História Love is treacherous? ( Lutteo, Simbar e Gastina) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Amor, Declaraçoes, Namoro, Romance
Exibições 473
Palavras 3.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiiii meu amores arrasadores, como você estão? Quero dizer que A-M-E-I os comentários e comecei a responder, você viram? Vou responder o restante agora! OBRIGADO por tudo.

JÁ SOMOS 129 FAVORITOS, AH MEU DEUS, TO FELIZ DEMAIS, VOCÊS SÃO OS MELHORES SEMPRE!

AMO VOCÊS!

Dedico a Naty e a Janinha ❤

Este é o maior capítulo que já escrevi para ESTA fanfic, UHUUUUUUU, e tem o melhor shipper nesse capítulo: Gastteo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, sorry não resisti.

Boa leitura *-*

Capítulo 10 - Estou me apaixonando


Fanfic / Fanfiction Love is treacherous? ( Lutteo, Simbar e Gastina) - Capítulo 10 - Estou me apaixonando

“Escondo o que estou sentindo, mas estou cansado de segurar isso dentro da minha cabeça, eu venho perdendo tanto tempo só pensando em você. Não sei o que fazer, eu acho que estou me apaixonando por você”. 

 

Luna estava chocada com a ação de Matteo, fora pega de surpresa, a garota estava de olhos arregalados e paralisada, não sabia como agir, ao ver a falta de ação da garota Matteo afastou-se do “beijo”.

Matteo estava com a expressão cansada, parecia ainda mais chateado do que antes, pegou o violão murmurou um “até logo” e saiu.

Luna estava estática na mesma posição de antes, depois de alguns momentos a morena saiu do transe e andou rapidamente pelo Roller procurando pelo Mauricinho, mas ele aparentemente já havia ido embora, queria conversar com ele, porém estava muito confusa, não fazia ideia do porquê Matteo havia lhe beijado, talvez tivesse sido apenas para calar a boca dela.

Porém a morena resolveu olhar no estacionamento para ter realmente a certeza de que ele tinha ido. Pode ver então o moreno fechando a mala do carro.

- Mauricinho. Luna chamou e Matteo automaticamente para ela.

Luna andou apressadamente até ele.

- Por que me beijou? Luna perguntou direta.

- Pelo óbvio, eu gosto de você. Matteo respondeu sincero, Luna entendeu que não era um gostar de amigos.

- Eu também gosto de você. Luna disse e Matteo não conseguiu evitar um sorriso.

O moreno se inclinou para beija-la, mas a mexicana o parou com a mão.

- O que foi? Matteo perguntou sem entender.

- Mesmo que nós dois gostemos um do outro, não acho que daríamos certo. Luna respondeu.

- Luna, não importa, quando duas pessoas se gostam, elas ficam juntas e pronto. Matteo disse.

- Nunca daríamos certo Matteo, somos diferentes demais, não quero te perder. Luna justificou.

- Não é o que parece. O moreno disse incrédulo.

- Quero você na minha vida, mas tem de ser como amigo, além disso não quero me apaixonar. Luna rebateu.

- Tudo bem Luna, continuaremos sendo amigos, só cuidado para não se arrepender dela depois, poderá ser tarde. Matteo disse chateado.

- Mantenho o que eu disse, Mauricinho. Luna respondeu.

- Entendo, mas agora tenho que ir Menina Delivery. Matteo respondeu e ia entrar no carro, mas Luna o abraçou. Matteo correspondeu o abraço, mas logo separou-se dela.

Entrou no carro, passou uma mensagem para Gastón e ligou o carro indo embora dali.

Luna acompanhou o carro sumir.

Se sentia triste demais. Gostava de Matteo, de verdade. Mas não queria sofrer. O que ela não percebia é que sofreria ainda mais por não o ter da maneira que ela queria. Sua escolha traria consequências.

 

Simón e Ámbar estavam na pista pois havia chegado a hora do ensaio, porém a loira continuava sem dirigir a palavra ao mexicano, o que o estava enlouquecendo.

- Sua roupa está fora de moda, sabia? Simón disse para provocar Ámbar que lhe fuzilou com os olhos.

- É sério, elas são bregas. Simón completou se fazendo de sério.

Ámbar abriu a boca indignada, mas logo voltou a fecha-la, não iria falar com Simón, não mesmo.

Ele tentou manter a calma para que pudesse seguir a provocando, não gostava nada de ser ignorado, já que ofensas não estavam surtindo efeito teria que faze-la falar de outra maneira.

- Mas não importa sua roupa porque seus olhos são tão bonitos que é difícil desviar deles. Simón falou como quem não quer nada.

Ámbar olhou para ele surpresa, era a primeira vez que Simón a elogiava.

- São tão azuis, é como olhar para o mar, de uma certa maneira me faz sentir em casa, é como se eu estivesse no México, na praia, sinto isso apenas de olhar para eles. Simón continuou.

- Se é assim, por que briga tanto comigo? Ámbar perguntou por impulso sem conseguir se controlar.

- Ela fala. Simón disse comemorando.

Ámbar revirou os olhos.

- Não vai me responder? Ámbar disse de forma impaciente.

- Você acreditou mesmo nisso? Só disse isso porque queria te fazer falar. Simón respondeu rindo.

- Você é um idiota. Ámbar reclamou.

- E você é uma metida. Simón disse.

- Eu não sei o que tinha na cabeça para aceitar patinar com você. Ámbar disse com raiva.

- Eu era sua única opção, está lembrada? Era isso ou ficar sem patinar. Simón zombou.

- Deveria ficar sem patinar, iria a perder a competição, mas pelo menos não teria que aturar alguém patético como você. Ámbar disse de modo superior.

- Você é insuportável mesmo, ou fez aulas para isso? Simón provocou.

- Aprendi com você. Ámbar disse com desprezo.

Simón pegou no braço dela com raiva.

- Eu já disse para não encostar em mim, tenho nojo de você. Ámbar disse irritada.

Simón abriu um sorriso, havia tido uma ideia genial para tirar a loira do sério.

- Que sorriso é esse? Ámbar perguntou sem entender.

Simón então a puxou e a abraçou.

Primeiramente a loira ficou surpresa, depois começou a se debater.

-ECA, QUE NOJO, PELO AMOR DE DEUS ME SOLTA, VOU TER QUE TOMAR BANHO ANTI PULGAS DEPOIS DISSO! Ámbar gritava e se debatia.

Simón gargalhava enquanto apertava o abraço, impedindo que a loira escapasse, adorava irrita-la, aquilo havia se tornado divertido para ele.

Ele deitou a cabeça no ombro dela para provoca-la e seu nariz acabou roçando no pescoço da loira.

-AI JESUS, SEU NARIZ ROÇOU NO MEU PESCOÇO, SE EU PEGAR ALGUMA DOENÇA SUA, EU TE MATO GUITARRISTA. A loira disse o ameaçando.

Mas aquilo só fez ele rir ainda mais.

- Continue fingindo que não está gostando do abraço. Simón zoou rindo.

- SOCORRO DEUS! Ámbar gritou desesperada.

Ao longe Pedro observava o amigo, sabia que mesmo que não percebesse os sentimentos de Simón por Ámbar estavam mudando.

 

Na casa de Nina, a garota saiu da cozinha com um pote de pipoca, Gastón a esperava no sofá e sorriu quando a viu.

- Quem tem a melhor namorada do Mundo? Ele perguntou com a voz doce.

- Você. Nina respondeu manhosa.

Gastón a cada dia que passava a tratava cada vez melhor, ela só desejava que aquele namoro fosse real, tão real quanto o que ela sentia por ele.

O loiro puxou Nina para seu colo, que foi de bom grado.

Gastón afastou o cabelo de Nina do ombro e roçou o nariz no pescoço dela, mas se afastou rapidamente, a morena dera graças a Deus porque ficara totalmente arrepiada e não teria como explicar a ele o porquê de estar daquele modo.

- Está usando o perfume que eu dei! Ele afirmou sorrindo, parecia feliz por ela estar usando o presente.

- Quem tem o melhor namorado do Mundo? Nina perguntou sorrindo.

- Você. Gastón respondeu rindo da brincadeira e roçou o nariz no dela.

Gastón sorriu e pegou um pouco da pipoca que estava na tigela no colo de Nina, o loiro mastigou e engoliu.

- Isso é tão injusto. Gastón disse em tom de reclamação.

- O que foi? Nina perguntou sem entender.

- Por que tudo que você faz é tão gostoso? Gastón perguntou com o tom de voz incrédulo.

- Deixa de ser tonto, é apenas pipoca. Nina disse rindo do exagero dele.

- Você é sempre perfeita em tudo que faz, é impossível não gostar de você. Gastón disse sorrindo.

Nina sorriu com o elogio mas olhou para baixo envergonhada.

- Awnn viu? Você fica tão fofa sendo tímida, até nisso você é perfeita. Gastón disse e mordeu a bochecha dela.

- Gastón! Nina disse surpresa pela ação dele.

- Não resisti, você é muito fofa. O loiro disse rindo e acabou arrancando uma risada de Nina.

A morena deu um leve tapa no ombro dele e o abraçou.

Gastón se encostou no sofá e começou a acariciar o cabelo da morena em seu colo.

Nina fechou os olhos totalmente relaxada, ouvia as batidas do coração dele, o coração que ela sonhava em ter.

Ela começou a alisar o abdômen dele levemente e Gastón suspirou.

- Eu gosto dos seus carinhos. O loiro disse em um sussurro.

- E eu gosto de estar em seus braços, neles eu não tenho medo de nada. Nina confessou.

- Te faço sentir tão segura assim? Gastón perguntou surpreso.

- Sempre. Nina respondeu sincera.

A morena sentiu quando ele tirou a tigela de pipoca do colo dela e logo em seguida a retirou de seu peito, a manteve em seu colo, mas o loiro queria olhar nos olhos dela.

Nina mirou aqueles olhos tão intensos diante de si e sorriu.

Gastón correspondeu o olhar e o sorriso.

- Nina eu preciso te perguntar uma coisa, mas você tem que ser sincera. Gastón disse sério.

- Eu serei, prometo. Nina disse sentindo seu coração acelerar.

Gastón abriu a boca para falar, mas foi interrompido pela companhia.

Nina se levantou do colo de Gastón e caminhou até a porta, quando abriu viu que era Luna.

- Preciso conversar com você. Luna disse entrando na casa.

Gastón estava no sofá mas ouviu Luna falar.

Nina olhou para ele que assentiu.

Luna ia abrir a boca para se desculpar, mas Gastón sorriu balançando a cabeça.

- Tudo bem Luna, não tem problema, vou só pegar meu celular que está carregando e vou embora.

Gastón foi até a mesa onde seu celular estava em cima e arregalou os olhos ao ver que Matteo tinha mandado uma mensagem.

- Eu vou morrer pela demora. Gastón sussurrou para si mesmo.

- O que disse? Nina perguntou sem entender.

- Nada, deixa para lá, vou indo princesa. Gastón disse dando um beijo na bochecha de Nina, deu thau a Luna e foi embora.

Luna se sentou no sofá e Nina sentou-se ao seu lado.

- O que houve? Nina perguntou preocupada com a amiga.

Luna então narrou o que havia acontecido desde do Blake até a conversa dela com Matteo e sua decisão de serem somente amigos.

- Você sabe que vai se arrepender né? Nina perguntou levantando a sobrancelha.

- Como assim? Luna perguntou sem entender.

- Amiga, você gosta dele, mas acha que não iriam dar certo juntos, fora o medo que tem de se apaixonar, porém isso tudo parece apenas uma desculpa, talvez goste mais do Matteo do que consegue admitir, você não quer sofrer, mas já está sofrendo por estar sem ele, fora o fato que magoou o garoto. Nina disse balançando a cabeça negativamente.  

- Eu não vou me arrepender, é melhor para nós dois. Luna rebateu tentando mostrar segurança.

- Se é assim que pensa, mas saiba que Matteo não irá ficar muito tempo sozinho. Nina disse.

- Como assim? Luna perguntou.

- Não se faça de desentendida. Tini parece determinada a ter ele. Do jeito que ela é linda e talentosa vai conquista-lo logo.  Nina disse a provocando.

Luna ficou calada, mas seus olhos transmitiam medo de perder o italiano.

- MEU DEUS! Reage Luna, fica com raiva, grita, eu falei isso para arrancar uma reação sua, vai deixar ela ficar com ele fácil assim? Deixa de ser besta, sempre foi tão determinada a conseguir o que quer, e agora vai perder o Matteo por medo? Não acredito nisso. Nina disse balançando a cabeça negativamente.

Luna abraçou Nina e começou a chorar.

Sua cabeça estava uma bagunça.

A morena não tinha idéia do que fazer. Queria Matteo, gostava dele até, mas estava presa ao medo.

 

Gastón já havia chegado na Mansão Balsano e entrara sem pedir licença.

Subiu as escadas e abriu a porta do quarto do italiano, entrou e a fechou.

Matteo estava deitado na cama. Gastón deitou ao seu lado.

- Você demorou. Matteo reclamou.

- Sinto muito, estava com a Nina e meu celular ficou carregando no silencioso, só vi sua mensagem quando estava indo embora. Gastón explicou.

- Agora é assim, deixei de ser prioridade na sua vida. Isso é um absurdo. Matteo disse fingindo-se de ofendido.

 - Você sabe que é minha grande paixão, o amor da minha vida, não existe ninguém para mim além de você. Gastón disse colocando a mão no peito e falando de forma dramática.

Matteo não aguentou e deu uma risada alta.

- Ótimo você fica aí rindo e debochado do meu amor. Gastón disse fingindo que estava triste.

- Eu te amo Gastón. Matteo falou sorrindo e apesar do tom de brincadeira, Gastón sabia que era verdade, os dois se amavam como irmãos.

- Eu também te amo. Gastón respondeu rindo.

- Mas e aí, o que aconteceu? Gastón perguntou curioso e preocupado.

O italiano respirou fundo e começou a contar, a cada palavra dita seu coração pesava ainda mais, ele sempre conseguia tudo que queria e agora estava se sentindo quebrado por causa de uma garota, gostava dela de verdade, talvez fosse mais que isso até...

Gastón esperou pacientemente Matteo terminar de falar e desejou mentalmente que um raio atingisse Luna, achava ela legal e tal, mas ela estava fazendo seu amigo sofrer e ninguém tinha esse direito.

O loiro odiava ver Matteo triste.

- Ela é retardada por não ficar com você. Gastón disse sério mas fez Matteo sorrir.

- Eu gosto demais da Luna, fico triste por saber que ela me corresponde e mesmo assim escolhe ficar longe de mim, não consigo entender. Matteo disse e sua voz parecia emocionalmente cansada.

Gastón abraçou o amigo tentando consola-lo.

- Não aproveite o momento para ficar me tocando. Matteo brincou em meio ao abraço.

- Nunca me aproveitaria de você, vou esperar até depois do casamento. Gastón respondeu rindo.

 

No dia seguinte, Matteo andava pelo corredor do Blake quando Luna esbarrou nele.

- Desculpa Mauricinho. Ela pediu e sorriu lindamente para ele.

Matteo sentiu seu coração acelerar.

- Já estou acostumado Menina Delivery. O moreno brincou e correspondeu o sorriso.

Estava chateado com ela, mas não conseguia não sorrir para a garota a sua frente.

Ambos se perderam um no olhar do outro.

O momento foi interrompido por Tini que chegou afobada.

- Bom dia doidinha. Matteo a comprimentou rindo.

- Bom dia italiano. Ela respondeu sorrindo.

- Não posso conversar agora, tenho que encontrar o Jorge na biblioteca, tenho um trabalho para terminar que é para a terceira aula, me desculpa Matteo, mas depois te dou toda atenção que quiser, você vai até enjoar. Tini disse alegremente, beijou a bochecha do italiano e saiu correndo.

Matteo balançou a cabeça negativamente, sua amiga era louca.

Luna estava com a expressão fechada, a cada dia que passava achava Tini mais insuportável, os ciúmes a corroía por dentro.

Matteo olhou para o rosto de Luna e então se deu conta, o moreno sorriu como se tivesse descoberto um grande segredo.

- O que foi Luna? Está com ciúmes? O moreno perguntou com um meio sorriso convencido.

- N-não. A garota respondeu atrapalhada por ter sido descoberta.

- Que bom, porque você sabe, a opção de sermos apenas amigos foi sua. Matteo disse de forma acusatória.

Luna sentiu o fôlego faltar pela forma como o italiano sorria para ela, totalmente convencido e com aquela coisa de “eu sempre consigo o que quero, sei onde posso chegar”.

O moreno aproximou-se de Luna, enquanto ela andava para trás, o problema é que o espaço acabou e o corpo dela ficou contra parede, Matteo colocou um braço em cada lado do corpo da Mexicana e seu sorriso aumentou ainda mais.

Luna estava com a boca um pouco aberta, tentando puxar o máximo de fôlego que conseguia, Matteo estava diferente aquele dia, não era o garoto que vinha sendo doce e carinhoso com ela nos últimos dias, era o outro lado do italiano, o lado convencido e sedutor.

Matteo passou a língua lentamente em seus próprios lábios e Luna acompanhou o movimento desejosa, sabia que queria beija-lo, ele soltou uma risada baixa ao ver o olhar de Luna na boca dele.

O italiano segurou firme na cintura de Luna a apertando contra ele e a parede e lambeu o lábio inferior da morena que fechou os olhos suspirando, Matteo então encostou seus lábios no dela e a beijou, diferente do primeiro beijo Luna correspondeu, suspirando ao sentir a língua dele na sua.

Matteo explorava a boca da morena de forma intensa, Luna agarrou-se a Matteo enquanto empurrava a cabeça dele contra a sua, intensificando o contato dos lábios. As línguas batalhavam intensamente em suas bocas, gerando uma conexão única. O italiano subia e descia as mãos da cintura até a nuca de Luna, acariciando a lateral do corpo dela, o que fez a morena se arrepiar da cabeça aos pés.

O italiano saiu do beijo inesperadamente.

Luna estava ofegante e vermelha, a morena abriu os olhos e encarou os olhos de Matteo.

- Viu só o que está perdendo? Eu posso ser o cara que te leva em casa, que você apresenta aos seus pais, o que te manda flores, o que escreve músicas para você, o cara perfeito e romântico, aquele em que pode confiar, mas eu posso ser também o cara que te tira de órbita, te tira a razão e o fôlego com apenas um beijo. Matteo disse sorrindo e Luna entendeu o que ele quis dizer.

Ele era tudo que uma garota precisava.

- Eu gosto de você Luna, fui sincero ontem, quero ser mais que seu amigo, quero estar com você, mas é bom que saiba, eu não vou esperar para sempre. O italiano disse e piscou o olho para ela, saindo logo em seguida.

Luna respirou fundo tentando controlar a respiração enquanto se abanava com as mãos, nunca imaginou que um beijo pudesse causar tantas sensações, sentia cada célula do seu corpo vibrar.

Matteo Balsano seria sua perdição.

“Tini parece determinada a ter ele” A voz de Nina ecoou na sua mente.

Não suportaria que ele beijasse outra da maneira que tinha a beijado, não aguentaria ver a boca de Matteo coloca em uma que não fosse a sua.

Luna fechou os olhos e foi como se ainda sentisse as mãos de Matteo sob si, ela queria beija-lo de novo.

No outro corredor do Blake, Matteo estava encostado no corrimão das escadas, aquele beijo servira para confirmar suas suspeitas, ele gostava mais do que como amiga de Luna, mas não era apenas isso.

- Estou me apaixonando. Matteo sussurrou para si mesmo sem conseguir acreditar.

Fechou os olhos desejando que aquilo não o fizesse sofrer, mais do que já estava sofrendo. 


Notas Finais


Amores não esqueçam de comentar okay? Foi bem mais fácil escrever depois de ler os comentários de vocês, mil beijooos *-*

Com carinho,
Nathy :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...