História Love is a Risk - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 11
Palavras 3.439
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Nova Rotina


Fanfic / Fanfiction Love is a Risk - Capítulo 1 - Nova Rotina

Havíamos acabado de nos mudar, foi uma viagem cansativa de Londres até Boston, eu não queria me mudar, mas era necessário, só nos mudamos por causa do trabalho do meu pai, minha mãe e minha irmãzinha pareciam ansiosas, acho que eu era o único que não estava me sentindo bem com essa mudança toda.

- Will, me ajude com essas caixas.

- Estou indo pai. - Fui até ele e o mesmo me entregou várias caixas pesadas, empilhando-as uma em cima da outra. - Mais alguma coisa?

- Não, é só isso, entregue para sua mãe, ela já está lá em cima com Layla.

- Está bem. - Eu me virei e comecei a andar em direção ao prédio quando meu pai me chamou novamente. - O que foi pai?

- Você lembra o número do apartamento e o andar né?

- Último andar apartamento 724 D. - Ele sorriu.

- Vá logo, e obrigado Will.

- Por nada pai.

Eu subi pelo elevador e apertei os números do andar com o pé, era o vigésimo andar, ouvi um chiado e uma voz de uma mulher começou a falar comigo, provavelmente era a porteira do prédio falando pelo auto-falante.

- Quantas caixas! Por que não pediu ajuda Jovem?

- Eu me viro, obrigado.

- Gostei do seu cabelo comprido. - Olhei para a câmera do elevador e sorri levemente.

- Gostei da sua voz. - Ela riu e a porta se abriu.

- Will Wil Will! - Layla veio correndo em minha direção com um sorriso no rosto, coloquei as caixas no chão e ela pulou no meu pescoço.

- O que foi Lala?

- Vem ver seu quarto! Vem, vem, vem! - Ela me soltou e ficou pulando perto da porta apontando para dentro, peguei as caixas novamentes e entrei.

- Deixe as caixas aí mesmo Will. - Layla correu pelo corredor entrando em um dos quartos. - Vai logo ver o seu quarto, ou sua irmã vai pirar. - Eu ri baixinho.

- Está bem…

- Obrigada meu lindo! - Minha mãe me deu um beijo na bochecha e me ajudou a colocar as caixas no chão.

- De nada.

- Will! Vem logo, vem! - Layla gritou de um dos quartos.

- Estou indo Lala, estou indo… - Minha mãe riu e eu fui até o quarto que estava com a porta aberta, era a penúltima porta à direita.

- Olha que lindo Will!!! - Ela estava rodopiando no meio do quarto.

- Uau!

O quarto tinha novos móveis, o armário era branco com alguns detalhes pretos e um espelho de corpo inteiro nas duas portas do meio, debaixo da janela ficava minha cama bem organizada com colchas em vários tipos de azuis, minha mesa e minha cômoda ficavam do outro lado, também organizados com minhas coisas.

- Você gostou Will??

- Eu adorei Lala! - Eu a peguei pela cintura girando ela junto comigo. - Você que fez tudo isso?!

- Não! Mamãe me ajudou!

- Parabéns! Ficou lindo!

- Olha a janela! Olha a vista! - Eu a soltei e fui até a janela subindo em cima da cama. - Tem vista para o mar, e lá no fundo dá para ver outras casas e prédios!

- É uma bela vista!

- Toma! - Eu olhei para ela, a mesma segurava uma caixa grande, minha mãe e o meu pai estavam na porta do meu quarto.

- O que é isso?

- É surpresa! Abra! - Disse Layla com um sorriso enorme.

- Está bem… - Eu peguei a caixa e comecei a abrir.

- O seu havia quebrado… E você não queria se mudar pra cá, pensamos que isso poderia te deixar mais feliz. - Disse minha mãe.

- Pelo menos você poderá se distrair quando quiser. - Disse meu pai.

- Você vai gostar Will! - Dentro da caixa grande, havia uma capa de violão, eu olhei para os três que tinham um sorriso no rosto e sorri de volta.

- Não acredito que vocês fizeram isso… - Abri a capa e encontrei um violão Folk dá melhor qualidade que eu já havia visto. - É lindo! Obrigado! - Layla pulou em cima de mim e me abraçou, eu também a abracei com força.

- Você é muito especial pra gente Will! Nós te amamos! - Disse ela.

- Obrigado, eu também amo todos vocês! - Peguei ela no colo deixando o violão de lado e fui até meus pais, ambos me abraçaram.

- Não queríamos que você se sentisse mal…

- E agora você está longe de seus amigos e da sua namorada, então…

- Mãe, pai, obrigado, vocês não precisavam se preocupar assim, ainda tenho contato com eles, e poderei ver a Mileena em breve, sem contar às chamadas de vídeo pelo Facebook ou pelo Skype. - Eles riram.

- Está bem Will… Agora vá descansar, você não dormiu a viagem toda, deve estar cansado. - Minha mãe pegou Layla do meu colo e a levou.

- Descanse mesmo, amanhã sua nova rotina começa filhão!

- Está bem. - Meu pai saiu fechando a porta atrás de si. - Preciso de um banho! - Peguei uma roupa mais confortável e fui para o banheiro, na última porta do corredor, praticamente ao lado do meu quarto. - Isso vai dar merda… - Revirei os olhos e entrei trancando a porta.

Coloquei minhas roupas em cima da pia, e às sujas joguei no chão mesmo, tomei um banho rápido e saí terminando de colocar minha camisa e amarrando a cordinha da minha calça de moletom, minha mãe estava com Layla no colo e me olhou rindo.

- Cadê suas roupas sujas?!

- Já vou pegar mãe… - Disse sentindo minhas bochechas queimarem.

Voltei para o banheiro e peguei as roupas sujas, coloquei dentro da máquina, passei rapidamente no quarto de Layla e dei um beijo leve em sua testa para não acordá-la e voltei para o quarto, fechando a porta. Peguei o celular e respondi algumas mensagens de Mileena, disse que já havíamos chegado e que ia descansar, pois não tinha nem pregado os olhos, e finalmente deitei na minha cama, o corpo estava pesado e dormi assim mesmo.

Acordei com a boca seca, me levantei sonolento e me espantei ao ver que já estava de noite, peguei o meu celular para ver as horas, já era 20:00 horas da noite, fui até a cozinha e encontrei minha mãe fazendo a janta.

- Boa noite Will.

- Boa noite mãe… - Bocejei. - Porque não me acordou?

- Você parecia muito cansado, estava dormindo que nem pedra, do mesmo jeito que você se jogou na cama, você dormiu… Não queria te acordar.

- Hum… Quer ajuda?

- Pode ir lavando a louça pra mim por favor?

- Sim. - Puxei as mangas da camisa para cima e comecei a lavar a louça.

- Você falou com a Mileena hoje?

- Sim.

- Ela perguntou alguma coisa?

- Se havíamos chegado bem, e eu disse que sim.

- Como você vai fazer para vê-la?

- Estou pensando em procurar um emprego, assim poderei pagar uma passagem de ida e volta para ela.

- Tem que ser um emprego bom então.

- Tenho tempo mãe, não se preocupe, quero fazer alguma coisa que eu gosto.

- Está bem, você que sabe. - Ela sorriu e colocou a lasanha no forno. - Só esperar ficar pronta agora. - Ela começou a secar e a guardar a louça limpa.

- Você está bem mãe?

- Sim, porque não estaria?!

- Ahh… Não sei… Cadê o pai?

- Foi na empresa nova, arrumar as coisas no novo escritório.

- Vocês estão bem?

- Sim… O que foi Will? Porque está me fazendo essas perguntas?

- Durante a viagem, Layla me disse que ouviu vocês brigando mais uma vez, e me perguntou porque vocês fazem isso… - Ela me olhou chocada e sem palavras. - Mãe…

- Sim?

- Vocês realmente brigaram?

- Ahh… Sim…

- Porque? - Terminei de lavar tudo e sequei as mãos esperando uma resposta.

- Seu pai anda um pouco estranho ultimamente… Comecei a perceber isso bem antes de nos mudarmos pra cá… - Ela abaixou a cabeça. - Sempre inventava alguma desculpa para sair de casa, para não ficar com nossa família, sempre achando algum jeito de escapar…

- Por isso ele era bem ausente… E você sempre dizia que ele estava trabalhando…

- Sim… Com essa mudança achei que isso poderia mudar…

- E não mudou?

- Sim, mudou, de fato, mas… Bem, vamos esperar…

- Se precisar de qualquer coisa, eu estou sempre aqui mãe. - Ela me abraçou com força.

- Vai acordar a Lala. - Eu sorri e fui até o quarto de Layla.

- Lala… Vamos acordar?! Já está na hora do jantar. - Eu comecei a cutucá-la.

- Eu não quero acordar… Tô com sono! - Comecei a fazer cócegas e ela começou a rir. - Está bem… Eu acordo… - Eu a ajudei a se levantar e nós fomos até a mesa.

- Está com fome Layla?! - Perguntou minha mãe.

- Sim! E com sono também!

- Você pode voltar a dormir depois que comer e tomar banho.

- Está bem! - Ela correu e se sentou em uma das cadeiras.

- Não vai me ajudar a pôr a mesa primeiro Lala?

- Vou sim! Tinha me esquecido! - Nós fomos até os armários, eu lhe entregava as coisas e ela colocava delicadamente em cima da mesa, posicionando tudo como em um restaurante chique.

- Que mesa bonita! - Nossa mãe colocou a lasanha em cima da mesa. - Estou em um restaurante hoje?!

- Está no mais chique dos Estados Unidos mamãe!

- Que honra! - As duas se sentaram e olharam para mim. - Não vai se sentar Will?

- Cadê o pai? - Layla observava nossa conversa com atenção.

- Disse que já está vindo… Que não precisamos esperar por ele… - Eu a olhei desconfiado.

- Me dá.

- Te dar o que?

- Seu celular, quero ver se foi isso mesmo que ele falou. - Ela me entregou o celular hesitante.

- Will… - Comecei a ler a conversa que ela teve com ele.

- Sabia… - Murmurei.

- O que foi Will? - Perguntou Layla.

- Papai não vem jantar hoje Lala… - Me sentei junto com elas e entreguei o celular para minha mãe. - Mas vamos aproveitar o nosso momento né?

- Sim… Eu acho… - Ela sorriu levemente e minha mãe me olhou com lágrimas nos olhos.

Durante o jantar fiquei pensando no meu pai, o que ele poderia estar fazendo? Não era só organizar o novo escritório? Nós não tínhamos feito um combinado de só começar a trabalhar e a estudar um dia depois da mudança? Meu pai havia deixado de ser um homem de honra, um homem de palavra, havia se tornado um vagabundo, tinha quase certeza que ele estava traindo minha mãe, mas iria investigar antes de tirar conclusões precipitadas.

Quando terminamos de comer, ajudei minha mãe a limpar a cozinha e fui para o meu quarto, arrumei minhas coisas para o dia seguinte e fiz Layla dormir contando algumas histórias de princesas, castelos e príncipes encantados.

- Boa noite Lala… - Dei um beijo na sua testa e sai em silêncio.

- Dormiu?!

- Como uma princesa. - Eu ri.

- Obrigada Will.

- De nada mãe. - Dei um beijo em seu rosto e voltei para o quarto. - É… Amanhã começa… - Deitei na cama, liguei a tv e adormeci acordando algumas vezes de madrugada.

- Will!!! Acorda!!! - Layla batia na porta. - Você vai se atrasar cabeçudo!!!

- Estou indo Lala… - Eu ri e me levantei.

- Não demora! O café está na mesa!

- Ok! - Me arrumei rapidamente, peguei minhas coisas e fui para a mesa.

- Bom dia Will! - Enfiei o pão na boca e tomei metade de um copo de suco de uma vez. - Calma, vai se engasgar assim!

- Bom dia mãe… É que estou com pressa!

- Não quer que eu te leve hoje?

- Não precisa, você vai acabar se atrasando, eu me viro. - Olhei para os lados. - O pai não chegou ainda?!

- Chegou tarde da noite, vou acordá-lo quando sair.

- Pode deixar, eu o acordo. - Me levantei relutante.

- Will! Peraí! - Fui até o quarto dos meus pais e abri a porta, peguei um travesseiro e joguei na cara do meu pai.

- Acorda!!! Quem mandou chegar tarde ontem?! Vai se atrasar! O café está na mesa!

- Mas o que é isso?!

- Vai! Levanta logo! Quer se atrasar no seu primeiro dia?! Quer dizer, segundo, você trabalhou ontem o dia todo…

- O que deu em você Will?

- Em mim?! O que deu em você!? Suas promessas não passam de palavras em vão! Tenho que ir, vou me atrasar… Tenha um bom dia! - Ele ficou me olhando de um jeito estranho, então sai fechando a porta com força atrás de mim. - Eu vou indo mãe… Não quero me atrasar…

- E-está bem… - Ela me olhava espantada.

- Tchau Will, até mais tarde! - Ela pulou no meu pescoço e me deu um beijo na bochecha.

- Até mais tarde Lala… - A abracei colocando-a no chão e beijei a testa da minha mãe. - Vou tentar não me atrasar para o almoço.

- Pegou suas chaves?!

- Peguei! - Corri descendo as escadas, peguei minha bicicleta e saí às pressas tentando encontrar um caminho curto.

Finalmente cheguei na escola, parei a bike trancando-a com o cadeado e entrei procurando pela sala 2C, quando encontrei olhei pela janelinha dando uma espiada, todos já estavam sentados, me assustei quando alguém apertou o meu ombro.

- Você deve ser o novo aluno, William Wolf… Estou certo? - Era uma mulher alta e morena, bem estilo Rihanna na minha opinião, ela usava um blazer e uma saia social, e é claro, salto alto.

- Sim, sou eu.

- Prazer, sou a diretora.

- Seu nome?

- Você não precisa saber o nome. - Ela sorriu e abriu a porta. - Professora, com licença… - Ela fez um gesto para que eu entrasse. - Bom dia à todos.

- Bom dia diretora Lara Petersson! - Ela abaixou a cabeça rindo.

- Ok, ok… Esse é o novo aluno William Wolf, espero que ele possa ser bem recebido… Professora Carmen, é por sua conta por enquanto.

- Pode deixar Sra. Petersson! - A diretora saiu. - William… - Eu a interrompi.

- Me chame de Will, por favor. - Sorri e ela continuou.

- Will… Pode se sentar. - Ela me mostrou um lugar vazio no fundo. - E agora todos peguem os livros… E para quem não me conhece, acho que é só o Will, eu sou a professora de matemática.

- Tenho a impressão que vamos nos entender muito bem professora… - Sorri e me sentei no canto da sala, no fundo, perto das janelas, e perto de algumas garotas.

- Você é bonito. - Disse uma garota.

- Obrigado.

- Tem namorada? - Perguntou outra.

- Sim.

- Sorte a dela… - Disse mais uma.

- É… Acho que sim…

- Parem de deixar ele desconfortável! Tenham modos meninas! - Disse mais uma garota que se sentava na minha frente. - Eu me chamo Kaala, e essas são minhas amigas nada agradáveis, Liviya, Allie e Moli.

- Prazer, podem me chamar de Will.

- O prazer é nosso, Will. - Elas sorriram.

- Ei fundão! - A professora nos encarou. - Peguem os livros, Will, você já tem os livros?

- Não senhora.

- Sente-se com Kaala por enquanto.

- Ok, obrigado. - Eu e Kaala nos ajeitamos e a professora começou a explicar a matéria.

O tempo passou rápido, logo três aulas já havia se passado, e chegou a hora do intervalo, às meninas me mostraram a escola inteira e ainda me apresentou para alguns garotos da nossa sala, voltamos para a sala algum tempo depois, com aula de filosofia, o professor tentava deixar os alunos confusos, mas eu não ficava, pelo contrário, sabia as respostas de todas as perguntas estranhas, o que pareceu deixá-lo irritado e curioso ao mesmo tempo.

- Você vai deixar ele louco se continuar assim. - Disse Kaala.

- É o meu jeito… Não gosto de ficar calado quando sei a resposta.

A aula finalmente terminou, fiquei mais um tempo conversando com as meninas e mais alguns rapazes, e depois voltei para casa, minha família já estava sentada à mesa, almoçando, e como o de costume, Layla pulou no meu pescoço para me receber, minha mãe sempre riu da minha reação e meu pai nem olhava na minha cara, principalmente depois de tudo que eu disse para ele.

- Desculpem o atraso… Conheci algumas pessoas e estava conversando com eles na saída.

- Não tem problema Will, você avisou… - Ela sorriu e fez um gesto para que eu me sentasse, Layla voltou a se sentar.

Nós almoçamos quase que em silêncio, menos quando minha mãe me perguntava alguma coisa sobre a nova escola e sobre meus amigos, Layla também falava sobre seu dia. Quando terminamos de comer, ajudei minha mãe na cozinha e entrei no facebook para falar com Mileena pela chamada de vídeo.

- Oiii! Estou com saudades Will…

- Também estou com saudades meu amor… Como você está?

- Ah… Estou caminhando aos poucos.

- Aconteceu alguma coisa?

- Meu pai saiu de casa depois que você se mudou…

- Sério?

- Disse que ia comprar cigarros…

- Mas ele não fuma…

- Por isso soube que ele não voltaria…

- Sinto muito.

- Não sinta, acho que minha mãe está bem melhor sem ele… E eu também. - Ela respirou fundo. - Mas então… Quando vamos nos ver de novo?!

- Vou arrumar um emprego antes, para poder pagar sua passagem de ida e de volta.

- Achei que você que viria pra cá, para rever seus amigos também.

- Não vai rolar… Sabe que não gosto de despedidas, me mudei sem deixar eles sabendo exatamente por causa disso, eles me xingaram muito quando ficaram sabendo, então para evitar mais despedidas melosas… É melhor que só você venha.

- Ainda acho que você deveria vir… Mas tudo bem!

- Mileena! Vem aqui preciso da sua ajuda! - Era a mãe dela.

- Já vou! Bem eu tenho que ir… Até amanhã, beijos!

- Até, manda um abraço para sua mãe.

- Pode deixar. - Ela sorriu e desligou.

Comecei a pesquisar na internet alguns lugares para trabalhar, e ia mandando o meu currículo para o e-mail do local, mandei em 17 lugares diferentes. Quando terminei, fiz algumas tarefas e comecei a escrever algumas músicas enquanto tocava o novo violão, Layla me ouviu tocar e ficou um tempo me observando.

- Que lindo Will.

- Gostou?!

- Sim! - Ela riu.

- Precisa de alguma coisa Lala?

- Preciso de ajuda com minha tarefa de matemática.

- Traga suas coisas aqui, vou te ajudar. - Ela sorriu e correu pegar as suas coisas, logo ela voltou com um caderno. - O que você está aprendendo?

- Contas de mais, menos, divisão e vezes.

- Ok… Deixe-me ver. - Eu a ajudei com as tarefas, ensinando ela a fazer as contas de uma maneira mais fácil, ela parecia gostar e aprendeu com facilidade.

- Você devia dar aula na minha sala! A professora explica de um jeito confuso e eu não entendi nada! Mas agora eu entendi! - Eu ri.

- Sempre pergunte pra ela outra maneira de fazer a conta.

- Vou me lembrar disso! Obrigada Will! - Ela me deu um beijo e saiu.

- De nada! - Disse gritando para que ela ouvisse, acho que ouviu, pois ouvi risadinhas.

No final do dia recebi alguns emails de alguns lugares que mandei o meu currículo, era 6 no total, me pedindo para marcar a entrevista, marquei 3 para um dia e 3 para outro, em horários diferentes. Ajudei minha mãe a fazer o jantar junto com Layla, meu pai havia chegado no horário dessa vez, quando terminamos de fazer tudo, já jantamos, dessa vez não foi tão constrangedor igual o almoço, nós rimos, todos juntos. A noite estava bem estrelada e quente, tomei um banho frio e já me deitei, Layla ficou comigo assistindo tv, e quando ela dormiu, coloquei ela na cama e fui dormir também.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...