História Love is not over - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtanboys, Bts, Jeon, Jungkook, Titiakimnari
Visualizações 80
Palavras 1.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Genteeee ta horrível..


Mais tem treta.. e isso é legal😂

Kisses suas linda e obrigada pelas 100 visualizações❤❤ já amo vocês.

Boa leitura💙👍

Capítulo 7 - Sara


Acordo mais perdida que cego em tiroteio (N/A: Minha vo dizia isso ) levanto ouvido uma gritaria no andar de baixo da casa. Saio do quarto e caminho até o andar de baixo. Vejo uma Ruiva pintada de vestido. Chego por trás do Kook e encosto no ombro dele. 

 -Alguém me explica que gritaria é essa na porta da minha casa? -Digo cruzando os braços. 

 -Você que é Kim Sook? -pergunta a ruiva. 

 -Sara fic.. -ela interrompe ele.

 -Então, Eu sou amante do seu Marido. -Diz ela com sorrisinho que me deu nojo.. 

 -Sério? Que legal. -digo fingindo estar surpresa. -Eu ja sabia -Digo seria.

 -Você é ridícula mesmo. Sabe que o Marido fica com outra e mesmo assim fica com ele.. você não tem vergonha não? -diz ela nervosa.

 -Olha Querida, Juro que quem deveria ter vergonha aqui, é VOCÊ, afinal, eu não peguei homem casado. -Digo dando ênfase no Você. 

 -VOCÊ É UMA VAGABUNDA. -grita vindo pra cima de mim.

 Sinto um tapa sendo desferido em minha cara e logo revido, puxo o cabelo dela e a jogo no Chão. Sento encima da barriga da mesma e começo a dar socos e tapas na cara dela. Logo a mesma acerta minha barriga e eu caio. Ela monta encima de mim e fica batendo na minha cara. Quando ela foi me dá um soco na boca, Acertei em cheio o Nariz dela que logo começou a sair sangue. Ela caiu pra trás e eu montei nela. Comecei a desferir socos em uma sequência de Direita e esquerda. 

 -VAGABUNDA É A SENHORA SUA MÃE. -digo dando mais socos.

 -ELE DISSE QUE SENTE NOJO DE VOCÊ. -diz tentando me bater.

 -LEGAL SUA PIRANHA. -digo batendo com a cabeça dela no Chão. -EU QUERO QUE VOCÊ E ELE SE EXPLODAM FEITO BUJÃO DE GÁS. OS DOIS SE MERECEM, NÃO VALEM NADA -Grito batendo a cabeça dela no Chão. 

 -ELE NÃO TE QUER MAIS.. VOCÊ NÃO CONSEGUIU NEM DAR UM FILHO PRA ELE. -grita.

 Ela não podia ter falado isso.

 Ela não deveria. 

 Ela não podia nem sonhar em falar nisso.

 Mais ela falou.

 Ela disse

 Ela conseguiu me fazer ficar com ainda mais raiva dela. 

 Ouso vozes no fundo mais não dou muita importância, dou tapas mais fortes e socos duas vezes mais pesados. Eu já sentia algo quente molhando minhas mãos mais nem liguei. Ela arranhou meus braços enquanto eu dava socos por todo o rosto e peitos dela. Logo sinto braços Me puxarem pra cima e a vagaba aproveitou disso e me deu um chute na barriga.. Me soltei não sei como eu me soltei e dei um chute nela. Acho que acertou na barriga, não sei ao certo. Senti de novo ser puxada para trás. Respirei fundo e amarrei meu cabelo. Subi pro quarto e comecei a fazer minhas malas. Aqui não dava pra ficar. Coloquei as roupas de qualquer jeito na mala. Se eu estava chorando? 

 Não, aliás, eu nem consegui. A raiva estava falando mais alto e o ódio de Jeon tava matando toda aquela vontade de chorar. Fechei a mala de qualquer jeito, peguei meu celular, vesti um short por baixo da blusona e desci as escadas. Acho que aquela piranha ja foi embora, Jeon tentava normalizar a respiração enquanto Jimin tentava limpar o vaso de plantas que ficava perto do sofá. Desci as escadas com dificuldade por conta da mala e passei por Jeon. Pousei minha mala na frente do mesmo e o encarei com os olhos marejados.

 -Eu te odeio. -digo e por impulso acerto a cara dele com um tapa. 

 -Kim.. me perdoa?- pergunta também chorando.

 -Como você teve coragem de dizer que tem nojo de mim? Nem o fato de você ter uma amante me machucou tanto quanto o fato de você dizer isso de mim. -digo com a voz fria.

 - Ela mentiu. -Ele diz tentando pegar em minha mão. 

 -Você acabou comigo Jeon, acabou com a gente, acabou até mesmo com você. Espero que você se lembre todos os dias da sua vida o que fez comigo e torço pra você nunca ser traído. Doi muito e eu não quero que você sinta dor. -Digo chorando. -Adeus Jeon. -Digo pegando minha mala e caminhando até a porta.

 -Não desiste de nós.. Por favor. -escutei ele dizer chorando.

 - Se cuide. -digo tentando não chorar mais minha voz me entregava. 

 Caminho até meu carro e coloco minha mala no porta malas. Tranco o mesmo e entro no meu carro. Grito de ódio e deixo lágrimas escaparem. NÃO SE APAIXONEM, MACHUCA DEMAIS. 

Olho pras minhas mãos e vejo que nelas tinha sangue. 

Sangue daquela VAGABUNDA. 

Limpo na blusa e ligo meu carro, saio dali arrancando pineus. Sinto o cheiro de Borracha queimada mais nem ligo. 

 Eu só precisava sair da li

 Eu tinha que sair da li

 Eu ansiava por sair da li.

Odio, raiva, nojo, vergonha, amor, ilusão. Tudo se misturava, tudo estava amutuado um encima do outro. Eu não sabia o que fazer, Eu não tinha cabeça, Eu so sabia chorar, isso! Chorar parecia a solução mais óbvia no momento, eu como psicóloga não deveria agir assim. 

 Mais agi, agi como uma adolescente com os nervos a flor da pele. 

 Agi como uma irresponsável. Dirijo até a casa onde eu sabia que me acolheriam. 

 Jin.

 Jin me acolheria com toda e total certeza. Saio do carro e aperto a campainha da casa do mesmo. Logo o mesmo abre e me encara assustado pela camiseta do Jungkook estar suja de Sangue da VAGABUNDA. 

 -O QUE ACONTECEU MENINA? -pergunta colocando a mão na boca, eu comecei a chorar. -Entra.. -Diz dando espaço pra mim. Ativo o alarme do carro e entro. -Me explica o que tá acontecendo? -pergunta me obrigando a sentar no sofá. 

 -Posso ficar aqui até a manhã? -pergunto chorando.

 -Mais é claro que sim.. DE QUEM É ESSE SANGUE? -pergunta apontando pra camisa do Jeon. .

 -da Sara. -digo olhando pra baixo. 

 -VOCÊ MATOU ELA? -pergunta assustando. 

 -Ela foi atrás de mim. -digo o encarando. -Mais eu não a Matei. -digo respirando fundo. 

 -Me explica. -Diz se ajeitando no sofá.

 Expliquei tudo pra ele e o mesmo ficou com ódio mortal de Jeon e de Sara. 

 -Mais que safada. -Diz. 

 -Pois é. Posso tomar um banho? -pergunto apontando pro andar de cima. 

 -Claro.. pode deixar que eu levo sua mala. -Diz beijando minha testa e pegando a Chaves do meu carro. 

 Subo até o quarto de Hóspedes e me sento na cama. Desabo em lágrimas e logo caminho até o banheiro. Ligo o chuveiro e me sento no Chão de roupa e tudo. Minhas pernas não tinham firmeza pra ficar em pé. Eu so sabia chorar muito, muito mesmo. Eu tinha que botar aquela dor pra fora. E o Jeito que eu escolhi, não foi um dos mais corretos pra uma psicóloga.  


Notas Finais


QUAL SERÁ QUE FOI O JEITO?

TÁ AÍ MAIS UM CAPÍTULO E OBRIGADA NOVAMENTE PELAS 100 VISUALIZAÇÕES.



BEIJOS E ATÉ A PRÓXIMA.

(acho que amanhã tem mais)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...