História Love Humans - Capítulo 33


Escrita por: ~ e ~EveMorgenstern

Exibições 23
Palavras 1.870
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Ecchi, Festa, Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Yo minna-san!
Depois de muito tempo, finalmente estamos trazendo o último capítulo da fanfic, ebaa!
Mas para a alegria dos leitores, mais para frente iremos postar a segunda temporada dessa fic.
Esperamos que gostem do último capítulo.
Boa leitura e.e

Capítulo 33 - Um Fim?


Cap.33

   Kurenai Pov’s

  Nós quatro estamos reunidos na cozinha tomando café da manhã. Oliver e Andrew conversam de um jeito calmo demais pro “normal” do loiro.

  - Sabem, mesmo que eu e a Kurenai tenhamos escolhido ficar nesse outro mundo, ainda sinto falta do nosso mundo original. Mesmo com as coisas sendo normalmente chatas por lá. – Tsuki diz enquanto encara o nada, tomando seu suco de uva.

  - Eu sinto um pouco de falta também, tínhamos nossos bichinhos de estimação lá lembra? Como será que elas estão? – Respondo ficando preocupada.

  - Provavelmente a nossa vizinha do prédio percebeu que não estávamos em casa e ficou cuidando deles. Por sorte ela sempre foi boa com a gente.

  - Bichinhos de estimação? Quais? – Oliver diz com os olhos brilhando.

  - Tenho uma gatinha ainda jovem, Nina. – Respondo.

  - E eu uma cachorrinha meio vira-lata, mas que não cresceu: Sparkle. – Tsuki.

  - Quanta criatividade hein? – Andrew sorri de canto sarcástico, encarando a albina.

  - Na verdade as duas tem uma incrível criatividade quando se trata de nomes. – Oliver e Andrew riem.

  - Nós achamos fofos, isso que importa. – Tsuki diz bufando.

  - Okay, okay foi mal. – Andrew responde com as duas mãos em frente ao corpo, ainda rindo.

  - Falando no nosso mundo original, lembra de quando tivemos que correr do guardinha da escola porque estávamos de noite lá e era proibido? – Oliver pergunta animado.

  - Lembro. Nunca corri tanto na minha vida quanto corri naquele dia e olha que a Tsu tem mania de correr atrás de mim quando eu irrito ela demais. – Aponto pra ela de forma acusadora.

  - Pelo menos vocês dois não colocaram as meninas da sua sala pra correm de um dos banheiros da escola e conseguiu não ser pega pela diretoria. – Andrew responde com uma gota na cabeça.

  - Eu lembro quando ela me contou essa história. Você quem acobertou ela não foi? – Digo.

  - Sim. A sorte foi que ela sempre conseguiu ser convincente nessas horas.

  - Sem contar que todos os professores e diretora te achavam um garoto correto. – Tsuki dá uma gargalhada.

  - Não entendi. O que você quis dizer com isso Tsu-chan? – Oliver pergunta com a cabeça tombada para um lado.

  - Normalmente ele dava algumas das ideias de pegadinhas que eu fazia, quando eu estava sem ideias. Além de me acompanhar na maior parte delas também.

  - Por essa eu não esperava. – Oliver responde com a boca em um perfeito “O”.

  Terminamos o café da manhã, pegamos nossas coisas e seguimos para o colégio. Eu e Tsuki nos dirigimos para as salas de aula enquanto os outros dois iam para a sala do diretor começar o trabalho.

   Tsuki Pov’s

  Entro na sala de química e logo percebo que só está eu e Reiji no momento, que no caso está lendo algum livro desconhecido. Me aproximo dele e coloco a mão em seu ombro tentando chamar sua atenção.

  - Ah, olá White Rose. – Ele ajeita seu óculos e depois me encara – Não pensei que fosse falar comigo.

  - Ora essa! Por que eu não falaria com você?

  - Anda um tanto distante depois que passou esse tempo sem vir a escola, pensei que quisesse desfazer laços.

  - Não sabia que um dia ia ver de perto esse lado mais sensível seu, Reiji-san. – Sorrio – Mas não precisa se preocupar pois não tenho a intenção de desfazer laços com você assim como qualquer um dos amigos que fiz nessa escola.

  - Amigos? – Ele me encara, seu olhar tomando algo mais sombrio e misterioso – Achou mesmo que eu seria apenas amigo de uma humana? A única forma de eu ser amigável com uma humana seria se eu tivesse outros sentimentos por esta. – Ele levanta, vindo na minha direção.

  - Espera ai. O que quer dizer com isso Reiji-san?! – Arregalo os olhos, fingindo que não entendi.

  - Pelo cheiro que está emanando, você percebeu sim o que eu quis dizer. Mas pode ser uma boa coisa te mostrar com ações o que sinto. – Ele se aproxima mais, me puxando pela cintura e inclinando meu pescoço.

  - N-Não é que eu esteja com medo de você, mas se fizer isso de me morder aqui vai ser pego por algum humano.

  - Felizmente você chegou mais cedo do que o esperado para as aulas, assim como eu. Nenhum aluno ou professor vai entrar aqui por enquanto. – Diz com o rosto próximo do meu pescoço, consigo sentir o sorriso que ele deu ao falar.

  Sinto suas presas rasparem levemente na minha pele e em seguida me perfurarem. Uma dor aguda passa por todo o meu corpo me fazendo soltar um gemido de dor, mas mesmo assim não saio do lugar. Após tomar um pouco do meu sangue, ele deixa um beijo de forma gentil no local e volta a ajeitar sua postura, lambendo o canto da boca.

  - Pelo o que sabe de mim, acha que faria isso com alguma outra humana? – Volta a ajeita o óculos.

  - E-Eu... - Por sorte o sinal do começo das aulas toca.

  - Depois você me dá a sua resposta. Por enquanto vamos sentar e esperar o professor. – Diz voltando a sentar e indicando a cadeira ao seu lado (n/a: são aquelas carteiras de duplas, características de sala de química e etc).

   Kurenai Pov’s

  Como sempre na primeira aula nossa querida professora acaba faltando. Sigo em direção a quadra das piscinas com a intenção de passar os dois primeiros tempos lá, sem vampiros querendo me deixar anêmica. Ao entrar vejo Makoto saindo da piscina de roupa, todo molhado (n/a: Avá, ele estava na piscina e vai sair seco... – sintam a ironia) e estranhamente sem aquele sorriso típico dele. Caminho até chegar perto de onde ele está.

  - Ohayo Makoto-san.

  - Muito bom dia Mizuki. – Responde sorrindo de canto malicioso.

  - M-Makoto-san? O que foi isso?

  - O que? – Faz cara de desentendido – Você não reparou na diferença em mim?

  - Diferença... Mas que raio de diferença é essa que você está se referindo?! – Pergunto confusa.

  - Não sou o lado bonzinho no momento. – Sorri pervertidamente e puxa me pulso, fazendo com que nossos corpos se choquem.

  - Como assim lado bonzinho? Que história é essa?! – Começo a entrar em um desespero interno, tentando me soltar de seu aperto.

  - Ninguém nunca chegou a mencionar para você sobre existirem dois tipos de Makotos? – Pergunta risonho – Bem, isso não importa. Vou mostrar pra você a diferença entre eu e o outro lado. – Sorri perverso, me fazendo ficar vermelha.

  - Aqui não é lugar para se fazer essas coisas! – Tento com todas as forças não gaguejar.

  - Apenas o time de natação e você tem acesso a essa quadra e olha como estamos com sorte: Nenhum deles veio para a escola hoje. – Termina a frase e em seguida junta os nossos lábios em um beijo um tanto quanto urgente – He he. Não precisa ficar com medo, prometo que serei gentil, mas apenas porque tanto eu quanto o lado bom gostamos de você.

  Definitivamente estou ferrada.

   Quebra de Tempo: Final das aulas...

   Narradora Pov’s

  Por uma razão desconhecida pelas garotas, Otoya, Ruki, Rogue e Beyond estão esperando elas na saída da escola.

  - Aconteceu alguma coisa garotos? – Kurenai.

  - Ficamos preocupados desde que vocês ficaram ausentes do colégio. Resolvemos passar um tempo com vocês, se não for atrapalhar. – Otoya responde sorridente.

  - Oliver e Andrew não vão se importar, eu acho. – A albina de olhos azuis se pronuncia, dando de ombros e sorrindo em seguida.

  - E qualquer coisa, se o Andrew complicar, é só pedirmos ajuda pro Oliver que dá tudo certo. – A albina de olhos lilases responde. As duas garotas riem.

  - Vamos então? – Rogue finalmente se pronuncia, ficando ao lado de Tsuki, assim como Beyond.

  Otoya e Ruki ficam ao lado de Kurenai e em seguida o grupo caminha em direção a casa das garotas.

   Quebra de Tempo: Mais tarde, naquela noite...

   Tsuki Pov’s

  - E então, o que vocês planejam fazer? – Ruki.

  - Eu até poderia falar, mas não ia ser tão divertido para as outras pessoas dessa sala. – Beyond diz encarando Tsuki, de canto de olho.

  - Hoje é dia do pessoal ficar like a pervert, só pode. – Tsuki fala ficando com uma gota na cabeça, assim como Kurenai.

  - Nem me fale, passei a maior vergonha e nunca senti tanta adrenalina quanto hoje. – Kurenai resmunga.

  - Como assim? – Otoya pergunta na inocência.

  - Sinceramente é melhor você nem saber. – Tsuki.

  - Agora que tocou nesse assunto é melhor se explicar, Koneko-chan. – O vampiro fala, ficando extremamente sério.

  - Digamos que eu... – Ela começou a girar os dois dedos indicadores no ar – Etto... É constrangedor falar...

  - Resumindo: Ela não sabia que o Makoto do time de natação tinha uma segunda personalidade, um tanto quanto sombria. E eles meio que fizeram coisas pra maiores de 18, sei lá como chamar isso. – Tsuki fala tudo de uma vez. 

  - Eu vou matar esse humano. – Ruki levanta do chão totalmente irritado.

  - Não faça isso, Ruki-kun. Vocês dois podem se prejudicar. – Kurenai tenta acalmar a situação.

  - Acontece que eu posso ser mais possessivo com o que me pertence, do que o idiota do Ayato. O que aconteceu faz com que eu não possa sequer pensar em perdoar esse humano.

  - Tadaima! – O vampiro é interrompido por Andrew e Oliver que acabam de chegar do trabalho no colégio.

  - Aconteceu alguma coisa? – O loiro pergunta, confuso com toda a bagunça na casa.

  - Pelo amor que eu sei que você tem pela minha amiga, não conta! – Tsuki responde rápido, apontando para Ruki acusadoramente.

  - Pra você estar assim tão nervosa, nada de bom pode ter acontecido. – Andrew.

  A conversa é interrompida por uma luz branca forte que começa a se formar na sala, impedindo a visão das pessoas no cômodo.

  - De novo não! – Ambas as albinas exclamam.

  Após a luz branca começar a perder a intensidade e os olhos de todos se acostumarem com o local, eles olham em volta e se surpreendem por não estarem mais nada casa dos dois “tutores” de Kurenai e Tsuki.

  - Onde é que estamos?! – Beyond.

  - No nosso prédio! – As duas garotas dizem, surpresas.

  - Estamos de volta ao nosso mundo original? – Oliver e Andrew.

  - Sim. – Kurenai responde animada.

  - Acho melhor você não ficar muito animada, Shiro-chan. Se voltamos para o nosso mundo, isso significa que deixamos os nossos “amigos” lá sem saberem do nosso paradeiro e que talvez nunca mais possamos voltar. – Tsuki.

  - Mas então por que nós viemos junto com vocês? – Otoya pergunta entrando em pânico.

  - Nós também não sabemos! – Os quatro pertencentes ao Mundo Real falam ao mesmo tempo.

  - Será que foi trabalho daquela bruxa de novo? – Kurenai.

  - Era o que faltava né? Já não bastava tudo o que ela fez com a gente e nossos amigos, agora ela está repetindo de novo?! – Tsuki.

  - Olha, eu sou usuário de magia e convivo com outros usuários de magia. Se nós, que não pertencemos ao mundo de vocês, viemos junto, tem uma grande chance de os outros terem vindo também. – Rogue responde com sua típica Poker Face.

  - Por que nada pode ser normal com a gente?!

 

   Continua?... 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...