História Love is not over - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Namjin, Taekook, Texting, Vkook, Yoonmin
Exibições 43
Palavras 4.402
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, bolinhos.
Eu sei, meio atrasada, me perdoem. Mas minha vida é uma montanha russa que só tem loop...

Espero que gostem, porque foram mais de 4 mil palavras, tudo isso por vocês.

Boa Leitura!

Capítulo 11 - ...is real?


Qual é o problema desse colégio? Qual a necessidade de colocar esses preços absurdos na cantina? Já estou vendo que vou ter que me prostituir se quiser continuar comendo aqui. Vocês devem está me perguntando: “Por que não traz de casa?”, então, certa anta acéfala, que estava encarregada das compras do mês, esqueceu de ir no supermercado e agora estamos vivendo a base de cereal. Obrigado, Park sem rola Jimin. Esculhambo mesmo, me deixe com fome e eu sou a pior coisa que vai ver no dia. Por sorte hoje vou almoçar com o Tae e não vou precisar comer Yakisoba congelado, detalhe que foi de ontem, além da companhia ser maravilhosa. Agora, com meu lanche, que parece ter sido comprado na loja da Apple, vou até a mesa que costumo sentar com meus amigos. Lá se encontrava o JB, que dessa vez não estava acompanhando pelo Hobi, nem pelo Tae, mesmo eu sabendo que ele não viria não custa nada ter esperança, o Mark e o Jinyoung também estavam lá, me sentei discretamente ao lado do hyung de tope e cabelo preto aproveitando minha comida quieto para não correr o risco deles pedirem um pedaço. Infelizmente, não deu certo, como sempre é na vida de Jeon Jungkook, Jimin chegou anunciando para quem quisesse ouvir que eu tinha comida. Essa ferrugem ambulante me paga.

– Jungkook, quando você chegou aqui? - Jinyoung, que estava sentado de lado conversando animadamente com o Mark, perguntou enquanto o loiro ao seu lado praticamente babava pelo meu salgado de frango, que inclusive está uma delícia e quentinho.

– Agora - respondi simplista e dei uma mordida generosa no alimento na minha mão, estava demorando para alguém me pedir um pedaço. Esse alguém é ele mesmo, o que me entregou. – Jimin, eu nem estaria precisando gasta 35 mil do meu dinheiro para comprar comida se você não tivesse esquecido de ir no supermercado. - o mesmo me olhou incrédulo e bufando em seguida. Gente, comida é comida, e quando é cara a gente não pode sair dando assim não.

– Eu já pedi desculpa, Kookie, por favor. - ele colocou um bico nos lábios carnudos extremamente fofo e me olhou piscando algumas vezes. Ah aí não, Park Jimin, apelar assim não vale.

– Hyung, fazer aegyo é um golpe muito baixo, até mesmo para você. - falei sentido que se ele continuar eu vou acabar cedendo e se eu der um pedaço para ele vou ter que dar para todos. E ele continuou, para completar pôs a mão na bochecha aumentando seu bico. – Argh! Tá, só um pedaço, hyung. E PEQUENO. - Fiz questão de gritar a última palavra. O mais velho sorriu e bateu as mãos uma na outra comemorando.

– Kookie, você sabe que é meu dongsaeng favorito não é? - bufei ao escutar as palavras de Mark, que antes babava pelo meu lanche e agora o devora com os olhos, nem perguntei ou protestei, apenas o entreguei o salgado e esperei o mesmo me entregar de volta. – Obrigado, senpai de senpai. - Ele agradeceu e quem estava na mesa riu, mas eu permaneci quieto os olhando sem entender a graça.

– Não entendi. - coloquei meus pensamentos em palavras e JB me olhou parando de rir.

– Calma, não estamos rindo de você. - Ele explicou, mas não adiantou, Jimin o puxou e falou algo em seu ouvido e o mesmo gargalhou, eu já estava ficando enraivecido.

– Então de quem é? - perguntei e ganhei a atenção deles, levantei uma sobrancelha esperando uma resposta.

– Do Taehyung. Não sabia que ele é meu senpai? - Mark falou, eles riram mais uma vez, mas foi da minha cara de pasmo. - Brincadeira, não se preocupe, você não tem concorrência.

– Que!? Concorrência para que? Você são loucos. - falei e voltei minha atenção para meu salgado, agora frio e nem tão apetitoso, ignorando os demais.

– O único louco é o Taehyung e por você. - JB também não dá um desconto, pelo amor de G-Deus, apenas bufei e revirei os olhos.

– Gente, já deu, não vamos estressar o nosso biscoito. - Jinyoung falou, acho que ele percebeu minha irritação. Mas agora não adianta, eu já perdi a fome e só quero sair daqui. Não estou irritado, mas esses tipos de brincadeiras são chatas, constrangedoras, além de o Tae não estar aqui para se defender.

– Obrigado, hyung, mas acho que vou passar o resto do intervalo lá fora. - Levantei com meu lanche, já acabando na mão e murmurei um Tchau para eles.

– Hey! Kookie! - Parei e Jimin veio até mim. – Você não está bravo, não é? - É a segunda vez que ele pergunta isso esta semana.

– Não, Minnie. Você está me perguntando muito isso. - Respondi rindo e afagando seus cabelos. – É só que eles falando essas coisas e-

– Não, eu entendo. - Ele me cortou e me lembrei que ele tinha falado algo no ouvido de JB e resolvi perguntar.

– Não foi nada, Jungkook. - Não acreditei e bati o pé o olhando. Ele fez um estalo com a língua e começou a falar. – Eu só disse que você conseguiu laçar o Tae.

– JIMIN! - É eu gritei. Imagine se o Kim escuta isso, pode pensar que eu que falei, além de ser uma idiotice. Ele só está sendo legal comigo e fala comigo como fala com todos os outros. Não é?

– Não grita e eu só falei para o JB. - ele se defende.

– Tá, que seja. Eu vou lá, tchau, hyung. - Falei finalmente dando o fora dali.

O gramado não tinha muitos alunos e o dia estava muito lindo, se eu pudesse, ficaria aqui brisando pelo resto da manhã. Mas a vida não é perfeita, então vou aproveitar meus últimos 8 minutos de intervalo. Caminho até a árvore, agora já tão conhecida por mim, retiro meu celular junto com os fones do bolso e os coloco dando play em 'Whistle’, me sento estilo índio e fico observando o vento soprar as flores das árvores e a brisa bater no meu rosto, começo a batucar os dedos no ritmo da música até sentir meu celular vibrar em cima da minha coxa. Sorri de imediato ao ver de quem era a mensagem.

TaeTae^^:

Koooookie

Me salva

Você:

Oiiiii

O que foi?

TaeTae^^:

Vou morrer de tédio

Nunca pensei que história podia ser tão chata

Você:

Morre não, pelo amor de G-Deus

Akakaka adoro história, é difícil eu achar chata

TaeTae^^:

Bom saber que você não deseja minha morte

Também, só que ficar mofando na biblioteca é um saco

Você:

Claro que não, como eu vou almoçar hoje?

Imagino, aqui fora está tão bom.

TaeTae^^:

Interesseiro. Devia deixar você morrer de fome ou ir comer a comida do Jimin.

Poxa, queria estar em qualquer lugar que não fosse aqui. Onde você está?

Você:

Por favor, não seja malvado assim comigo, nunca te fiz nada.

Estou sentado embaixo da “sua árvore” ouvindo música.

TaeTae^^:

Mesmo que eu quisesse, você não merece.

Akakaka ficou com saudades, né?

Você:

Claro que não, já olhou para mim? Sou um amor de pessoa.

Não, é que aqui é um bom lugar para passar o tempo.

TaeTae^^:

Parece um coelhinho… eu gosto de coelhinhos.

É mesmo, queria estar ai contigo.

Você:

Eu sou um coelhinho hehe

Queria você aqui, estaria bem mais legal e eu não estaria parecendo um gótico suave alone.

TaeTae^^:

Yah!

Akakakak vamos nos ver no fim da aula e teremos a tarde toda para ficarmos juntos.

Você:

Ye. Agora nós temos que ir, o sinal tocou :/

TaeTae^^:

Infelizmente :(

Até mais tarde, Kookie XD

Você:

Até, TaeTae XD

Tirei meus fones e guardei os mesmos nos bolsos junto com o meu celular, fui caminhando até a sala com um sorriso nos lábios que não queria ir embora. Bobo? Claro. Mas é inevitável quando se trata de Kim Taehyung. Não vou dizer que a aula passou tranquilamente, pois estarei mentindo, a cada minuto que se passava mais meu estômago revirava de nervosismo que nem espaço para sentir fome eu tenho. Decido ignorar esse nervosismo que persiste em continuar e aumentar, mas não foi fácil.

Taehyung P.O.V

Quando saí da biblioteca não pensava outra coisa além de Jungkook, claro que eu não iria conseguir passar o intervalo sem falar com ele. Psicopata? Um pouco. Depois que Jimin me abandonou no meio daquele aglomerado de livros, quando terminou seu trabalho, fiquei pensando sobre hoje e onde iria levar o Jeon para almoçar, não posso fazer feio já que é a primeira vez que vamos sair. Não quero chamar de encontro, porque não é, apenas vamos sair juntos para comer e comprar purpurina, super normal. No final das aulas decidi ir até a sala dele, acompanhado de Jimin, mesmo eu tendo pedido para ele me esperar na árvore não custa nada tentar. Assim que chegamos ele já estava seguindo caminho para a saída do colégio, andamos mais rápido para tentar lhe alcançar e Jimin consegue pará-lo pondo a sua mão no ombro do moreno, que estava com fones, como sempre.

– Ô Moleque, você anda rápido demais - Jimin fala e é ignorado, pois eu e Jeon estávamos nos encarando com um sorriso casto em nossos lábios.

– Oi, Kookie - Comecei falando e me aproximando, agarrei sua cintura com minha direita e depositei um beijo no canto de sua boca, me afastei sorrindo para ele, que estava corado.

– Oi, TaeTae - Ele me respondeu, naquele momento parecia que todo o colégio tinha desaparecido e existia somente nos dois. No nosso pequeno universo, mesmo que levemente limitado por não sermos ainda tão próximos, uma bolha que eu mesmo me encarreguei de criar para nós dois, para que pudéssemos fugir de tudo e todos, pelo visto ele me acompanhou e não se preocupou em sair dela. Poderíamos continuar assim, se Park Jimin não tivesse chacoalhado nossos ombros irritado por não termos lhe dado atenção. Quebramos o contato visual para olhá-lo, percebi que Jeon estava levemente envergonhado por causa desse nosso pequeno momento, mas sorria mostrando seus dentinhos de coelho. Fofo.

– Desculpa, hyung. - Moreno se desculpou. – O que foi que você estava falando?

– Yah, tudo bem. Eu estava tentando pergunta que horas você vai voltar? - O alaranjado falou e Jungkook me olhou sendo seguido por Jimin.

– O que foi? - Pergunto alternando o olhar entre os dois.

– Que horas você acha que vamos voltar? - Kookie me perguntou, só então me toquei que não tinha ideia e nem pensado se iríamos demorar tanto ou não.

– Não tenho ideia. - Ponho meus pensamentos em palavras dando de ombros e o moreno na minha frente rir.

– Está aí sua resposta, hyung. Por que quer saber? - Ele diz divertido para o alaranjado que riu anasalado.

– Ótimo, depois não me ligue desesperado porque foi estuprado por esse maluco. - ele diz rindo e Jungkook também rir mas revira os olhos depois.

– Ei! Olha a boca, assim vai assustar o menino e me entregar. - falei causando um risada no alaranjado e uma cara de espanto no moreno. – Calma, Kookie, eu não sou um estuprador. - Ele começa a rir pondo a mão no peito murmurando um 'ufa’.

– Então, caso você chegue e eu não esteja em casa é porque eu fui fazer as compras. Está com sua chave? - Jimin explica e o outro confirma com a cabeça para sua pergunta. – Você trouxe casaco? Essa blusa não é quente o suficiente. - O mais velho continua o interrogatório, que ele deve ter roubado de sua Omma, fico observando enquanto Jeon bufou impaciente.

– Hyung! Eu agradeço sua preocupação, mas já chega. Eu vou ficar bem. Ok? - O moreno põe a mão nos ombros do maior e olha nos olhos do mesmo.

– Ok. Então eu já vou, tchau. - Ele se despede e dá um beijo na testa do moreno, involuntariamente trinquei meu maxilar e minha expressão ficou séria. – E você, Taehyung, cuide bem dele. - Ele se virou para mim e ergueu as sobrancelhas ao ver meu jeito, tratei logo de respirar fundo e me acalmar, assim que o fiz balancei a cabeça positivamente para o mesmo. Ele logo seguiu para fora do colégio sendo acompanhado pelo meu olhar, me virei e Jungkook me olhava, ela estava encostado na parede e percebeu o que estava fazendo, sorri para o moreno.

– Vamos? - Ele perguntou.

– Só preciso pegar o capacete. - Digo e faço um gesto com a cabeça para ele me acompanhar pelo corredor até o armário que eu usava para guardar os capacetes. Era no vestiário dos jogadores do time de basquete aqui do colégio, nosso time é muito bom e temos muitas vitórias, além de que quem participa ganha créditos com o colégio e alunos. Eu até pensei em entrar, mas não vi necessidade, já que eu fazia dança. O vestiário fica ao lado da quadra, que quando não tinha evento, fica ocupada por alunos que enchem as arquibancadas para bater papo, ou fazem uma roda no chão, alguns mesmo levam violão e outros caixinhas de som para colocar música para os demais ouvirem, até o ano passado eu e Jimin costumávamos a treinar algumas coreografias e éramos observados por alguns de longe. Mas depois que eu saí da academia de dança, e o Jeon veio estudar em Seul, paramos com os ensaios, mas ele e o Hobi continuam de vez em quando e ambos ainda freqüentam a academia de dança, o que explica o corpo definido e invejável dos dois. Chegamos e vou até o armário de um dos jogadores, Shin Donghyuk, um amigo meu que me deixava guardar o capacete que eu vinha e um reserva, como acontecimentos como o de hoje. Com a senha em mente abro o armário, checo uma foto nossa na porta do mesmo e sorriu vendo que ele não tinha tirado ela dali, nós dois estávamos abraçados de lado, ele estava com seu indicador apontado para mim e eu colocava o meu em sua bochecha que estava inflada enquanto dava um dos meus sorrisos retangulares. Jungkook olha por cima do meu ombro e observa a foto comigo, pelo canto do olho o vi torcer os lábios.

– Quem é esse? - Ele perguntou virando sua cabeça na minha direção, fiz o mesmo e ouvi engoli seco, já que nós estávamos tão perto que podíamos sentir a respiração um do outro. Meu olhar foi até seus lábios rosados, passei a língua pelos meus e desviei olhando para dentro do armário, ele se afastou também se apoiando na lateral da cabine de ferro com os braços cruzados.

– Shin Donghyuk, amigo meu do time de basquete. - respondi me esticando para pegar os capacetes, entreguei um para ele segurar enquanto pegava o outro.

– Ah. Vocês são muito próximos? - ele falou, fechei o armário e seguimos para fora do vestiário. Pensei na minha resposta, já que eu e o Dong tivemos um quase namoro. Como assim?, vocês me perguntam, nós começamos a ficar até que denominamos que era fixo e não um namoro, já que não queriamos nos prender a ninguém e não tinha sentimentos envolvido. Mas quando vimos que não daria certo resolvemos acabar, não foi horrível, muito pelo contrário, hoje temos uma das melhores amizades, não passa disso. Acho que é desnecessário contar, não é? Não vai mudar nada na vida dele.

– Mais ou menos, ele sempre está com o pessoal do time e de seu grupinho, não nos falamos tanto como antigamente.

– Hm. Legal ele fazer basquete. - Ele disse simpático e sorrir para ele.

– Sim, você gosta? - perguntei, chegamos nos portões do colégio e abri a porta, como o bom cavalheiro que sou, para ele passar.

– Gosto, um dos meus esportes favoritos. - ele disse e fomos até o estacionamento.

– Por que não entra no time? - perguntei e chegamos na moto, montei na mesma e a liguei, notei o olhar de Jungkook sobre minha coxas. – Psiu! - chamei e ele me olhou envergonhado, apenas ri e repeti a pergunta.

– Não sei, acho até uma boa ideia. - ele disse e eu afirmei.

– E eles estão precisando de novos jogadores, já que ano que vem os do último ano vão para a faculdade. - Disse e ele repetiu meu gesto concordando com a cabeça.

– Vou pensar. - ele disse sorrindo e eu coloquei meu capacete levantando a viseira.

– Que bom, agora, vai subir ou não? - falei divertido e ele sorriu pondo o capacete, ele colocou um pé no pedal, apoiou suas mãos nos meus ombros dando impulso e subiu. Procurei seus braços com as mãos para trás, assim que os peguei coloquei sua mãos ao em minha cintura. – É melhor se segurar. - disse e ele apertou minhas ancas em um sinal que iria fazer o que eu disse. Dei partida na moto e fomos até o restaurante que escolhi para almoçarmos, o caminho foi tranquilo e o calor que suas mãos passavam para minha pele, mesmo coberta pela roupa, era aconchegante demais e fazia meu coração dar saltos.

Quando chegamos a um restaurante de comida tailandesa, estacionei e Jeon desceu primeiro retirando seu capacete, ele balançou os cabelos negros passando a mão em seguida. G-Dragon, como ele é lindo. É melhor eu descer da moto antes que eu termine babando. Tirei meu capacete e ajeitei minha franja, Jeon lia o nome de restaurante e fui até seu lado.

– Escolhi bem? - perguntei mordendo meu lábio.

– Muito bem. - ele disse sorrindo. Kim Taehyung é um máximo, não é mesmo? Sorrir de volta e reparei que seu cabelo tinha uma flor, provavelmente da árvore de lá da escola, me aproximei levando minha mão até sua cabeça, como ele não recuou, continuei e tirei a pequena planta de seus cabelos, aproveitei e passei a mão arrumando os mesmos, não que precisasse, mas foi bom sentir a maciez deles. Em momento algum seus olhos abandonaram minhas ações, eles estavam bem atentos e aquele universo, aparentemente indecifrável, prende meu olhar e ficamos assim, nos encarando novamente em uma bolha só nossa com sorrisos em nossos rostos.

– É melhor nós irmos logo. - Ele falou e só então me dei conta que estava olhando para seus lábios, imaginando como seria beijá-los. O que você está fazendo comigo, Jeon?

– É… vamos. - Sorri casto para ele e passei meu braço pelo sua cintura, assim entramos no restaurante, o mesmo estava cheio e com poucas mesas disponíveis. Quando nos sentamos, em uma mesa no final do restaurante, um garçom veio até nós perguntando o que iríamos querer.

– Porco com molho agridoce - Respondemos, acredite ou não, em uníssono. Até o rapaz na nossa frente se assustou, não tanto como eu, mas se foi engraçado ver sua cara.

– Ok, então, vão querer algo para beber? - Nós olhamos e rimos, Jungkook abaixou a cabeça levantando logo em seguida.

– Você primeiro. - ele falou pondo a mão no queixo. Voltei a cabeça para o garçom que esperava a resposta.

– Uma água com gás, por favor. - Virei para Jeon, ele arqueou uma sobrancelha e me imitou, olhou para o garçom e repetiu minha fala.

– Uma água com gás, por gentileza. - Rimos, a pesar de não saber se foi outra coincidência ou ele fez de propósito, mas de qualquer forma foi engraçado. O garçom foi embora dizendo que logo nosso pedido chegaria.

– Você imitou meu pedido de propósito ou…? - Ele perguntou e coloquei meus braços em cima da mesa brincando com meus dedos.

– Você que me imitou, seu coelhinho atirado. - Demos uma gargalhada e ele sacudiu a cabeça.

– Acho que nunca saberemos. Então, TaeTae, como foi sua manhã? - Ele perguntou, puxando assunto, mordi meu lábio me ajeitando na cadeira e cruzei meus braços ainda por cima da mesa.

– Totalmente entediante. Preferia mil vezes estar com você. - disse e Jeon me olhou corando levemente. – E a sua manhã?

– Ah, não foi diferente da sua. Os meninos ficaram com idiotices e eu preferi ficar escutando música lá na árvore. - Ele explicou.

– Tadinho, ficou sozinho com aqueles brutamontes. - falei arrancando uma gargalhada dele. Nunca vou me cansar de vê-lo sorrir, é como um calmante dos deuses. Você pode ter um dia ruim, o pior de todos, mas no momento que olhar para esse sorriso de coelho de Jeon Jungkook, será como se nada tivesse te incomodado. Você vai perceber que tudo valeu a pena, que vale a pena viver para poder ver seu sorriso novamente, mostrando que tudo ficará bem. Não interessa qual momento que você esteja vivendo, você se sentirá bem melhor.

– É… você foi fazer trabalho e me deixou com aqueles animais. - Ele continuou divertido.

– Desculpa, Kookie - Fiz um bico nos lábios e ele negou com a cabeça rindo. – Vou recompensar com essa tarde maravilhosa que teremos, Ok? - Coloquei um dos meus sorrisos retangulares e dei uma piscadela para ele.

– Ok, TaeTae, me surpreenda. - Rimos e o mesmo rapaz que nos atendeu trouxe nossa comida.

– Bom apetite, pombinhos. - ele se afastou dando um sorriso para nós, sorrir de volta para ele, já que o mesmo foi muito simpático. Jeon se encolheu na cadeira envergonhado, mas tinha os lábios repuxados num sorriso casto.

Começamos a comer, assim que coloquei a carne de porco na boca soltei fogos de artifício internamente. Fechei os olhos e mastiguei devagar, mas no momento que os abri e meu olhar caiu sobre o moreno na minha frente, os fogos foram substituídos por um canhão, que mirou certeiro e deu um tiro fatal. Ele estava com a boca um pouco aberta, a bochecha estava inflada por causa da comida, os olhinhos fechados, como eu estava a segundos atrás, mas o que me deixou paralisado foi o som/gemido que ele fez.

– Isso está delicioso. - Senhor, cadê o oxigênio que você disse que criou? Tiro minha atenção de seus lábios, os quais ele estava passando a língua para limpar, e abro minha água. Quase que eu não o respondo.

– Está mesmo. - Digo tomando uma quantidade razoável. – Então, não esqueça do almoço na minha casa amanhã.

– Ah, claro que não vou esquecer. - Ele falou e tomou um pouco da sua água. – E obrigado pelo convite, hyung.

– Disponha, Kookie. - Disse e olhei para a minha comida, brinquei com o hashi e voltei a olhá-lo.

– Você mora com sua avó, não é? - Ele continuou a conversar.

– Sim. - abri um sorriso ao falar dela. – Mas meu Tio também mora conosco. - Mudei minha expressão é fechei minhas mãos deixando em punhos.

– Tenho a leve impressão de que você não gosta dele. - Jungkook disse me olhando receoso e para minhas mãos.

– Você não faz ideia do quanto aquele homem é um peso na minha vida. - Ele me olhou e pôs sua mão por cima da minha fazendo um leve carinho na mesma, desfiz os punhos me deixei levar pelo carinho do menor.

– Eu não o conheço, então o mínimo que eu posso fazer é te deixar relaxado. Porque eu não quero te aguentar de mau humor a tarde toda. - Ele disse meio sério e meio divertido.

– Obrigado, Jungkookie. - Pego sua mão e deixe uma beijo nas costas da mesma. Ele me observou atentamente até eu largar sua mãos para ele voltar a comer.

– Disponha, TaeTae. - Ele falou sorrindo e sorrir de volta. – Agora, deu para ver que você gosta da sua avó. Seu olhos brilharam quando você falou dela. - Ele disse e continuou a comer em seguida.

– Eu a amo, ela é a pessoa que eu posso conversar sobre minhas dificuldades, lamentações e sobre o que eu quero comer. - Eu falei e coloquei comida na boca. Continuamos a falar, sobre tudo, contei um pouco de como eu conheci Jimin e da nossa infância, de quando me mudei para Seul, logo depois Jimin também veio e fomos fazer aulas de dança. Ele me contou que também nasceu em Busan, mas só se aproximou de Jimin depois que eu fui embora, eles combinaram de morar juntos, por isso Jimin veio antes para ajeitar as coisas para quando ele fosse começar o ensino médio. Quando acabamos, pedi a conta e vi Jeon pegar a carteira dele.

– Posso saber para que esta pegando sua carteira? - Falei e ele franziu o cenho.

– Para pagar a conta. - ele disse como se fosse óbvio.

– Quando eu te convidei a minha intenção era pagar para você. - Falei, ele corou e negou.

– Não, vamos dividir. Até porque… - Ele parou de falar e murmurando 'esquece’.

– O que? - Perguntei e ele começou a corar.

– Nada, hyung. - ele disse e eu insisti.

– Fala, Jeon. - O chamei pelo sobrenome e ele engoliu seco. Tá, eu posso ter assustado ele.

– Até porque isso aqui não é uma encontro para você pagar tudo sozinho. - Ele finalmente disse e olhou para algum lugar para não me encarar. Eu não pude deixar de sorrir.

– Mas se eu quiser que seja? - O menino que parecia um coelhinho virou um cosplay de morango de tão vermelho.

– C-como? - Ele olhou arregalado para mim, gaguejando e corado.

– E se eu quiser que seja um encontro? - repeti.

– V-você q-quer? - ele perguntou, o meu sorriso não deixou meus lábios em momento algum.

– Eu não ía falar nada, mas bem que eu queria. - Abaixei a cabeça. – Mas não se preocupe, outro dia teremos um melhor. - Olhei para ele, que parecia estar em transe, ergui minha sobrancelha direita esperando alguma reação.

– Outro dia? - Desviando a atenção de mim, ele falou.

– Sim, Jeon Jungkook, quero sair mais vezes com você. - Sorrimos e peguei sua mão, que estava por cima da mesa, e depositei um selar carinhoso.

– Eu também quero sair mais vezes contigo, Kim Taehyung.


Notas Finais


3...2...1...BOOM!
50 FAVORITOS! MUITO OBRIGADA!
Porra, eu amo vocês. Não imaginei que alcançaria tanto. Espero conseguir mais, claro com vocês.

Obrigada, mais uma vez! 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...