História Love In The School - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Tayuya, Toneri Otsutsuki
Tags Hinata, Naruto, Romance, Sasuhina, Sasuke
Visualizações 334
Palavras 10.325
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amoores!

One do Evento: Uma Imagem Vale Mais Do Que 1000 Palavras, do grupo Curtidores da SasuHina/BR.

Espero que gostem, boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Único


 

Quem dizia conhecer bem Hyuuga Hinata, diria apenas que ela era a garota mais gentil e responsável do colégio inteiro. Escolhida por unanimidade para ser a presidente do conselho estudantil e representante da sua própria sala, a garota de extrema beleza era o perfeito exemplo de garota perfeita; uma garota feliz, sem problemas e querida por todos ao seu redor. O que ninguém sabia é que: por detrás dos olhos acinzentados e dos sorrisos sempre alegres existia uma mágoa ainda não tratada, a dor do grande primeiro amor não mais correspondido.

Aquela era a época do ano em que Hinata mais detestava, pois tinha o trabalho de sorrir mais para mascarar a dor em prol de todos. A semana do Festival dos Esportes era sempre o seu maior desafio nos últimos anos, pois logo quando chegassem no “dia do basquete” seria muito mais difícil de evita-lo. Correndo pelos corredores do colégio para arrumar tudo, a morena tentava se concentrar em outras coisas para distraí-la, mas no final tudo sempre convergia para ele. Afinal, o causador da sua mágoa, era justamente o líder do time: Uchiha Sasuke. O mesmo que treinava nesse exato instante.

Houve uma época em que a Hyuuga poderia parar na quadra e assistir um treino de basquete com o maior dos sorrisos nos lábios. Hoje em dia, era irritante constatar que mesmo depois de dois anos, seu coração ainda pertencia a ele. O garoto de olhos negros e de personalidade forte que havia a encantado com um sorriso galanteador, o garoto determinado e sempre muito atencioso. Talvez, se fosse mais esperta, saberia o que ele queria desde o início e isso a pouparia de um enorme sofrimento. Balançando a cabeça para desanuviar os pensamentos tortuosos, Hinata voltou a correr pelos corredores, sorrindo gentilmente para todos a quem cumprimentava.

-x-x-x-

Uchiha Sasuke era o típico garoto popular. O príncipe encantado das garotas que também era o líder do time de basquete e campeão em todos os anos que esteve no time. Além de lindo e enigmático, ele sempre foi um dos alunos mais inteligentes da escola, levando consigo a marca de segundo lugar com as melhores notas da escola e perdendo apenas para a sua querida presidente, Hyuuga Hinata. Para todos ele era o garoto mais sortudo do mundo, mas o que as pessoas não sabiam era que: mesmo com uma vida “perfeita”, Sasuke era o maior perdedor de todos os tempos.

A paixão teve início assim que ingressou no ensino médio. Foi quase impossível não a notar entre tantas outras pessoas, os longos cabelos azulados chamaram sua atenção no primeiro dia de aula, e os olhos cinzentos no segundo. Mas foi a quase duas semanas depois que a paixão pela aparência angelical sumira, dando espaço para poder amar a pessoa que ela era. Gentil, delicada, portadora de um sorriso quente e brilhante, dona de uma pureza encantadora... Como alguém não se apaixonaria por Hinata? O envolvimento com a morena de olhos de lua foi inevitável, e a paixão que sentia por ela não cabia em si. Melhor ainda quando foi correspondido.

Apenas para evitar comentários desnecessários, decidiram namorar às escondidas e, apenas os melhores amigos de cada um sabiam do envolvimento. Foram felizes por quatro meses, mas para a infelicidade de ambos o romance não durou por muito tempo. Por um simples mal-entendido o namoro acabou sem quaisquer explicações e, mesmo que não tivesse culpa Sasuke concluiu que: uma que vez que Hinata não acreditava em sua inocência, ela nunca confiaria em si. Foi com muita decepção que decidiu deixa-la ir. Não a procuraria mais e também não tentaria se explicar, e apenas seguiria em frente assim como havia feito antes dela aparecer em sua vida.

Os anos se passaram desde a separação. Sasuke e Hinata mantiveram distância e segredo de seu passado ficou em sigilo. Como dito: apenas duas outras pessoas sabiam do namoro do casal de morenos, os dois confidentes e o casal mais querido da escola: Uzumaki Naruto e Haruno Sakura. No entanto, tal como o arrogante que era, não aceitou simplesmente perder. Uma vez que era o garoto mais popular da escola e tinha todas as garotas praticamente implorando sua atenção, ele apenas decidiu ter a garota mais bonita do Konoha High School: Tayuya no Hokumon.

A chegada do Festival de Esportes, prometia ser a melhor de todos os tempos.  Era o último ano de Sasuke na escola, e ele prometia dar não só seu melhor em quadra como também seu sangue, assim como todos os outros membros do time. Estavam no fim do segundo semestre do ano letivo, e aquele era não só um jogo importante como também muito esperado pelo Uchiha. Ele conseguia sentir que aquele jogo seria um evento decisivo em sua vida.

-x-x-x-

Hinata fechou os olhos cansados por um instante e suspirou profundamente. Desde quando esquecera que era uma simples humana e não uma máquina multifuncional?! Responsável pela equipe de representantes de classe que supervisionavam todo o festival, a Hyuuga se sabia que se manteria ocupada desde o início até o fim do evento. Sempre fizera isso desde que entrara para a escola, e em seu último ano não seria diferente. A manhã havia sido corrida para boa parte dos estudantes, para ela era quase como uma maratona.

Eram tantas coisas: os comes e bebes, a decoração, as lembranças para todos, até a fogueira e os fogos que cobriria o céu com o termino do festival. Era tudo sua responsabilidade. Os preparativos para a hora do almoço estavam a todo vapor. Hinata cuidava de distribuir os cronogramas das atrações, juntamente com algumas informações: sobre os locais onde estariam os postos da enfermaria e locais onde se encontravam as barracas de comida. A pequena andava para cima e para baixo, não só supervisionando como também ajudando nas tarefas atrasadas.

— Hinata, não acha que precisa comer, descansar, e beber água assim como uma pessoa normal? — Perguntou Sakura, preocupada com o esforço que a amiga vinha fazendo desde muito sedo

— Não se preocupe Sakura, eu estou bem! — Mais uma vez a morena abriu aquele sorriso mascarado, mostrando a serenidade que poucos tinham. — Agora preciso que continue a ajudar a equipe de decoração, ok? Ah, e por favor, mantenha Chouji longe dos docinhos!

Pediu a morena antes de correr apressadamente pelo corredor abarrotado de alunos, Sakura sequer teve chance de pará-la. No fundo, a Haruno sabia que aquilo era um mecanismo de defesa da amiga para não pensar em nada do que aconteceu consigo naquela mesma época, a dois anos atrás. Sakura podia ser muito espevitada, mas sabia lembrar de datas marcantes, sendo elas boas ou ruins.

— Ela não parou por um segundo sequer, como pode ser tão teimosa! — Murmurou a rosada um tanto quando preocupada, colocando as mãos na cintura.

— Calma rosinha, a Hyuuga é bem forte! — Ela ouve a voz conhecida de seu namorado, Naruto, abraçando-a por trás.

— Ela não se alimenta bem desde o almoço de ontem, Naruto! — Sakura respondeu, virando-se no abraço e encarando os olhos azuis dele. — Está andando pela escola inteira fazendo mil e uma tarefas, ajudando todo mundo e por nem um minuto sequer parou para descansar!

— Quando ela se sentir fraca vai descansar... — Naruto diz, tocando a ponta do nariz da Haruno com o seu, exibindo um pequeno sorriso. — Você sabe melhor que todo mundo que a Hinata se esforça três vezes mais que qualquer um para esse evento ser perfeito.

— Eu sei... — Diz ela suspirando e com uma feição tristonha. — Mas não posso deixar de me preocupar com ela, principalmente hoje.

— Isso é passado amor, sabe que nada vai mudar. — Naruto respondeu, ficando um pouco mais sério. — Mesmo que aqueles dois sejam completamente apaixonados um pelo outro, ainda são dois cegos orgulhosos! — Ele abraçou a namorada um pouco mais forte e depois lhe deu um beijo na testa. — Agora eu preciso voltar para a quadra e você para a cozinha. Te espero no jogo mais tarde e é bom gritar bem alto pra mim! — Diz ele com um sorriso brincalhão.

— Vou gritar mais alto que qualquer um, meu loirinho! — Sakura diz antes de beijá-lo levemente nos lábios e se afastar.

 

-x-x-x-

A quadra era um dos locais mais animados da escola. Os jogadores do time de basquete treinavam enquanto alguns alunos enfeitavam o local. Os olhos perfeccionistas de Sasuke percorriam toda a quadra verificando cada ponto positivo e negativo. Aquele seria um dos últimos jogos que ele estaria presente como líder e devia ser o melhor de todos para encerrar o ano com chave de ouro.

Porém, mesmo com toda a animação, o capitão do time de basquete estava impaciente com o atraso de seu vice capitão e melhor amigo. Mesmo que só tivesse o pedido apenas para procurar por mais dois uniformes, Sasuke sabia que o Uzumaki iria atrás da namorada para dar-lhe um "oi". De qualquer modo, não culpava os amigos pelo carinho que sentiam um pelo outro, embora sentisse uma pontada de inveja por esse amor.

— Trouxe três uniformes e não precisa me agradecer por ser sempre precavido! — Diz Naruto, com um sorriso alegre e os uniformes em mãos.

— Precavido e cara de pau, isso sim! Acha que eu não sei que foi atrás da Sakura, hein, Naruto? — Pergunta o moreno arqueando uma das sobrancelhas.

— Ah, qual foi?! Só fui ver se minha rosinha estava bem, não demorei dois minutos com ela! — Retrucou ele, um tanto sem graça.

— E está feliz com o resultado? — Sasuke debochou, cruzando os braços em frente ao peito e olhando o jogo.

— Nem tanto. Sakura está mais preocupada com a Hyuuga do que com a própria segurança. Subir em escadas, mexer com martelos e pregos não é coisa para uma garota! — Respondeu o loiro, sem notar que o moreno não queria de fato uma resposta.

— E o que tem a presidente? — O Uchiha questiona, sem nem ao menos notar sua preocupação e interesse repentino no assunto.

— Parece que ela não come nada desde ontem. Está andando daquele jeito militar pela escola toda, fazendo as tarefas dela e as dos outros. Nada que ela nunca tenha feito... — Responde o loiro distraído com o jogo que corria na quadra.

— Hmm...

Embora fosse menos perspicaz que o amigo em vários quesitos, Naruto foi capaz de ler o silêncio velado do amigo. Era nítido que Sasuke nunca esqueceria a presidente Hyuuga. Afinal de contas, o que tiveram foi intenso, mesmo que por pouco tempo.

— Mesmo depois de tanto tempo ainda se preocupa com ela, não é? — Perguntou o Uzumaki com um sorriso convencido.

— De que diabos está falando?

— Vai mentir justo pra mim Sasuke?! Ah, faça-me o favor! Eu sei perfeitamente que é por ela que seus olhos procuram todos os dias no corredor e que é por ela que ainda é apaixonado! — Naruto afirma com todas as letras, cruzando os braços em frente ao peito.

— Por quem meu namorado é apaixonado?

Naruto arquejou e pulou para o lado, vendo uma ruiva de bandana e uniforme descolado atrás de si, sua expressão dizia que não estava nem um pouco contente com a resposta que poderia ouvir. Tayuya no Hakumon fazia jus ao título de segunda mais bonita e talentosa do colégio, porém, embora sua flauta fosse doce e sua aparência meiga, o humor contradizia tudo o que se supunha. A ruiva gostava de ser poderosa, e mostrava a verdadeira face sempre que não se sentia agradada.

— Por você, Tayuya. É claro! — Naruto balbuciou, olhando para o amigo extremamente nervoso.

— O que faz aqui Tayuya? Você não devia estar com a equipe de primeiros socorros, na enfermaria? — Pergunta Sasuke, arqueando uma das sobrancelhas.

— Sim eu devia... — Ela o respondeu com um sorriso travesso. — Mas a presidente apareceu na enfermaria, e como ela é um anjo acabou ficando com as minhas tarefas para eu ir ver minha irmã doente.

— Você não é filha única? — O Uchiha parecia realmente confuso.

— Sou, mas ela não precisa saber! — Tayuya debochou, olhando as unhas bem-feitas como se não tivesse nada mais bonito. — Até parece que eu vou perder o meu tempo precioso naquele cubículo.

— Que horror Tayuya!! — Naruto bradou, realmente indignado. — Você devia cumprir suas obrigações, já que todo mundo está contribuindo com a sua parte! A presidente está sobrecarregada!

— Vá bater a bola na quadra, vai loirinho! — Tayuya diz com desdém, dispensando-o com um gesto.

— Se você fez isso com outras intenções, Tayuya, já vou avisando que estou bem ocupado agora. Se ficar aqui, vai ficar sozinha. — Sasuke interferiu, com uma expressão nada agradável no rosto.

— Bem, isso é realmente importante pra você, não é mesmo? — A ruiva comentou, como se ele fosse um doido. — Tudo bem, vou dar uma olhada no pessoal da banda. Volto mais tarde para o seu jogo, amor!

Antes que Sasuke pudesse fazer qualquer coisa, sua namorada o agarrou pelo pescoço e lhe deu um selinho um pouco mais demorado, antes de sair da quadra com uma expressão vitoriosa no rosto. Era estranho, mas com ela, a única coisa que conseguia sentir era como se fosse usado. Nenhum beijo lhe tirava o fôlego, nenhum carinho lhe trazia boas energias. Nada que vinha de Tayuya se comparava com o que veio de Hinata.

— Sinceramente, Sasuke! Como aguenta essa bruxa? — Murmurou Naruto, indignado com o namoro estranho do amigo.

— Não me pergunte... As vezes, nem eu mesmo sei. — Sasuke o respondeu, fazendo sinal de negação com a cabeça antes de começar a se afastar. — Fique de olho na equipe. Eu já volto.

— Onde está indo? Pensei que você tivesse dito que estava bem ocupado. — O loiro questiona, com um sorriso travesso no rosto

— Vá pro inferno, Naruto! Ou melhor, vá treinar! — Disse Sasuke sem olhar para o amigo.

-x-x-x-

— Toneri como pode ser tão descuidado? — Hinata diz com um tom repreendedor e carinhoso ao mesmo tempo, como uma mãe. — Você poderia ter tido um corte mais profundo.

Após o pedido de Tayuya para ir ver a irmã doente, Hinata começou a cobri-la na equipe de primeiros socorros. Embora estivesse começando a sentir os primeiros efeitos do cansaço, a morena nunca iria deixar uma colega em apuros. Os sentimentos em relação à ruiva bonita e talentosa eram difusos, tendo em vista que ela fora o pivô para a separação entre ela e Sasuke, quando ainda eram namorados.

Nesse mesmo dia, a dois anos atrás, ela viu Tayuya e Sasuke aos beijos embaixo da arquibancada do colégio, enquanto ela corria ao encontro do amado para felicita-lo em sua vitória. O choque da traição fora tão grande que a Hyuuga simplesmente se recusou a ouvir qualquer coisa que viesse do moreno. Primeiro começou a evita-lo, até o momento em que simplesmente disse que não queira ter mais nada com ele. Sua maior dor foi ver o Uchiha em um relacionamento sério com a ruiva, pouco depois do rompimento silencioso deles.

— Desculpe, eu me distraí um pouco, a preparação das refeições estavam atrasadas e... Hinata, você está me ouvindo?

As palavras de Toneri, junto com sua mão sobre o seu rosto, a fizeram acordar do devaneio. Onde diabos tinha colocado sua cabeça?! Balançando a cabeça e pigarreando de leve, logo ela tratou de abrir outro de seus sorrisos para esconder a tempestade que se formava em seu coração.

— Oh, sim, sim! Tudo bem, Toneri, só tenha um pouco mais de cuidado por favor. — Ela o responde carinhosamente, assim que termina de fazer o curativo.

— Prometo. — O albino agradece com um pequeno sorriso. — E obrigado por se preocupar tanto.

— Sou eu quem devia agradecer por ter se oferecido para ajudar na cozinha! — diz ela passando o braço na testa soada. — Não sei o que faria para dar conta de tantas coisas de uma vez.

— Sei que daria um jeito! Você é a nossa presidente e a melhor! — Toneri afirma, olhando-a com intensidade. — Além de ser a garota mais querida da escola com toda certeza alguém iria querer lhe agradar se oferecendo para o cargo.

— Não seja exagerado! Sou apenas uma pessoa comum. — Hinata murmura constrangida.

— Não estou exagerando! — Diz ele, sorrindo sedutoramente para ela. — Acredite, Hinata, muitos caras adorariam estar nesse lugar agora! Acho que sou sortudo por ter a presidente cuidando de mim!

— Ah, bem... — Hinata começou a rir, completamente sem graça com a situação. — Acho que acabou perdendo mais sangue do que o esperado. — Ela brincou, tentando desfazer o clima estranho. — Acho que deve descansar um pouco...

— E deixar outro no meu lugar na cozinha? Nem pensar! — Toneri diz, bagunçando a franja da morena. — Vou voltar para cozinha e mais tarde vou te procurar para dar uma volta comigo pelo festival, o que me diz?

— Oh! Bem, Toneri... — Hinata ficou completamente sem ação, envergonhada com o convite inesperado. — Eu sinto muito mas acho que...

— Sem desculpas, Hinata. — Ele sussurra de forma provocante, tocando a ponta do nariz dela — Você mesma disse que me deve uma, então vou cobrar! Além do mais, você mais do que ninguém deveria aproveitar esse festival.

Ele estava tão perto, com um olhar límpido que dizia todas as suas intenções. Hinata não queria aquilo. Em seu coração, não era o branco e o azul que lhe trariam a paz e o conforto de um novo amor; tudo o que ela queria era preto. Preto como o ébano, como ônix.

— Atrapalho alguma coisa?

Como se fosse um anjo salvador, Sasuke apareceu naquele exato momento na porta da enfermaria. Sua expressão não era a das melhores, mas no fundo, Hinata sabia que lhe devia uma. Se não fosse por ele, talvez Toneri poderia... Ah, ela não conseguia nem sequer pensar no que poderia ter acontecido! Aquilo estava sendo definitivamente mais cansativo do que o esperado.

— Não mesmo, capitão Uchiha. Eu já estava de saída. — Diz o albino, antes de se levantar da maca onde estivera sentado. — Venho atrás de você mais tarde presidente. — Ele sussurra, piscando para ela antes de sair da sala.

Para Sasuke, foi inevitável conter o arqueamento de sua sobrancelha e a encarada nada amigável ao albino, ainda mais depois do sorrisinho descarado que ele ousara lhe endereçar. Sabia exatamente o que ele queria com Hinata, e sabia também que ele era o mais insistente entre os admiradores da Hyuuga. Aquele maldito estava se aproveitando da pureza dela, e não tinha dúvidas que ele tinha um bom plano para aquele dia. Distraído em pensar numa maneira de manter o abutre branco longe da morena indefesa, nem ao menos notou o olhar interrogativo da mesma para si após os minutos em silêncio em decorrência da saída de Toneri.

— Algum problema, Uchiha? — Pergunta Hinata, desviando rapidamente o olhar.

— Talvez um... — Ele responde, notando o desconforto da morena.

— Bom, devo lhe avisar que sua namorada teve um imprevisto familiar e provavelmente foi para casa. — A morena informou, dando-lhe as costas e fingindo se ocupar com o relatório sobre o ferimento de Toneri. — Então, se não estiver atrás dela ou machucado...

- Dois anos, Presidente... Será que ainda se lembra?

Sasuke entrou no cubículo da enfermaria e fechou a porta de correr atrás de si. Hinata se voltou para ele, sobressaltada com o olhar intenso que lhe era direcionado. Ela sabia que aquele olhar sempre soube ler sua mente, sempre soube como obter todas as respostas dela. Menos aquela...

— Não sei do que está falando, e... — Ela balbuciou, tentando conter o rubor que já se iniciava pelo rosto e pescoço. — E-eu não me lembro de nada, e acho melhor abrir a porta.

— Foi a exatamente dois anos e vinte minutos. — Sasuke complementa, olhando para seu relógio de pulso. — Não me venha com esse papo de esquecer! Sei muito bem que você se lembra desse dia tanto quanto eu. — A cada frase, ele se aproximava um passo. — Sabemos o quão odeia esse dia, e o quanto se esforça tentando manter sua mente ocupada para não se lembrar. Não somos mais crianças, Hinata.

As palavras dele pesavam fundo em seu coração. Para Sasuke era difícil reconhecer a dura realidade, mas ela estava ali e aquele era o momento que esperou pelos últimos dois anos. Dois anos não haviam sido o suficiente para apagar tudo o que conhecia dela. Não foram o suficiente para apagar aquele sentimento flamejante que ainda existia em seu coração e nem para deixar a mania de admira-la pelo menos um pouco todos os dias.

— Acho que assim como eu, você também devia ter esquecido isso. — Hinata finalmente o respondeu, olhando diretamente em seus olhos. Mais um pouco e ela começaria a chorar. — Agora, se já terminou com a sessão de memórias revividas, vá embora Sasuke!

— Porque eu iria embora agora, justo agora que está falando comigo? — Embora fosse muito mais controlado com suas emoções, a voz saiu carregada de rancor. — Depois de dois anos, você finalmente reagindo da forma que devia ter feito a muito tempo...

— Por que raios você está fazendo isso agora?! — Finalmente, as lágrimas cristalinas brotaram dos olhos acinzentados da presidente perfeita. — Fique longe... tão longe quanto esteve todo esse tempo!

— Esse é o problema, Hinata... Estou cansado de manter distância.

O rosto dele estava tão próximo. Hinata conseguia ver com perfeição a íris tão negra quanto seus cabelos, sentir o perfume forte amadeirado e aquele turbilhão de sentimentos explodindo dentro de si. Respirar estava difícil e seus olhos ficaram pesados, a única coisa que ouviu antes de apagar era a voz de Sasuke a chamando insistentemente.

-x-x-x-

Imprudente. Hyuuga Hinata era uma garota tremendamente imprudente e extremamente linda. Sasuke via pelas olheiras que ela não dormia bem a alguns dias, e que Naruto estava certo em dizer que ela não estava se alimentando corretamente e se esforçando demais. Era a típico dela. Sempre tão preocupada com o mundo a sua volta e não parando para olhar seu próprio mundo por um segundo sequer. Tão boba e bondosa que as pessoas se aproveitavam constantemente de sua gentileza. Tomando o corpo desfalecido da morena em seus braços, Sasuke a deitou na maca disponível no cubículo da enfermaria. Sua mão passeava levemente pelo rosto pálido de Hinata enquanto pensava nas oportunidades que perdera.

Havia tanta saudade escondida em seus olhos negros, havia tanta amargura escondida em seu sorriso. Porque diabos ela nunca havia o dado a chance para lhe dizer a verdade? Porque insistia em ficar longe quando seu coração implorava para estar perto?

Por fim, o Uchiha estava distraído demais para notar a pequena fresta da porta aberta atrás de si, por onde um albino o mirava com os olhos azuis vertendo em ódio. "Ela é minha, Uchiha, e eu não vou permitir que a tome de mim outra vez", Toneri pensou em silencio, fechando cuidadosamente a fresta e rumando pelo corredor afora.

Andava rapidamente entre os alunos atarefados, procurando uma certa cabeleira ruiva. Ao que parecia, Tayuya não estava cumprindo com o combinado, e dessa vez ele iria cobra-la pessoalmente. Avistou a Hakumon prestes a entrar em uma sala e foi rápido o suficiente para puxá-la para um corredor deserto, antes de serem vistos juntos.

— Que merda pensa que está fazendo, Toneri? — Esbraveja ela se soltando do aperto incomodo. — Achei que o combinado era não nos encontrarmos pessoalmente na escola!

— Se estou quebrando o combinado é porque certo alguém não está desempenhando o seu papel direito! — Diz ele com uma expressão impassível, embora sua mandíbula estivesse travada. — Você está me decepcionando, Tayuya!

— Do que está falando, idiota? — Pergunta ela sem entender.

— Seria bom cuidar melhor do seu namorado, ou eu não garanto que ainda terá um até o fim do ano. — Ele segurando firmemente o queixo da ruiva, encarando a confusão no rosto da mesma. — Sabe onde o "seu Uchiha" está agora, tolinha? Sabe quais são as intenções dele para esse dia?

— Sasuke está na quadra idiota, eu estava com ele agora pouco e... — Ela não consegue terminar a frase pois suas bochechas eram fortemente apertadas por um Toneri impaciente.

— Aquele bastardo está na enfermaria e ele não só atrapalhou algo que eu estava planejando a algum tempo, como também estava confrontando a presidente sobre a “possível” traição. — diz ele com um tom ameaçador.

— Mas, como?! — Tayuya arregalou os olhos.

— Você é burra ou o que? Ele a quer de volta, mas eu e você não iremos permitir que isso aconteça, não é mesmo? — Diz ele com um olhar furioso sobre a ruiva, que se mantinha assustada com a reação do albino. — Você está com aquele babaca metido à astro hoje graças a mim. Deveria ser um pouco mais cuidadosa e agradecida, Tayuya.

— O que pretende fazer? — Pergunta ela, se soltando dele e massageando o rosto dolorido. — E o que é que espera que eu faça?

— Apenas vá atrás dele, e o mantenha longe dela por enquanto. Assim que eu pensar em algo te envio uma mensagem. — Toneri responde, alisando o próprio uniforme como se nada demais tivesse ocorrido. — E vê se põe essa merda que você chama de cérebro pra pensar em alguma coisa!

Tayuya manteve a pose de durona até ver seu comparsa sumir ao virar o corredor, depois deixou que suas lágrimas de raiva e rancor rolassem brevemente. Odiava se sentir acuada, quase tanto quanto não ser a melhor. Maldito dia em que dera ouvidos àquele branquelo psicopata!

Praguejando baixinho e limpando o rosto, a ruiva saiu batendo os pés de tanta raiva e nem ao menos percebeu que, à alguns metros de distância, um belo par de olhos esmeraldinos brilhavam de puro ódio. “Sempre soube que tinha uma cobra nesse colégio. Parece que hoje descobri o par!”, pensou a rosada, apertando os punhos para conter a raiva. Embora fosse reconhecida apenas pelo seu lado radiante, Sakura era esperta o suficiente para entender as poucas palavras e muito mais geniosa do que se podia imaginar.

Sua cabeça trabalhava a mil por hora, enquanto corria até o ginásio. Precisava encontrar Naruto o mais rápido possível, pois com toda certeza ele a ajudaria a unir os dois cabeças duras outra vez. A Haruno mal conseguia se conter para não gritar para toda aquela escola que estava acontecendo. Ofegava e mal conseguia se manter em pé, a quadra nunca pareceu tão longe para a rosada naquele instante.

— Naruto!! — Ela gritou ao chegar na entrada da quadra, interrompendo o treino do time. — Preciso de você! Agora!

— Rosinha? Aconteceu alguma coisa? — Perguntou Naruto preocupado com a afobação que a namorada chegara.

— Eu descobri amor... Ele era inocente esse tempo todo... Preciso que me ajude com eles — Ela tentava inutilmente falar enquanto normalizava a respiração.

— Calma, respira! Do que está falando Sakura? — O loiro indagou colocando as mãos nos ombros da namorada, sem entender uma palavra sequer que ela dizia.

— O Sasuke nunca traiu a Hina! — Diz ela secando a testa soada e sorrindo para ele. — Foi tudo uma armação e eu preciso que me ajude a juntá-los outra vez!

— Benzinho, o Sasuke está namorando... — Naruto começou a dizer suspirando. — Mesmo que eu não goste nem um pouco da Tay...

— Aquela vadia tramou tudo com o Toneri! — Sakura o interrompe extremamente irritada, segurando-o pela gola da camiseta com um olhar feroz. — Ela roubou o Sasuke da minha amiga e ela vai pagar caro por isso, então não venha defender aquela vaca vermelha agora.

Naruto encarou a namorada espantado. Mas é claro! Como é que não tinha pensado nisso antes?!

— Você vai ter que me contar isso no caminho. Agora, vem comigo! — O loiro a puxou para fora da quadra. — Continuem treinando, seus molengas! Temos um jogo para ganhar hoje!

“E mais de um, pelo visto!”, ele pensou.

-x-x-x-

Hinata abriu os olhos com dificuldade, piscando-os por conta da claridade invasiva. Levou uma das mãos aos olhos tentando cobrir um pouco a visão. “Onde estou? O que aconteceu?”, ela se perguntou mentalmente. Sua cabeça latejava de leve e não se lembrava muito bem o que havia acontecido. Num pulo ela se sentou sobre a maca. “Céus! O festival!” Que horas eram? Quem estava cuidado de seus afazeres? Quem estava arrumando tudo?

— Não devia se sentar tão depressa.

Aquela voz a fez se arrepiar por inteiro. Sasuke, ele era a razão do seu desmaio. Sim, agora ela lembrava. Aqueles olhos imponentes e profundos haviam exaurido todas as suas forças, empregando cada fibra de seu autocontrole.

— Que horas são? — A Hyuuga pergunta, passando a mão sobre a cabeça dolorida. — Porque não me acordou? E o que ainda faz aqui?

— São muitas perguntas para quem acabou de se recuperar de um desmaio. — Ele responde se ajeitando na cadeira e arqueando as sobrancelhas. — Mas, respondendo às suas perguntas: foram apenas quarenta minutos, não te acordei por que você precisava dormir, e eu estou aqui pois ainda pretendo terminar nossa conversa.

— Ainda com esse assunto, Sasuke? — Ela suspira pesadamente enquanto se vira para levantar da maca. — Não tem para que querer discutir algo que não vai mudar em nada o que eu penso, e muito menos o relacionamento cordial que temos. Se é que isso pode ser chamado de cordial.

— Acha mesmo que estou te dando a escolha de não ouvir o que tenho a dizer? — Diz ele com um tom sério a olhando fixamente nos olhos.

— Sasuke, por favor, eu estou pedindo: deixe esse assunto enterrado como esteve todo esse tempo. — Ela sussurra, se levantando devagar enquanto sentia os olhos arderem — Eu tenho um festival para supervisionar, você tem um jogo muito importante daqui a meia hora. Por favor, me deixe sair.

— Porque foge tanto de mim, Hinata? Porque é tão difícil assim parar um minuto do seu dia tão precioso para ouvir o que tenho a te dizer? — Pergunta ele com um semblante triste — Me responda apenas isso e eu te deixo em paz. — Ele se aproxima a olhando nos olhos.

— Porque foi difícil ver você com outra pessoa quando dizia me amar! — Hinata finalmente confessou, com os olhos marejados. — Porque eu não suportava estar perto de você e sentir aquela dor inquietante de saber que você estava com outra quando não estava ao meu lado. Porque foi dilacerante saber que não se importava nem um pouco comigo. — Ela trava o maxilar, com intuito de se acalmar.

Sasuke a encara com os olhos arregalados pela expressão frágil e quebrada que estava a sua frente. Agora não restava dúvidas de que Hinata tinha visto algo entre ele e Tayuya no fatídico festival a anos atrás. Algo que nunca deveria ter acontecido e que o Uchiha faria qualquer coisa para reparar.

— Eu nunca traí você, minha Hime. — Ele seca as lagrimas que escorria dos olhos cinzentos, chamando-a pelo apelido carinhoso que havia lhe dado quando namoravam. — Naquele dia, Tayuya me agarrou e você chegou em seguida. Eu nunca menti quando disse que te amava e você sabe que eu nunca mentiria sobre isso. No entanto, sei que agi como um idiota e que se você tivesse feito algo parecido comigo, isso iria me destruir completamente.

Hinata não conseguiu mais segurar as lágrimas de angústia e remorso, cobrindo o rosto com as mãos e chorando baixinho. Sasuke sempre conseguiu arrancar o melhor e o pior de si e agora ele a veria em pedaços. Porém, ao mesmo tempo em que era conflitante, os braços protetores que agora a envolviam eram mais do que uma fortaleza. Era a paz que tanto procurava.

— Nunca suportaria ver você com outra pessoa e secretamente torci todos esses anos para que nunca encontrasse outro alguém. — O Uchiha confessa, passando a mão pelos longos cabelos negro-azulados dela. — Me perdoe por não ter te procurando antes, Hinata. Me perdoe por te fazer passar por isso quando devia te provar que era única pra mim...

— Se era perdão o que procurava, Sasuke, está perdoado... — Ela sussurrou, a voz fina parecendo uma navalha. — Mas agora você precisa deixar esse assunto de lado e se ocupar com as coisas realmente importantes. Esse festival é para você. Você precisa ganhar aquele jogo.

As palavras da morena o fizeram soltá-la como se tivesse levado uma ferroada de abelha. Palavras que realmente haviam doido muito mais do que ser ignorado por todo aquele tempo. Os olhos negros encararam os olhos cinzentos dela, enxergando toda a mágoa que ele também sentia. Já era tarde demais. Hinata nunca acreditaria que ele era inocente, nunca o perdoaria verdadeiramente. Mas ele não podia culpá-la, ninguém podia. Naquela história, ela sem dúvida era a que mais havia sofrido, e ele? Bom, ele havia sido o idiota que perdera a melhor pessoa que conheceria em sua vida...

— Achamos vocês! — A voz alteada de Sakura irrompe o cubículo, abrindo a porta para ela e Naruto. — Hina preciso de você e... — Ela trava ao notar o clima pesado no local — O que houve aqui?

— Não foi nada Sakura. Apenas resolvemos algo que o capitão Uchiha queria esclarecer, mas já está tudo certo agora. — Diz ela, pegando na mão da amiga e exibindo um sorriso triste. — Vamos, vou ajuda-la no que precisar. Com licença, rapazes.

Sem dar oportunidade para que nenhum deles a impedisse, Hinata saiu arrastando Sakura consigo para fora da enfermaria. Seus olhos ardiam pelo choro contido, seu coração estava em pedacinhos e tudo dentro parecia estar quebrado depois das últimas palavras de Sasuke. Os olhos negros insistiam em mostrar a verdade, no entanto ele havia a traído. E mais do que apenas isso, ele havia começado um namoro com aquela que os separam, como se fosse para humilhá-la mais.

Não, ele nunca saberia e não entenderia seus motivos e ela também nem esperava por isso, ele era orgulhoso demais para aceitar que ela não o perdoaria por aquilo. O conhecia tão bem que não tinha dúvidas que naquele momento ele estava tão arrasado quanto ela, mas ela não podia fazer nada para mudar aquilo. A história deles havia passado a um bom tempo e aquela conversa foi o ponto final.

— Sabe que não tem que segurar suas lágrimas comigo, não é?

A voz de Sakura parecia estranha quando soava em tom baixo, porém foi o suficiente para fazer com que a Hyuuga finalmente parasse de correr pelos corredores como uma locomotiva a todo vapor. A rosada mudou a posição das mãos e olhou bem nos olhos da morena, sabendo que ela sofria muito por debaixo da máscara com sorriso falso em seu rosto.

— Se doí apenas deixe sair. — Ela abraça forte a amiga, deixando que ela chorasse em seu ombro. — Prometo que no fim desse dia estará muito feliz! — A Haruno afaga os cabelos azulados da Hyuuga tentando consola lá ao menos um pouco.

— Obrigada por sempre estar do meu lado, Sakura. — Hinata balbuciou em meio às lágrimas, escondendo o rosto na curva da do pescoço da outra. — Mas não acredito que algo melhore meu dia agora...

-x-x-x-

— Não foi bom não é — Indagou Naruto, escorando na porta.

Ainda absorto com toda aquela situação, Sasuke suspirou pesadamente tentando se recompor. Por mais que sua vontade fosse de correr atrás de Hinata e implorar como um garotinho mimado, ele compreendia que aquilo era o final da história que ele mesmo escreveu. O seu orgulho e o seu egoísmo foram os protagonistas da sua separação, a mágoa e o rancor falaram muito mais alto do que o amor que sempre sentiu – e sentiria – pela Hyuuga. Essa era a verdade e não havia nada que poderia muda-la.

— Não, não foi — Ele se virando para o amigo, mascarando a dor que sentia naquele momento. — Na verdade foi bem pior do que eu imaginei que poderia ser...

— Sei que nada vai te alegrar agora e que vai me achar um idiota em dizer isso, mas garanto que vou ser o padrinho do casamento de vocês e não ouse dizer que não. — O Uzumaki sorri fraco tentando inutilmente arrancar um mínimo sorriso do moreno.

— Está viajando mais do que o normal, Naruto. — Ele caminha apressadamente para fora da sala, sem dar espaço para o loiro o encarar. —Hinata não me perdoou, não estamos juntos e no momento não existe nenhuma possibilidade de que eu case. — Ele só queria ficar sozinho porém não tinha dúvidas que o outro não permitiria isso.

Sem esperar um convite, Naruto saiu atrás de seu capitão, fechando a enfermaria atrás de si. O loiro sabia que ele não ficaria bem aquele dia, que ele não jogaria direito e que não seria capaz de comemorar nem ao menos a vitória, caso ela fosse deles e do time. Sasuke sempre foi assim: guardando tudo para si, sempre se mostrando forte e integro quando tudo dentro de si estava em pedaços. Conhecia aquele moreno bem o suficiente para saber que naquele momento ele só queria ir para casa e ficar sozinho.

— Ok, não vamos falar de casamento ainda. — O loiro passa um dos braços no pescoço do Uchiha o fazendo caminhar um pouco mais devagar — Mas antes de fazer qualquer besteira, deixa eu te contar uma coisinha interessante que a minha rosinha ouviu hoje. Primeiramente mantenha a calma e acredite nós já temos um plano — Ele suspira antes de continuar. — A dois anos atrás nós estávamos jogando na quadra como quem não queria nada, você estava feliz com seu namoro e eu contente por que Sakura tinha aceito sair comigo

— Me lembro muito bem desse dia Naruto, me conte algo que eu ainda não sei... — Sasuke o interrompe impaciente.

— Você me disse que só veria a Hina no fim da noite porque ela estava muito atarefada com o festival, lembra? — Pergunta ele notando a confusão no rosto do moreno. — Bom, se foi assim mesmo, então me diga: porque a presidente simplesmente deixou de falar com você logo depois disso? Por que ela simplesmente se afastou como se você fosse tóxico?

— Agora sei que ela viu a Tayuya me beijando na quadra. — Sasuke confessou, virando o rosto para o lado. — Ela apareceu do nada, dizendo que precisava falar desesperadoramente comigo e então me agarrou e me beijou quando ninguém estava no local, ou pelo menos foi o que eu pensei.

— Oh, certo. Isso já explica alguma coisa... — Naruto continuou, como se fosse um investigador policial. — Mas você nunca se perguntou o porque a Tayuya simplesmente se jogou em cima de você sem mais nem menos? Ou, nunca se perguntou como que as coisas foram terminar daquele jeito?

— Não sou estúpido, é claro que me perguntei! Não sei que diferença isso faria agora. — O Uchiha para de caminhar e mira o amigo desconfiado — Espera... Você está insinuando que...

— Não, eu não estou insinuando, estou confirmando o que está pensando! — Naruto sorri ao notar a expressão de espanto no rosto do moreno, sabia que não precisaria de muito para Sasuke entender onde ele queria chegar. — Sim, a miss popularidade armou para separar vocês. Mas ela não estava sozinha na jogada. Ao que parece, a armação toda foi planejada por um outro cara. — Diz ele com um tom convencido por saber mais do que o amigo uma vez na vida.

Sasuke fechou as mãos em punhos duros como aço. De fato, sempre achou a atitude da ruiva muito suspeita para quem alegava estar realmente apaixonada. O namoro dos dois sempre foi mais por conveniência do que qualquer outra coisa. Era conveniente para Tayuya namorar o capitão do time de basquete para aumentar ainda mais o seu status no colégio, e foi conveniente para o Uchiha apenas para tratar seu ego ferido com doses homeopáticas de falsa superação.

Agora, saber que outro alguém usou desse tipo de estratégia baixa para afastar a única garota que sempre amou o fez sentir-se à beira de um ataque de fúria. Dando um soco na parede ao lado, Sasuke tentava se contar. Suas veias saltavam em seu rosto vermelho, sua respiração era pesada e um ódio sobrenatural crescia um pouco mais a cada segundo dentro de si. 

— Diga o nome. Agora. — A voz assustadoramente controlada fez com que o loiro se arrepiasse. — Quem foi?

— Se você está pensando em Otsutsuki Toneri, acabou de ganhar a partida. — Naruto o respondeu, cruzando os braços em frente ao peito.

— Eu juro que vou quebrar cada osso daquele infeliz! — Diz ele irado.

— Eu adoraria te ajudar com esse plano, mas eu e minha rosinha arranjamos um ainda melhor! Prometo que vai poder socar a cara daquele verme, mas o que me diz de ter sua presidente de volta antes disso tudo? — Pergunta ele sorrindo largamente para o moreno irritado a sua frente.

— Eu adoraria, mas ela não confia mais em mim Naruto. — Sasuke abaixa a cabeça ao se acalmar um pouco — Nem sei se ela acreditaria nessa história, e mesmo que acredite quem garante que vai querer voltar pra mim? — Odiava parecer fraco, odiava demonstrar seus sentimentos, mas naquele momento era quase impossível não ser transparente.

— Você sabe melhor do que ninguém que ela tem um grande coração! — O Uzumaki lhe sorri cumplice. — O que é mais importante do que o amor que sentem em pelo outro? Não deixe a garota que ama escapar outra vez!

Sasuke se surpreendeu com a atitude do loiro. No entanto, sorriu de canto: realmente, tanto ele quanto Hinata tinham os dois melhores amigos do mundo! Naruto tinha razão: ele amava aquela Hyuuga e se existia alguém naquele mundo que valia apena lutar esse alguém era ela. E se fosse rejeitado uma outra vez que mal teria? Por ela sempre valia apena lutar...

— Ok, você venceu. Qual é o plano? — Ele pergunta após se recompor.

— Esse é o espírito! — Naruto volta a abraça-lo pelos ombros. — Vamos pra quadra. Te explico tudo no caminho!

-x-x-x-

Chorar havia sido de fato um alivio para Hinata. Por tudo o que aquele dia representava pra ela para fora era um tremendo desafogo, e Sakura era de fato a melhor amiga que alguém poderia ter. Porém, a rosada insistia em tentar anima lá: repetindo incansáveis vezes que até o fim daquele dia ela iria sorrir o sorriso mais feliz e verdadeiro do ano inteiro. Pena que a Hyuuga não acreditava nem um pouco naquilo. Para tentar dissuadi-la da ideia, pediu a ajuda da amiga para terminar os preparativos do festival, e é claro que a Haruno só permitiu que ela fizesse algo depois de uma boa refeição.

Faltava pouco para o início do jogo de basquete e Sakura insistia que a presidente tinha que comparecer. A Haruno havia se esforçado três vezes mais do que o normal para ajudar Hinata com tudo e, para que a amiga não desconfiasse, se manteve calada sobre sua descoberta. Como boa amiga a Hyuuga apenas aceitou comparecer ao jogo. Afinal, mesmo que tudo o que menos quisesse era ver Sasuke, ainda sim iria prestigiar o amigo loiro juntamente com sua melhor amiga.

Estava terminando de organizar as lembrancinhas na mesa perto do portão principal do colégio, quando escutou alguém chamá-la.

— Finalmente encontrei você! — O Ootsutsuki se aproxima com um largo sorriso. — Pronta para o nosso passeio? Espero que não se incomode de passar um tempo comigo.

— O...Olá Toneri — Diz ela constrangida por esquecer do albino. — Hm, bem... Na verdade, eu...

— Sinto muito atrapalhar seu passeio, Toneri, mas eu e a Hina temos um assunto a tratar. — A rosada os interrompe. Havia visto o desgraçado de longe e não deixaria de forma alguma que ele atrapalhasse ainda mais.

— Não vejo problema em esperar um pouco... — Ele a responde com um olhar enigmático, depois sorrindo para a morena. — Afinal de contas ela prometeu que daríamos uma volta...

— Ahã... Que tal se você fosse buscá-la na quadra, depois do jogo? — Sakura sorriu irônica, pegando a mão da amiga e a arrastando o mais rápido possível dali. — Vamos Hina, antes que atrasemos ainda mais nossas tarefas. Tchau, tchau!

Toneri não conseguiu nem ao menos responder, pois quando viu as duas já estavam longe de si. Irritado com a intromissão da rosada, pôs-se a mandar uma mensagem para Tayuya, explicando o novo plano. Ele iria buscar Hinata e a ruiva teria de se encarregar do Uchiha babaca. Sorrindo para si mesmo, o albino começou a contar sua vitória antes do tempo.

Enquanto isso, depois de se sentir como se tivesse corrido uma maratona pela segunda vez, Hinata e Sakura pararam apenas quando já estavam de volta ao corredor do colégio, respirando pesado pelo esforço.

— Agora... Será que pode me explicar o que foi isso, Sakura? — Pergunta ela com um tom sério. — E, afinal de contas, por que está insistindo tanto para que eu veja o jogo?

— Pode acreditar que vai me agradecer por manter esse idiota longe de você — Diz ela, encarando a amiga com seriedade. — Hina, você confia em mim, não é? Acredita que eu sempre vou querer o seu bem e que, independente de tudo, eu sempre vou estar do seu lado?

— Sim, eu sempre confiarei em você, Sakura! — A Hyuuga sorri brincalhona, mesmo sem entender a atitude da outra. — E mesmo que seja bem louca e um tanto desbocada...

— Ok, então vamos para a quadra. E lembre-se de me agradecer muito no fim dessa noite! — Ela ignora totalmente a brincadeira e volta a caminhar em direção a quadra.

Suspirando profundamente, Hinata balançou a cabeça e decidiu seguir a amiga como se estivesse indo para a guilhotina. Seu coração traiçoeiro estava apreensivo e ansioso para ver o último jogo do grande capitão Sasuke Uchiha, mesmo que aquilo a fizesse sangrar por dentro. Ao chegarem no local, a escola em peso estava lá, junto com alguns alunos do colégio adversário e todo o corpo docente. Não foi difícil achar o seu lado, pois a cor de Konoha, o vermelho, imperava sobre o time de branco.

— Ei rosinha, presidente! — O loiro acenava freneticamente para as duas chamando atenção do moreno um pouco mais afastado

Seus olhos se encontraram mais uma vez. Hinata não escondia seu desgosto e tristeza, enquanto apertava firmemente a mão da amiga ao seu lado. Por outro lado, Sasuke a mirava com intensidade, enxergava com perfeição o que ela sentia e se culpava internamente por causar tanta dor a sua pequena presidente. Porém, antes que pudesse pensar em qualquer coisa, o juiz convocou os dois times para iniciar a partida. Era chegada a hora!

Assim que os dois times entraram em quadra o Uchiha tratou de se apresentar junto ao líder do outro time para ver quem conseguia pegar a bola primeiro. O juiz explicou as regras rapidamente, conferiu se os dois entenderam tudo, apitou e jogou a bola para cima. Sasuke saltou com mais vigor do que em toda a sua vida, alcançando a bola primeiro e cortando-a para o chão. Naruto estava ao seu lado e interceptou a bola, logo batendo-a na quadra e depois lançando para outro colega. Eles tinham que vencer aquele jogo, custe o que custasse!

A quadra toda irrompeu em gritos e brados, cada escola torcendo pelo seu time com garra. Hinata não conseguia gritar por ele, mas em seu coração torcia com fervor para que ele saísse vitorioso outra vez. Não muito longe dali, Toneri a observava com anseio. Desejava que aqueles olhos o mirassem com tanto desejo e paixão como a via fazer para o Uchiha, e aquilo fazia a semente da inveja crescer ainda mais dentro de si.

O jogo foi muito disputado por ambos os times, porém Sasuke estava muito mais centrado do que em qualquer outro jogo. Seus companheiros de time sentiam sua energia forte e foram cada vez mais motivados para vencer. Até o momento em que um jogador do time rival cometeu uma falta brusca, lesionando um dos colegas do time de Konoha. Não teriam tempo para fazer uma substituição, então só restava cobrar a falta e esperar que a cesta da vitória garantisse os pontos finais.

O Uchiha foi a decisão unânime do time para lançar, pois aquela era a sua especialidade. Todos ficaram ao redor da cesta e esperaram pacientemente pelo momento certo. Discretamente, Sasuke olhou na direção onde estava Hinata, como quem busca uma última inspiração. Nos olhos cinzentos ele encontrou o amor e o apoio que sempre seria só dele e, com isso em mente, lançou a bola diretamente na cesta, ganhando os últimos três pontos que o seu time precisava para ganhar.

O colégio todo berrou com a vitória de Konoha pelo terceiro ano consecutivo. O time inteiro se abraçou e logo os professores vieram entregar a taça para eles, junto com o narrador do colégio que sempre pedia que Sasuke fizesse um discurso para encerrar o jogo. Aquele era o momento em que o plano de Naruto e Sakura se iniciava. Ao ver o moreno tomar o microfone das mãos do narrador, a rosada apenas tratou de arrastar rapidamente a amiga até a beirada da quadra, e não podia deixar de admirar a coragem e a confiança que via nos olhos negros naquele momento. E assim, ele começou.

— Antes de comemorarmos a nossa vitória, hoje eu tenho algo para dividir com todos vocês. — Sasuke começou a dizer, fazendo um sinal para que Naruto segurasse a taça em seu lugar. — Há quase dois anos e meio eu me apaixonei por uma garota incrível. Eu a vi no meu primeiro dia e foi incrível a forma que ela brilhava no meio dos outros alunos. — Sua voz saíra falha e vacilante, toda a tenção da quadra lotada foi voltada a si e um grande constrangimento o invadiu. — Ela é tão incrível que conquistou toda a escola, e de uma forma cativante vem cuidando de tudo e de todos. Eu nunca poderia sentir tanto orgulho e amor por uma pessoa que não fosse ela. — Sasuke mordeu o lábio receoso e voltou seus olhos para a morena espantada no começo da arquibancada. — Ela é a melhor pessoa que já conheci, é tão pura e gentil que me pergunto se ela é mesmo humana. E me pergunto também como pude ser tão idiota ao ponto de deixa-la livre...

Num primeiro momento, todos estavam pensando que aquilo era apenas uma declaração de amor de Sasuke para Tayuya – que sorria afetada para suas colegas de sala. Ao pronunciar a última frase, o sorriso da ruiva morreu e Hinata começou a corar instintivamente. Agora ela sabia que aquilo tudo era direcionado a si e não sabia muito bem como devia se sentir. Medo, vergonha e até um pouco de raiva se misturavam dentro de si. Ele realmente iria continuar com aquilo?

— Não que eu tenha culpa pelo que nos separou, mas tive culpa de ser orgulhoso demais e de permitir que ela nunca tivesse me ouvido. — Ele respira profundamente criando coragem para prosseguir. — Hinata, a nossa presidente do conselho estudantil, foi minha namorada e me fez mais feliz em quatro meses do que fui em toda minha vida. Ela me deu motivos para sorrir e para ser uma pessoa mais sociável do que eu costumava ser... — Todos na quadra soltaram suas exclamações e começaram o burburinho. — Mas eu fui ingênuo ao não notar as cobras traiçoeiras nos cercando. E então, há exatamente dois anos eu a perdi. Ela se manteve longe e simplesmente me apagou de sua vida. E eu nunca senti tanta dor como sinto quando a vejo tão distante de mim.

Todos na quadra estavam abismados demais com o relato do intrépido capitão do time de basquete. Aquilo que mais parecia ser uma história de novela mexicana acabou se confirmando totalmente quando viram Hinata abaixar a cabeça e esconder o rosto com as mãos, chorando baixinho ao ser aparada pela amiga de cabelos rosa.

 — Sim, eu fui um tremendo idiota. Fui idiota por não ter percebido antes que alguém a queria tanto quanto eu e fui descuidado e presunçoso em não pensar que alguém poderia tira-la de mim. — Nesse momento, seus olhos focalizaram diretamente em um Toneri que estava espantado demais por ter sido desmascarado. — Eu também tive muita culpa e provoquei ainda mais nossa distancia, ficando com aquela que causou nosso término. E eu nunca vou me perdoar por ter ficado tanto tempo com uma pessoa tão desprezível. — Sasuke continuou seu relato, mirando Tayuya pela primeira vez desde que entrara em quadra. — Mas isso termina aqui e termina agora. E se você for homem o suficiente para tentar tirá-la de mim outra vez, Ootsutsuki Toneri, é melhor começar dizendo a verdade!

— Toneri...? — Hinata perguntou, visivelmente confusa. — O que significa isso?

Naquele momento, várias pessoas que conheciam o albino voltaram seu olhar para ele diante do desafio. Os olhos azuis do Ootsutsuki faiscaram de raiva, ainda mais ao ver que Hinata o mirava completamente em dúvida.

— Você não a merece, Uchiha! Nem nunca mereceu! — Toneri bradou, deixando completamente de lado a sua máscara de bom moço. — Você não passa de um verme que se acha o maioral só por ser o líder de um timeco de basquete. — Um sorriso malicioso se formou no rosto pálido. — Acha que vai acabar tudo bem só porque você decidiu contar tudo isso na frente do colégio inteiro? Será mesmo que isso apaga as dores que você causou à nossa amada presidente? Quem não é homem de verdade aqui é...

O albino não teve tempo para terminar a frase, Sasuke havia disparado em sua direção e o acertado em cheio com um belo soco no olho o fazendo cambalear para trás. Com agilidade o atingiu com um chute no estomago o fazendo cair no chão e segurou firmemente a gola da blusa mirando com fúria os olhos azulados a sua frente antes de socá-lo mais duas vezes. Foi preciso que três professores fortes o contivessem antes que as coisas ficassem ainda piores.

— Se aproxime dela outra vez e eu vou garantir que passe uns bons dias internado. — Os olhos de Sasuke tinham um brilho carmim, suas veias alteradas e sua respiração ofegante demonstrava o quão irritado ele estava. — Não me faça repetir isso, Toneri, ou a surra que vai levar te deixara com graves sequelas.

— Isso só mostra o quão bruto e animalesco você é! — O Ootsutsuki rebateu, limpando o filete de sangue que escoria de sua boca. — Agora a Hinata vai ter todas as provas de que você é realmente o pior cara do colégio!

— Já chega, vocês dois! — Bradou a diretora do colégio, completamente enraivecida. — Vocês dois vão para a diretoria agora mesmo!

Sem pestanejar, Sasuke concordou em acompanhar a diretora e os outros professores até a diretoria. Provavelmente os seus pais seriam chamados no colégio e ele seria expulso. No fundo, nada daquilo realmente importava, pois as palavras do seu inimigo ainda pesavam em sua consciência: agora ele tinha mostrado a todos, e principalmente à Hinata, o quão agressivo poderia ser. Por amor, ele foi até as últimas consequências

-x-x-x-

Enquanto foi orientado a aguardar na recepção da diretoria, Sasuke ainda pensava em tudo o que havia acontecido. Aquele que era para ser apenas mais um dia de eventos e vitória agora lhe soava mais diferente do que tudo. O saldo positivo era o de finalmente ter descoberto toda a verdade e ter acertado bem aquele desgraçado que arruinou seu relacionamento. Por outro lado, a pergunta que ainda restava era: e o que ele faria agora?

E, como se fosse a resposta para todas as suas perguntas, Hinata apareceu na sala, surpreendendo-o por procura-lo sozinho. Por conta de sua extrema habilidade para resolver as coisas, a diretora pediu para que a morena conversasse com o Uchiha para tentar resolver as coisas de um modo mais pacífico.

— Surpreso em me ver? — Ela perguntou, vendo-o menear a cabeça positivamente. — Bem, devo dizer que protagonizou um show e tanto, capitão.

— Me desculpe por isso, mas eu não vi outra forma de te fazer me ouvir. Sei que não entendeu muito bem o que aconteceu, mas eu preciso saber: em algum momento você acreditou em mim? — Ele pergunta ignorando totalmente a vontade de abraça-la. — Em algum momento passou pela sua cabeça que eu não seria capaz de fazer aquilo com você?

— Todos os dias eu me perguntava se você ainda era o Sasuke que eu conheci. Me perguntava o que havia acontecido ou o que eu havia feito de errado para você me trocar daquela forma e nenhuma resposta me vinha a mente — Hinata o responde, baixando a cabeça. — Agora, as coisas parecem um pouco menos confusas, mas ainda assim...

— O que te levou a quadra naquele dia? — Sasuke se aproxima um pouco mais. — Tínhamos marcado de sair aquela noite. Eu nunca soube que você esteve lá na quadra quando Tayuya apareceu e fiquei irado por simplesmente não ter aparecido no nosso encontro.

— Toneri me disse que estava com problemas com o time e eu fui correndo pra tentar te ajudar de alguma forma, mas... — Ela suspira pesadamente — Eu vi vocês dois juntos e bem... Você já sabe o que veio depois.

— Tayuya apareceu do nada na quadra, toda desesperada dizendo que precisava falar comigo. Ela disse que me amava e me beijou, eu não tive nem tempo de entender o que estava acontecendo... E depois você começou a me ignorar completamente, até finalmente dizer que apenas não queria mais namorar comigo, sem me explicar nada. — Ele cerra o punho irritado, um suspiro carregado de rancor saiu de seus lábios — E então eu fiz mais uma das minhas grandes burrices. Eu estava com tanta raiva de você por não ter acreditado em mim, por não ter me dado a chance de te explicar o que havia acontecido. — Ele baixa a cabeça um tanto constrangido com seus atos. Havia um peso enorme em suas costas, um aperto sôfrego em seu peito e ele sabia que tudo aquilo, toda aquela angustia que sentia era culpa sua. — E Tayuya estava lá: enchendo minha cabeça, dizendo que você nunca havia confiado em mim, que nunca havia me amado da forma como eu te amava.

Sem conter as lagrimas, Hinata procurou pelos olhos negros. Ela não era a única a ter magoas, não era a única que havia sentido toda aquela dor, e sabia o quão doloroso havia sido para ele não ter sua confiança quando ele não tinha culpa de nada. Um silencio desconfortável tomou conta do local. Sasuke se mantinha de cabeça baixa, tentando a todo custo manter a pose e não fazer mais besteiras do que já havia feito todos aqueles anos. Não sabia o que dizer, não sabia como agir e muito menos como a encararia outra vez.

— Bom... Eu só queria que soubesse a verdade... — Ele suspira profundamente criando coragem para prosseguir — Que ouvisse meu pedido de desculpas e que entendesse um pouco meu lado. — Seu coração apertado era sufocante, as palavras mal saiam de sua boca e ele precisava de pausas para encontrar palavras que fizessem sentindo. — Realmente sinto muito, Hime. Eu... Eu ainda amo você...

Olhava no fundo dos olhos negros, via arrependimento estampado em seu rosto, sentia aquele aperto sufocante como ele, e um pequeno alivio por coloca, tudo aquilo para fora. Suas lagrimas desciam sem seu consentimento, sua respiração era irregular e toda aquela magoa parecia sair de seu corpo juntamente com seu choro.

— Eu desculpo você, Sasuke... — Ela sussurra, abrindo um pequeno sorriso. — Por ter sido enganado como eu e por ter sido um idiota... Eu também te amo.

Fechou os olhos com o toque calmo em suas bochechas lhe enxugando as lagrimas de forma calorosa, sentiu a respiração quente e irregular tocar seu rosto. E era tudo exatamente como ela se lembrava. Era mesma calmaria seguida de um furação, eram os mesmo lábio gelados e macios que invadiam seu sono vez ou outra, era o mesmo Sasuke que roubou-lhe completamente a dois anos atrás.

O gosto refrescante se misturava com suas lagrimas, o toque delicado e carinho em suas bochechas, o corpo grande e forte colado ao seu, e aquele sentimento flamejante. Sasuke sempre tivera o dom de deixa lá desnorteada, de inebria lá com pouco e de fazer com que ela fosse para outra dimensão, era exatamente como a dois anos atrás.

— Eu amo tanto você! Amo tanto o presente que é amar você... — Seus lábios se mantinham próximos aos dela, uma euforia explodia dentro de si como fogos de artificio, e todo aquele gelo que cobria seu coração fora aquecido pelos lábios doces de sua presidente — Por favor não me afaste mais de sua vida.

— Eu não vou, apenas prometa que nunca mais permitirá que algo assim aconteça, prometa que não vai permitir que ninguém nos afaste outra vez — Seus olhos brilhavam e suas bochechas queimavam, sorria feliz.

— Sim, eu prometo! — Seus lábios foram de encontro aos dela mais uma vez.

Dessa vez a urgência falara mais alto que seu controle, a saudade que sentia precisava ser compensada de alguma forma e naquele momento os lábios dela eram o suficiente para isso. Colara seus corpos ficando entre as pernas grosas apertando sem pudor a cintura dela, era desesperador a forma que necessitava de mais. Os braços pequenos o abraçavam com força, enquanto as mãos cuidavam de acariciar sua nuca.

Sasuke pressionava o corpo pequeno contra parede enquanto se deliciava com os lábios doce de sua namorada. Seu corpo estava tão quente quanto o dela, todos seus sentindo aflorado e aqueles fogos em seu estômago. Tudo com ela era assim, uma explosão colorida e flamejante. Era como os livros clichês que ela adorava ler para ele antigamente, mas ele não podia negar, todas aquelas sensações típicas de livros eram reais.

— Você realmente não tem jeito... — Ela faz sinal de negação com a cabeça sorrindo fraco.

— Não tenho, e você me ama mesmo assim. — Ele sorriu em resposta.

— Sim, eu amo!

Era fascinante a forma que se sentia perto dele. Era como se aquele tempo em que estiveram separados não houvesse existido! Ele parecia lhe completar sem precisar fazer absolutamente nada, ela era feliz apenas por o ter por perto. Sakura tinha mesmo razão em dizer que ela daria o sorriso mais feliz e sincero aquela noite, ela não tinha palavras para dizer o quão, grata e feliz estava naquele momento.

— E eu amo você. — Ele confirmou, antes de beijá-la outra vez.

Os olhos cinzentos eram mais brilhantes do que a lua que iluminava aquela noite refrescante. Ela sorri alegre e aquele era o sorriso mais encantador, e ele não conseguia pensar em um único ponto que ele não amasse nela. Ela era perfeita em todos os sentidos possíveis e ele não poderia ser mais grato por poder tê-la outra vez em seus braços.

 


Notas Finais


Antes de mais nada gostaria mais uma vez de agradecer a Sensei Are pela ajuda, ela foi um amor, e me ajudou de bom grado sem nem me conhecer...

Bom o a fic é para um evento desse grupo maravilhoso: https://www.facebook.com/groups/CurtidoresSHBR/
Link da imagem sorteada: https://rocz.deviantart.com/art/SasuHina-KNB-Style-SasuHina-Month-392493609

Espero que tenham gostado, confesso que fiquei bem empacada com a fic por não ter noção de como escrever algo relacionado ao colegial, mas a fic saiu.

Bjooos amores, e até uma próxima...

PS - A Sinopse é uma musica que eu amo muito do TVXQ / DBSG - Love in the ice.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...