falar para Keisha e a mesma dando de ombros tímida. Caitlin a puxou pela mão e elas foram para pista primeiro que nós. Suspirei balançando minha cabeça.– Chega, Justin Bieber! O que está havendo com você? Vamos se divertir. - pensei comigo mesmo e andei até a pista com Ryan e logo algumas garotas se aproximaram dançando com a gente.
***
A festava estava chegando ao fim e a pista de dança estava se esvaziando, algumas garotas que dançava comigo e Ryan começaram a se despedir e ir embora, mas não antes de passar seus números de telefones. Depois da última me dar um selinho e se despedir meus olhos correram pela pista de dança em procura dela automaticamente. Mas que merda, Justin! O que tanto tem naquela garota que a todo momento quer saber dela?! Talvez um filho, claro. Como posso me esquecer que Keisha carrega um filho que talvez possa ser meu?
Depois de não encontrá-la na pista decidi voltar para mesa e enquanto seguia o caminho até a mesma vi Lesley sentada em uma mesa distante da que estávamos conversando com rapaz. Senti uma pontada no peito e meu rosto queimar. Ela sorria e como seu sorriso era lindo! Me aproximei da mesa e no mesmo instante ela soltou uma gargalhada alta enquanto o rapaz sorria à “apreciando”.
Keisha percebeu minha presença e assim que seus olhos correram até os meus e seu sorriso se desfez. Não demonstrei importância aquilo e apenas pronunciei as seguintes palavras da maneira mais fria que pude.
– Vamos embora. - disse e ela continuou me encarando, fuzilando-me com os olhos. Ela entendeu o recado e assim que ela viu meu semblante impaciente ela se levantou e sorriu olhando para o rapaz moreno com cabelos arrepiados.
– Foi um prazer te conhecer, até mais ver! - falou sorridente e abraçou o garoto que já se encontrava em pé. Ele a apertou nos seus braços e ela gemeu de dor se afastando.
– Passa seu número pra mim? - pediu e ela ficou sem graça.
– Er… - parou pensativa e suas bochechas logo coraram. - eu não tenho celular… - Sorri satisfeito, mas disfarcei quando o rapaz me olhou confuso.
– Tudo bem então, quem sabe a gente se vê por ai… - falou e ela sorriu tímida e o abraçou de volta. Já estava começando vomitar arco-íris. Revirei meus olhos os chamei atenção tossindo propositalmente e ganhando o olhar de Lesley sobre mim.
– Vou indo, tchau. - falou e saiu andando na minha frente. Nem me importei de se despedir do cara e sai indo atrás de Lesley que caminhava até a saída do salão e assim que pisou para fora do mesmo consegui alcançá-la. Pattie, Caitlin e todos os outros já haviam ido embora restava apenas Lesley e eu. Destravei o carro e ela logo entrou no banco do passageiro.
– Quem era aquele? - perguntei assim que dei partida pegando a estrada.
– Um cara que conheci hoje… - falou curta, mas sem ser grossa. Muito pelo contrário sua voz saiu tão suave que deu para perceber o quanto ela estava alegre por aquilo. Revirei meus olhos e apertei o volante controlando minha raiva.
– Quantos anos ele tem? - perguntei inquieto.
– Vinte e dois. -ela respondia tudo muito curta, mas sem nenhuma grosseria e aquilo estava começando a me irritar.
– Muito velho para você. - falei ríspido.
– Você também é. - afirmou dando ombros. Dessa vez ela havia me pegado, como fui tolo com este comentário. Depois disso preferi não comentar mais nada e permaneci em silêncio até chegarmos em casa.
Assim que estacionei o carro de frente com a casa de Pattie olhei para o lado respirando fundo e vendo que Lesley dormia encolhida no banco. Sorri com aquela cena. Ela ficava tão fofa dormindo.
– Isso não pode estar acontecendo… - sussurrei a mim mesmo. Joguei minha cabeça para trás e fechando meus olhos. Eu não queria, eu não podia! Não podia me sentir atraído por ela.
---
Coloquei Lesley na cama do quarto onde ela estava ficando depois de ter a trazido no colo. Sentei-me no seu lado e fiquei a observando dormir. Meus olhos correram por todo seu corpo até cair em sua barriga. Ela usava vestido, mas não me importei e levantei o mesmo vendo sua barriga já inchada. - Esse filho não pode ser meu… ou pode? - pensei e senti meu coração disparar com a possibilidade. As chances de ser são 50% não sei se ela realmente se relacionou com mais alguém, mas eu prefiro pensar que sim e que esse filho não é meu.
Levantei-me frustrado com tais pensamentos e a cobri saindo do quarto e indo para o outro de hóspedes. Hoje dormiria aqui. Ultimamente tenho frequentado muito a casa da minha mãe e motivo era qual eu menos esperava…


27/Novembro – domingo.


Acordei com meu celular tocando freneticamente, mas assim que fui o pegar o mesmo parou de tocar. Olhei quem era e vi que era Cármen. Um sorriso brotou nos meus lábios no mesmo instante. Tinha uma mensagem da mesma.
“Obrigado pelas flores. Está perdoado!” - é claro que estou. Bieber está sempre perdoado.
“Que tal um jantar hoje?” - mandei e no mesmo instante ela respondeu.
“É claro que sim, as sete e meia estou pronta te esperando.” - vadia. Não preciso nem mandar. Sorri satisfeito e me levantei pronto para mais um dia.
Depois de escovar os dentes e fazer minhas higienes matinais desci para cozinha encontrando Pattie e Lesley conversando.
– Querido, você dormiu aqui? - Pattie pareceu surpresa e seus olhos confusos foram para Lesley que parecia não se importar, mas assim que seus olhos se ergueram e foram de encontros com os meus choques passaram pelo meu corpo e um calafrio de arrependimento me dominou.
Eu não deveria ter beijado-a, mas isso nunca mais irá se repetir! Eu tenho mulheres de verdades no meu pé, não preciso de Lesley!
– Dormi sim, mãe… Não há problemas né? - perguntei dando de ombros e me juntando a elas na mesa.
– Não claro que não, mas… - ela olhou para Lesley de volta e soltei uma risada alta ao perceber o que ela pensava.
– Não mãe, não dormi com essa ai… - dei de ombros pegando um pedaço de pão doce e o comendo. Lesley me olhou confusa pela maneira que falei e logo depois se encolheu.
Keisha Lesley Campbell
Não acredito que fui idiota a este ponto! Como pude ser tão ingênua a ponto de acreditar que Justin me quis de verdade quando me beijou? Não é óbvio Keisha? Você foi apenas mais uma para ele e continua sendo a diferença é que agora você carrega um filho indesejado dele. Andava frustrada pelo meu quarto quando peguei um travesseiro da cama e o ataquei com força no chão e soltei um “grito” afinado de raiva. Pattie havia saído para comprar algumas coisas então eu pouco se lixava se Justin me ouviria. Fui até o banheiro e lavei meu rosto tentando me esfriar o que foi em vão já que a raiva de mim mesma não passava.
---
– Justin, já vai? - Patrícia perguntou a Justin assim que o viu descendo as escadas e indo em direção a porta.
– Então é que eu vou sair. - respondeu naturalmente.
– Onde vai? - Patrícia se intrometeu, mas Justin pareceu não se importar.
– Vou jantar com Cármen. - Justin disse dando de ombros. - Cármen? Quem é Cármen? Senti minhas mãos tremerem e o suor começar a surgir nas mesmas assim como surgiu na minha testa. Patrícia pareceu dizer algo, mas eu já não escutava nada. Comecei a sentir um calafrio no meu corpo e minha visão começou se embaçar. Cai para o lado, mas senti as mãos de Pattie me segurar.
– Keisha, você está bem? - suas palavras pareciam distantes e não pude ouvir mais nada depois daquilo…


Duas semanas depois...


                                        12/Dezembro- Segunda-feira.


Minhas mãos soavam e minhas pernas não paravam quietas um segundo. Estava nervosa, não sabia porque, mas estava. Acabei de sair da sala de exames. O médico enfiou algumas coisas dentro da minha intimidade o que me fez sentir um enorme em cômodo já que um médico olhava minha intimidade e Justin esteve a todo momento ao meu lado, o que achei desnecessário.
Depois daquele dia que acabei desmaiando Pattie me levou para o hospital sozinha, pois Justin não quis perder sua janta com a tal Cármen por mim, fiquei lá por dois dias e ele nem ao menos foi me ver para saber se ao menos o bebê estava bem. No fundo eu sabia que ele não iria, não sabia porque esperava isso toda vez que dava a hora de visita e uma esperança surgia toda vez que a porta era aberta, mas ele nunca passava por ela. O médico disse que eu tive uma queda de pressão por ter ficado sem comer o dia todo e apenas ter tomado o café da manhã.
Ele me disse que agora eu comia por dois e não deveria ficar sem comer e que era necessário que eu me alimentasse de três em três horas.
Depois daquele dia nunca mais troquei uma palavra com Justin e estava sempre o evitando. Comecei a sair mais com Caitlin e isso me ajudou bastante, pois toda vez que Justin aparecia lá eu saia com Caitlin para shopping, Praças, Sorveterias, Restaurantes e etc…
Mas hoje tive que o aturar do meu lado a manhã toda o bom foi ter Pattie comigo.
Senti Patrícia segurar minha mão e eu automaticamente a encarei e ela sorriu me transmitindo paz e segurança.
– Vai dar tudo certo. - sussurrou no meu ouvido e eu sorri em forma de agradecimento. Deitei minha cabeça no seu ombro enquanto ela acariciava meus cabelos e eu mantinha meus olhos fechado procurando me acalmar.
Ah! Esqueci de contar. Depois de tudo que houve e saí do hospital, fui na loja procurar a mulher que talvez me daria um emprego e adivinhem? Eu consegui! Mas não na mesma loja, Leila a dona da loja tinha outra loja, mas era de acessórios de roupas e ela preferiu me deixar lá, pois é menos pesos para eu carregar, estoques mais leves. Ela estava sempre cuidando de mim e preocupada comigo, ela pareceu se tornar uma tia para mim.
Na loja eu estava em treinamento por enquanto, ela estava me ensinando como funciona a loja e tudo mais. Cada vendedora tinha um estoque divididos por letras e números o meu foi B5 onde cuidaria de calças, desde Jeans até moletom. Teria que está sempre organizando o meu estoque e atender os clientes que adentravam a loja. Patrícia não gostou muito da ideia de eu estar empregada, mas sem ser grossa deixei claro a ela que eu ainda mandava em mim e que eu precisava ser independente. Hoje depois daqui iria para loja, Leila insistiu que aproveitasse esse dia como folga, mas eu insistir que não! Se eu posso ir para loja depois, eu vou!

– Keisha Lesley Campbell. - ouvimos uma voz grossa e logo levantamos os três juntos. Olhei para Justin que colocou suas mãos no bolso e respirou fundo, ele estava nervoso. Ele umedeceu seus lábios e olhou para mim e no mesmo instante voltei meu olhar ao médico a nossa frente. Pattie apartou minha mão. – O resultado está pronto. - falou e estendeu a mão com um enorme envelope branco. Patrícia percebeu que Justin e eu não se movemos para pegar então ela mesmo pegou e se sentou e volta e sentamos juntos a ela. Aquele momento parecia ser em câmera lenta. Justin umedecia seus lábios de cinco em cinco segundos de tão nervoso que estava. Eu já sabia o resultado daquele exame, mas, mesmo assim, estava nervosa. Não era por saber que ele era o pai do meu filho, mas por medo da sua reação...

                                                                                                                                                                     Continua...
 


Notas Finais


Oeeee
Gostaram? sim? então comentem. Não gostaram? comentem.
De suas opiniões. Obrigada queridas.
E pra quem acompanha:
Traffiking Of Love - está para ser postada logo logo então fiquem atentos!
E Imagine Hots - Titânio - Love Can Save It All a continuação também está quase pronta então até o fim da semana está postado a part II e III que será o fim.
Pra quem ainda não conhece segue a baixo os links:::
Imagines Hots - https://spiritfanfics.com/historia/imagine-hots-6443703
TOL - https://spiritfanfics.com/historia/trafficking-of-love--em-nome-do-amor-2493816


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...