História Love Design - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Sr. Gold (Rumplestiltskin), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Bex Mader, Evil Queen, Graham Humbert, Henry Mills, Huntingqueen, Jamie Dornan, Lana Parrilla, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Robin Hood, Sean Maguire, Zelena Mills
Exibições 212
Palavras 1.614
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu disse que não torturaria vocês por muito tempo <3

Capítulo 9 - The truth can be painful


Fanfic / Fanfiction Love Design - Capítulo 9 - The truth can be painful

O espanto de Robin era visível. Regina se manteve imóvel sem ao menos respirar.

 

-Robin, meu amor! Não te vi saindo. Porque não me acordou? –Disse Marian aproximando-se e com uma  mão em seu rosto deu-lhe um breve beijo nos lábios do empresário que a poucos minutos ansiavam os lábios de Regina.

-Seu sono estava profundo e você disse que não viria então não quis te incomodar! – Robin não sabia com que cara olhava para sua arquiteta então manteve seus olhos baixos ou em Marian.

Regina abriu a boca em “O”, arregalou os olhos e sentiu como se o chão se abrisse em baixo de seus pés. Ela olhou para a mão esquerda do homem e se espantou. #Como eu não percebi isso? Ela estava ai o tempo todo?# - Pensou referindo-se a aliança.

Robin percebeu o espanto da morena e o que queria fazer no momento era abraçá-la e pedir mil desculpas por ter omitido aquilo.

Marian era morena escura, sem saltos um pouco mais alta que Regina, tinha seus 33 anos e um corpo normal, magro, mas não muito, vestia uma calça social preta e uma camisa de seda creme, seus saltos eram grossos e pretos, 6 cm, batom nude e sombra neutra. Segurava também uma bolsa grande na cor preta.

Ela olhou para Regina com desprezo e teve o olhar retribuído pela arquiteta com o dobro de desprezo acompanhado de uma bela levantada de sobrancelha. – Pensei que REGINA MILLS viria pessoalmente e não que mandaria a secretária como representante, já vi que não honra o nome que tem! – Disse dando ênfase no nome da morena .

#Ahhh! Ela não disse isso!!# - Pensou e ferveu internamente.

Robin engoliu um seco e olhou para Regina segurando o ar.

-Marian de Locksley! – Esticou a mão para cumprimentá-la.

-Regina Mills! – Apertou a mão da esposa do loiro omissor levantando uma sobrancelha olhando-a nos olhos, com um sorriso sínico nos lábios.

Marian engoliu um seco e a encarou, soltando a mão da mesma ao receber o olhar intimidador da morena.

-Achei que fosse mais velha! E menos atraente. – Provocou Marian olhando Regina de cima a baixo.

-Engraçado! Todo mundo acha e diz isso e o espanto é sempre o mesmo.  Meus 30 anos impressionam muitas pessoas, Sra. Locksley! – Retrucou Regina. Com ênfase no sobrenome.

O chão de Robin se abriu, não acreditava no que estava acontecendo. #Não! Nãoooo!# - Pensou se debatendo internamente, o ódio de si mesmo estava destruindo-o.

Marian estreitou os olhos após a resposta objetiva de Regina e então se aproximou novamente de seu marido. –O que esta planejando? –Disse olhando Robin nos olhos abraçando sua cintura, ele permaneceu imóvel, parecia não querer tocá-la de jeito nenhum.

-Dei a carta branca para Regi...Srta. Mills! – Disse ele e engoliu um seco.

#Srta. Mills?!?!?# - Pensou Regina ardendo em ódio. O olhou com dor e raiva.

-Quero que a estrutura já construída aqui seja totalmente demolida e exigi apenas que ela desenhasse suítes amplas e que uma delas como principal fosse maior, disse que cozinha e sala também fossem amplas, o resto deixei por sua conta não é, Srta. Mills? – Ele a olhou com o mesmo olhar de dor.

Regina suspirou e teve ânsia ao ver Marian agarrada à cintura dele como uma adolescente com ciúmes do namorado.

-Exatamente, Sr. Locksley, vou fazer o meu melhor! – Disse séria e soou o mais profissional possível.

-Soube que é conhecida por ser ousada, espero que seja no bom sentido! – Marian tentou intimidá-la, mas não obteve sucesso.

-Sempre fui! – Regina deu um sorriso falso e intimidador. –Se me dão licença vou acompanhar Graham e sua equipe na avaliação – Queria sair dali o mais rápido possível, estava se sentindo sufocada e enjoada.

-Tudo bem! – Disse Robin. Tudo que ele não queria estava acontecendo, sabia que Regina estava magoada e isso o arrasava.

Regina foi para fora da estrutura e respirou fundo, por um breve momento seus olhos quiseram se encher mas ela se conteu.

-Graham? – Chamou o engenheiro.

-Estou aqui, meu anjo! – Respondeu ele.

Regina seguiu a voz do mesmo.

-Não agüenta ficar longe de mim por muito tempo não é, meu amor? – Provocou ele.

A morena estreitou os olhos.

-Já disse pra não me chamar assim! – Disse corando, pois todos os outros três homens que faziam parte da equipe estavam observando-os.

-Me desculpa! – Disse, piscou para a mesma e logo em seguida a olhou de cima abaixo.

A morena revirou os olhos e riu.

-Você poderia desenvolver algo a partir daquela estrutura, sabia? – Disse ele sem gracinhas.

-Sr. Locksley disse que queria que a estrutura fosse totalmente demolida e eu também não gosto de iniciar nada a partir do trabalho dos outros. – Disse observando o lugar.

-O terreno é ótimo, mas por conta da altura sugiro que nossa equipe faça uma revisão para saber se pode haver algum tipo de deslizamento, você não ia querer que seu magnífico projeto fosse parar dentro daquele rio não é? – Riu e olhou para ela.

-Não mesmo! – Riu para ele. –Além disso, diriam que é culpa do engenheiro e não do terreno ou do temporal, ou da arquiteta!. – Jogou a brincadeira para ele.

Graham e Regina se conheceram há um ano e meio quando ela entrou e tornou-se líder da equipe, desde então sempre foram próximos mesmo com as gracinhas do engenheiro.

Ambos olharam juntos lá de cima para a paisagem era linda e encantadora.

-Sabe se tem algum lugar para comer nesse fim de mundo, meu anjo? – Riu ele mudando de assunto, eram mais de 16h.

-Não, nunca vim aqui antes!. – Disse olhando-o.

-Pessoal, continuem com os testes de solo, vou descobrir se tem algum lugar pra gente almoçar nesse fim de mundo! – Disse indo em direção a entrada do local.

Regina o acompanhou e ficou pasma ao saber que veria o “casal” novamente.

Assim que entraram, Marian já havia ido embora e ele se mostrou aliviada, mas não menos brava.

-Sr. Locksley, onde tem algum lugar próximo aqui para que eu e minha equipe possamos comer? – Disse Graham.

-A cinco minutos daqui de carro, volte pelo mesmo lugar por onde veio e vai ver o restaurante no início da estrada!. – Disse Robin.

-Você vem junto, meu anjo? – Disse Graham carinhosamente para a “amiga”.

-Eu tenho que passar as informações para o Sr. Locksley, mas se você puder trazer meu almoço eu ficaria grata. – Disse com um tom aconchegante.

-Claro, Regina, frango grelhado, arroz integral e legumes refogados? – Disse surpreso pela voz da morena.

 Robin rosnou internamente, mas manteve-se calmo por externo.

-Você me conhece muito bem! –Sorriu para ele. –Não vou demorar! - Graham deu um beijo em seu rosto e saiu.

Logo após o engenheiro dar as costas...

-Regina me desc... – Robin foi cortado pela mesma arquiteta.

-Srta. Mills! Sr. Locksley! Isso não é assunto meu! – Disse séria com voz firme.

-Por favor me escute! Eu não quis esconder nada! – Estava aparentemente desesperado.

-O que você faz ou deixa de fazer não me diz respeito, eu já disse! – A dor que sentia era horrível, não entendia o que estava sentindo, nem ela nem Robin.

-Eu só...Esquece! – Respirou fundo e tentou se acalmar.

-Só um minuto que vou ligar para Graham para cancelar meu almoço, perdi totalmente o pouco de fome que me restava!. – Disse sem olhá-lo nos olhos e tirou o celular do bolso ligando para Graham que em questão de segundos atendeu. –Não precisa trazer nada, Obrigada! Mais tarde eu como algo, perdi a fome.

-Tudo bem, vou avisar a garçonete, beijos, meu amor! – Disse desligando.

***

O silêncio foi mantido durante alguns minutos até Regina quebrá-lo.

-Sobre o terreno...Graham me disse que está tudo okay, mas vai testar o solo para não haver riscos de deslizamentos. – Tudo soou sério assim como a cara fechada da arquiteta. –Vou pensar em algumas idéias e assim que eu colocá-las no papel, marcarei uma reunião através de sua secretária para mostrar-lhe as plantas! – O olhou com raiva e se manteve séria.

-Pode marcar por mim mesmo se preferir, tenho certeza que vai fazer o seu melhor!. – A olhou, procurando aquele olhar sedutor de mais cedo, não que ficasse menos sexy brava, muito pelo contrário.

-Farei meu melhor!... – Disse sem olhá-lo.

-R-Re-Regina.... – Gaguejou ele.

-Não! – Engoliu um seco e andou em direção a entrada. –Até nossa próxima reunião! Vou esperar Graham para mandá-lo ir embora também e vou em seguida!.

-Tudo bem! – Disse dolorosamente, não queria ter magoado-a. –Me desculpa! – Disse ele sem resposta.

***

Graham demorou pouco mais de uma hora para voltar.

-Regina? Voltei! – Foi em direção a ela na entrada, ela aparentemente o esperava. – Se não precisa mais de mim, só passei para te dar tchau!. Você esta bem? – Disse bem próximo a ela. Robin estava arrumando algo no porta-malas de seu carro e prestou atenção, não conseguia ouvir a conversa.

-Graham! Me leve pra tomar alguma coisa por favor! – Disse ela abatida.

-Estou sem carro! – Ele a olhou e percebeu que havia algo errado.

-Deixe que a equipe leve a van, te empresto meu carro! – Disse dando-lhe as chaves da Mercedes.

Graham foi até a van da empresa os dispensando e voltou rapidamente.

-Quer replay, hu? – Disse com a mão no rosto da morena e o acariciou.

Regina fechou os olhos suavemente e em seguida o olhou carinhosamente.

-São só alguns drinks. – Ela não tirou a mão do engenheiro chefe de seu rosto.

Ambos foram em direção ao carro da arquiteta. Regina entrou e sentou no banco do passageiro olhando dolorosamente para Robin pelo retrovisor. Graham entrou pelo lado do motorista, ligou a Mercedes e saiu esperançoso...

Robin permaneceu parado esperando que os dois tomassem distância, olhou no espelho do carro e lágrimas rolaram de seus olhos...

 


Notas Finais


Me digam o que acharam, por favor <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...