História Love Is Everything ||Jason McCann|| - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Brenda Song, Cameron Dallas, Carly Rae Jepsen, Chaz Somers, Cody Simpson, Dua Lipa, Elizabeth Gillies, Frankie J. Grande, Justin Bieber, Nick Jonas, Pattie Mallette, Ryan Butler, Sam Smith
Personagens Ariana Grande, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Justin Bieber
Tags Ariana Grande, Justin Bieber
Exibições 30
Palavras 1.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ficção, Musical (Songfic)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá de novo!!
A foto é antiga, mas eu queria essa roupa. Então só coloquem o cabeção com cabelo-franja do Justin no lugar daquela cabeça ali hahahah

Ah. Leiam escutando essa, se possível. É uma música linda!

http://jetstar44.files.wordpress.com/2010/02/07-im-not-in-love.mp3

Capítulo 7 - I'm Not In Love


Fanfic / Fanfiction Love Is Everything ||Jason McCann|| - Capítulo 7 - I'm Not In Love

[Um mês depois…]

~ Authoress POV ~

Um mês havia se passado. Twister e Jason estavam namorando firme, sempre saíam quando a empresa de sua mãe permitia, já que as coisas eram corridas.

Jason se mostrava adorável, mas ainda assim, tinha seu plano em mente. Ele havia acabado de voltar de um restaurante, onde Twister e seus amigos o acompanharam, e, agora sentado na poltrona de seu quarto, analisava sua situação.

Ao longo dos meses, Jason se sentia atraído, já nutria sentimentos por Twister.

"Mas não quero sentir isso!", pensou ele; ela seria uma presa fácil, e tentando convencer-se a não acreditar em amor, pegou seu celular e os fones de ouvido, conectando-os no aparelho e indo fazer uma das coisas que mais gostava: escutar músicas.

"I'm not in love

So don't forget it

It's just a silly phase I'm going through

And just because I call you up

Don't get me wrong

Don't think you've gotten me

I'm not in love

No, no

It's because


I'd like to see you

But then again

It doesn't mean you mean that much to me

So if I call you

Don't make a fuss

Don't tell your friends about the two of us

I'm not in love

No, no

It's because


(Be quiet, big boys don't cry)


I keep your picture

Upon the wall

It hides a nasty stain that's lying there

So don't you ask me

To give it back

I know you know it doesn't mean that much to me

I'm not in love

No, no

It's because


Ooh, you'll wait a long time for me

Ooh, you'll wait a long time


I'm not in love, so don't forget

I'm not in love

So don't forget it

It's just a silly phase I'm going through

And just because I call you up

Don't get me wrong

Don't think you've gotten me

I'm not in love, I'm not in love…"


— Eu não a amo — murmurou recostando sua cabeça nas costas da poltrona. — Não a amo, não a amo. Nunca vou amar.

Devia estar enlouquecendo. Sua vida toda foi baseada em dor e tristeza, o que o tornou uma pessoa fria. Ele não era uma pessoa ruim; antes, fora acusado como, mas não era o verdadeiro "vilão". Todos o rotulavam como tal, e ele não pôde fazer nada a não ser, deixar-se levar.

Sua cabeça fora invadida por turbilhões de pensamentos. Joe, seu pai, nunca gostou dele; e ele o soube da pior maneira. Seu pai havia o confessado, depois de bater em sua mãe, insultar seus irmãos e praticamente humilhar Jason. Joe estava na cadeia por agressão, e Jason se sentia profundamente aliviado por isso, caso contrário, ele já o teria matado com suas próprias mãos.

"O que estou fazendo?!", murmurou em pensamento, e sua cabeça agora fora tomada por uma completa tristeza.

Com tudo o que havia passado, deveria já ter se matado, mas não. A culpa de seus sentimentos serem afetados era de seu pai, e ele queria vingar-se, na pobre Twister.

Sentiu vontade de chorar, e já prendendo as lágrimas com dificuldade, olhou seu celular. Já eram 22:34 da noite. Sentia-se lânguido, e para ajudar a relaxar, tirou a roupa e foi direto para o banheiro.


Depois de um banho longo, desligou o chuveiro e pegou duas toalhas, uma ele enrolou na cintura, e a outra, passou nos cabelos.

Saiu do banheiro completamente relaxado, e foi até seu closet, abrindo o mesmo e tirando de lá uma boxer preta. Vestiu a mesma, fechou a porta do closet, foi para a cama e se deitou. Olhando para a parede do seu quarto, foi fechando lentamente os olhos, e sonolento, logo adormeceu.

(…)

~ Jason POV ~

Acordei no dia seguinte completamente cansado. Essas saídas estão acabando comigo.

Peguei meu iPhone debaixo do travesseiro, e olhei a hora. Já eram 11:23. Cocei os olhos, e sentei-me na cama, reclamando mentalmente por sair tanto. Mas afinal, tenho que convencer Twister, caso contrário, já viu.

Levantei-me da cama e fui até o banheiro, levando comigo o celular. Tirei minha boxer preta e fui para o chuveiro, ligando o mesmo, começando a tomar meu banho matinal.


Meu banho foi interrompido com uma coisa vibrando sem parar. Desliguei o chuveiro, sequei as mãos e peguei meu celular, vendo que era Michael, da empresa da minha mãe, "Careful & Beauty Co.", ligando, e rapidamente atendi.

— Alô.

— McCann, cadê você? Você me disse que íamos nos encontrar para resolvermos os assuntos da empresa!

Puta que me pariu. Eu me esqueci completamente disso! E o pior foi lembrar que: Eu marquei de sair com Twister hoje, só ela e eu.

— Tudo bem, em 15 minutos eu chego aí.

Scaramouche, 15 minutos. — dizendo isso, desligou.

Eu estou oficialmente fodido. Marquei com Twister para ser exatamente onde ele disse: Scaramouche.

Terminei meu banho, enrolei a toalha em minha cintura e saí do banheiro super rápido.

Fui até meu closet, o abri e peguei uma camisa branca, uma outra preta de botões e uma calça preta. Me vesti super depressa, calcei meu Supra, passei perfume e peguei meu celular.

Saí do quarto, desci as escadas, fui até a sala e peguei a chave de casa e do carro. Saí de casa, tranquei a porta e fui correndo até meu carro, entrando no mesmo. Pus a chave na ignição, liguei o carro e dei a partida, indo rumo à casa de Twister, seja o que Deus quiser.

(…)

Depois de vários minutos, Twister finalmente saiu de casa, com uma saia branca, uma blusa preta, sapatilhas da mesma cor, uma bolsinha de lado branca e os cabelos soltos.

Ela veio correndo até meu carro, e entrou pelo carona.

(…)

Chegamos no restaurante. Estacionei o carro e olhei para Twister.

— Twister, uh… hoje nós não vamos ficar tão à sós, porque… eu me esqueci completamente que eu tinha um compromisso hoje. — justifiquei, apoiando minha mão em sua coxa.

— Oh, não, não Jason. Sem problemas. Não me importo. — disse Twister, e inclinou a cabeça para me dar um selinho.

Retribui e saímos do carro. Fomos em direção ao restaurante. Adentramos no local, e vi Michael e os outros sentados numa mesa bem no canto do estabelecimento. Fomos até eles.

— Oi Michael, oi gente. — digo sentando-me na cadeira, e Twister sentou em outra do meu lado. — Desculpa a demora.

— Tudo bem, quem é essa? — pergunta Michael, estampando um sorrisinho no rosto. Ele nem é louco.

— Uh, essa é minha namorada Twister. — respondi, dando um ênfase em "minha namorada". Ele sorriu para ela e se sentou.

— Então okay. Nós temos muitos assuntos para tratar.

(…)

Depois de horas sentado naquela cadeira, com a bunda praticamente amassada de tanto ficar sentado, chegamos à um acordo, no qual eu "admnistraria" a empresa da minha mãe enquanto ela estivesse fora.

Já eram 19:50 quando saímos do restaurante, estava começando a ficar escuro, e os bichos noturnos já estavam a perturbar. Agora eu e Twister estamos indo para um outro lugar, não vou dizer à ela onde exatamente estamos indo, é uma "surpresa".

(…)

Estávamos andando no meio do mato. Eu separava os matos do caminho, enquanto Twister, que estava atrás de mim, ria sem parar. Ela parece ser daqueles tipos de garota que não são nojentas, estamos andando há mais de 15 minutos e ela ainda não reclamou. Eu pelo contrário, já reclamei um milhão de vezes. Só estou confuso, do que ela está rindo?

— Do que você está rindo? — eu pergunto, e ela fungou.

— Eu não sei, você tá aí, todo quieto, separando esses matos e reclamando, eu estou achando engraçado!

— Huh, o que eu vou fazer não vai ser engraçado, isso eu te garanto. — murmurei sério, finalmente chegando ao nosso destino.


Notas Finais


Uhhhhh, o que será que Jason vai fazer?
Até o próximo cap!
Ily <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...