História Love Cursed - Capítulo 52


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Sasha Pieterse, The Originals
Personagens Elijah Mikaelson, Esther Mikaelson, Jaxon Bieber, Klaus Mikaelson, Mikael Mikaelson
Tags Justinbieber, Lobisomem, Sobrenatural, Theoriginals, Vampiro
Exibições 24
Palavras 1.835
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 52 - Worst Nightmare ll


Fanfic / Fanfiction Love Cursed - Capítulo 52 - Worst Nightmare ll

P.O.V KLAUS MIKAELSON 

- E aí, em qual escritório da KingMaker nós vamos incendiar agora? -Perguntou Joana. Ela olhava atentamente para o mapa enquanto eu á observava. Estávamos em uma lanchonete, tomando nosso café da manhã. Vivemos na estrada, agora. - O que foi? Está tão longe...

- É... O Jaxon revelou sua natureza. Ele tá com a Frida. Parece que o resgate depende do Elijah e do meu nada confiável irmão, Finn.

- E você quer voltar para Nova Orleans e ajudar seus irmãos? Beleza, pode ir. Eu vou atrás da King Maker. O Jaxon tem escondido o sequestro dos lobos e eu quero saber o por quê.

- Não. -Segurei em sua mão- Os lobos e o sequestro da Frida não são coincidências. É melhor deixar meus irmãos no caminho óbvio. Você e eu, vamos até a King Maker. Sem dúvida todos esses caminhos levam ao mesmo traidor bastardo.

P.O.V FRIDA MIKAELSON

Isso só pode ser um pesadelo, vamos morrer assim que Jaxon acordar. 

- Precisamos fugir, rápido. -Tentei me levantar assim que soltaram minhas mãos e meus pés.

- Então vamos. -Disse Finn me pegando no colo. Era tarde demais. 

- Aonde vocês vão? Mal começamos.

- Eu não entendo, Jaxon. -Desabafou Justin- Como pôde fazer tudo isso pelas minhas costas?

- Eu sabia que o bobo apaixonado não aceitaria eliminar de vez a família da Megan. Eu não tive escolha, meu irmão. 

- Eu vou acabar com você, Jaxon. Eu nunca quis te machucar, mas agora eu quero e eu mesmo vou destruir pedaço, por pedaço, seu. -Os olhos do loiro ficaram negros e suas presas apareceram. Meus irmãos fizeram o mesmo e foram correndo até Jaxon. Todos os três apanharam e estavam ao chão em questão de segundos.

- O que que é isso? -Sussurrei assustada-

- Isso é tudo o que vocês têm? -Perguntou debochado-

Os três levantaram de uma vez e tentaram novamente acabar com Jaxon, o que foi em vão. Finn acabou sendo mordido no pescoço e gritando de desespero, eu gritei junto, com medo.

P.O.V KLAUS MIKAELSON

- Tem certeza que não quer ajudar seus irmãos? -Perguntou Joana-

- E abandonar o time agora? Depois que eu descobrir o seu talento para cantar no carro ficar difícil de abandonar. -Ela riu- O Jaxon está fazendo um jogo. Quando descobrimos que ele havia deixado os lobisomens em empresas, presos, ele queria algo. E á cada empresa que destruímos chegamos mais perto de descobrir o porquê. Vamos continuar, juntos. 

P.O.V ELIJAH MIKAELSON

- POR FAVOR,PARA! -Gritou Frida ao ver o irmão berrando de dor. A mesa rastejou até ele. Finn berrava de dor e a feriada parecia abrir cada vez mais. Justin e eu paramos em frente ao Finff para impedir que Jaxon o machucasse mais.

- Hoje é o início de grandes mortes. -Sorriu Jaxon e se aproximou-

-  Defensiva tentorium -Indagou Frida esticando as mãos. Jaxon tentou passar, mas não conseguiu. Frida nos protegeu.

 - Vocês não vão ficar aí pra sempre. Um dia vocês vão sair, e nesse dia, matarei um por um, na frente de Nikalus. Até mais. 

O mesmo sumiu dentre as árvores. Todos nos sentimos aliviados e ao mesmo tempo aflitos pelo Finn. Precisávamos e Nik, e urgente. O sangue dele pode curar qualquer mordida. 

P.O.V NIKLAUS MIKALESON

Tirei a máscara de gás do último lobisomem. Esse estava vivo. Fraco, mas vivo. 

- Klaus? Vem aqui. -Joana me chamou. Fu até ela- Ela não é um lobisomem. Ela é uma vampira. Ela está morta.

- Ela foi usada como um rato de laboratório. -Indagou ofegante o lobisomem que eu acabara de libertar- Jaxon á envenenou diversas vezes e á curou diversas vezes. Até que por fim, ela não suportou o último veneno.

- E você sabe o que era esse veneno?

- É o nosso veneno, Klaus. O veneno de cada alcateia. Ele estava injetando nela e á trazendo para a vida. O último, eu não sei o que era, só sei que o sangue dele á trouxe de volta.

- Tudo bem. -Meu celular começou á tocar- Encontre os outros da sua alcateia, está livre agora. Joana? Incendeie esse lugar. Te espero no carro. 

Ligação ON

- Alô?

- Klaus? Preciso de você. O Finn precisa. Ele foi mordido por Jaxon, ele é o monstro que vai nos destruir. Ele é o monstro da profecia. 

- Eu estou indo

Ligação OFF

- A Frida está á salvo. -Disse assim que Joana apareceu no carro-

- Mas e os outros?

- O Finn não está nada bem.  Tá sofrendo por causa da mordida do Jaxon. O Elijah quer que eu volte e cure ele. Ameniza a dor. 

- Você tem que ir. 

- Não. O Finn pode sofrer um pouquinho, ele merece a agonia. 

- Klaus, quando você disse que queria trabalhar junto pelo bem da Hope eu queria ver como seria. E agora eu já vi. E agradeço por ajudar á resgatar os lobos, mas, se tem uma chance de tornar o Finn um aliado, aproveita. VAI!

( . . . )

P.O.V NARRADOR ON

- NÃO ME DEIXEM. NÃO ME DEIXEM SOZINHO. -Implorava incansavelmente o irmão ferido-

- Não vamos te deixar, Finn. Estamos com você. -Disse a mais velha tentando  o acalmar-

- Ele está alucinando. É um pesadelo -Disse Elijah tentando acalmar o irmão que alucinava-

Kol, o irmão egocêntrico entrava pelos enormes portões com um sorriso debochado no rosto. O mesmo viu o irmão no sofá em um estado deplorável e riu. Kol se jogou no outro sofá e resolveu tirar onda.

- Bom, ele parece...horrível. Foi mordida de lobo, é? -perguntou mesmo sabendo a resposta- Isso vai doer muito, cara. Então Jaxon virou híbrido, é?

- Não sabemos o que e. -Elijah respondeu irritado- Mas o veneno parece agir mais rápido.

- Isso é bom. Talvez saia mais rápido do corpo dele. -Disse Frida tentando acalmar á todos-

- Ou, pode ser mais letal. -Levantou do sofá indo se servir de Whisky- Se o Klaus não chegar á tempo você morre, com um pouquinho de sorte. -O mesmo acabou recebendo uma bofetada na cara de sua irmã mais velha.

Ninguém vê
Ninguém sabe
Nós somos um segredo
Que não pode ser revelado

- Qual é o seu problema? 

- COMPORTEM-SE. -Ordenou Elijah- 

- Irmãos brigando...que coisa familiar. -Ironizou Klaus, ao entrar pelos portões. Mas os times parecem que mudaram. Eu posso saber por quê?

- Ele precisa de nós. -Nesse momentos Finn começou a urrar de dor. O mesmo estava quase se entregando á morte. Os irmãos trocaram olharem e Klaus resolveu ajudá-lo. Deu ao Finn de seu sangue. Em questão de segundos, Finn já não sentia tanta dor.  

- Obrigado, irmão. -Agradeceu ofegante-

Meu refúgio, meu refúgio 
Eu encontro nos seus braços
Quando o mundo dá fardos pesados
Eu sou capaz de aguentar toneladas

- Como você está? -Perguntou Frida-

- Eu... tô estranho e eufórico. -Respondeu-

- Dizem que eu causo esse efeito. -Brincou, Klaus-

Kol começou á bater palmas e se aproximar do irmão que estava ferido.

- Que momento de família precioso. Eu acho que eu vou arrancar os meus olhos com o atiçador da lareira. 

- Kol, eu te agradeço. O feitiço da Sidney funcionou, hoje. E eu vi um pouco do cobiçado "Sempre e para sempre" . E eu... -O mesmo pegou impulso para o lado e começou á vomitar sangue- 

Ninguém vê
Ninguém sabe
Nós somos um segredo
Que não pode ser revelado

- Finn! -Gritou Klaus tentando o segurar. 

- O que há com ele? -Perguntou Elijah o segurando. O mesmo voltou á ter alucinações.-

- O corpo dele está morrendo. -Disse Frida-

- Isso não é possível, eu curei ele. -Klaus estava indignado- 

- Vai...vai ficar tudo bem, irmão. Vamos dar um jeito, ok? Meu pingente...

É desse jeito
É assim que acontece
Longe dos outros
Perto um do outro

- Não adianta. -Gritou Kol- Ele está morrendo, a alma dele não aguentaria muito tempo no pingente.

- Nós temos que tentar. -Frida estava desesperada. Não queria ver seu irmão partir.-

- Vamos tentar. Finn, você bebe meu sangue até fazermos o feitiço. -Disse Klaus pronto para morder seu pulso e dar mais sangue ao irmão.

- Não... -Sussurrou Finn- Não me deixa sozinho... -Suplicou. Frida segurou firme em sua mão e seus olhos se encheram de lágrimas-

À luz do dia, à luz do dia
Quando o sol está brilhando
Tarde da noite, tarde da noite
Quando a lua está ofuscando

- Não... Finn? -Klaus estava transtornado ao ver que o irmão estava prestes á morrer. O mesmo colocou as duas mãos em seus ombros e se aproximou.

- Estamos aqui. -Disse Elijah segurando sua mão- Estamos aqui, irmão.

- Eu estou aqui, irmão. Vocês não está sozinho. -Disse Frida já libertando suas lágrimas. Kol de aproximou e tocou a perna do irmão, lhe passando força também. 

Os quatro irmãos se encontravam aos prantos, até mesmo Kol, que o odiava. Eles estavam vendo um dos seus morrer e sem poder ajudar. O corpo de Finn começava a aderir a coloração cinza, pronto para se incendiar automaticamente. Quando Finn fechou os olhos, os quatro desabaram juntos. 

À vista de todos, à vista de todos
Como as estrelas no esconderijo
Eu e você desejamos 
Amor+ nós= eternidade, nunca mudaremos isso

( . . . )

Elijah tinha em mãos uma urna, contendo as cinzas do irmão. Kol, Frida e Klaus também estavam na ponte, prontos para jogar as cinzas do irmão no rio. 

- Você luto contra o tempo e as circunstâncias. -Disse pegando um pouco das cinzas do irmão- Está livre agora, Finn. -Jogou as cinzas que estavam em suas mãos no rio e passou a urna ao Kol.

Ninguém vê
Ninguém sabe
Somos como um segredo
Que não pode ser exposto

- Eu te odiei por séculos. E vou continuar odiando. Mas eu conheço o tormento...então eu espero que encontre paz em um abismo. -Disse jogando um pouco das cinzas no rio e passando o pote para Frida.

-  Quando você nasceu, você me deu um presente. Foi meu primeiro amigo. E hoje, Finn, você me deu minha vida e os meus irmãos unidos. Mesmo que só por um momento. Eu te amarei sempre e pra sempre, meu irmão. -Disse em meio ás lágrimas e jogando as cinzas no rio- 

É desse jeito
É assim que acontece
Longe dos outros
Perto um do outro
É quando nos revelamos, revelamos
É quando nos revelamos, revelamos

A urna parou nas mãos de Klaus, com o resto das cinzas de Finn. O mesmo encarou a urna e com um aperto no peito conseguiu dizer algumas palavras.

- Só saiba que você vai ser vingado. - Klaus virou o resto do pote no rio com lágrimas nos olhos- 

Ninguém vê
Ninguém sabe
Nós somos um segredo
Que não pode ser revelado
É desse jeito
É desse jeito que acontece
Longe dos outros
Perto um do outro
É quando nos revelamos


Notas Finais


AMANHÃ TEM MAAAAAAAAAAIS. Não me mate, love u, girls.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...