História Love, Hope and Misery - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jared Padalecki, Jensen Ackles, Misha Collins, Supernatural
Personagens Balthazar, Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Chuck Shurley, Crowley, Dean Winchester, Gabriel, John Winchester, Lúcifer, Mary Winchester, Naomi, Sam Winchester
Tags Castiel, Dean, Destiel, Gabriel, Gay, Sabriel, Sam
Exibições 215
Palavras 1.866
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, FemmeSlash, Lemon, Orange, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HELLO BOYSS
ESSE CAPITULO TEM LEMON
UHUL
gente eu não sei escrever cena de sexo então desculpa ai qualquer coisa!!!
boa leitura

Capítulo 28 - Anonimo


(Do I wanna know?)

If this feeling flows both ways

(Sad to see you go)

Sort of hoping that you'd stay

(Baby we both know)

That the nights were mainly made for saying things

That you can't say tomorrow day

 

- Lembra-se de quando o pessoal se reunia aqui em casa. – o loiro disse soltando uma risada fraca, fazendo o moreno sorrir também.

Dean e Castiel estavam na casa do maior, era uma tarde qualquer, e bom o loiro não havia perdido o seu amor por torta e nem Cas havia pedido seus dotes culinários o que resultava no moreno sendo persuadido pelo outro para fazer o doce para ele.

O moreno estava sem camisa, deixando suas tatuagens a mostra e o Winchester mordeu os lábios com a visão do corpo do namorado, mexendo na massa e acrescentando coisas que ele não fazia ideia do que era, e nem ligava, sabia que o Novak cozinhava muito bem e sempre deixou claro aquilo.

A verdade era que os dois se tornaram inseparáveis desde o início do namoro, mesmo os pais de ambos não saberem ainda do relacionamento amoroso dos filhos, os garotos pretendiam contar em breve, quando tudo se tornasse oficial.

- Sim, e você me obrigava a fazer torta. – ele disse, vidando-se brevemente para encontrar o olhar do maior.

Dean sorriu largamente deixando seus caninos afiados a mostra, chegava a ser ridículo a forma como seus dentes eram brancos e enfileirados, e junto com seus lábios faziam uma composição extremamente charmosa.

- Por que nós nunca mais nos reunimos como antes? – o Winchester inquisitivo, e o outro lhe lançou um sorriso de canto.

- Por que todos nós começamos a namora. – começou. – E quando isso acontece, comer tortas não se torna tão bom quanto comer outra coisa.  

Seu tom de malicia era explicito, e aquilo tirou uma gargalhada gostosa do outro que se contorceu no lugar onde estava, sua barria doía pelo riso continuo. E Dean achou que teria que ficar com um sorriso no rosto a vida inteira, uma vez que o mesmo parecia ter congelado na sua face.

Castiel apenas riu da situação do loiro, o Winchester era alguém que ria tão facilmente e ele sentia-se bem por conseguir fazer o namorado feliz, mas um sentimento o afligiu.

Como Dean reagiria quando soubesse da aposta, pois Cas sabia que em algum momento teria de contar para o loiro, e ele tinha medo de quando aquilo acontecesse, a reação do outro não fosse boa e o mandasse ir pastar. Um frio passou pela sua espinha, por sua sorte ele estava de costas para o maior que ainda ria descontroladamente, e assim o mesmo não poderia ver sua feição de felicidade se formar em medo de perde-lo.

Era apenas irônico a forma como ele havia se apaixonado pelo seu principal inimigo, desde que soube dos preconceitos do Winchester, tudo o que ele queria era acabar com ele, e ele podia fazer aquilo a qualquer hora, mas agora já não parecia certo.

O loiro mudou por causa dele, seus pensamentos a respeito das pessoas e do comportamento da sociedade, o dia em que ele assumiu que o namorava para a sua ex namorada e para a escola toda e o dia em quem ele o torceu o nariz para uma cena que talvez, o velho Dean teria rido.

[...]

Alguns dias antes.

Dean empurrou o moreno, jogando-o na sua cama grande e confortável, subindo em cima do garoto logo em seguida. Os dois estavam afoitos, as suas respirações eram rápidas como as batidas dos seus corações.

O Winchester tinha tirado a sua camisa com a mesma pressa que tirou a camiseta do outro, seus lábios vermelhos se uniu de forma desesperadora aos lábios do namorado, as mãos do moreno passeavam pela sua nuca e a outra puxava seus fios loiros. Já Dean, estava ousava passar suas mãos por todo o corpo do Novak, retirando suspiros do outro.

Castiel inverteu as posições ficando ele por cima do maior que sorriu pervertido, seus olhos azuis permaneceram todo o momento em contato com o verde mais lindo que ele já tinha visto.

Sua boca chupava e mordia todo o maxilar e pescoço de Dean, que continuava a passar suas mãos ágeis pelo seu corpo.

O garoto foi descendo sua boca até o peitoral do maior, deixando uma trilha de beijos e de leves mordidas por onde sua língua passava, e o loiro fechou os olhos quando ouviu o barulho que o a sua calça fez quando foi aberta.

Novak parecia realizar todos aqueles atos de forma tão calma apenas para tortura-lo e quando suas mãos massagearam o membro semiereto do maior por cima da cueca foi a confirmação de que ele queria enlouquece-lo, entretanto, se torturava porque queria sentir o pênis do outro na sua boca e queria ouvir os gemidos do loiro.

Assim que sua cueca foi retirada, a língua molhada do moreno deslizou por toda a extensão do membro do loiro que apertou os lençóis. O mais novo o punhetava enquanto chupava a cabeça rosada do seu pênis, sua língua era habilidosa e sua boca era quente. Dean podia já sentir todo seu sangue esquentar, apenas com aqueles segundos, Castiel sabia lhe dar prazer e fazia aquilo muito bem.

Em meio aos movimentos que alternavam entre o rápido e o devagar, o moreno desceu seus lábios até as bolas do loiro, e quando as sugou, o Winchester soltou um urro pelo prazer inesperado.

Sua mão que estava pousada na cabeça do moreno o guiava, mas nem sempre o outro obedecia, já que Dean era impaciente e bom, ele queria sentir logo o moreno.

O maior já sentia o ápice chegar, puxou o Novak novamente para a enlaça-lo em um novo beijo, dessa vez mais desesperado e selvagem.

- Hoje você quem vai ser minha putinha. – ele disse no ouvido do moreno que sorriu maliciosamente.

- Então me faça sua putinha, Winchester. – retrucou, de forma sexy.

E Dean o fez.

Todas as roupas que o outro ainda utilizava foram retiradas brutalmente, em algumas horas Castiel também perdeu o ar pela pegada que o namorado tinha, o deixando desnorteado.

O Winchester levou seus lábios até a sua entrada, distribuindo ali beijos delicados e chupões ávidos, sem dúvidas uma alternância louca que fazia o moreno delirar com o dom que Dean possuía para fazê-lo perder o resto da sanidade que tinha.

- Melhor Cas. – ele disse de forma pensativa. – Eu irei fazer de você meu cachorrinho. – completou, e o moreno entendeu o recado, virando-se de barriga para baixo e empinado a bunda sendo sustentado apenas pelas suas mãos.

O loiro deu um forte tapa nas suas nádegas, e depois suas duas mãos agarraram fortemente cada uma um lado, deixando marcas vermelhas dos seus dedos.

Seu membro voltou a dar sinal de vida novamente com o corpo escultural e sexy do moreno, e Cas sentiu quando a cabeça do pau do Winchester foi forçada contra sua entrada, soltou baixos gemidos deixando o loiro apenas mais louco.

Dean aos poucos entrava no seu namorado, que era um pouco apertado. Fazia tudo com a maior calma que podia, assim como o Novak havia feito com ele na primeira vez que transaram no banco traseiro do impala.

Quando estava todo dentro dele, começou com movimentos leves e bem devagar, mas Castiel gemia cada vez mais alto e a cada gemido ele perdia o controle e ia mais rápido ganhando mais suspiros da parte do moreno.

E quando os dois derem por si, as estocadas eram fortes e rápidas, mas aquilo já não importava porque eles deliravam de prazer, e uma película de suor se formava nos seus corpos, e com a chegada do orgasmo tudo se tornou mais intenso.

Eles trocaram de posição, agora Castiel estava de frente para ele, Dean ordenara que ele se tocasse, queria ver aquilo e queria perder o juízo com aquela visão do namorado.

Os dois agora gemiam juntos, o calor percorria seus corpos e eles sentiam espasmos a cada estocada e a cada toque, tudo se tornava ainda mais prazeroso e então o Novak sentiu-se ser preenchido por um liquido quente, e viu quando Dean o encarava com luxúria encharcado de suor.

Mas ele não estava diferente, e tinha a consciência disso, suas mãos continuavam no seu membro, se tocando ainda mais rápido até que as palavras do loiro trouxeram seu ápice.

- Se toque pra mim, baby.

Cas sentiu seu corpo entrar em combustão, suas veias pareciam querer saltar do seu corpo, seus olhos estavam fechados e foi então que sentiu o prazer chegar e um liquido esbranquiçado escorrer por todo seu pênis.

O Winchester que ainda não tinha saído de dentro dele, se jogou ao seu lado na cama e os dois trocaram olhares cumplices por longos segundos até Dean o abraçar para mais perto de si.

- Dean. – ele o chamou, agora com suas faces a centímetros de distância.

- Cas.

- Nós dois estamos nojento. – torceu o nariz.

O loiro apenas sorriu de canto.

- Suor de sexo e o melhor tipo de suor, então não reclame. - pediu brincalhão, e os dois sorriram.

A tarde se passou rapidamente, os dois já tinham se levantado e tomado seu banho e agora estavam juntos na cama do Novak novamente, porém dessa vez com roupas.

A tv tinha acabado de ser ligada, o menor passava pelos canais sem ser atraído por nenhuma das programações, até que uma chamou-lhe a atenção.

- Mas o que? – o loiro ao seu lado, possuía a face retorcida em indignação.

No programa de notícias, passava sobre a agressão que havia sido cometida contra um homossexual, e o agressor disse não estar arrependido da sua atitude e que faria de novo para que aquela “bichinha” virasse homem.

Ambos os dois torceram o nariz para aquilo, o nojo estava estampado nos seus rostos e o que mais surpreendeu Castiel, era que Dean estava mais raivoso que ele, e naquele momento ele percebeu que ele havia mudado o garoto ao seu lado naquela cama.

[...]

A torta já estava pronta, os dois riam juntos de coisas aleatórias que falavam até que a noite caiu e o Winchester teve que ir embora, ao que parece tinha prometido a sua mãe que iria jantar em casa hoje.

Castiel estava sozinho quando seu celular tocou, era uma nova mensagem, abriu o aplicativo e viu que era de um número desconhecido.

Anonimo:

apenas uma prova de quem e o verdadeira Dean Winchester.

E logo em baixo estava anexado um vídeo do loiro no vestuário dizendo coisas preconceituosas e horríveis, em uma das frases ele tinha dito “ aberração”. O nome de Castiel havia sido citado algumas vezes durante aquele vídeo ridículo, aquilo não era antigo, e quando o Novak viu que ele não passava de uma aposta seu sangue ferveu e algumas lágrimas caíram pelo seu rosto.

Ele sentia que haviam retirado seu chão, durante longos minutos ele apenas chorou, mas logo em seguida pegou o celular mandando mensagens para seus amigos.

Aquilo não ficaria assim.

Se Dean Winchester achava que podia fingir gostar dele e depois humilha-lo pelas suas costas, ele estava bem enganado. 

leiam as notas finais.


Notas Finais


boomm pessoas
eu espero que tenham gostado do capitulo
quero muito saber a opinião de vocês!!!!!
muito obrigado por todos os comentarios e aos favoritos isso tem me incentivado muito!!
ate o proximo capitulo, e pra quem acompanha Little Death até amanha!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...