História Love is not a crime - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mamamoo
Personagens Moonbyul, Solar, Wheein
Tags Moonsun Wheebyul Crazy
Visualizações 91
Palavras 1.044
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Orange, Policial, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Preparem sua sanidade...

Capítulo 6 - She's getting crazy



YongSun nunca havia se sentido daquele jeito,mas depois do que aconteceu entre ela e Byul ela ficou com raiva e nem ligou mais em segurar suas vontades.

Ela se sentia um experimento,todos os dias novos médicos com as mesmas perguntas.Ela nunca se sentiu amada,mas quando sentiu isso pela primeira vez ela adorou,e ficou com raiva de sí mesma por ter perdido isso.

As duas estavam fazendo coisas como robôs,Byul falava as coisas sem intonação ou animação e YongSun respondia as perguntas programadas,podia de tanto que já perguntaram,ela decorou todas as respostas.

Bom, vamos começar.

—Você nem cumprimenta mais...-por que você está aqui se vai me fazer as mesmas perguntas?

—Hoje são perguntas diferentes.Ficamos preocupados com o sua situação e esquecemos de terminar algumas perguntas para a ficha.

YongSun revira os olhos quando ouve o jeito que ele fala 'situação'.

Você pode falar 'doença'.Isso não vai me ajudar,porque vocês já me tratam como doente.

—Você já roubou algum estabelecimento?--ele diz com a voz  séria e grossa.

Ela suspira para enrolar.

A gente não vai sair até você falar.

—Então não sairá hoje.

—Se não responder em 5 segundos,eu vou considerar com 'sim',o que te dará mais 3 anos.

—...Sim.

—Como?

—Roubando,ué.

—Voltou com essas brincadeiras? Comece a falar.

***

Flashback

Nick, não acho que seja uma boa ideia.

—Relaxa,Sun.Já tá na hora de você fazer algo mais...pesado.

—Também acho que ela deveria esperar aqui fora, Nick.

—Se você quer aquele anel, você vai falar a boca e fazer o que eu mandar.

—Sua namorada vai te amar tanto por ter roubado um anel-digo de um jeito sarcástico.

Hector avança em mim e Nick o segura.

É melhor vocês dois se controlarem.Hec...-manda um olhar para ele e ele entende.

—É melhor n...

—CALA A BOCA!Ela já é crescidinha.

—Você parece uma mãe...

Hector tira do bolso uma pistola e dá para mim,uma garota de 13 anos.

—...relaxa, está sem balas.-Hec cochicha em meu ouvido.

Era madrugada,umas 3h da manhã,Nick andou fazendo umas pesquisas e por isso, chegamos bem no momento de troca de turnos, entramos.

Eu achei que íamos fazer igual espiões,indo silenciosamente até o anel,mas entramos com Nick dando tiros no teto e fazendo os funcionários se abaixarem.

Sun, segura eles-ele diz apontando para os funcionários que estavam prestes a ligar para a polícia.

Fui em direção a eles,que não ficaram nem um pouco assustados com a minha presença, então tirei a arma de debaixo de meu casaco e apontei para eles com uma cara confiante,mesmo não estando.Mandei eles soltarem seus celulares,eles fizeram isso,mas outros não,ficaram rindo de mim por ser uma 'criança'.

Vi que um deles ia ligar para a polícia e apontei a arma em sua  cabeça.

POV Nick

Eu sabia que a arma de Sun estava sem suprimentos,mas não estava irritado, não agora que estava pensando no guarda a minha frente.Ele apontou a arma para mim e eu apontei a minha para ele,ele não ia atirar,eu achava que não.Quando estava prestes a apertar o gatilho,eu atirei.

Ouvi o silêncio e me assustei,encarei novamente o guarda ,estava confuso e ele também.De repente se ouve um tiro do canto da joalheria,o guarda olha para trás e eu não hesitou eu bater em sua cabeça com a arma de minha mão,pego o anel e finalmente olho para trás.

Vejo SunShine com as mãos tremendo ao ver o sangue no chão, não tirava as mãos da arma e ela tremia mais a cada grito que as pessoas davam ao ver a cabeça explodida de um cara.Eu não tinha tempo de confortá-la, então apenas a puxei até o carro.

Hector não estava entendendo o motivo do choro.Se ele não estivesse pagando bastante,eu  jogaria ele na estrada.Esse burguês me dá raiva.

Pensei que era errado generalizar que todo burguês não pensa,mas pelo menos esse aí é .Grande tragédia por trocar as armas.

Flashback off

***

—YONGSUN,RESPONDA!

Ela acorda do transe e percebe que algumas lágrimas desciam de seu rosto, ela enchuga e olha para suas mãos.

Suas mãos estavam cobertas de sangue,ela via uma arma na mesa,uma que estava cheia de balas,faltava apenas uma,que ela sabia que estava dentro dos miolos de alguém.

Ela tenta não parecer louca na frente do psicólogo ,mas começa a tremer e ofegar.

POV Moonbyul

Eu a via do outro lado do vidro ,o vidro que eu queria quebrar para poder abraçar a Sun,eu não conseguia ser dura ou fingir que não a amáva .Eu perguntei com a voz trêmula para Hyejin:

O que está acontecendo?--ela continua olhando confusa para SunShine.

—É um daqueles ataques ,mas esse é diferente....parece que ela está tendo alucinações ou alguma coisa assim.

Eu apertava minhas mãos na borda do meu casaco nervosa, Hyejin percebeu e disse:

Ta tudo bem?--eu solto minhas mãos imediatamente.

—Sim, é que um nunca tinha visto algo parecido.Eu estou com um pouco de .... dó.

—Entendo,mas não se desconcentre.


"Eu sou apenas uma criança"

"Eu sou apenas uma criança"


YongSun repetia essas palavras entre lágrimas,eu não entendo o que significa,mas não importa,eu estou morrendo por dentro.

Eu não consigo ver.

Sério? Não era você que queria vir?

—Sim,desculpe.

Recupero a postura e encaro Hyejin que estava com aquela cara "eu te avisei",logo abriu a porta me mandando sair.

Corri em direção da minha sala,tranquei a porta e comecei a chorar,cada lágrima doía para sair e ardia em minha pele.

Esperei até meu rosto desinchar um pouco e saí da sala,dando de cara com SunShine algemada caminhando até sua cela com dois seguranças atrás.

Ela olha para mim e dá um sorriso e eu respondo com um.

Moonbyul POV off

***

—Oi...

—Vai passar a noite aqui?

—Sim

—Estava com saudades-Sun diz sarcasticamente.

—Eu também...

—Sério? Então porque fez isso comigo?

—'Isso' o que?

—As pessoas me tratam como louca por sua causa.

—Eu não fiz nada.

—Você comanda o caso, você mandou aquele psicólogo.

—Não ,eu juro!

—E eu pensei que você fosse uma boa pessoa...

—Eu sou!Eu ...

—Você me ama?

—Sim!-Byul se aproxima da cela.

Sun a beija ,mas quando Byul se aproxima mais da cela para segurar sua nuca, é surpreendida com uma grande dor.

Uma dor perfurando sua pele.Ela tentava sair mais Sun não deixava ela se afastar, então apenas sentiu sua pele gritar de dor e seu sangue sair.

Descolou seus lábios desesperadamente e deu de cara com o olhar ameaçador de SunShine.

Ela gritava de dor e quando estava prestes a dar no chão,Wheein entra e empurra Sun com uma arma em sua mão.

Byul apertava o buraco de sua pele com as mãos,vendo o sangue aparecer entre os dedos enquanto Wheein chamava ajuda.

Quando chegaram,Wheein a acompanha até a ambulância,porque era um parafuso enferrujado que estava lá dentro, então chamaram a ambulância.


Eu não acredito que YongSun tentou me matar com um parafuso de merda.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...