História Love is not over - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Namjin, Taekook, Texting, Vkook, Yoonmin
Exibições 171
Palavras 1.569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Por favor é minha primeira fic na vida, dêem muito amor a ela.
Podem falar o que acharam e dar opinião.
Boa leitura :)

Capítulo 1 - Efeito Kim Taehyung


Jungkook P.O.V.

Entro furioso no apartamento que divido com meu amigo e bato com força a porta assustando o mesmo que estava deitado no sofá. Largo minha mochila em qualquer canto e caminho em sua direção atirando suas pernas para fora do sofá e sentando com um bico em meus lábios.
– Hey, o que aconteceu? - Jimin pergunta preocupado
Suspiro e o olho. Jimin sempre me escuta, e mesmo que eu não quisesse ele daria um jeito de descobrir, então com um simples nome ele entende a causa da minha frustração.
– Kim Taehyung. - respondo
Ele solta uma risada anasalada e se ajeita no sofá me encarando.
Jimin sempre foi meu amigo e sempre esteve presente para mim. Ele foi o primeiro a saber sobre minha paixonite pelo Taehyung, e consequentemente, sobre minha sexualidade. Foi nessa época que ele também se assumiu. Ele me deu todo o apoio que precisei e me ajudou a contar para minha família, por isso, não fiz diferente, o apoiei, mas parece a família dele que já suspeitava devido a sua amizade com o Jung Hoseok. Eles podiam exalar masculinidade quando queriam, só que juntos, eram duas viadas. Não sou muito próximo do Hoseok. Só o vi uma ou duas vezes na vida.
– Estou esperando você me contar, Jungkook. Vamos, eu não tenho o dia todo. Desperto dos meus devaneios e o encaro.
– Só me responde uma coisa antes, pode ser?
– Tá, fala logo. - ele diz curioso
– Você e o Hoseok estão em algum tipo de relacionamento?
Ele franze as sobrancelhas e me responde:
– Não, a gente só se pega de vez em quando. Mas nossa amizade nem está tão colorida ultimamente. Por quê?
– É que eu vi ele e o Taehyung se beijando na saída da escola. - respondo cabisbaixo
– Ah, talvez tenha sido uma mensagem do universo para você toma vergonha na cara e ir falar com o Tae. Faz quanto tempo que você tem essa ‘paixonite’ por ele? Cara, você é trouxa demais. - ele me responde fazendo aspas com os dedos. Que delicado.
– Hyung, você sabe, assim como eu, que não é nada de mais. Eu já te expliquei isso.
– Me poupa Jeon Jungkook. Se não fosse, você não estaria tão mal assim. Eu não quero ter ver desse jeito, poxa. Eu posso te ajudar, nossas mães são amigas e somos da mesma turma. Posso muito bem te aproximar dele.
– Tá louco!? O Taehyung nunca vai querer nada comigo.
– Aish, que drama. Eu acho que ele pode estar interessado em você. Ano passado, quando nos éramos grudados, ele sempre me perguntava coisas sobre você. E só ele sendo louco, cego e burro para não ter interesse em você. Kookie, você é uma pessoa maravilhosa. - ele fala sorrindo de modo que seus olhos virem apenas duas fendas e apertando minha bochecha.
Rio com a sua resposta e coro levemente com o elogio.
– Obrigado, hyung. Mas ele podia só ter curiosidade, já que você sempre andava comigo e ele tinha que te dividir. E de qualquer forma foi ano passado, ou seja, está fora de cogitação. - respondo dando ênfase em 'passado'.
– DESISTO - ele grita de repente me assustando – você é tapado ou se faz? Amanhã eu vou lhe provar de que o Tae sente algo por você. Nem que ele sinta vontade de te dar um tapa, porque se ele não tiver, eu mesmo faço isso. - Ui agressiva.
Ele levanta e caminha até o seu quarto e escuto a porta ser fechada. Suspiro e me deito no sofá. Será que o Taehyung tem mesmo algum interesse em mim? Nós não nos falamos muito, a última vez foi em um trabalho no laboratório de química, nossas turmas tiver que juntar por causa de um professor que faltou, formamos duplas e falamos somente o básico, mas o vi sorrir quando o experimento deu certo, e sinceramente, QUE PUTA SORRISO, é diferente, meio retangular, mas é lindo. Eu realmente espero que o palpite do Park esteja correto. Só de imaginar meu coração acelera, ok pode não ser uma paixonite, mas do que adianta se ele não sentir o mesmo ou não sentir nada? Acabo dormindo no sofá com esses pensamentos rondando minha mente.
~~~~~~~~~~
– Kookie? Hey, levanta. - sinto meus ombros sendo chacoalhados mas solto apenas um resmungo e me viro, péssima ideia, dou de cara com o chão.
– Eita criança desastrada. - Jimin fala enquanto reclamo da dor em minha testa. Sei que ele deve esta se segurando para não rir.
– Aish. Que merda. O que foi? Por que me acordou? - falo meio grogue e um puco irritado.
– Você dormiu sem almoçar, então como um bom hyung vim te chamar para irmos comer pizza. - ele explica.
– Bom hyung, sei… você não quer cozinhar, isso sim.
– Estou te levando para comer pizza e você ainda reclama? Tudo bem, eu entendo que minha lasanha congelada é uma delicia, e que pizza não é nada perto dela. - ele realmente se orgulha da sua lasanha congelada
– Hyung, esquentar lasanha congelada não é cozinhar. E pizza é a melhor coisa do mundo, principalmente, se comparada a sua lasanha - ele faz um cara de ofendido e eu rio da sua reação
– Olha aqui seu projeto de coelho, se ta querendo um banquete vai morar com o Jin hyung. Agora vai se arrumar logo.

Para não perder a oportunidade de comer pizza vou, rindo da cara do Jimin, tomar meu banho. Coloco minha calça preta justa, uma camisa da mesma cor e meu inseparável coturno amarelo. Saio do quarto e encontro o Jimin no celular com alguém, me sento espero ele acabar a ligação.
– Uhum... Tá, pode ser. Mas vou ver se ele me liga, sacanagem ir sem ser convidado. - ele fala enquanto pega as chaves, sua carteira e faz um sinal de que já íamos sair. Me levanto e vou até a porta, ele vem atrás de mim ainda no celular.
– Tá ok, Hobi. Mas não prometo nada.
Paro e o encaro enquanto o mesmo guarda o celular e me olha confuso.
– Por que estava falando com o Hoseok?- Ele ri da minha pergunta, com razão, admito. Mas foi mais forte que eu.
– Kookie, ele ainda é meu amigo, e ele não ficou com o garoto que eu tô afim. Ou seja, eu não tenho motivos para não falar com ele.
– Desculpa, hyung. Não é da minha conta.
Abaixo a cabeça envergonhado e volto a caminhar para fora no apartamento.
– Tudo bem, eu entendo. Só controle esse ciúmes. - ele fala rindo anasalado
– Eu não estou com ciúmes. - retruco
– Como quiser. - ele levanta as mãos mostrando rendição.– Enfim, ele me ligo para saber se nós vamos na festa do Namjoon.
– Que festa?! - perguntei surpreso. Mas que hyung falso, tantos anos de amizade e nem chama os amigos, que decepção.
– Também não sei, pode ser do aniversário dele. Ele pode ter tido algum problema, você o conhece, ele com certeza nos chamaria. Relaxa, tá? - ele fala ao perceber minha expressão chateada. Kim Namjoon é um ótimo hyung, ele preza muito suas amizades, com certeza deve ter acontecido algo.

Decido não pensar mais nisso e continuamos andando até a pizzaria perto do nosso apartamento (sim, esse foi o motivo de escolhermos ele para morar, além de ficar perto da escola e de uma praça). Chegamos e escolhemos uma mesa no canto e com uma janela do lado, o lugar não está cheio e tem um clima bem aconchegante, não demora e um rapaz vem nos atender, pedimos uma pizza metade frango e metade pepperonni.
– Então - Jimin começa a falar, assim que o garçom se afasta - Ainda está estressadinho por causa do Tae?
Bufo passando a mão nos cabelos e os puxando na nunca, sim eu ainda estava estressado. Não é fácil ser trouxa. Mas não vou descontar no Jimin, afinal ele só quer me ajudar.
– Hyung, eu estou tão confuso. Eu só... Eu realmente não sei explicar isso. Que merda!
Ele ri da minha reação.
– Efeito Kim Taehyung, meu caro. Você podia conversar com ele de vez enquando. Você ja deve ter tentado alguma coisa, né? Não sei como você consegue se controlar, porque Kim Taehyung é um pedaço de mal caminho.
– Eu não sou como você, Park Jimin, que já avança na pessoa e dois dias depois já estão se comendo, eu hein. - respondo.
– Olha só, deixando claro que eu e o Hobi já tinhamos nos encontrado uma vez em um show e eu só transei com ele depois de duas semanas que nos reencontramos. E me responde logo. - Rio com sua resposta.
– Já tentei, sim. Mas só alguns 'bom dia' e algumas explicações daquele trabalho de química, isso quando não gaguejo, ai não sai nada.
– Não é possível! - ele fala surpreso - Jeon Jungkook, sem conseguir falar. Eu tenho que presenciar um momento desse.- ele começa a rir
– Você não leva nada a sério. Nem para ajudar seu dongsaeng. - coloco um bico nos lábios enquanto ele se acalma.
– Não é possível!
– Dá para parar de falar isso?
– Parece que eu vou ter meu desejo realizado.


Notas Finais


Obrigada por lerem. Se notarem algo errado podem falar :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...