História Love Design - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Roland, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Vovó (Granny), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Evil Queen, Graham Humbert, Huntingqueen, Jamie Dornan, Lana Parrilla, Once Upon A Time, Outlawqueen, Regina Mills, Robin Hood, Sean Maguire
Exibições 198
Palavras 2.306
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiie!! Obrigada pelos comentários e favs <3

Capítulo 11 - Coworkers


Fanfic / Fanfiction Love Design - Capítulo 11 - Coworkers

No decorrer da madrugada, Graham abraçou Regina forte diversas vezes como se a morena fosse fugir a qualquer momento.

A cada aperto ela se aconchegava mais, não estava acostumada a receber carinho e nem a dormir com ninguém. Mesmo dormindo sentia-se protegida por ter alguém ao seu lado.

***

Já se passavam das 6h da manhã, mas o céu permanecia com pouca luz.

Regina despertou aos poucos sua cabeça doía muito por conta da bebida, mas já estava completamente sóbria.

Acordou olhando calmamente para os lados, viu que estava em sua casa e em sua cama, usando suas roupas de dormir, estaria totalmente aliviada se estivesse dormindo sozinha.

Graham a apertou de novo como havia feito a noite inteira. Ela fechou os olhos ao sentir e respirou fundo, estava de costas para ele, mas sabia reconhecer o engenheiro mesmo sem olhar para trás, reconhecia seu toque.

A arquiteta virou-se delicadamente para não acordá-lo, fazendo com que o mesmo a soltasse.

#De novo, não!# - Pensou e franziu a testa, com uma expressão triste. Se lembrava apenas da última dose que tomara, se é que aquela quarta dose havia sido a última, não sabia.

Seus olhos encheram de lágrimas ao olhar para Graham, sabia que o acordaria e teria que expulsa-lo como fez da última vez. Mas realmente aconteceu algo?

Engoliu um seco temendo ter acontecido.

-G-Graham? – Sua voz era falha, o chamou baixo, mas não precisou de muito para que ele acordasse, ele amava aquela voz e a seguiria por onde fosse.

-Regina! – Acordou ao ouvir a voz da morena e seu coração acelerou. Viu a expressão dela que era a mesma triste da última vez e temeu o pior.

-G-Graham, vá embora, por favor! – Disse sem olhá-lo nos olhos, estava totalmente constrangida e corada, tentando manter a calma.

-Não! Não aconteceu nada!! – Sentou na cama, estava visivelmente desesperado. –Eu juro!

-Se não houve nada, por que você está dormindo comigo? – Engoliu um seco e tentou olhá-lo.

-Hey! Olha pra mim! – Disse segurando a mão de Regina. A mesma o olhou. –Eu só queria me certificar de que ficaria bem!.

-Eu prometi que não ia se repetir e não se repetiu. Você insistiu muito! Muito mesmo! Foi por pouco. – Disse ele com voz falha.

-E-Eu...E-Eu não sei o que deu em mim!! – Corou violentamente.

-Você é bem insistente e eu sou fraco, ainda mais quando se trata de você. Você sabe muito bem disso. – Disse sorrindo tentando aliviar aquela tensão dela.

-Sim, eu sei! – Respondeu ela sorrindo. Respirou aliviada.

-Senti seu alívio agora, é tão ruim assim transar comigo? – Graham não conteve-se em perguntar o que estava engasgado á meses.

-Graham, por favor! – Se sentiu mal ao lembrar-se das vezes que o descartou. –Foram só duas vezes! – Desviou o olhar.

-Três!! Regina! Três!. – Ele a olhou estreitando os olhos. –Ta vendo como você vira tudo pra cima de mim!! A primeira tudo bem, você estava bêbada, mas pela manhã não ficou tão nervosa porque sabia que tinha forçado aquilo, mas me pediu para que isso não se repetisse. Da segunda se você não se lembra, você estava um poço de estresse e queria alguém para descontar, alguém que lhe aliviasse, mas se arrependeu na mesma hora que caiu suada ao meu lado. Da terceira eu quebrei minha promessa e eu me arrependo infinitamente disso! – Disse com voz firme relembrando a morena que ouviu tudo atenta com um olhar de culpa.

-G-Graham, me desculpa por te tratar tão mal, reconheço que tenho parte da culpa. – Ao vê-lo se levantando, o puxou de volta e o mesmo ficou onde estava.

-Você não pode responder minha pergunta, nem ao menos se entregou ao momento para sentir algo, para saber se é bom e se você entregou-se estava bêbada demais para lembrar na manhã seguinte. Você nunca me quis sóbria, nem nunca vai querer!. – Disse com uma voz de rejeição de si mesmo.

A morena o olhou fixamente e se aproximou, debruçando-se, deixando seu decote ainda maior.

-Obrigada por ter sido honesto e não ter transado comigo naquele estado. Desculpe por te fazer passar vontade! – Disse com uma voz mole e sedutora.

Graham nunca havia visto ela seduzindo alguém sóbria e se surpreendeu ao vê-la debruçada com boa parte dos seios a mostra pois a camisa não estava totalmente abotoada além de estar caída em um dos ombros.

-R-Regina! – Sua voz lhe faltou ao olhar para o decote da morena e virou-se, pois não sabia o que fazer.

-Não acho que seja tarde para eu responder sua pergunta. – Disse sensualmente perto do ouvido do mesmo, mordeu o lábio inferior e ajoelhou atrás dele que estava sentado na beira da cama, desta vez de costas para ela tentando pensar no que estava acontecendo.

 A morena interrompeu seus pensamentos, deslizando suas mãos dos ombros até o peitoral definido do quente homem que ficou imóvel. Mordeu a ponta da orelha do engenheiro o arrepiando. Na mesma hora o olhar de Graham voltou para ela fixo.

Regina o olhou sensualmente e umideceu seus lábios com a língua lentamente. A mesma se afastou um pouco ao ver que prendeu a atenção do loiro de olhos claros.

Graham permaneceu imóvel olhando-a com desejo. Finalmente seria sua por vontade própria, finalmente se entregaria. Ele observou cada movimento da arquiteta atentamente.

Regina estava de joelhos na cama, lentamente soltou botão por botão da única coisa que a mantinha coberta, uma camisa de listras claras. Sem tirar os olhos do engenheiro um segundo se quer, deixou a camisa aberta ficando com seus grandes e firmes seios com mamilos duros totalmente visíveis para ele.

-Re-Regina... – Traído pela própria voz, não era capaz de formar uma frase completa. Ofegou o nome da arquiteta, perdendo totalmente o controle e a empurrando fazendo com que a mesma deitasse e ele ficasse por cima de seu belo corpo quente.

A troca de olhares contou com o máximo de tesão possível de ambas as partes.

Ele colocou uma de suas mãos por dentro da camisa morena na curva de sua cintura e a beijou urgentemente, com a mão livre a segurou pela nuca dando leves apertos.

Regina retribuiu o beijo não muito surpresa pela urgência, sabia que ele a queria muito e depois da noite passada sabia que aquele desejo estava redobrado. Colocou as duas mãos na nuca do engenheiro e entrelaçou seus dedos em seu cabelo o puxando de acordo com a intensidade do beijo, soltando leves gemidos entre pausas para a retomada de ar.

Graham pressionou seu corpo contra o dela e sentiu os seios da arquiteta roçarem em seu peitoral, isso o deixou louco. Há puxou um pouco pra cima e a livrou-se rapidamente daquela camisa incomoda jogando-a no chão.

Ele parou por alguns segundo para observar aquele corpo moreno arfante e fervente que era o da arquiteta, Regina estava totalmente nua da cintura para cima, seus seios iam para cima e para baixo junto de sua respiração.

Ela observou-o e mordeu o lábio inferior com vontade, puxando-o para baixo dando beijos e chupões em seu pescoço, deslizou suas mãos pelos fortes braços malhados do engenheiro.

Ele aproveitou a distração de Regina com seu pescoço para se livrar de suas calças rapidamente sem sair dos beijos da morena. Olhou-a novamente e viu em seus olhos semicerrados que ela o queria muito. Sem perder tempo abocanhou um de seus seios e o chupou com vontade.

Hmm! – Regina gemeu fraco estava sem ar. Uma de suas mãos agarrou Graham pela nuca puxando seu cabelo, a outra agarrou o lençol. Seus seios eram sensíveis demais e a língua do homem estava deixando-a sem controle de si mesma.

Graham apalpou o seio esquerdo com a mão livre e o apertou enquanto continuava chupando e mordiscando o direito. Inverteu e com a ponta da língua rodeou o mamilo esquerdo de Regina que se contorcia na cama gemendo alto. Abocanhou-o sugando com toda a vontade do mundo. Não demorou muito para que sua curiosa boca descesse em um caminho de beijos, chupões e lambidas, enquanto suas mãos contornavam cada curva daquele corpo que implorava por sexo. Sua língua adentrou o umbigo da morena a fazendo arrepiar.

Huum! – Ela gemeu, sabia onde aquela boca esperta iria parar. Suas mãos se mantinham no mesmo lugar, puxando forte e carinhosamente o cabelo de Graham enquanto ele descia com sua língua.

Ao chegar com a boca no sexo molhado de Regina, deixou-a mais e mais excitada com beijos íntimos quentes por cima da calcinha. Olhou para cima ao perceber que Regina estava quieta e o observando atenta, enquanto umidecia os lábios e deixava a boca entreaberta.

A mesma trocou olhares com ele e jogou a cabeça para trás no mesmo minuto, extremamente corada e tomada pelo tesão.

Ele sorriu ao perceber a timidez e excitação de Regina.

A cada beijo ela foi ficando mais e mais molhada.

Graham puxou a calcinha rendada da arquiteta para baixo com as duas mãos deslizando-a por suas coxas até tirá-la por completa e a jogar no mesmo lugar da camisa ou em outro lugar, não estava preocupado com isso, sabe-se La onde estaria essa calcinha mais tarde.

 Seu membro estava totalmente rígido e pulsante, poderia tomá-la a qualquer momento.

-Ooohw!! -  Regina gemeu alto e espremeu os olhos ao sentir a boca faminta de Graham abocanhar seu clitóris e fazer voltas circulares entorno do mesmo com a ponta de sua língua.

Ela mordeu o lábio inferior tentando conter gemidos escandalosos, mas o esforço foi em vão.

-Gr-Graham! – Puxou o ar entre os dentes e gemeu alto ao sentir ser invadida pela língua agitada do engenheiro. Puxou forte o lençol e arqueou o corpo.

Ah como precisava disso! Não sentia prazer dado por outra há oito meses.

Graham tirou e colocou sua língua de dentro dela repetidas vezes, sabia que isso a deixaria louca assim como ele estava.

Seu gosto era único, poderia chupá-la a noite inteira, mas sabia que isso era tortura.

Introduziu dois dedos dentro da intimidade molhada e quente da morena e os curvou, fazendo Regina arquear o corpo e gemer alto.

-Ooohw!!! - Regina se contorcia gemendo alto sentindo os dedos curvados de Graham em vai-vem um tanto rápido em seu sexo enquanto mexia a língua rapidamente em seu clitóris, a mão livre do engenheiro estava envolta em uma de suas coxas apertando com força.

Ele sabia fazer isso muito bem, tinha de admitir.

Graham parou e se livrou daquela cueca que já devia estar longe dele á muito tempo. Subiu passando a língua na barriga da arquiteta e em seguida beijou fortemente entre os seios da mesma, seguindo para o pescoço dela onde depositou beijos molhados e leves chupões.

 Colocou uma mão em cada coxa da morena que estava ansiando ser penetrada urgentemente. Não podia mais esperar, seu membro pulsava implorando a arquiteta que fervia.

Deixou as pernas da morena abertas um tanto elevadas e ficou entre elas.

Regina o puxou pra baixo, estava totalmente fora de controle tomada pelo desejo, arfava e gemia entre as ofegações, não era capaz de falar uma palavra se quer. Colocou suas duas mãos nas costas do engenheiro por baixo de seus braços e ele a olhou fixamente e sorriu com malícia.

Graham se ajeitou e com seu membro invadiu o sexo apertado e encharcado da morena que se contraiu internamente aumentando a pressão.

-Aaahn!!! – Regina gemeu alto e arqueou as costas mesmo com o loiro de olhos claro por cima dela, estava apertada demais. Ele estava duro de uma maneira impossível.

-Ohw! – Graham gemeu ao dar a primeira estocada, seu membro estava pulsando muito e o sexo contraído de Regina fazia a pressão aumentar em 200%.

Após a arquiteta relaxar e se acostumar com tamanho e grossura ele começou o vai-vem lento, arrancando suspiros e gemidos excitantes de si mesmo e da morena ainda mais.

-I-Isso!! Hmm! – Regina o passou suas unhas nas costas do engenheiro fortemente o fazendo ir mais e mais rápido.

Ela estava molhada a ponto de escorrer.

Graham pulsava dentro dela á devorando com vontade.

As estocadas eram fortes e intensas, sem pausas.

-R-Re-Regina!! – Ele gemeu enquanto aumentava o ritmo.

Regina gemia alto para quem quisesse ouvir, colocou a cabeça no ombro do engenheiro, deixando em seu pescoço uma bela marca roxa.

Logo entrelaçou suas pernas na cintura do mesmo aumentando a pressão que já não era pouca.

Ele continuou sem parar, gemendo baixinho no ouvido da arquiteta, isso estava acabando com ela.

A morena jogou a cabeça para trás ao sentir uma mão de Graham em sua nuca puxando seu cabelo com força, a outra em sua cintura a apertando com as unhas curtas.

Mais algumas estocadas e Regina explodiu em um orgasmo longo ao sentir Graham gozar dentro dela, gemeu escandalosamente alto e o ouviu gemer.

 Arqueou o corpo e fincou as unhas nas costas do mesmo arrancando sangue levemente.

O engenheiro espremeu os olhos ao sentir Regina gozar e fincar as unhas ignorantemente, mas era sinal de que havia feito um ótimo trbalho...

Regina o beijou fortemente entrelaçando suas línguas, beijo longo e molhado.

Graham retribuiu intensamente e logo caiu suado ao lado da arquiteta arfando.

Dois minutos depois mediu-a dos pés a cabeça e ao ver a morena arfar daquele jeito brevemente sob efeito do orgasmo recente, suada, isso começou a excitá-lo novamente.

Regina ainda se contorcia e sua respiração se mantinha pesada, abriu os olhos que estavam fechados e o olhou sedutoramente com um sorriso malicioso nos lábios que estavam inchados de tanto gemer, estava pingando suor e cheirava a sexo puro.

Ele retribuiu o olhar malicioso e entendeu o recado.

O engenheiro olhou disfarçadamente para o relógio que marcava 9h, sabia que tinham algo importante para fazer hoje, mas não se importava, sabia que ela havia esquecido, só o que importava naquela momento era Regina e como ele a faria explodir em um orgasmo novamente...


Notas Finais


Não me responsabilizo por calcinhas molhadas, Mmmmwah <3 espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...