História Love Is Everything ||Jason McCann|| - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Brenda Song, Cameron Dallas, Carly Rae Jepsen, Chaz Somers, Cody Simpson, Dua Lipa, Elizabeth Gillies, Frankie J. Grande, Justin Bieber, Nick Jonas, Pattie Mallette, Ryan Butler, Sam Smith
Personagens Ariana Grande, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Justin Bieber
Tags Ariana Grande, Justin Bieber
Exibições 24
Palavras 1.282
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ficção, Musical (Songfic)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente, perdão por postar tarde, eu realmente estava sem ideias e pra acabar de completar, eu nem lembrava do último cap hahahahah
Segundamente (?), eu sei que a foto não tem nada a ver com a roupa que o Jason está usando, mas eu queria essa ❤❤❤
Boa leitura!!

Capítulo 8 - I'm Feeling Fine


Fanfic / Fanfiction Love Is Everything ||Jason McCann|| - Capítulo 8 - I'm Feeling Fine

— Huh, o que eu vou fazer não vai ser engraçado, isso eu te garanto.

~ Jason POV ~

Twister me olhou com uma expressão assustada, e eu sorri, fazendo-a dar um passo para trás.

— O que você vai fazer comigo?… — pergunta Twister, e eu abri um sorriso.

— T-May, eu não vou fazer nada com você. Está com medo do quê? — pergunto sorrindo e ela sorriu comigo, aliviada.

— Eu fiquei com medo de você tentar fazer algo ruim comigo! Tipo, me matar aqui no meio do mato e me jogar pelo caminho… — Twister disse, me fazendo rir.

— Agora sim chegamos. — falei caminhando até a montanha que tinha no local.

— Uau. Aqui é lindo.

E é mesmo. Tem uma cachoeira, e abaixo da mesma, um precipício, e em frente do mesmo, uma rocha enorme, e atrás dessa rocha, uma montanha alta, que levariam uns quatro dias escalando-a. É um lugar muito bonito para admirar e muito calmo. Eu adoro vir aqui.

Fui até a rocha que estava em frente a cachoeira e me sentei, e Twister veio em minha direção e fez o mesmo.

— …Como descobriu esse lugar? — pergunta Twister, olhando completamente encantada para a cachoeira.

— Bem, eu corria por essas regiões, aí um dia, eu… estava correndo e de repente, escutei um… barulho de água caindo. Como eu não sou nada curioso, eu fui seguindo o barulho e cheguei aqui. Agora quando eu preciso ficar sozinho, eu venho para cá. — murmurei sorrindo, e Twister passou os braços em volta do meu pescoço, sentando-se em minha frente.

— Quer dizer que você é um curiosinho, então?… — Twister perguntou, e eu sorri.

— Sou curioso sim… — respondi, depositando um beijo em seu queixo. Sou curioso sim, mas para ver o seu corpo!, pensei com um sorriso maldoso na mente.

Segurei sua nuca e a puxei para um beijo. Suas mãos seguraram meu pescoço, e eu abri a boca, sugando seus lábios com os meus. Ela sorriu durante o beijo, e desceu a mão, levantando minha camisa e enfiando as mãos dentro da mesma. Senti o músculo do meu tórax se contrair, e Twister sorriu. Agora ela está pegando pesado. Foi ela quem começou.

Abri mais a boca e chupei sua língua, e ela dobrou os dedos na minha barriga quente, suspirei contra sua boca e sorri.

Desci minha boca até seu pescoço, e desci um pouco a alça de sua blusa preta, dando um beijo na curvatura de seu seio esquerdo. Senti sua pele se encher de bolinhas pela minha boca, e a ouvi respirar fundo quando passei a língua no mesmo lugar.

Voltei a beijá-la, agora segurando seu pescoço, puxando sua cabeça e tornando o beijo ainda mais gostoso, com nossas línguas se chocando a cada movimento de minha boca.

Desci um pouco mais sua blusa, e beijei a parte exposta de seu seio.

Tive uma reação nada boa, quando Twister parou de me beijar e desceu a blusa junto com seu sutiã sem alça, deixando seus seios inteiramente à mostra, durinhos e com os biquinhos rígidos.

Subi as mãos para tocar aqueles seios firmes, e logo levei a boca até o esquerdo, brincando com minha língua bem na auréola, e ela puxou mais minha cabeça.

Peguei sua mão e a desci até meu pau, coberto pela calça. Twister apertou o mesmo, fazendo um gemido abafado sair de minha boca.

Deitei-me na pedra, e ela sentou-se no meu colo, passando as mãos em meu peitoral, subindo e descendo, até que subiu as mãos para meu ombro e desceu a cabeça para me beijar, fazendo seus seios ficarem completamente apertados contra a parte dura do meu peitoral.

Ela recostou a cabeça em meu peito, e rebolou levemente contra meu colo, e então, me veio o pensamento:

Ela é bem ágil para uma virgem. Quem tomou a iniciativa foi ela, ao pôr as mãos dentro da minha camisa, ao tirar a blusa, ao apertar meu pau sem eu falar nada, e agora ao rebolar sem eu pedir.

Esse fato me chocou, ao pensar nisso, me veio na cabeça a possibilidade de ela ter feito isso com outra pessoa.

Fiquei irado. Não quero pensar na minha garota fazendo o mesmo com outros, então abri a boca e falei com sarcasmo:

— Uh, Leezy, você é bem habilidosa. Suponho que alguém tenha lhe ensinado isso.

Ela me olhou, sorrindo inocente.

— Você foi o primeiro, Jason. Nunca fiz isso com ninguém. Nunca nem ao menos tive um namorado!

Aquilo era música para meus ouvidos. Virei sua cabeça, fazendo-a olhar para mim, e lhe dei um selinho.

— Agora vamos sair daqui logo. — murmurei, subindo sua blusa, e ela sorriu.

— É. Vamos sim. — Twister disse, e sentou-se, porém como ela ainda estava sobre mim, ela acabou remexendo a cintura, piorando minha situação lá em baixo.

— Uh… — murmurei relaxando mais o corpo, e Twister sorriu. Ela sentou um pouco mais em cima da criança, e começou a provocar, rebolando bem em cima, em cima mesmo. — Twister… para com isso.

— Por quê? — pergunta ela, parando. Eu a empurrei levemente, e me levantei. — Jason — ela subiu o sutiã e a blusa, e os ajeitou em seu corpo.

— Vamos logo sair daqui. — murmurei olhando-a. Ela assentiu e desceu da pedra, e eu peguei sua mão, começando a andar, trajetando o caminho de volta.

(…)

~ Twister POV ~

Chegamos na minha casa. Jason estacionou o carro e saiu do mesmo, e eu saí pelo outro lado. Jason deu a volta e veio em minha direção.

— Uh… me desculpa por ter feito você deixar o lugar tão cedo. — murmurou Jason, passando os braços em volta da minha cintura, e eu sorri.

— Tudo bem Jason, eu te provoquei. Desculpa também. — eu falei sorrindo, e ele me acompanhou.

— Agora eu vou para casa — falou Jason, me dando um selinho. — porque tenho uma criança para aliviar.

Ele me deu um outro selinho e deu a volta no carro, entrou no mesmo e o ligou, dando a partida.

Fui correndo para casa, e tirei a chave da porta na bolsa. Destranquei a porta e entrei, voltando a trancar a mesma. Tirei as sapatilhas e larguei a chave na mesinha de centro, e fui direto para as escadas, subindo até meu quarto. Entrei no mesmo, fechei a porta e joguei minha bolsa no meu closet, que vive aberto por sinal, e tirei as roupas, indo direto para o banheiro. Fui para o box e liguei o chuveiro, começando a tomar banho.

Enquanto passava o sabonete líquido pelos meus seios, lembrava-me de Jason, passando a boca ali, chupando aquela região. Céus, eu quero fazer com ele.

Terminei meu banho e peguei a toalha. Me enxuguei e saí do banheiro, indo até meu closet e tirando de lá meu babydoll lilás com preto. Me vesti, voltei para o banheiro, escovei os dentes e assim que terminei, amarrei meus cabelos em um rabo de cavalo frouxo.

Voltei para o quarto e apaguei a luz, deixando somente o abajur iluminar o local. Peguei meus fones de ouvido e os conectei no meu celular, e enfiei os mesmos no ouvido. Me aninhei na cama e apaguei a luz do abajur, e a música que escolhi começou a tocar.


"Eu estou me sentindo bem

Cheio de emoção

Mais forte que vinho

Eles me deram a noção

Que esse novo estranho sentimento

É algo que você também está sentindo

Matéria ou fato

Sou forçado a admitir

Pego no ato

E talvez batemos nisso

Esse novo estranho sentimento

Algo que você também está sentindo


Se isso é amor, é uma rapsódia (fragmento de um poema)

Eu vou cantar como se fosse uma canção

E se você está cantando de volta pra mim

Esqueça a sofisticação

Mantenha simples

É o meu estilo


Ame no seu melhor

É um prazer fazer isso

Uma chance que eu tentei

Eu estou disposto a tomá-la

Se esse novo estranho sentimento

É algo que você também está sentindo"



Notas Finais


Perdão pelo cap pequeno. É que eu tenho aula amanhã. Perdão mesmo. Mas vou tentar postar rápido.
Ah, sim. "Bugsy Malone - I'm Feeling Fine".
Ily ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...