História Love, Eliza. - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford
Tags 5 Seconds Of Summer, 5sos, Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford
Visualizações 33
Palavras 2.523
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Mil perdões pela demora, mas eu estava viajando e minha vida está uma bagunça; mas voltei com outro capítulo! xoxo Bells

Capítulo 6 - Tu me puxa tanto para o inferno,mas...


Fanfic / Fanfiction Love, Eliza. - Capítulo 6 - Tu me puxa tanto para o inferno,mas...

28 de janeiro, sexta-feira.

Luke Hemmings

 

Toquei a campainha da casa dos Bradshaw esperando Eliza pelada atender à porta mas fui recebido por Ed Bradshaw, balancei a cabeça retirando os pensamentos relacionados a eu, a surfista e uma cama, que era tudo o que eu queria.

-Tudo em cima, meninos? - ele perguntou cumprimentando eu e meus amigos e dando espaço para nós entrarmos em sua casa. - Ansiosos pra hoje? - meus dedos tremiam de ansiedade.

-A hora não passa! - Mike gritou, ele provavelmente era o mais nervoso ali. Subimos alguns degraus da escada e fomos para a sala de música; Ed iria nos emprestar uma guitarra e um baixo, estávamos ali para buscar os instrumentos. Ele os colocou em uma case apropriada e entregou para Mike e Cal.

-Eu tenho um presente para vocês. - ele sorriu pegando uma sacola perto da bateria. - Eu usei faz muito tempo, em uma apresentação, e meu deu sorte. - Ed entregou para cada um uma caixinha, e para o baterista uma caixa maior. Abrimos todos juntos e eram três palhetas e um par de baquetas. -Não é nada demais, mas.. - o interrompemos com um abraço em grupo.

-Vamos arrasar nesse show por sua causa, Ed. - Calum falou deixando o Bradshaw animado. Nós desfizemos o abraço.

-Eliza está aqui? - Ash perguntou e o pai da garota deu o seu melhor sorriso malicioso. Um barulho desconhecido vindo do primeiro andar respondeu a pergunta do baterista.

- Acabou de chegar. - ele respondeu com dificuldade por causa do barulho. - Por incrível que pareça, isso é música. - ele informou descendo para onde o som vinha, os seguimos e encontramos uma Eliza Bradshaw muito animada dançando de um jeito provocador na sala enquanto Dylan e Alex tinham uma feição irritada.

-Rosie. - o pai da menina coçou a garganta interrompendo a visão excitante que eu tinha da morena. Fuck. Nunca estive tão perto do Paraíso quanto eu fiquei ao ver a garota rebolando. Eliza nos olhou surpresa e mudou a música, dançando algo eletrônico. - Porque ela está tão feliz? - os dois irmãos infelizes se aproximaram e nos cumprimentaram.

-Longa história.. - Alex falou revirando os olhos e o pai da menina cruzou os braços esperando uma resposta. Eliza pulava pela sala e jogava os cabelos. - Fomos encontrar o Toby, o ator de uma série que a gente gosta. - Alex explicou.

- E só por isso ela está desse jeito? - Ed questionou com dúvida.

-Toby Regbo me chamou pra sair, CARALHO!!! - Eliza Bradshaw gritou ao gravar um áudio em seu celular para alguém.

-Seu cu. - Michael Clifford gritou desligando a música e segurando a garota. Ele deu um tapa na testa da garota.- O de Reign? - ela assentiu pulando. - Eu te odeio. -

-Você vai sair com um cara que você acabou de conhecer? Tá louca? - perguntei autoritário e Ed me apoiou. Ela não era doida o suficiente; vai que o cara é um psicopata.

-Claro que não. - ela me encarou de uma forma estranha. - Ele que vai sair comigo. Dylan o chamou para ir na festa hoje. - ela deu um sorriso feliz e subiu as escadas.

-Dylan, eu te odeio. - Ashton declarou dando um soco no ombro do garoto.

-É o Toby, Ash, sinto muito mas se ele for meu cunhado minha vida está feita. - o garoto falou feliz.

-Pai.. - Alex murmurou indo para perto de Ed com uma voz manhosa.

-Não, Alexandra, você não vai essa festa, não sei nem porque deixei sua irmã ir. - Ed falou friamente fazendo Alex bufar e subir as escadas. Cocei a garganta.

-Temos que ir.. - olhei para os meninos ao falar. - Valeu, Ed! Até mais tarde, Dylan. - eu e os garotos falamos juntos. Assim que entrei no carro, abri o snapchat em meu celular e fui direto na história de Eliza Bradshaw. A foto dela e do garota ocupava dez segundos em seu perfil com vários corações. O príncipe de Reign era uma versão minha européia.

 

[...]

 

As luzes com certeza estavam me deixando eufórico e o quarto de lsd que coloquei em minha língua também não estava ajudando. Cerca de cem pessoas ali no clube nos encaravam, gritavam e pediam por mais uma música. Primeiro tocamos Don't Stop, uma música nossa e toda a galera vibrou de alegria; eles amaram a canção. Boa parte da escola estava na festa, mas também tinham pessoas de fora e isso era ótimo: mais gente iria conhecer nossa banda. Olhei para Mike de relance e ele falou sem som:

-Sua música. - e deu um sorriso. Ele fez um sinal para Ash e Cal e começamos a tocar a música que eu escrevi para Eliza Bradshaw, Why do you only call me when you are high? Sussurrei para Eliza Bradshaw:

-Essa é para você. - e recebi um belo sorriso em troca.Ashton começou a cantar enquanto tocava e a platéia foi à loucura porque Ash tinha esse poder:

The mirror's image

It tells me it's home time

But I'm not finished

'Cause you're not by my side

 

And as I arrived I thought I saw you leaving

Carrying your shoes

Decided that once again I was just dreaming

Of bumping into you

A garota me observa atentamente e eu não conseguia tirar os olhos dela. Fuck, ela está tão gostosa. Fuck, por que ela está vestida assim? A morena usava uma calça skinny preta que ressalta bem a sua bunda grande, saltos altos pretos que implicava poder e um sutiã de renda vermelho que cobria apenas os bicos de seus fartos seios. Ela é, sem dúvidas, o centro das atenções da festa; com minha visão privilegiada, vi que ela deu fora em algumas dezenas de garotos. Os acordes em minha guitarra nunca foram tão difíceis de serem executados ao sentir o peso do olhar da morena sobre mim. Mas assim que a minha parte começou, eu larguei tudo e cantei para ela:  

Now it's three in the morning

And I'm trying to change your mind

Left you multiple missed calls

Until my message you reply

Why'd you only call me when you're high?

High

Why'd you only call me when you're high?

 

 

O sorriso da garota estava lindo e eu nunca me senti tão bem, aquela apresentação ficaria para sempre na memória. A parte de Calum começou e tive que focar no meu solo guitarra; 5SOS está arrasando e eu sabia que Eliza estava amando a apresentação. Me perdi por completo quando voltei a minha concentração para a garota e a vi beijando um garoto loiro. Era o Toby. Ela não estava amando tanto assim o show. Minha fuga foi olhar para Mike e o mesmo sibilou:

-O príncipe. - o guitarrista de cabelos ruivos disse e eu lembrei do garoto que a Bradshaw encontrou hoje mais cedo. Eu fiquei sem total controle, mas não poderia acabar com o show; continuei a tocar buscando outro foco de atenção, que era todos que gritavam pela banda ali, eles sim valem a pena e quando a música acabou eu fui sem dar satisfação a ninguém para o campo de futebol do clube, me sentando em uma das arquibancadas. Eu estou perdido. Passei as mãos no cabelos com raiva, fuck, Eliza Bradshaw vicia igual cocaína. Levantei bufando e irritado ao ver que a morena surfista estava vindo em minha direção e eu fui em sentido contrário.

-Oh, tudo bem? - ela gritou eu eu não sabia dizer se era devido à distância em que nos encontrávamos ou se ela estava alterada. - Ia te chamar pra queimar um. - parei de andar e pensei bem no que ia dizer. - Vocês arrasaram lá dentro. -

-Eu não fumo com piranhas. - falei me virando para a garota e ela gargalhou.

-Qual é, Luke Hemmings! Eu nunca te prometi exclusividade. - ela disse andando para perto, mas eu dei um passo à trás, me afastando. - Já tá com ciúmes? A gente se conhece faz uma semana, baby. - a bebida em seu organismo deixava sua fala lenta, parecendo que a menina estava chapada.

- Primeiro Jack, eu, O príncipe, daqui a pouco vai pegar até alguém da banda. - respondi bravo e ela deixou um sorriso escapar. - Eu não acredito, Bradshaw! Como você consegue? Eu me preocupo com você, sua reputação vai ficar mais preta que o seu pulmão. - a surfista mordeu os lábios e sorriu.

- Pare de pensar só naqueles que querem o seu lugar, baby. - Eliza falou em um tom sedutor e se aproximou de mim.

-Você é um enigma. - sussurrei irritado enquanto a morena passava as mãos pelos meus cabelos.

-E você tem algo a perder? - ela questionou marota dando beijos em meu pescoço. Me afastei novamente porque eu sabia o rumo que aquilo iria tomar.

-Eu tô fora. Fica com o Jack ou até com a banda toda. - declarei dando alguns passos e ela não me seguiu. Dei de ombros e continuei o meu caminho de volta para a festa.

-Pode ir, sei que vai voltar igual boomerang! - a olhei abismado com sua fala e ela tinha um sorriso nos lábios.

-Nem precisa jogar na cara, até mais, Bradshaw! - ela veio andando lentamente até mim e me puxou pela gola da camisa, deixando nossos rostos bem próximos.

-Luke Hemmings, eu sou seu anjo e seu demônio, seu pesadelo e seu sonho. - a sua respiração quente devido a bebida se chocava com a minha; Eliza sabia exatamente o que dizer. -Eu não dou a mínima para a minha reputação e eu volto pro Havaí daqui a pouco, você não pode sentir nada além de se amarrar em mim. - ela falou rígida e seca, perdendo a postura fofa que ela mantinha.

-Liza, eu te conheço faz uma semana, vai com calma. Você nem me conhece direito. - falei a puxando pela cintura e fazendo movimentos de vai e vem em suas costas. Ela sorriu marota.

-Todos se apaixonam, love. Você esquece que eu sou a piranha? - sua pergunta me fez rir pelo nariz. Ela respirou fundo, fechou os olhos por alguns segundos e disse: - Eu quero te conhecer, Luke Hemmings. Eu quero saber todos os seus segredos, mas não te prometo exclusividade. Eu sou do mundo. - revirei os olhos com o seu discurso e peguei a garota no colo. - Fuck! O que você está fazendo? - Subi todos os degraus da arquibancada, que de frente tinha a visão do campo de futebol bem iluminado e atrás tinha a visão do clube, e sentei ali, deixando a garota em meu colo.

- Você está tão gostosa hoje. - declarei a fazendo sorrir.

-Todos os dias, você quis dizer. - ela me corrigiu e eu revirei os olhos assentindo.

-Por que tão convencida? - pensei alto. -Eu não vou me apaixonar por você, tenho certeza. - falei convicto e ela gargalhou.

-Você fez um show só porque me viu beijando outro. - Eliza disse me fazendo bufar. - Vamos em frente então, se você diz. -

-Mas pelo amor de Deus, sem ficar com o meu irmão. - falei fazendo carinho em seu rosto.

-Ele é lerdo. Prefiro você. - ela me deu um sorriso malicioso e aproximou nossos rostos.

-Aposto que você se apaixona primeiro. - sorri vitorioso e ela gargalhou. - Não que eu vá me apaixonar, mas você está tão na minha, Bradshaw. - corrigi nervoso.

-Deus que me livre dessa maldição! Se um dia eu me apaixonar, espero que seja pelo Ashton. - a garota cortou o clima que estava entre nós. Revirei os olhos irritado. - Ciúmes. - ela cantarolou tirando um beck e um isqueiro do bolso da calça skinny, ascendeu o mesmo e tragou.

-Tu me puxa tanto pro inferno, - falei pegando o cigarro da planta medicinal e tragando lentamente. Liberei toda a fumaça e terminei a frase: - mas eu ainda peço que Deus nos leve para o céu. -

-Eu gostei da música. - ela disse depois de um silêncio constrangendor. - Mas eu nunca vou te ligar chapada, eu só transo chapada. - dei meu melhor sorriso malicioso e me aproximei de Eliza. -Não vamos transar agora, vai com calma. - ela colocou a mão em meu rosto me afastando. Mordi os lábios e o piercing enquanto olhava seu corpo.

-Por que você só usa calça? Festas, praia..- perguntei algo que estava me incomodando desde que a conheci. - Eu sei que você tem pernas bonitas. - Ela se levantou do meu colo, encarou o campo de futebol, dando uma bela visão de sua bunda, e respirou fundo.

-Eu não confio em você, mas já que estamos aqui… - ela falou e começou a desabotoar a calça. - E eu tenho que começar a confiar.

-Eu pensei que não iríamos transar.. - eu disse fazendo Eliza gargalhar.

-Três anos atrás, - ela começou a dizer e abaixou as calças, revelando uma bela lingerie preta, e parou na altura do joelho. - eu, meu pai e Dylan fomos surfar na disbelieving… - ela fez uma pausa mas eu já sabia o que ela iria dizer. É a praia conhecida pelos ataques de tubarão. - A maré encheu demais, um tubarão me atacou. - Eliza Bradshaw tinha uma postura rude mas dava para ver em seus olhos que ela queria desabar. - E eu perdi uma perna. - ela abaixou as calças até os pés, e a tirou revelando uma perna direita de prótese abaixo do joelho. - Por isso que eu só uso calças com pessoa que eu não conheço. - A perna nova era prateada e não mudou nada em seu corpo e suas pernas torneadas.

-Você é uma Arizona Robbins. - mencionei a personagem de uma série que assisto, Greys Anatomy. Puxei a garota para meu colo novamente e ela ficou desconfortável já que estava só de calcinha e sutiã. - Eu quero te levar pra cama. -

-Sexo não precisa de cama. - Eliza disse se levantando. - Não conte para ninguém, por favor. - meu coração quebrou com sua cara e eu sentia pena; ela não merecia isso.

-Você é surreal. - me levantei ficando na frente da garota e mexendo em seus cabelos. - Desde o primeiro dia que eu te vi eu quis te decifrar. - a Bradshaw me abraçou forte e eu apertei a sua bunda na mesma intensidade. -Gostosa. - sussurrei e ela sorriu.

-Luke Hemmings, somos amigos agora, na próxima você me conta os seus segredos. - Eliza disse colocando sua roupa. Desci para o gramado e a gritei:

-Na próxima vez eu espero que você fique pelada!-

-Na próxima vez eu espero que seja em um quarto. - ela riu descendo a arquibancada.

-Sexo não precisa de quarto. - repeti sua frase alterando o local. Ela pegou em minha mão e me puxou.

-Vai ser na montanha-russa. - mordi o piercing ao ouvir sua fala; meu sonho.

-Por isso que eu me amarro em você. -

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Me digam o que acharam, obriii <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...