História Love In Several Languages. - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias David Luiz, Edinson Cavani, Thiago Silva, Zlatan Ibrahimovic
Personagens David Luiz, Edinson Cavani, Lucas Moura, Thiago Silva, Zlatan Ibrahimović
Tags Brasil, David Luiz, Edinson Cavani, Paris, Psg, Uruguai, Zlatan Ibrahimovic
Exibições 80
Palavras 1.464
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


QUE SAUDADE DE VOCÊS!!!!!!!! Caramba, senti muita falta, muita falta mesmo, mas e aí, como vocês estão? Novidades? Eu estou muito bem, e eu espero que vocês gostem deste capitulo.
Anjos, prometo não demorar, amo vocês!

Este capítulo eu quero dedicar à Amanda Araújo, minha melhor amiga, minha anjinha, e foi ela quem me incentivou a escrever este capitulo, então agradeçam a ela > @AmyIbrahimovic <3 te amo. E vamos ao capitulo, vejo vocês nos comentários, combinado?

Capítulo 41 - Lose you...


Fanfic / Fanfiction Love In Several Languages. - Capítulo 41 - Lose you...

2 SEMANAS DEPOIS...

Acordei de um sonho perturbador, e fui até a cozinha, tomei um pouco de água e antes de voltar para cama fui até o quarto de Hugo, ele dormia como um anjo, e era lindo como o pai, aqueles olhos e aquele sorriso não me deixa a mínima dúvida. Voltei para a cama e Edi estava sentado, estava olhando algo no celular...

- Amor, porque você está acordado? –Perguntei me sentando na cama.

- Os meninos... –Ele disse com a voz trêmula.

- O que tem os meninos? –Fui até seu lado.

- Eles estão doentes, amor... –Edi me olhou e seu olhar era triste.

- É algo grave?                               

- Pneumonia.

- Ai meu Deus! –A preocupação com aqueles meninos era imensa. – Amor, é melhor você ir ver eles...

- Mas e vocês? –Ele me encarou.

- Nós ficaremos bem! –Dei um selinho nele e ele sorriu. – Pode demorar o tempo que precisar lá. –Passei a mão por seus cabelos e ele me abraçou.

- Não o que seria de mim sem você, Ana... –Ele me beijou.

- É o que dizem... –Brinquei.

- Quem diz? Espero que seja só eu... –Ele estava com aquela cara de ciúmes.

- Bobo! É só você mesmo. –O beijei e fomos dormir.

Quando amanheceu, Cavani arrumou algumas coisas que precisava levar e para o aeroporto, seu voo sairia às 11:00. Ele estava preocupa em nos deixar aqui, e certamente com os meninos. Hugo estava dormindo ainda e não o viu sair.

- Amor, toma cuidado, tá? –Disse e dei um beijo nele.

- Sim, senhora. –Ele sorriu.

- E me mantenha informada. –Acrescentei.

- Pode deixar. –Ele me beijou. - Amor, te amo.

- Também te amo.

- Cuida bem do nosso pequeno, ok?

- Okay. –Sorri e ele entrou no elevador.

Voltei para cama e olhei as mensagens que precisavam ser respondidas. A mensagem que mais me chamou atenção foi a mensagem de David dizendo que precisava falar comigo. Respondi que ele podia vir aqui para conversar. Depois de uns trinta minutos David havia chegado.

- Ei David. –O abracei.

- Ei Ana... –Ele pareceu triste.

- O que aconteceu? Por que você está assim?

- Eu preciso te contar uma coisa.

- Aham, vamos sentar ali no sofá. –O chamei e sentamos.

- Então... –Ele respirou fundo.

- Então...

- Eu terminei meu casamento com Sara.

- Entendi, por algum motivo eu sabia que era isso que você me falaria. –Sorri.

- O que você não sabe é que eu terminei com ela porque me apaixonei por você, Ana. –Ele sorriu sem graça.

- VOCÊ O QUÊ? –Praticamente gritei.

- Calma, não é o fim do mundo...

- É quase o fim do mundo. –Disse surpresa.

- Desculpe. –Havia lágrimas em seus olhos.

- Não chore... eu não quero te magoar, mas eu vou me casar com o Cavani, e você é o padrinho do Hugo, não daria certo.

- Eu sei Ana, eu sei... –Ele jogou sua cabeça para trás e fechou os olhos.

- O que você está pensando?

- Você. –Ele mordeu seu lábio inferior.

- Ok, vamos fazer alguma coisa, não quero ver você assim.

- O que você gosta de fazer?

- Eu estou começando a gostar de cozinhar... –Disse sorrindo.

- Então vamos fazer coisa na cozinha! –Ele se levantou e sorriu.

- Vamos sim, mas antes vamos ver o que o Hugo está aprontando no quarto.

Subimos as escadas e fomos até o quarto de Hugo, ele estava acordado brincando com o próprio pezinho.

- Ei garotão! –David pegou ele no colo e Hugo deu um lindo sorriso.

- Ele fica tão feliz quando te vê!

- Eu também fico muito feliz quando vejo ele,

- Imagino... –David me encarou por alguns segundos. – Ok, vamos descer...

Fomos para a cozinha e David sentou com Hugo no colo.

- E então, o que quer comer? –Perguntei abrindo a geladeira e ele me olhou sugestivo.

- Onde o Edi foi? –Ele tentou disfarçar o clima que havia ficado.

- Ele foi para o Uruguai. –Respondi tirando o suco de maracujá da geladeira.

- Porque?

- Os meninos estão passando mal, e ele foi lá para ver no que pode ajudar, ele estava preocupado.

- Ah tá, espero que os meninos fiquem bem logo.

- Eu também.

- Olha, nós podemos sair e ver um filme, está em dia muito bonito, e acho que o Hugo vai gostar de sair também. –Ele sorriu.

- É claro, vai ser legal... Só vou me arrumar, é rapidinho.

- Você já está linda. –Ele disse e eu sorri.

Subi para meu quarto e mandei algumas mensagens para Edi, depois eu encarei meu guarda-roupa por alguns minutos e decidi ir com uma calça branca e uma blusa com flores vermelhas, bem delicada, coloquei um tênis branco e amarrei meu cabelo em um rabo de cavalo. Arrumei algumas coisas que Hugo precisaria e desci as escadas, David estava vendo um jogo de futebol americano junto com Hugo.

- Vamos Edi? –Perguntei.

- Edi? –David perguntou.

- Nossa! Me desculpa, é força do hábito.

- Tudo bem, Ana... –Ele sorriu. –Você está linda.

- Obrigada.

Fomos até o carro, no caminho, tivemos muitas conversas a respeito de muita coisa, estávamos mais amigos, e ele não estava me deixando constrangida, o que era bom, David apesar de tudo era um ótimo amigo. Chegamos até o tal lugar que ele havia falado, era a sua casa.

- Acho que conheço esse lugar... –Falei sorrindo.

- Sim, você conhece. –Ele falou tirando Hugo do carro. –Vamos entrar?

- Claro...

Entrei na casa de David e parei em frente a um piano que havia ali.

- Ana... –Ele me chamou, quando me virei ele me beijou.

- QUE PORRA É ESSA, DAVID? –Gritei. – ISSO JÁ FOI LONGE DEMAIS!

- Ana, desculpa...

- Desculpa é a puta que pariu, tchau David. –Peguei Hugo de seu colo e peguei o primeiro táxi que vi pela frente.

Eu sabia que a ideia de ir até a casa dele não seria uma boa ideia, e mesmo assim eu fui, a culpa é toda minha.

Quando cheguei em casa não havia nenhuma mensagem de Edi, dei um banho em Hugo, amamentei ele, e ele ficou em seu quarto dormindo enquanto eu tomava meu banho. Quando sai coloquei uma roupa confortável e fiquei esperando alguma notícia sobre os meninos, enquanto isso fiquei pensando nas coisas que David havia me dito e que não fariam o menor sentido. Acabei pegando no sono e fui acordada por uma ligação, era Maria.

- Ana? –Ele parecia nervosa.

- Oi, o que aconteceu?

- Ana, eu estou apavorada!

- O que foi, aconteceu algo com os meninos? –Fiquei nervosa no mesmo momento.

- Não Ana...

- Então o que foi?

- O Edi...

- O que tem o Cavani? –Eu já estava aflita.

- Ele morreu...

- ELE O QUE? –Gritei em desespero.

- Foi em um acidente de carro... –Ela chorava.

- AONDE? COMO? MEU DEUS!

- Ele estava vindo para o hospital, e um ônibus bateu no carro, que capotou.

- EU NÃO POSSO ACREDITAR NISSO. –Eu apenas chorava.

Eu não poderia acreditar que Edi estava morto, que Hugo não iria mais ver o pai, que eu não sentiria mais aquele homem, eu não podia acreditar que Cavani nunca mais jogaria, que nunca mais veria aquele sorriso, não consigo acreditar que não me casei com ele, que esse sonho não havia se realizado, ele morreu sem ao menos ver o primeiro passo de Hugo, o primeiro chute em uma bola, sem ele ter visto Hugo fazer o primeiro gol, eu apenas não acredito que perdi o homem da minha vida. Eu acho que depois dessa notícia eu não dormi, e sim desmaiei.

...

- Amor, acorda... –Abri os olhos e Edi estava com Hugo no colo.

- O que aconteceu? –Perguntei analisando as coisas a minha volta.

- Você estava sonhando, amor. –Ele me deu um beijo e se deitou ao meu lado.

- Sonhando? –Perguntei incrédula.

- Sim... –Apenas sorri com esta resposta e o abracei.

- O que foi, Ana?

- Nada não, amor...

- Então tá bom... se arruma então, porque vamos sair...

- Vamos para onde?

- Para a casa do David... –Sorri quando ele falou isso.

- Ah sei... –Levantei da cama. – Amor, você tem alguma notícia dos meninos?

- Sim, liguei para eles hoje, estão todos bem e com saudades de você.

- Também estou morrendo de saudade deles. –Disse e fui me arrumar.

Dentro de instantes já estávamos em volta da mesa com os meninos conversando sobre futebol, e eu olhando para aquele homem no qual eu era completamente apaixonada, e que não consigo imaginar minha vida sem ele...


Notas Finais


Por favor, comentem nem que seja um "continua", eu quero muito saber se vocês estão gostando ou não, ou se vocês têm alguma sugestão. Amo vocês!

Amy, te amo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...