História Love has no rules - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), G-Friend
Personagens Eunha, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, SinB, Sowon, Suga, Umji, V, Yerin, Yuju
Tags Bts, Gfriend, J-suga, Sinrin, Taekook, Vkook, Yoonseok
Exibições 88
Palavras 2.904
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Acharam que eu não ia rebolar minha bunda hoje ne? ashusahushusuha
Enfim, desculpem a demora (apesar de ainda ser domingo). Esse fds foi mt cheio e só agr tive um tempinho
Enfim, sobre esse capítulo... não me joguem pedras
Boa leitura <333
(1 min de silêncio pelo 2ne1 ;-;)

Capítulo 12 - A confissão


Fanfic / Fanfiction Love has no rules - Capítulo 12 - A confissão

No capítulo anterior...

~ Namjoon vê Sowon saíndo do quarto de Jimin na manhã seguinte.

~ Eunbi e Yerin saem para a praia e ficam mais próximas.

~ Tae e Kook vão para uma boate e Tae quase tem uma crise de ciúmes.

~ Jin e Eunha passam um tempo com a família da menina.

~ Hoseok beija Yoongi e ele o corresponde.

 

Seul nunca esteve tão laranja. O sol iluminava a cidade de uma forma graciosa e vigorosa. Os feixos laranja entravam aos montes na cafeteria dando um ar de vivacidade. Não eram apenas as luzes que enchia o local de vida, mas também as pessoas. A cafeteria estava cheia naquela tarde de quinta-feira. Escritores, estudantes e trabalhadores preenchiam o local com o som de suas conversas e risadas.

Enquanto todos aproveitavam seu delicioso café, o quarteto trabalhava firme. Sempre havia uma mesa pra Umji limpar, um cappuccino para Sowon preparar, um pedido para Taehyung receber e um doce ou pão para Kook fazer. Entretanto, eles preferiam assim. Eles não gostavam de ficar a toa na cafeteria, com excessão da Umji que usava o tempo ocioso para revisar as lições e estudar para o vestibular.

Mais tarde, a noite, o lugar se esvaziou. Sim, apenas nove horas da noite eles tiveram tempo livre. Umji pegou seus livros, sentou em uma das mesas e se pôs concentrada. Tae e Kook ficaram conversando em algum canto, estavam tentando uma discussão. Algo sobre Taehyung ser ciumento demais, nada novo. Sowon se viu sozinha então resolveu mexer no celular. Ela checou as mensagens e lá estavam algumas do Jimin.

 

[17:42]: “Sowon, estou morrendo de saudades! Vamos passar um tempo no terraço hoje? Beijos sua linda”

 

[19:23]: “O ensaio hoje vai acabar mais cedo, que tal eu te buscar? Que horas você sai?”

 

[19:24]: “Assim que puder me responda, Beijos”

 

Sowon encarou o celular animada e logo respondeu.

 

[21:07]: “Saio daqui 23 horas, você pode me buscar?”

 

Não demorou muito e Jimin a respondeu.

 

[21:13]: “23 horas é perfeito! Saio 22:30. Enfim, vamos para o terraço hoje?”

 

Ela respondeu.

 

[21:15]: “Claro, até mais tarde!”

 

Sendo assim, ela guardou o celular e apoiu a cabeça na bancada. Ela estava dormindo até que um estrondo a acordou fazendo pular assustada. Kook havia fechado a porta do balcão com fúria.

 

- Não te aguento mais, Taehyung! - tirou o avental e jogou no chão - Você não muda nunca! - saiu pela porta sem olhar para trás.

 

Umji também se asustou com a briga. Estava absorta em seus estudos e aquilo quebrou sua concentração. Sowon fitou Taehyung que olhava para frente, visivelmente irritado, e entrou na cozinha. Seus olhos estavam marejados e eu foi até a pia limpar o rosto. Sowon foi atrás.

 

- O que houve com vocês? - perguntou preocupada.

- Nada, Sowon, nada! - continuou jogando água no rosto.

- Pode me falar, Taehyung...

- O Kook adora flertar com outros caras, eu não aguento mais. Ainda diz que eu sou ciumento.

Sowon ficou sem palavras. Taehyung realmente era ciumento, mas Kook também adora flertar com outras pessoas. Ele fazia isso até na frente de Taehyung, mas ultimamente não tem flertado. Entretando, agora, o castanho leva qualquer passo em falso a sério. Na visão de Sowon os dois estavam errados. Ela como uma “ótima” conselheira sobre relacionamentos diria para eles terminarem. Afinal de contas, não existia mais confiança entre os dois. Apenas um relacionamento autodestrutivo. Então, ela resolveu se abster.

 

- Taehyung, esfrie a cabeça e depois converse com ele. Agora vocês não vão resolver nada.

- Obrigado pelo conselho, Sowon. - disse sarcasticamente.

- É o melhor que eu tenho agora. - ela saiu e voltou para o balcão.

 

Ao voltar, observou o local vazio e calmo novamente. Umji voltou aos estudos e Sowon a admirou de longe. Ela era muito fofa e esforçada. “Quem sabe eu não poderia ter sido assim?” pensou. A mais velha sacudiu a cabeça, afastou aqueles pensamentos e resolveu limpar a máquina de cappuccino. Quando ela já estava terminando, Eunbi e Yerin entram de mãos dadas na cafeteria. A estudante viu a cena e seu coração logo pulou pela boca. Instantaneamente, a menor se virou para a Sowon e vice-versa. Umji correu para o balcão.

- Unnie... - disse com agonia.

- Tudo bem, Umji. - segurou sua mão – Você é uma menina forte, vai passar por isso. - sorriu e ela assentiu com receio.

- Olá! - as duas encurvaram-se para Sowon e Umji.

- Olá! Unnie. - Umji encurvou-se – Olá, Yerin.

- Oi, Umji? - Yerin respondeu e a menor assentiu – Parece que finalmente nos encontramos, Eunbi fala muito de você. - sorriu.

- Sério? - perguntou surpresa.

- Claro que eu falo! - Eunbi apertou as bochechas da menor – Você é meu bebê.

- Ah... - suspirou decepcionada.

- O que vocês vão querer? - Sowon se dirigiu ao caixa.

- Dois cafés fortes e cinco pedaços de brownies de chocolate. - Eunbi pediu prontamente.

- Ok, podem pegar uma mesa e eu vou ver se sobrou brownie.

- Como assim? - Eunbi estranhou – Kook não está ai? Se não for brownie dele eu não quero.

- Bom, acontece que ele e Taehyung brigaram. Depois da briga o Kook saiu.

- Nossa, que complicado. - Yerin olhou para os lados – E onde está Taehyung?

- Acredito que na cozinha. - respondeu – Bom, vou indo.

As duas se dirigiram para a mesa e permaneceram ali entre carícias e beijos. Umji observava tudo de longe com um peso no coração, mas com a determinação de passar por cima. Sowon voltou da cozinha com uma bandeja composta de cinco brownies e logo colocou dois cafés para acompanhar. No momento em que ela pegou a bandeja para levar, Umji segurou sua mão.

- Deixa que eu levo. - ela olhou para Sowon e a mais velha assentiu.

A pequena carregou os pedidos e prontamente o colocou sobre a mesa. Seu coração estava apertado, porém ela sabia que não era algo a seu alcance. Ela sorriu para as meninas e elas retribuíram.

- Aqui está, cinco brownies de chocolate e dois cafés fortes. - curvou-se e as duas agradeceram.

- Yerin, - a pequena se virou de costas – eu te trouxe aqui para falar uma coisa. - e parou.

“Será que ela vai fazer o que estou pensado?”

- Você quer namorar comigo?

Umji se virou para as duas com o rosto queimando. Sua cólera era tanta que as duas a fitaram assustadas.

- Sério, Eunbi?! - gritou nervosa. Eunbi se assutou mais ainda pelo fato de tão tê-la chamado de unnie.

- Hã?

- Sério mesmo?! Você vem aqui, onde eu trabalho, para pedir outra pessoa em namoro? - bateu na mesa fazendo com que o café entorne um pouco na bandeja – Não tinha lugar melhor?! Uma praia, um parque, um cinema, qualquer merda de lugar, tinha que ser justo aqui?! - seus olhos estavam ardendo de raiva, ela não aguentou e saiu.

Umji correu sem olhar para trás até alcançar o parque onde sentou-se no balanço. Ela se permaneceu ali chorando irritada. As lágrimas escorriam com violência em seu rosto. Não demorou cinco minutos e Eunbi a alcançou.

- Umji! - gritou quando a alcançava, a menina olhou por cima dos ombros e a fitou irritada.

- Como você pode ser tão burra? - disse nervosa, mas em um tom baixo – Ou eu sou o que pra você? Uma idiota? Você não percebe que eu te amo? Você não percebeu até hoje que eu não aguento ver ninguém perto de você? Qual é seu problema, Eunbi? Você queria me machucar? É isso? Queria que eu te esquecesse de vez e resolveu esfregar seu relacionamento na minha cara? - as frases escapavam da sua boca com rapidez.

Eunbi se sentiu acuada com a explosão da mais nova. Sua dongsaeng sempre se mostrou fofa e adorável, nunca a havia visto irritada. Ela estava perpelexa e uma culpa invadiu seu espírito.

 

“Como eu pude deixar Umji nessa situação? Eu sou a pior pessoa do mundo e não mereço isso” pensou.

Seu impulso foi abraçá-la. Ela puxou a menina e a outra ficou surpresa. Umji queria se desvencilhar, mas não tinha forças para tal. Tudo que ela queria era um carinho e, de uma forma ou de outra, conseguiu. Embora sua unnie seja a última pessoa que ela queria abraçar naquele momento, ela também era a primeira.

 

- Perdoe-me, Umji. - acariciou seus cabelos – Eu não mereço seu amor puro e inocente. Você é a última pessoa no mundo que eu quero machucar. Você é meu anjinho, tudo o que eu quero é te dar proteção. Entretanto, te olhar com outros olhos eu não consigo, me perdoa. Eu te amo muito, pequena.

 

Dito isso, a mais nova a abraçou mais forte ainda. Ela queria sentir mais e mais o calor dos braços de sua unnie. O carinho estava lhe fazendo bem e, gradualmente, suas lágrimas secaram.

 

- Obrigada pelas palavras, Eunbi-unnie. - se afastou e Eunbi segurou seu rosto – Eu vou tentar esquecer isso, por nós duas. Desculpe-me por ter falado com você naquele tom, estou relamente magoada, mas sei que você não pode fazer nada.

- Tudo bem, meu anjo. A culpa não é sua. - sorriu.

- Obrigada. - sorriu – Agora, me deixe sozinha um pouco.

- Aqui? - indagou preocupada.

- Sim, vou pedir pra minha irmã me buscar. Além do mais, está cheio de pais e crianças. Acho que ninguém vai querer me sequestrar. - riu.

- Tudo bem ,meu anjo. Não se esqueça de me mandar uma mensagem quando chegar em casa. - se afastou.

- Ok, unnie. - sorriu e encurvou-se.

 

Eunbi voltou para a cafeteria e se deparou com Yerin e Sowon limpando o chão. Ela correu para ajudar as duas e Yerin pareceu preocupada.

 

- O que aconteceu com a Umji? Ela está bem?

- Não sei. - disse pensativa – Espero que ela fique bem, não há nada que eu possa fazer.

- Entendo... - Yerin terminou de jogas no lixo o último guardanapo molhado – Vamos embora? Não estou me sentindo bem depois de tudo isso.

- Claro, iria sugerir justamente isso. - Eunbi concordou e se virou para Sowon – Já estou indo. Não demore muito para fechar, está ficando tarde.

- Tudo bem, já vou fechar. - encurvou-se e despediu-se das duas.

 

Mal o casal saiu pela porta e Jimin entrou. De repente, o rosto de Sowon se iluminou. Ela estava terminando de limpar o balcão quando o menino chegou. Ele se aproximou e beijou sua testa.

 

- Tudo bem, Sowon? - falou meio preocupado.

- Tudo ótimo, e você? - sorriu guardando o pano.

- Estou bem melhor agora. - riu – Você já está fechando?

- Sim, só falta guardas as comidas no freezer. - ela parou e colocou a mão na cabeça – Taehyung...

- O que tem ele?

- Ele deve estar jogado aqui na cozinha dormindo. Vou ter que acordá-lo. Espere aqui. - ela entrou e se assustou com a cena – Jimin, entre aqui, preciso de sua ajuda. - o moreno correu assustado.

- Uquê essidiotá fazenu aquiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii? - Taehyung gritou.

Ele estava jogado no chão e rodeado de bebidas. Jimin não precisou de meio segundo para entender o que estava acontecendo.

- Ele brigou com Kook? - começou a ajudar Sowon catando as garrafas de Soju.

- Sim, agora está ai fedendo a álcool.

- A cupá é suáseu basssstardú – Jimin riu, não entendeu o que Tae quis dizer. Inferiu que ele estava louco.

- Vamos levar esse idiota pra casa. Não posso trancar ele aqui. - segurou tae pelos ombros.

- Deixá qui eu mi levantu sozinhu. - levantou-se, deu três passos e caiu.

- Aff! Você não consegue nem andar! - Sowon e Jimin o levantaram.

- Sowon, coloque ele no meu colo e você fecha o café.

- Tudo bem.

A menina o ajudou a colocar Taehyung na carcunda de Jimin. Ela foi trancando todas as portas, pegou sua bolsa e saíram. Taehyung adormeceu no colo do mais baixo e as vezes soltava umas frases desconexas. Sowon e Jimin não se importaram, apenas seguiram o caminho conversando sobre coisas aleatórias. Ao chegar na casa do casal, Sowon tocou o interfone.

 

“Olá?” - atendeu Kook.

- Kook, sou eu. Taehyung está aqui. Abra a porta.

“Pode deixá-lo ai mesmo, hoje ele dorme na rua.”

- Olhe, vocês brigaram, eu não vou me intrometer. Mas não vou deixar você fazer isso com Taehyung.

“Você diz que não vai se intrometer se intrometendo.”

- JungKook! Eu e o Jimin não o trouxemos até aqui pra você deixá-lo dormir no meio da rua. Abra já essa porta!

“Ok” respondeu relutante.

 

O barulho da porta destrancada ecoou pela rua vazia. Os três entraram e Kook abriu a porta da sala.

 

- Pode deixá-lo ai no sofá. - disse com rispidez.

- Tudo bem. - Jimin respondeu e o colocou com cuidado.

- Kook, eu sei que Taehyung é um saco. Eu sei que ele ta errado. Eu mesma não namoraria com alguém como ele. Mas você também está errado.

- Eu? - riu debochado.

- Você acha que ninguém vê? Você flerta com qualquer um, Jungkook. Até na frente dele. Se você não gosta dele, porque se submete a isso? Isso faz mal pra vocês dois.

 

O mais novo não disse nada. Apenas ficou parado fitanto Taehyung. Sowon pegou a mão de Jimin e os foi embora. Não havia mais nada a ser dito. Os dois caminharam de mãos dadas pelas ruas frias de Seoul em silêncio até Jimin quebrar.

 

- Não imaginava que eles estavam tendo uma crise desse gênero. - disse fitando o chão.

- Pois é, mas isso acontece desde sempre. Ultimamente tem piorado. Eu não sei quem é pior. - disse farta.

- Bom, vamos esquecer esses dois. - a puxou e a abraçou de lado - Agora é sobre a gente. Como foi seu dia?

- Hum. - olhou para o céu estrelado – Cansativo. E o seu?

- Cansativo também. Tive que treinar a tarde toda até as 22 horas.

- Porquê? - indagou curiosa.

- O chefe quer que eu pegue uma coreografia nova para mês que vem.

- Ah, entendi.

Os dois jogaram conversa fora e num piscar de olhos chegaram ao apartamento. Jimin e Sowon entraram no local com cuidado e silêncio. Os outros estavam dormindo e não queria incomodar ninguém. Jimin pegou duas cadeiras de descanso e Sowon alguns cobertores mais duas garrafas de Soju. Chegando lá em cima, ele armou as cadeiras, uma ao lado da outra, de frente a paisagem urbana. Os dois sentaram e Sowon ofereceu uma garrafa para Jimin.

 

- Nada melhor do que uma garrafa depois de um dia cansativo. - Jimin disse ao abrir.

- Nada melhor, mesmo. - os dois brincadaram e deram uma golada.

Sowon começou a contar sobre todos os barracos que aconteceram na cafeteria naquele dia e Jimin falou para ela todas as confusões que rolou durante os ensaios. Parece que os dois viveram em um casos de família.

Depois que o assunto se encerrou, Jimin fitou seus olhos profundamente e Sowon os lábios. A boca do moreno era extremamente convidativa e ela se sentia hipnotizada por ela. Os rostos se aproximaram e os lábios se tocaram. Eles selaram os lábios de maneira doce, mas sedenta. Sowon pediu passagem para a língua e Jimin logo se entregou. O beijo se tornou intenso e repleto de desejo. Ele segurou sua nuca e acariciou. A menina se aproximou e segurou a cintura dele.

Jimin interrompeu o beijo, sorriu e segurou sua mão. Sowon ficou confusa.

 

“Será que eu fiz algo errado? Acho que não, ele segurou minha mão” pensou.

 

- Sowon, você se lembra de quando eu te disse que deveríamos namorar? - perguntou fitando-a.

- Lembro. - falou meio receosa.

- Você não acha que está na hora? - falou com levesa.

- Você quer dizer...

- Sim, você quer namorar comigo?

 

Sowon calou-se, ele olhou-a profundamente. Seu objetivo era encontrar em seus olhos a resposta, mas a menina era indecifrável. Ele estava ficando nervoso com aquele silêncio. Aquilo estava o castigando.

 

- Jimin...

- Tudo bem se você não quiser, Sowon. - forçou um sorriso amarelo.

- Espera. - segurou seu braço – Jimin, eu amo estar com você. Talvez eu te ame, mas eu ainda não sei. Não estou preparada. Tenho medo de te fazer sofrer por estar incerta.

Ele a fitou e respirou fundo. Olhou para frente e disse:

 

- Tudo bem, Sowon. Esperarei até quando estar pronta. - falou a ela – Por favor, esqueça que eu te pedi isso?

- Eu não vou esquecer, mas te garanto que tudo vai voltar ao normal.

- Obrigado. - ele beijou sua testa e foi embora.

 

Agora Sowon estava apenas acompanhada dos arranhacéus e de duas garrafas de Soju. Sua cabeça estava confusa. Se perguntava o motivo de não ter aceitado namorar com Jimin. O motivo de não se sentir “preparada” e estar assustada. A verdade é que, mesmo amando estar com o menino, seus sentimentos ainda estavam turvos. Ela listou em sua cabeça as qualidades de Jimin.

 

“Divertido, lindo, tem um corpo maravilhoso, compreensivo, interessante e é muito bom de cama”

 

Ela realmente não entendia o porquê de não ter aceitado. No momento, só poderia se afogar naquelas duas garrafas e tentar entender a si mesma.


Notas Finais


Então, gostaram?
Não me batam ;-; já estou arrasada o suficiente pelo fim do 21 (meu ex grupo fem utt ;-;)
Comentem que acharam, por favor ^-^
Obrigada por lerem <333
Bjsssss ;****


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...