História Love Criminals - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Bickslow, Cana Alberona, Erik (Cobra), Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Ivan Dreyar, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Mavis Vermilion, Metallicana, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Pantherlily
Tags Gale, Gruvia, Jerza, Nalu
Exibições 20
Palavras 2.419
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Lemon, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi mina espero que gostem!!

Capítulo 4 - Primeiras pistas início do jogo


Fanfic / Fanfiction Love Criminals - Capítulo 4 - Primeiras pistas início do jogo

Nova York
08:30
Lower esat side

Dor de cabeça preguiça era isso que podia definir a manhã do moreno e de todos na casa.
Gajeel andou devagar pela escada e o fato de ter acordado "cedo" era culpa do maldito celular de Levy que estava programado para despertador que tocou de modo incessante e irritante que combinado com a dor de cabeça quase matou ele, continuou até a coisinha onde foi até o armário pegou dois remédios jogou no copo de água viu a espuma subir e depois virou tudo em um gole e foi fazer café, antes de acabar ouviu mais uma pessoa também abrir o armário e fazer mesmo ritual que ele, olhou e viu Juvia escorada na bancada com uma mão massageando a cabeça e a outra segurava o copo com remédio depois de virar todo o amargo remédio pra dentro dentro a garota deu bom dia ao irmão que a entregou uma xícara com líquido fumegante, eles não gostavam muito de café mas era uma coisa que aliviada suas manhãs com ressaca.
Durante todo esse tempo o silêncio era presente e absoluta o som de passos no andar de cima era nítido o e irritante claro que era Natsu irritado com a perda da noite anterior, o carro que Lucy tinha levado era seu bebê e por isso tanto estresse.
O celular em cima da mesa vibrou e uma mensagem havia chegado a tela se acendeu mostrando bloqueio e a palavra "desbloquear" apareceu em uma língua desconhecida aos dois o que chamou bastante atenção principalmente do moreno:
- pessoal eu tenho uma má notícia - disse Natsu entrando na cozinha - e cabeças devem rolar
- O que é ? - Juvia perguntou sonolenta e preguiçosa- matou alguém ainda não escondeu corpo?
- bem e que tinham uns papéis meio que importantes na pasta amarela no banco de trás do carro e ... o carro agora tá com a loira
- O que? - Gajeel falou o mais alto que pode - se a dor de cabeça permitisse eu te mataria agora bem lentamente tirando cada uma das suas tripas.
- calma cara isso não vai te matar.
- Natsu do meu coração se isso cair em mão erradas vai matar ele sim - Juvia deu um sorriso falso que logo sumiu e ela ficou seria - ai eu mato você.
- Calma gente é só algumas coisas sobre o jato particular e algumas outras coisas que vieram para cá, calma cara eu vou buscar e ainda hoje assim que eu puder
- Espero que sim.
Gajeel disse saindo da cozinha indo para o segundo andar bateu na porta até ele abre e o azulado estava com rosto amassado e cara de sono sem camisa só de cueca, moreno entregou o celular para ele disse para descobrir tudo que estivesse ali e saiu.
Precisava começar a buscar por seu alvo foi até a sala dos computadores para começar revirou o todos os arquivos que tinha sobre a máfia russa, com dificuldade e a morte de muitos eles conseguiram infiltrar uma pessoa dentro de lá, mas infelizmente ela não conseguiu fazer um banco de dados completo sobre as integrantes foi morto assim que descoberto, revirou tudo e nada batia com as poucas informações que já tinha era quase em tudo ineficiente inúteis no máximo ia conseguir com sorte descobrir alguém da equipe que já estivesse lá. Quase desistindo quando alguém entrou na sala, era Jellal carregando um computador conectado ao celular que ele entregou e uma xícara equilibrado em cima do teclado, tinha a cara de mal humorado mas Gajeel ignorou isso eles ficaram os dois lá em silêncio por um tempo até os resmungos do azulado que por um tempo já estava se revirando pela cadeira chamar atenção do outro pela quarta vez ele revirou o que deixou o moreno inquieto e depois de quase trinta minutos não conseguiu mais e antes que ele fosse ver Jellal o chamou
- Vem cá cara
- O que foi? - ele chegou perto olhando a tela com mensagens criptografadas descendo e subindo - o que é isso?
- Não sei, bem na verdade é ótima criptografia mal consegui acessar o sistema tem alguma coisa de importante nesse celular e o pouco que consegui dessa criptografia foi em russo - ele olho direto para ele e depois para o celular mil pensamentos em sua cabeça passaram em questão de segundos - Isso não é bom acho que ela tá ligada a eles, e se não me engano eu vi a ruiva falando o telefone em russo ontem.
- Ou está sendo usado como isca, - o outro disse, se recusava acreditar que aquela garota era uma mafiosa, ainda mais que estava contra ele era quase um insulto a ele se alguém pensasse em que uma garota frágil como ela ganharia - vou investigar mais tarde vou levar isso  - ele apontou pro celular - lá na casa dela
- aproveita e coloca isso - o azulado jogou um pacote plastificado para ele - são micro câmeras com microfone, a ruiva e agora a minha suspeita
- bem ela se encaixa a descrição até onde sabemos temos que achar é uma mulher de 22 anos pele clara olhos castanhos e tem cabelos um tanto peculiar.

Nova York
West village
08:39

A cabeça dela parecia que ia explodir, claro com toda aquela vodka, o silêncio na casa era quase um incômodo, ela levantou e saiu do quarto desceu todos os lances de escada até a cozinha, onde achou uma Lucy caída, estava de pijama e com os cabelos penteados era sinal de que aquilo não tinha acontecido a noite, a pequena ajudou a levantar e a loira se escorou no armário, Levy pegou um grande copo de água entregou a loira que bebeu apenas alguns goles pegou uma aspirina e jogou no resto e depois tomou tudo, as duas ficaram em silêncio até Lévy não resistir mais
- Há quanto tempo? - Lucy ficou calada e abaixou a cabeça - olha pra mim você e louca e? Além de não comer a dias ainda bebi tudo aquilo ontem? Deixa de ser louca mulher- a pequena começou a ficar estressada - você é linda exige muito de seu físico se ficar sem comer vai acabar morrendo, você não é gorda tem um corpo perfeito é gostosa ta ouvindo? GOSTOSA, E NÃO PRECISAVA DESSAS DIETAS LOUCAS DE SÓ COMER FOLHA UMA VEZ NO DIA! - ela gritou - legal agora minha cabeça vai explodir.
- Mas Levy ... - ela parou - Tem razão! - saio de onde estava e foi a amiga - achei que ninguém desa casa fosse acordar.
- acordei antes de ouvir meu despertador o que me faz pensar que meu celular tá perdido por essa casa - ela riu - Mas me fala o que é esta pasta? - Ela disse apontado era o artefato no chão e Lucy pegou
- estava no banco do carro que ganhei do Natsu, fui lá ver se meu celular havia ficado encontrei isso - Ela abriu a pasta de plástico amarelo e viram várias folhas datadas de algumas semanas, a maioria assinada com o nome do rosado, e também eram documentos ilegais ou seja tinham partido de um fórum clandestino, os últimos documentos eram do aluguel de um jatinho que tinha partido da Inglaterra com destino a Nova York ela leu o documento e passou para Levy - sera que...
- bem ele pode estar ligado ao nosso alvo não se encaixam nos padrões descrito a nós mas... Lucy esses papéis são importantes escaneia e mantenha uma cópia virtual contigo, ele deve vir buscar em algum momento, agora Natsu está na minha lista, conseguimos alguma coisa com ele sendo assim estamos um passo à frente de inimigo agora.
A loira pegou a pasta e subiu passado algum tempo a azulada tinha arrumado a mesa de café, era péssima na cozinha mas tudo já estava pronto ele teve apenas que organizar. Depois de um tempo Gray apareceu na cozinha com notebook aberto, logo depois Erza que não parecia nada bem eles se sentaram, e nenhuma palavra foi dita. Erza apreciando o seu precioso bolo com pedaços de morango, enquanto Grey casualmente comia um ou outro cookie ainda concentrado na tela do computador, Lucy voltou um tempo depois de roupa trocada  sentou na mesa e recebeu um olhar sério da baixinha que a observou comer as duas maçãs e um o pedaço de bolo só depois parou de olhar e ficou satisfeita.
As duas explicavam a Gray e Erza que ficaram felizes com o progresso, bem mas isso ate o nome Juvia ser mencionado então o sorriso dele morreu, e só então as garotas ligaram os pontos a Juvia que conheceram  só podia ser garota dele e o clima ficou meio estranho
- então a Juvia e esse tal de Natsu esta ligados ao seu alvo? - ele perguntou serio - acho difícil Juvia estar fazer parte disso, não por ela ser minha namorada mas ela e muito amável e direta pra envolver com esse mundo.
- O que? repete! - disse Erza
-  O que? ela é muito amável
- isso não idiota antes - disse Lucy
- ela e minha namorada? - os rosto delas ficaram congelados de choque e Gray não podia estar falando mais sério, embora ele fosse a ultima pessoa que elas pensaram que arranjaria uma namorada - a serio pessoal? Não e tão difícil de acredita né?!
  O resto da manhã foi calmo depois de mandar pra Gray os document e ele ir trabalhar neles, Lucy e Levy foram pra oficina e Erza saio .
O carro do de Natsu era bem conhecido pelas duas principalmente a Lucy que amava motores, começaram desmontar cada uma em uma parte Lucy embaixo Levy cima, já estava quase acabando quando algo chamou atenção da loira era uma esfera prateada que piscava uma luz vermelha e que vibrava bem fraco, estava bem leve as duas olharam aquilo e saíram da
Oficina/garagem, chegaram na sala ouviram o toque da campainha seja quem fosse estava muito desesperado para que abrissem a porta, a passos lentos a loira foi atender o desesperado ao abrir deu de cara com rosado de cabelos bagunçados esperando impaciente batendo o pé no chão do outro lado da rua Rover cinza estacionado.
- oi loira - ele sorriu - tudo bem?
- Natsu? O que te trás aqui? - ela fingiu surpresa
- bem... eu vim ... buscar umas coisas importantes que ficou no meu carro quer dizer seu carro uns documentos importantes do escritório
- estão em uma pasta? Amarela? - ela andou até o sofá e pegou a pasta e voltou entregando a ele - está aqui - ela sorriu - parecem importantes então sabia que viria buscar
- Valeu linda - ele pegou os papéis e observou um a um depois fechou de volta - Então você quer não sei, sair comigo? Ir no cinema comigo algum dia? - havia sido avisado por uma ligação que suspeitavam da ruiva então era melhor telas por perto - que tal?
- adoro cinema na sexta?
- tudo bem na sexta até lá. Tchau Lucy, tchau Levy - ele falou pela primeira vez com ela que estava mais atrás na sala vendo a cena e escondendo a esfera nas costas - até.
Lucy ficou vendo ele atravessar a rua e entrar no carro saindo acelerando na rua quase entrando na contramão, as duas garotas se olharam e subiram até o quarto onde Gray estava mexendo em sua gaveta de camisa e assustou quando as duas gritaram de uma só vez jogando para ele a esfera metálica ele pegou em um reflexo rápido
- Onde acharam isso? - ele girou a espera duas vezes na palma da mão - é bem leve
- Sabe oque e? - a baixinha perguntou curiosa - estava no carro do Natsu
- E o rastreador localizador por GPS é bem sofisticado, bom vou descobrir mais sobre isso com sorte posso saber todos os locais que esse carro foi nos últimos 20 dias, acho que vocês são mais indicadas para descobrir dos documentos do que eu não acham?
As duas ficaram o resto do dia na sala de computadores. Claro que não era fácil descobrir sobre aqueles papéis depois de um tempo acharam alguns dados sobre o jatinho e também de cargas de computadores até ali tudo possivelmente legalizado no nome de Natsu, mas depois conseguiram dados de um tráfico de armas não retido pela polícia, a suspeita era por ele também e apareceu o sobrenome Dragneel , o sobrenome não negava que estava diretamente ligado à máfia inglesa. Então já tinha achado sua primeira pista, as coisas começaram a tomar forma.
Já era quase sete da noite quando a ruiva entrou afobada em casa desceu até o porão para falar com as duas, Gray tinha saído novamente para encontrar com Juvia, a ruiva sentou-se acalmou e começou a falar explicou que os rapazes estão achando que ela era o alvo tinha ouvido a conversa de Natsu com um informante em uma cafeteria a poucos minutos, então tinha que sair de perto para observar de longe fazer eles pensarem que ela havia desaparecido
- Então agora o jogo começa pra valer.
Ouviram a campainha e gritaram que já iam atender a baixinha  foi a primeira a chegar e atendeu a porta e viu Gajeel encostado com camisa cinza calça preta tênis preto e jaqueta verde escura
- o que tá fazendo aqui? Como acho minha casa?
- oi pra você também. O Natsu me contou onde era sua casa - tirou uma coisa do bolso da jaqueta entregou a ela - tem que ter mais cuidado baixinha
- como é que... - ela estava perplexa pegou o celular sendo que nem tinha dado falta dele o dia inteiro - ele tava com você? como ele foi parar com você?
- eu ia fazer essa pergunta de como ele veio para comigo. - ele riu
- obrigada ,agora tchau!
- espera baixinha já que eu vim aqui podia sair comigo pra me agradecer
- não vai me deixa quieta se eu não aceitar né? - ele concordou com a cabeça - Ok me dá 15 minutos vou me aprontar - disse subindo a escada
- Não coloca saia porque eu to de moto
- Que droga - ela gritou lá de cima da escada.


Notas Finais


Ate
😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...