História Love hurts - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Exibições 12
Palavras 1.426
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha eu postando Yaoi às 2:27 da manhã.
Sabe o que eu deveria estar fazendo? Dormindo ou escrevendo pra fic principal. Mas não, to aqui fazendo uma fic "secundária"

Coisinhas importantes:
- Só é +18 por conter Homosexualidade (o spirit obriga).
- Essa fanfic não vai ser atualizada com tanta frequência. A "peculiar" está em primeiro plano.
- Eu nunca fiz Yaoi, então tem boas chances de estar uma bela de uma bosta isso aqui. Espero que não.
- Não irá ter lemon, foi mal pessoal. Eu só não acho que precise, até porque a fic é mais focada num romancezinho mais realístico (não tenho experiência com isso masok). Não tem muita necessidade de colocar sexo ai, até porque a gente não gosta de uma pessoa e sai fazendo com ela toda hora... Mas, pode ser que mais para frente, tenha sim. Tudo depende se a fanfic for aceita.
- O "personagens originais" é porque eu criei alguns antagonistas e secundários, como a irmã do Yeol.
- NÃO TENHO NADA CONTRA OS EX-MEMBROS DO EXO (da uma dor falar ex-membros ;-;), tenho certeza que vai ter gente que vai falar sobre o Tao e o Kris não estarem na fic. Pessoal, nada contra ok, só não coloquei... O LuHan tá por motivos de Sehun (hahaha).
Acho que é isso!

Boa Leitura ❤️

Capítulo 1 - O convite


Você já parou para pensar em como a vida é confusa? 
Em um momento, está tudo bem, você está alegre, sorrindo, mas em questão de alguns segundos e um pequeno descuido, tudo desmorona.
Pois é, isso é algo que me aconteceu há pouco tempo, 7 horas para ser mais exato.
Não vou falar que estou sofrendo por uma paixão, ou meus pais se acidentaram, até porque se esse último tivesse, de fato, acontecido, eu estaria bem mais desesperado do que agora. 
Eu simplesmente fui abandonado, amigos, se é que posso chamar essas pessoas assim, simplesmente te apunhalam pelas costas, e quando você vê, já é tarde, suas costas já estão com milhares de facas cravadas. Não posso crer que um ser humano, seja capaz de algo a este nível, um nível tão baixo. 
Humilhado? Me sinto num grau a mais desse. Talvez desolado, desesperado, acho que essas são as definições certas para o que eu estou sentindo agora. 
Essas ruas, frias e vazias, nenhuma alma sequer pensa em passar por aqui, não a essa hora, em uma tempestade em pleno inverno. É, acho que depois desse dia, irei ficar doente. Isso se a vergonha e a humilhação não me definharem antes.
 - Ei garoto! - escuto alguém me chamando, pelo menos acho que sou eu. Então, como não encontro mais ninguém na rua, olho para a desconhecida. - Venha, está frio aqui. Minha casa é essa aqui. - fala apontando para a casa atrás dela.
 - Me desculpe, é muita gentileza, mas nao posso aceitar o convite - recuso gentilmente, apesar de tudo que eu queri fazer é tomar um banho quente. Meu corpo clama por água quente. 
 - Não aceito não como resposta. Ande, está tremendo! - como sei que ela vai insistir, resolvo aceitar o convite. Uma noite, pela manhã vou embora, que mal há? 
Assinto e a sigo para dentro da casa. Como não pretendo encharcar a casa inteira, fico pelo lado de fora, mas sou pego de surpresa por um movimento rápido da garota que me puxa para dentro a força.
 - Segunda porta a direita - ela fala quando paramos na frente de um corredor - Vou buscar umas roupas antigas do meu irmão e avisar a minha mãe que temos convidado. Fique a vontade... - parou a frase como um pedido mudo para que eu falasse meu nome. 
 - Baekhyun - falo rapidamente 
 - Certo, fique a vontade Baekhyun. A propósito, meu nome é Soohyun. - disse a garota e logo deu um sorriso de canto, que, por educação, retribui. 
Ela sai e me deixa sozinho no corredor. Resolvo ir para o banheiro logo, meu corpo está congelando. 
Abro o registro e espero que a água esquente, enquanto isso, vou me despindo. Quando já estou totalmente desprovido de roupa, e a água já está em uma temperatura que eu sei que é o suficiente para me descongelar, entro no box de vidro e deixo os filetes de água correrem, me esquentando. 
Novamente, os pensamentos de alguns minutos atrás rondam minha mente.
Onde eu havia parado mesmo? Ah sim! Sobre a humilhação me definhar.
Não duvido nem um pouco que seja possível que isso aconteça. Então nem esperem que esta história tenha continuação, há possibilidades de eu não existir amanhã, ja terei virado "pozinho de Baekhyun".
Termino o banho me sentindo melhor, pelo menos me sinto menos como um bife congelado. Escuto batidas na porta e a voz de Soohyun dizendo que está com as roupas e uma toalha limpa. Abro bem pouco a porta, apenas o suficiente para ela passar o braço e me entregar o que preciso. 
 - A roupa íntima é novinha, nunca foi usada, compramos ontem - ela avisa e eu coro um pouco com isso.
Não falo nada, apenas fecho a porta e começo a me vestir. 
Definitivamente o irmão da garota é mais alto que eu. As roupas fiacaram largas de mais, então tive que dar meu jeito de amarrar a bermuda ao meu corpo. 
Assim que terminei tudo, fui até a sala, que era o único cômodo que eu sei onde fica, e lá encontro a garota que me convidou para entrar. 
 - Ah! Oi Baekhyun. Estava te esperando para irmos jantar. - ela diz assim que nota a minha presença na enorme sala. 
 - Pode me chamar só de Baek, é mais fácil eu acho. - falo passando a mão na nuca, mania de quando estou nervoso. 
 - Então, Baek - disse ressaltanado meu nome - como as roupas do Chany ficaram em você? - pergunta com certo ânimo. 
 - Sobre isso... Tem certeza que o seu irmão não é um poste ou algo do tipo? - ela ri da minha fala 
 - Ele é alto, tenho que concordar. Bom, vamos comer, deve estar com fome. - e quando acaba de falar, sai me puxando para o que penso ser a cozinha. 
Chegando no cômodo, vejo que há duas cadeiras vazias com pratos vazios e duas cadeiras ocupadas. Uma por um menino, que imagino ser o irmão de Soohyun, e uma mulher, que acredito ser a mãe da garota. 
 - Você deve ser o Baekhyun! Sente-se querido, fique a vontade. - disse a mais velha, me apontando uma cadeira a sua frente. 
 - Vejo que as minhas roupas não te serviram muito bem - "Chany" (já que não sei seu nome) afirmou em um tom meio envergonhado, a pergunta é, porque? 
 - Chanyeol, veja se nao tem alguma roupa do Kyungsoo ai. Com certeza servirá no pequeno Baek. - a mulher que ainda não sei o nome deu a ordem ao menino, que agora sei que se chama Chanyeol, que logo levantou-se e foi a procura das roupas. - Desculpe, não me apresentei. Sou Park Min Ho, mãe de Soohyun e Chanyeol, o menino que acabou de sair. - Min disse e sorriu gentilmente. Retribui o sorriso e logo me sentei para comer. Faz um tempo que não paro para me alimentar direito.
 - Muito obrigada por aceitar me abrigar aqui até a chuva passar. Fico imensamente agradecido de terem cedido um espaço. - falo sincero.
 - Acredito que terá que dormir aqui Baek. A chuva não passará tão cedo. - Soohyun afirma.
 - Não, de forma alguma! Assim que a chuva diminuir saio daqui. Seria muito incômodo eu comer e ainda dormir aqui. E de forma alguma quero ser um incômodo. - me apresso ao responder. 
 - Não permitirei que saia na chuva. Irá dormir aqui sim! E nego um não como resposta. - não havia saída, apenas me restava aceitar a proposta. Então assinto.
Chanyeol, finalmente, desce com a roupa de Kyungsoo (menino que não faço ideia quem é) e me entrega. Sentando rapidamente e começando a comer o que está no prato. 
Me dirijo até o banheiro e me troco rapidamente. Até que as roupas serviram bem. Céus! Como eu sou baixo. 
 - Então menino. Qual é seu nome? - o maior pergunta a mim assim que volto a me sentar à mesa. Mas Soohyun já não o falou? 
 - Baekhyun, Byun Baekhyun. - respondo mesmo com as minhas dúvidas. 
Ele apenas assente e continua a comer. A mesa fica em silêncio por alguns segundos, mas isso não dura muito, porque a Sra. Park toca no assunto que eu menos quero falar. 
 - Então Baek, o que fazia na rua a essa hora? Ainda mais com a chuva que faz agora! - e então, três pares de olhos são voltados a mim. 
 - É... digamos que não me sinto confortável em tocar no assunto. Me desculpe. - respondo a pergunta e abaixo a cabeça em seguida, como se dissesse, silenciosamente, que não quis soar rude.
 - Não abaixe a cabeça querido. Entendemos perfeitamente que isso seja mais pessoal. Não precisa de tudo isso, não nos ofendeu. -  ela diz e abre um sorriso. Essa família é bem sorridente. Exceto Chanyeol, eu não o vi dar um sorriso até agora. 
 - Então Baek, quantos anos tem? - Soo (apelido que dei a menina), me pergunta. 
 - Vinte e quatro - digo e ela faz uma careta. 
 - Tenho a mesma idade que você, parece ser mais novo que eu. A propósito, você é mais velho que o Yeol também. - me engasgo com a comida assim que ela fala isso. Como eu sou mais velho que o altão? 
Após dizer que estava bem e terminarmos a comida, que estava ótima pelo visto, Soohyun me leva até o quarto de hóspedes. 
Me ajeito no colchão macio, e não demoro muito a adormecer. 

 


Notas Finais


Me empolguei escrevendo isso.
Veio a criatividade, só que o enredo não batia com o de "Peculiar" então, fiz uma ChanBaek pra vocês por motivos que to amando muito esse shipp ultimamente :3

Espero que tenham gostado e se ficou uma bostona, fala por favor (hahaha)

Beijo pessoal, até o próximo capítulo (se tiver um, pretendo que tenha), ou na minha outra fanfic. ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...