História Love Is All You Need - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, F(x), Red Velvet
Personagens Chanyeol, D.O, Kai, Krystal Jung, Mark, Seulgi, Yeri
Tags Beatles Songs, Changui, Chanstal, Drama, Hetero, Kaisoo, Kaistal, Mark Alone, Romance, Seulri, Shortfic, Yaoi, Yuri
Visualizações 73
Palavras 3.483
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


1) Desculpem a demora;
2) Obrigada pelos comentários <3 ;
3) Vamos logo ao capítulo final uhuhuh.
Boa leitura a todos <3

Capítulo 6 - Love Is All You Need


Fanfic / Fanfiction Love Is All You Need - Capítulo 6 - Love Is All You Need

“There's nothing you can do

That can't be done

Nothing you can sing that can't be sung

Nothing you can say

But you can learn how the play the game

It's easy

— All You Need Is Love - Beatles.”


 

Kyungsoo não falava com Jongin desde as duas últimas semanas que se passaram. E as semanas passaram tão rápido que quando se deu conta a festa da sua formatura já havia chegado. Neste momento, o rapaz está usando o seu melhor conjunto de roupa social sentado ao lado de uma garota que obviamente é de uma turma abaixo da sua. A festa de formatura está incrivelmente bela. Em alguns momentos Kyungsoo questionou-se mentalmente se a escola conseguiria deixar a festa realmente memorável. Parece que ele errou. Dessa vez a diretora literalmente superou-se. As mesas enfeitadas em volta da quadra, as paredes decoradas e as luzes da pista de dança mostram isso.

O rapaz suspirou. Havia combinado desde o segundo em que começara a namorar com Jongin que eles iriam juntos na sua formatura. Todavia, agora observando por entre os corpos entretidos na dança, não havia nenhum sinal do loiro.

A cabeça de Kyungsoo doeu e seu coração se apertou. Talvez ele não aparecesse. Se fosse ele, também não apareceria. Não depois do modo óbvio como ele o ignorou durante essas duas últimas semanas. Contudo, o rapaz não ignorou Jongin porque não o apreciava mais a sua presença. Não, provavelmente isso nunca ocorreria. O problema em questão é que Kyungsoo havia conseguido uma bolsa na Yanhwan University depois da última competição regional de corais. Uma bolsa em uma das melhores faculdades de música do país. Não é como se uma oportunidade dessas fosse ocorrer novamente. Kyungsoo tem que aproveitar esta chance. Até a sua mãe lhe disse isso — após chorar de alegria em seu ombro. É claro que Kyungsoo sabe que Jongin ficaria imensamente feliz com a notícia. Entretanto, ele também sabe que Jongin ficaria tão triste quanto. Yanhwan University fica em Busan. Eles moram em Seul. E mesmo que Kyungsoo esperasse um ano e tentasse novamente para a Jyeong Pung Seul University, as chances de conseguir uma bolsa são pequenas. Por que não aceitar a bolsa de Yanhwan logo?

Kyungsoo suspira. Por causa de Jongin. Mesmo que o mais novo insistisse que eles poderiam continuar com um relacionamento à distância, não seria a mesma coisa. Além disso, Kyungsoo não quer ser uma daquelas pessoas que desiste de algo que sempre sonhou por causa de um relacionamento. É um erro fatal que muitas pessoas cometem. Ele provavelmente viraria uma pessoa amargurada e descontaria todos os problemas da sua vida em Jongin, acusando-o em toda e qualquer oportunidade em uma briga que ele não entrou na Yanhwan University por causa dele. Isso com certeza destruiria o mais novo. Destruiria a si mesmo. Por isso Kyungsoo evitou Jongin nas duas últimas semanas. Não atendia seus telefonemas, não respondia suas mensagens e evitava ir nos locais onde sabia que ele estaria. Até mesmo quando o mais novo foi até sua casa, Kyungsoo pediu para sua mãe dizer que ele não estava. Não queria ter que encarar a realidade batendo a sua porta.

É claro que isso é uma maldade de sua parte. Se é para terminar, deveria fazê-lo de uma vez. Contudo, e a coragem? A coragem para fitar aqueles belos orbes castanhos de Jongin e dizer que não queria mais um relacionamento com ele — quando esta é apenas uma mentira que está contando aos dois?

Como suportar a tristeza e decepção que aparecerá em sua face? Ou ignorar as súplicas que com certeza irão vir? Como Kyungsoo fará isso?

Ele não sabe.

— Yerim, a diretora está te chamando — um rapaz de belas feições se postou na frente da garota sentada ao seu lado.

— Eu não quero ir, Mark — a voz da garota soou agoniada. Kyungsoo se desprendeu de suas inquietações e fitou a garota. Os cabelos tingidos de loiro valorizavam seu rosto suave e simpático que expressa uma sensação de tristeza que Kyungsoo conheceu bem nesses últimos dias.

— Mas você prometeu que cantaria algo… — o rapaz, chamado Mark, pareceu preocupado enquanto ainda observa a garota — Ela pediu especialmente a você porque a maior parte dos integrantes do coral está se formando hoje. Eles não querem mais cantar nada, só aproveitar a festa.

Fitando melhor a garota sentada, Kyungsoo deu-se conta de que trata-se de Kim Yerim. A pessoa mais nova do coral da escola e que nunca participa das competições por ser a mais nova e a reserva do grupo. Sua voz anasalada, mas suave, e sua técnica vocal foram os motivos que levaram a admiti-la no grupo.

— Por favor, Mark. Me deixe em paz! — a garota grunhiu e pude ver que a sua resposta chateou o rapaz, que após olhá-la firmemente nos olhos, se afastou com uma expressão triste — Ótimo, Yerim, simplesmente ótimo!

— Você está bem? — Kyungsoo arriscou questionar, a voz num tom baixo para que ninguém mais escutasse.

— Não! — respondeu de imediato a garota, os olhos se arregalando quando percebeu com quem falava e o modo como o respondeu — Me desculpe, eu… Não estou num bom dia.

— Engraçado, — Kyungsoo ignorando a maneira rude que a garota o respondeu, abriu um sorriso triste — estou igualmente num dia ruim.

A garota franziu o cenho, estranhando a resposta. Sua cabeça se balançou minimamente para os dois lados e então um sorriso tão triste quanto o do rapaz adornou seus lábios finos.

— Deve ser o tempo.

— Talvez — concorda o rapaz e então dá uma risada acanhada — Li em algum lugar que tempos como este deixam as pessoas num dia ruim.

— E põe ruim nisso.

Os dois riem por alguns segundos e logo voltam a ficar quietos. O som da música e das vozes das pessoa passam por eles, mas nenhum deles toma a iniciativa de dizer mais alguma coisa. E assim ficam por mais um momento. Até Yerim quebrar o silêncio mais audível entre eles.

— Você é o Kyungsoo, não é? — a garota questiona, sentindo as bochechas queimarem de vergonha para o caso de a resposta ser negativa.

— Sou. E você é a Yerim, não é? A mais nova do grupo.

— Também faço parte da equipe de Arte, mas sim. Sou a mais nova do grupo do coral — Yerim respondeu, brincando com suas mãos sem fitar o mais velho — É verdade que você ganhou uma bolsa da Yanhwan Universtiy?

A expressão de Kyungsoo se fecha. Então a notícia já havia se espalhado? A esse ponto, Jongin provavelmente também já sabe. E isso só o deixará mais triste ainda. Kyungsoo sabe como o mais novo fica chateado quando ele deixa de contar coisas importantes.

— Sim.

Yerim levanta o olhar e observa a face de Kyungsoo, surpresa com o seu tom de voz.

— Você não parece feliz.

— É porque talvez… — o rapaz suspira e passa a mão pelo cabelo — Talvez eu não esteja exatamente cem por cento feliz com isso.

— Hmmmm… — a garota voltou seu corpo em direção a Kyungsoo, a expressão pensativa enquanto fala — Acho que sei o que quer dizer.

— Acha? — ela não poderia estar falando sério, não é?

— Sim — os olhos da garota sorriem, apesar de não possuírem nenhum brilho de animação — Veja bem, seria uma honra cantar para todos os formandos dessa turma. Quando a diretora me escolheu para isso, eu mal pude conter a emoção.

— Mas…? — incentivou Kyungsoo.

— Mas agora só de pensar em cantar, meu estômago embrulha — Yerim franze os lábios antes de continuar sua frase — E não é porque eu tenho medo de cantar em frente de desconhecidos. Se fosse esse o motivo, eu não teria entrado para o grupo do coral.

— Foi o que eu pensei — Kyungsoo assente para si mesmo antes de lançar a pergunta — Mas então por que você sente-se assim?

— Porque eu não vou conseguir cantar qualquer droga de música para o rapaz que roubou de mim a pessoa por quem eu me apaixonei — dessa vez, os olhos de Yerim brilharam. Antes que as lágrimas pudessem cair, Yerim passou as mãos por seus olhos e respirou fundo. Suas bochechas se tornaram rosadas — Desculpe, acho que me emocionei demais.

— Não se preocupe — Kyungsoo oferece um guardanapo que pegou da mesa atrás de si. A garota aceitou e assoou o nariz no mesmo. E enquanto a garota fazia isso, Kyungsoo a analisou. Yerim com certeza deve ser dois anos mais nova que ele. É possível perceber isso pois as feições infantis ainda estão presentes ali, como o seu rosto mais fofo e as bochechas pronunciadas. Como uma garota tão nova já sabe o que é sofrer por alguém?

— Sofrer por amor — ela diz — Sempre pensei que isso nunca aconteceria comigo e que só acontece com as pessoas porque elas são bobas. Mas olha só onde estou.

— Nem sempre é ruim, sabe? — Kyungsoo percebeu a expressão descrente de Yerim e logo tratou de continuar seu pensamento — Digo, às vezes é exatamente disso que precisamos. Quebrar a cara no amor para aprendermos algo.

— Como o que?

— Como percebermos que sem ele não dá para viver. Que é melhor vivenciá-lo e quebrar a cara do que nunca nem ao menos saber o que ele é  — Kyungsoo responde, espantando tanto a si mesmo quanto a Yerim com suas palavras. Seu coração se aperta — Yerim, você se importa de cantar hoje? Eu gostaria de te acompanhar.

Os olhos de Yerim se arregalaram, mas um sorriso de camaradagem logo surgiu assim que o espanto passou.

— É claro que não — responde a garota. Kyungsoo sorri para si e Yerim o pensa que se gostasse de garotos, Kyungsoo provavelmente seria o seu estilo de rapaz — Gostaria de ter o conhecido antes.

Os olhos de Kyungsoo brilham enquanto ele responde: — Eu também, Yerim.

 

Seulgi sente-se uma tola por aparecer na formatura de Chanyeol. Principalmente depois do que aconteceu naquele fatídico encontro. A garota suspira e ajeita o seu vestido amarelo na parte do busto, evitando pensar muito no que ocorreu. Evitando pensar em Chanyeol que mesmo após ter praticamente se declarado para Krystal, ainda é noventa e nove por cento dos pensamentos de Seulgi. E evitando pensar no um por cento. Evitando pensar em Yerim.

Na delicada e jovial amiga de lábios macios e doces. Seulgi balança a cabeça. Por que mesmo se deu ao trabalho de vir até aqui?

Seus olhos finalmente encontraram ele sozinho no meio da multidão. Como se fosse difícil encontrar Park Chanyeol, sua altura sempre facilitou tudo. Seu cabelo penteado para trás num topete o deixou ainda mais elegante na roupa social que veste. E bonito. Chanyeol usando terno é uma das imagens mais linda que Seulgi já teve a oportunidade de ver.

O rapaz mais velho pareceu não percebê-la ali, encostada numa parede da quadra sem tirar os olhos de si. Parecia preocupado em encontrar alguém. Alguém que infelizmente Seulgi sabe quem é. Krystal. Ela provavelmente deve ter vindo para a festa também por causa do seu amigo Jongin que veio pelo namorado Kyungsoo que estuda na mesma sala de Chanyeol. A garota ri baixinho, uma risada pesada, sem vida. Todos interligados de alguma forma. Por que tudo é tão complicado? Seria tão mais fácil se… Seu pensamento não se completa, pois os belos olhos de Chanyeol fazem seus pensamentos se dissiparem quando finalmente a percebe.

A expressão surpresa de Chanyeol faz o coração de Seulgi bater loucamente. Não é possível. Ele realmente chegou a cogitar que ela não apareceria ali?

Mesmo que estivessem sem se falar há um mês, mesmo que o coração de Seulgi sangresse toda vez que ela notava o sorriso luminoso de Chanyeol para Krystal, mesmo que ela saiba que talvez ele nunca retribuirá o sentimento amoroso que ela tem por ele, mesmo com todas essas situações… Como ela poderia abandoná-lo num dos mais importantes momentos da sua vida? Como poderia ignorar o amigo que ele foi para ela?

Afinal, eles venceram batalhas e conquistaram reinos juntos. Chanyeol que é tão é tão alto quanto um arranha céu, Torre Effiel e talvez um prédio deixou nuances vermelhas em Seulgi que mesmo que ela quisesse, nunca seria capaz de apagar. E ela definitivamente não queria.

Por isso Seulgi deixou-se levar por seus pés com vontade própria e encaminhou-se até Chanyeol, parando em sua frente como faziam quando eram pequenos. Ela ergueu a mão e como um gentleman, ele a segurou e deixou um selar na mesma.

— Desculpe por fazê-lo esperar — disse Seulgi e ambos sabem que ela não se refere a demora de procurá-lo na festa, e sim por causa do silêncio de um mês na amizade dos dois.

— Um rei sempre espera a sua rainha, não é? — a voz de Chanyeol causou arrepios nos pelinhos de Seulgi quando o mesmo abaixou e aproximou o seu rosto do ouvido dela. Quando voltou a uma certa distância dela, os encantadores lábios de Chanyeol se abriram num sorriso gracioso.

Contudo, antes que Seulgi pudesse dizer algo, os belos olhos de Chanyeol fixaram-se em algo atrás dela ao mesmo tempo que uma suave voz encheu a quadra.

There's nothing you can do

That can't be done

Nothing you can sing that can't be sung

Nothing you can say

But you can learn how the play the game

It's easy

Seulgi não precisou fitar o palco para saber quem cantava — como não reconhecer essa voz? Já escutara tantas vezes antes —, mas mesmo assim o fez. E ali, com um sorriso enorme e uma expressão radiante, Yerim lhe fita de maneira formosa.

 

Krystal ama e odeia situações como essa. Havia prometido a si mesma que tentaria esquecê-lo, mas é difícil cumprir essa promessa quando um Jongin extremamente triste e abalado aparece em sua casa necessitando um abraço reconfortante. Como negar isso a ele?

Apesar de possuir um amor avassalador por ele que consome todas as suas energias, Jongin é, antes de tudo, seu amigo. Seu melhor amigo. Em hipótese alguma Krystal faria algum mal a ele. Por isso, nas duas últimas semanas antes da festa de formatura, ela o ajudou a ficar bem. Não o deixou sozinho por nenhum momento, sempre o alegrando com coisas bobas e coisas que ela sabe que ele gosta. E mesmo dizendo a si mesma que ele é apenas o seu amigo, era impossível não sentir o coração palpitar quando ele lhe fitava ou quando a abraçava. Mas Krystal se esforçou para ser uma boa amiga, com toda a certeza deu o seu melhor. O problema é que talvez Jongin não tenha percebido isso.

E agora eles estão juntos na formatura do Kyungsoo. E do Chanyeol. Krystal suspira quando sua mente, algumas vezes, viaja até Chanyeol. Um rapaz tão encantador e alegre que claramente prometeu tratá-la como a sua primeira opção. Um rapaz com quem saía até duas semanas atrás, quando Jongin apareceu em sua porta precisando de conforto. Um rapaz que ignorou por completo quando se deu inteiramente a Jongin na tentativa de animá-lo. De fazê-lo feliz. E se qualquer um perguntar, Krystal pode afirmar: ela fez Jongin feliz. Por duas ininterruptas semanas, ela o fez feliz. E ela também foi feliz. Como sempre imaginara ser com ele. Todavia, talvez Jongin não tenha percebido isso. Porque talvez tudo o que ele vê é Kyungsoo. E isso não é justo. O outro rapaz apareceu e não deu chance alguma de Krystal mostrar a Jongin que ela pode fazê-lo feliz também. Talvez até mais do que ele o faz. Porque, em hipótese alguma, ela deixaria Jongin de lado.

— Jongin… por que nós estamos aqui? — Krystal questiona, ainda de braços dados com o rapaz.

— Preciso ver Kyungsoo — assim que nota a expressão preocupada no rosto da amiga, Jongin dá dois tapinhas em sua mão direita — Preciso arrumar essa situação logo. Se ele quiser terminar, então vamos terminar rapidamente. Como retirar um band-aid.

Krystal assente, concordando com Jongin. Faz sentido ser como um band-aid. Quando mais eles atrasarem esse término, pior será para os dois. A garota está prestes a dizer que concorda com o seu pensamento quando a frase de Jongin soa novamente em sua mente. “Se ele quiser terminar…”. Krystal para de andar, assim como Jongin.

— Krystal? — Jongin solta o braço dela e para em sua frente — Está tudo bem?

— Se ele quiser terminar… — Krystal balança a cabeça, o peso das palavras de Jongin finalmente a atingindo — É tudo sobre ele, não é? Sempre foi e ainda continua sendo.

— Do que você está falando?

Se ele não quiser terminar, você está disposto a continuar com esse namoro, não é? Mesmo que seja a distância, mesmo que dê errado no final… Você está disposto a continuar com isso! — Krystal praticamente grita a última parte. Algumas pessoas que estavam ao lado dos dois saem de perto. Por sorte nem todos pareceram prestar atenção neles. A diretora falava algo no microfone, algo que Krystal prestava atenção — Por que? Por que, Jongin?

— Krystal, eu… — Jongin parece tão surpreso quanto abalado com o surto da garota.

— Por que você não percebe que eu estou aqui? — as palavras saem dos lábios de Krystal como numa avalanche — Eu sempre estive aqui, Jongin. Sempre. Mas você nunca reparou em mim. Por que? Eu gosto de você, droga.

O silêncio é somente entre eles, pois no palco, uma voz suave começa a tocar. Krystal reconhece os acordes da música dos Beatles antes que a moça comece a cantar.

— Você… o que? — Jongin sente como se Krystal tivesse dado um tapa em sua cara. A garota sempre tão forte agora parece um gatinho indefeso lhe fitando.

— Eu gosto de você, droga! E eu quero que você me escolha ao invés dele — Krystal pisca os olhos para conter as lágrimas. Jongin ainda parece estar em estado de choque — Você com certeza não faz bem a mim, mas eu não consigo parar de te amar, seu idiota!

There's nothing you can make

That can't be made

No one you can save that can't be saved

Nothing you can do

But you can learn how to be you in time

It's easy

E quando a voz melodiosa de Kyungsoo preencheu a quadra inteira, Jongin só conseguia sentir os lábios adocicados de Krystal contra os seus.

 

Kyungsoo ficou feliz com a escolha da música que Yerim havia feito para cantar. All You Need Is Love dos Beatles era tudo o que os dois precisavam para expressar os seus sentimentos. Porque se caso no final ele e Jongin não ficassem juntos, ainda teria valido a pena. Todas as emoções, as risadas, os choros, todo o amor valeria a pena no final.

E Kyungsoo soube disso assim no refrão quando seus olhos encontraram os do rapaz.

All you need is love

All you need is love

All you need is love, love

Love is all you need

Dessa vez Yerim não se preocupou com as lágrimas que caiam. Porque no final são lágrimas de felicidade. Felicidade por seu primeiro amor ter sido alguém tão incrível quando Seulgi, felicidade por pelo menos saber que algum dia já soube o que é amar. Mesmo que não da melhor maneira. Todavia, como Kyungsoo havia dito, às vezes quebrar a cara no amor é a única coisa que é preciso para saber que mesmo assim é melhor já tê-lo sentido do que nunca saber o significado de amar alguém. E ali, fitando os olhos surpresos de Seulgi, Yerim sorriu.

Love, love, love

Love, love, love

Love, love, love

E ali quieto, atrás das cortinas do palco que fora montado na quadra, Mark observou os diferentes tipos de amor que surgiram naquela escola. Observou como Yerim e Kyungsoo encantaram a todos com sua música favorita. Como Seulgi permaneceu parada observando Yerim cantar e como Krystal após beijar Jongin encontrou com o olhar espantado de Chanyeol. Como Chanyeol e Jongin surpresos e talvez acanhados se viraram para observar Kyungsoo cantar, e como no final até mesmo Krystal fitou Kyungsoo e Yerim.

Mark, que sempre fora um observador quieto, sentiu seu coração se apertar quando deu-se conta de que o amor chegara para ele de mansinho e instalara-se em seu coração.

Todavia, apesar de toda a situação, seu peito encheu-se de felicidade. Ele não sabe como essas histórias irão terminar, se algumas delas realmente terão um fim, se outras irão começar ou até mesmo se a história dele irá prosperar. Contudo, ele não se preocupa com isso, pois sabe que no final seja lá o que ocorrer, terminará em amor. E como a música diz “amor é tudo o que você precisa”.

— Não acredito que só percebi isso agora… — Mark sussurra para si mesmo, rindo com a sua própria inocência. Fitou mais uma vez Yerim e Kyungsoo no palco e a plateia antes de sair do seu esconderijo. Antes de sair da quadra e andar sem rumo pela escola. Ao longe, ainda era possível escutar a voz dos dois preenchendo todo o silêncio profundo.

 

All you need is love

All you need is love

All you need is love, love

Love is all you need

 


Notas Finais


Talvez tenha ficado um pouco bosta o final? TALVEZ, é uma possibilidade </3
Mas sinceramente, eu não conseguiria fixar nenhum casal. Por isso deixei aberto (eu acho que tá aberto rs). O Kyungsoo escolheu ficar com o Jongin mesmo sabendo que o relacionamento deles será a distância ou resolveu terminar com o mesmo por isso cantou uma música de despedida? A Seulgi finalmente desencanou do Chanyeol e viu na Yerim um possível futuro amoroso ou no coração dela só tem lugar para uma pessoa? Krystal finalmente jogou tudo para o alto e se declarou para Jongin, mas após ter tido provado do amor, que o Chanyeol dizia sentir e demonstrar, ela ainda vai querer ficar com ele? Jongin que só tinha olhos para o Kyungsoo, chegou a ficar ou não abalado com a confissão de Krystal? E a Yerim, ela aceitou que talvez a Seulgi nunca repare nela amorosamente ou está até o final lutando (mesmo sabendo que isso pode levá-la a lugam nenhum)? São respostas que eu não podia impor aqui. Respostas que depois que vocês lerem vão saber o que aconteceu (de acordo com cada opinião que vocês formaram através dos outros capítulos).
Eu sei o que EU acho que aconteceu no final. É claro que não irei colocar minha opinião nisso kkkkk. Mas e o que vocês acham?
Desculpem mais uma vez se decepcionei alguém aqui com esse final, mas é a vida.
Beijos de luz <3

p.s: escrevi umas três drabbles por ai x.x se alguém quiser dar uma olhada rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...