História Love Letal - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Alícia Gusman, Davi Rabinovich, Marcelina Guerra, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Valéria Ferreira
Tags Paulicia
Exibições 79
Palavras 2.467
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi jujubas *desvio de uma mesa* sinto muito pela demora. mais voltei. boa leitura

Capítulo 4 - Os escolhidos


Alicia pov.

Paulo – Dizem que ela é fria, mas não sabem que quando foi quente ela se queimou!

Depois que ele disse essa frase eu sai correndo por que estava chorando, não queria que ele me visse chorar. Senti que as meninas estavam me seguindo, mas não liguei, apenas andei mais rápido e tranquei a porta do quarto, deixando elas do lado de fora gritando para eu abrir. Eu já estava ficando vermelha de tanto chorar. Eu só estava tentando entender porque ele que era uma pessoa INCRÍVEL, falou coisas tão horríveis há três anos. Ele parece o mesmo Paulo que eu conheci

Flashback on

Marcelina – ally esse é meu irmão gêmeo, Paulo Guerra!

Alicia – é vocês se parecem bastante, prazer Alicia Gusman! – diz estendendo a mão

Paulo – o prazer é meu! – diz apertando a mão de Alicia. Quando eles se tocaram sentiram uma eletricidade, um choque – vem cá sem formalidade, me dá um abraço!

Eles se sentiam tão bem naquele abraço que não queriam sair nunca mais. Quando eles se soltaram ficaram se encarando. Até que saem da hipnose e se soltam

Flashback off

Então quando saio das lembranças ouso a Majô gritar

Majô – já vai começar ally, a cerimonia! – diz em tom de estresse

Alicia – já vou – eu disse já com a voz normal

 

 Autora pov.

Alicia saiu do quarto e foi junto com as meninas até a arquibancada. Ficaram sentadas.

Apresentador – oi gente eu sou o Patrick pantionni, mas me chamem de PP.

PP – bom gente como todo ano temos que escolher os melhores de cada faixa etária, vou começar pelos menores de 5 anos. Subam ao palco, por favor, Mariana Trinity contra Marcelo Macedo, Celia... – e blábláblá. Alicia não estava nem ai chegando para os menores, ela estava olhando para Paulo e pensando se o que ele tinha falado, a

15 minutos atrás, era só teatro ou era verdade. Continuou pensando até que é cutucada por marga.

Marga – já estão-nos de 13 anos, acorda do transe! – disse disfarçadamente para alicia.

Alicia – JÁ? Nossa nem vi o tempo passar! – diz se ajeitando e prestando atenção.

PP – E por fim Leila cruzes contra Thiago de Jesus! Vamos, apertem as mãos! – eles apertavam as mãos com uma força extraordinária e se olhavam com ódio.

PP – bom, e agora a idade mais acirrada. Foi difícil decidir os 10 melhores, mas vamos lá! De 14 anos, Margarida Garcia contra Jorge Cavalieri, vamos apertem as mãos! – Jorge e marga sentiram certo choque quando se tocaram. – Maria Joaquina contra Daniel Zapata! – quando apertaram as mãos ficaram maravilhados com a beleza do outro.

PP – já chega, vão sentar! – disse tirando os dois do transe que, envergonhados, vão sentar. – Valéria Ferreira contra Davi Rabinovich! – eles apertam as mãos, enquanto Davi dava um sorriso malicioso para Valéria que o olhava irritada.

PP – Marcelina Guerra contra Mário Ayala. – Marcelina e Mário apertavam as mãos com um sorriso de orelha a orelha, o que deixou Paulo irritado.

PP – e quem serão os dois últimos? Que rufem os tambores... Os dois últimos são Paulo Guerra contra Alicia Gusman! – Eles apertavam as mãos  com um olhar de ódio. – e agora os de 15...

Depois da cerimônia acabou Marce, alicia, Majô, Jorge, Daniel, Mário, Davi, valeria e Paulo estavam no corredor que da acesso ao estádio conversando.

Daniel pov.

Oi gente, eu sou o Daniel e acabei de apertar a mão da menina mais linda que eu já vi Maria Joaquina o nome é quase tão bonito quanto à dona. Mais voltando à realidade, estávamos conversando até tomarmos um susto alguém da um grito e pula encima de mim, e quando vejo é a Maria Joaquina.

MJ – meu deus, eu juro que vi uma barata! – quando ela disse isso as meninas deram a louca. A Marce pulou encima do Paulo (autora: ela queria ter pulado foi no Mário!) ( dani: é mais ai o Paulo rodaria a baiana) e ficou gritando socorro, Valéria agarrou logo DOIS, o Davi e o Mário. A margarida subiu encima da mesa, morrendo de medo. Só a alicia estava tranquila e NO CHÃO.

Mário – Valéria, por favor, sai de cima de mim para eu ver onde ta a criatura! – disse olhando para Valéria, que recebia um olhar um tanto bravo da Marcelina.

Val – Tempos extremos requerem medidas extremas! – falou e saio de cima de Mário ficando encima do Davi.

Dan – Maria Joaquina, você está encima do meu olho! – disse meio desconfortável.

MJ – Desculpa, eu não percebi. E me chama de Majô, tá? – disse meio torta encima de mim, ela não vai sair de cima de mim nunca e eu realmente não quero que ela saia.

Dan – claro, deixa eu te ajudar... Pronto, ficou melhor para os dois! – falei ajeitando ela, estilo noiva.

Marga – eu nunca mais vou sair de cima dessa mesa! – disse ainda encima da mesa

Jorge – vem Marga, desce da mesa. Se quiser fica no meu colo, mas desce. – disse todo atencioso. Ummm vai dar namoro!

Marga – tá eu vou descer. – disse meio envergonhada. Ela estava se agachando mais se atrapalhou e ia cair de cara no chão se o Jorge não tivesse sido mais rápido. Ele a puxou pela cintura enquanto botava a perna na cadeira, fazendo a sentar encima de sua perna e ficando coladinhos. Podiam sentir a respiração um do outro.

Mário – desculpa atrapalhar a agarração, mas acho que ela já foi embora! – disse se referindo há marga e Jorge. Eles se soltaram vermelhos que nem tomate.

Majô – Até que enfim, graças a deus! – disse saindo do meu colo. Mas já?

Todas saíram de cima dos meninos. Todos olhavam para alicia, que estava de boa futucando no celular.

 Majô – credo, nem parece que tem medo de barata! – disse meio indignada.

Alicia – é porque eu não tenho medo, que nem vocês frescas! – essa não tem medo de nada!

Paulo – mas é marrenta viu! – falou e recebeu um olhar bravo de alicia.

Marce – mas de uma coisa a senhorita tem medo, né dona alicia? – falou ameaçadora e alicia engoliu seco. – de cobra, tcheee. – disse e alicia se arrepiou.

Alicia – para Marce! – disse toda arrepiada.

Paulo – ainda com esse medo, Lilica? – perguntou a provocando. Ele gosta de brincar com o perigo.

Alicia – sim Paulo, e para de me chamar de Lilica ta? – falou meio irritada. Vai dar briga!

Paulo – e se eu não quiser parar, vai me obrigar? – falou provocando ela.

Todos prevendo a briga se protegiam como podiam. A Marce ficou atrás do Mário, a Marga ia subir na mesa de novo, mas o Jorge disse algo no ouvido e ela ficou agarrada nele. O Davi pegou na mão da Valéria, que puxou bruscamente e pegou um livro grosso que estava na mesa e botou no rosto deixando apenas os olhos para fora. A Majô estava parada com um pouco de medo de ser atingida. Então, sem ela falar nada, abracei a por trás e falei:

Dan – calma, eu te protejo! – disse e ela sorriu se aconchegando no meu abraço.

Alicia – se preciso, vou! – disse com um olhar de raiva que chegava a cegar.

Paulo – Como? – perguntou no mesmo tom de provocação.

Alicia - você quer assim , ótimo ! – fala puxando uma adaga da bota – você que pediu !

Paulo - Que saudade que eu estava das nossas ``brigas´´, Lilica !- diz tirando seu facão do cinto/capa e fazendo aspas em brigas

Alicia - agente não brigava por que eu babava por você , mas acabou E LILICA É O CACE...-ia terminar mas foi interrompida

Paulo - calma sem xingar, Lilica . Tão linda mas com a boca tão suja – diz em um tom de decepção que chegava a ser sarcasmo

Alicia - então ta , Paulinho – diz passando a faca bem perto da barriga dele , que se não esquiva-se teria um corte feio.

 

Paulo- eita sua loca, quer acabar  com esse tanquinho é ?

 

Alicia – talvez, não melhor , com certeza !- diz na mesma posição de luta

 

Paulo – então toma – falou passando o facão bem na orelha de Lilica só que de raspão, fez um pequeno corte. ( autora : que nem o da tris em divergente!)(Paulo : essa era a ideia )

Alicia – seu louco !- fala passando a mão na orelha de sangue

 

Paulo – louco por você !- ele aproveitou que ela baixou a guarda e a beijou. Eles largaram as armas no chão. Era um beijo selvagem e cheio de desejo, ódio e Paixão. ESSE CASAL É LOUCO, BRIGAM E DEPOIS SE BEIJAM!

Majô – gente eles não estão sem ar não? Estão se beijando a quase dois minutos! – falou preocupada.

Alicia e Paulo se contorciam sem ar mais não queriam parar.

Val – separa, eles estão sem ar! – disse. Depois de muito puxar eles enfim se separam e ficam vermelhos que nem tomate, nem olham na cara um do outro!

                                                             {...}

Val – gente eu tive uma ideia! Vamos sair mais tarde para algum lugar? – disse bem animada

Dan – ótima ideia, mas aonde vamos? – disse curioso.

Majô – Que tal se for ao karaokê aqui perto? Assim não precisamos pegar ônibus! – disse com aquele sorriso lindo, meu deus estou viciado nesse sorriso!

Marga – ótima ideia Majô!

Paulo – Karaokê? Sério? – disse com cara de tédio, ele é um estraga prazeres!

Marce – é, e não sei por que esta com essa cara de tédio você tem uma voz linda maninho! – disse recebendo um sinal de silencio do Paulo.

Alicia – você ainda canta Paulo? – disse alicia finalmente olhando para ele.

Paulo – um pouquinho, mas você também canta que eu lembro! – falou sorrindo malicioso.

Alicia – é, mas iai vai ter o karaokê? – disse mudando de assunto

Val – vamos sim, as 17h00min gente? – disse olhando o relógio do telefone.

Todos – beleza!

Alicia pov.

Eu e as meninas fomos nos arrumar, aff! Três anos depois elas estão prontas!

Marce – vamos ally?

Alicia – só um minuto deixa eu pegar meu casa... – ia terminar de procurar mais fui arrastada pra fora pela Majô, Val e Marce.

Então fomos atrás dos meninos eles estavam no portão esperando agente. Nossa como o Paulo ta gato, QUE É ISSO ALICIA! ESQUECE ELE E SE CONCENTRA.

Dan – vamos gente?

Todos – vamos!

                                                           {...}

Estávamos no caminho e eu morrendo de frio, maldita hora que eu não peguei o casaco!

Jorge – alicia, você não ta com frio não? – disse me olhando, já que eu estava sem casaco, de short curto e camisa curta me espremendo nos próprios braços.

Alicia – morrendo de frio, mas as rápidas aqui me arrastaram do quarto! – falei apontando para as meninas que se fizeram de desentendidas.

Paulo – pega o meu Gusman! – falou tirando seu casaco.

Alicia – não precisa, prefiro morrer de frio! – falei brava

Paulo – deixa de ser boba, eu estou de moletom por baixo! Pega.

Olhei para todos os meninos e nenhum estava de casaco, então me rendi ao frio e aceitei.

Alicia  - Tá, depois eu te devolvo! – falei pegando e pondo.

Paulo – pode ficar, combinou com você!- falou com um sorriso fofo.

 

                                                            {...}

Chegamos lá e sentamos em uma mesa grande. Então obrigamos a Majô a cantar, ela cantou fugir agora. Ela tem uma voz bonita! Sou tirada dos meus pensamentos com o Dan falando.

Dan – agora quem será o próximo? –perguntou e percebe que Majô tinha acabado de cantar.

Paulo – a Lilica! – falou e eu o olhei mortalmente.

Marga – é vai ally, queremos ouvir você cantar! – disse toda sorridente

Alicia – só se o Paulo for depois! – disse convicta. Hahahaa a vingança é doce.

Paulo – Tá, mais vai logo.

Então eu resolvi cantar Hailee Steinfeld - Love Myself (Acoustico)

Todas as meninas (menos a Marce) me olhavam de boca aberta, e os meninos apenas sorriam pra mim. E o Paulo sorria com aquele sorriso bobo, que eu adoro quer dizer adorava!

Depois que terminei a musica o pessoal aplaudiu e eu fui sentar. E veio o interrogatório.

Val – criatura porque você nunca disse que sabia cantar desse jeito! É melhor que a Majô! – falou e eu ri.

Alicia – não é pra tanto! Eu canto no chuveiro. – falei ainda rindo

Majô – é sim, você tem uma voz linda! Por que nunca disse? – falou abismada

Marga – é óbvio Majô. Ela é uma diva pop que fingi ser a alicia, mas na verdade é milionária e mora em Miami! – disse e todos riram.

Alicia – vai sonhando. Paulo, sua vez! – falei e ele saiu derrotado.

Ele cantou stiches, minha musica favorita. Era nossa musica. Que voz linda ele tem!

Depois que ele acabou ele foi sentar. Outro interrogatório.

Marce – é impressão minha ou você esta cantando melhor do que antes? – falou um tanto surpresa.

Paulo – é que eu tenho uma razão para cantar melhor! – disse e sorriu para mim. Eu o olhei olho no olho e desviei o olhar – quando fomos embora, eu perdi a inspiração da minha vida. – falou e eu confesso que se eu não tivesse morrendo de raiva dele eu ia dar um beijão nele, mas eu tô então vou ficar quieta!

                                                                   {...}

Depois de ficarmos cantando, ouvindo povo cantar e jogando conversa fora nos tocamos que tínhamos que voltar.

Val – gente esqueci a hora. Temos que voltar falta 10 minutos para o portão fechar! – falou nervosa pegando as coisas.

Davi – vocês ficam lá fora esperando agente enquanto pagamos a conta! – falou meio nervoso.

Fomos para fora e quando saímos eu vi uns  meninos nos olhando, mas principalmente olhando para as pulseiras e joias. Vão nos roubar, e estamos sem as armas. Todas as meninas perceberam e ficaram nervosas. Os meninos apareceram

Alicia – gente aqueles garotos vão nos roubar, eu tenho certeza! E eles estão armados. - falei baixo. Então eles começaram a vir em nossa direção. E fomos andando e eles vieram atrás. Começamos a correr e eles viam junto. Então no meio da corrida deu uma câimbra muito forte no meu pé, eu não vou consegui correr!

Marga – o que ouvi ally? – perguntou e todos pararam. Eu estava sentada no chão olhando para o meu pé.

Alicia – deu câimbra, e as minha são muito fortes. Eu não vou conseguir correr!

Paulo - vem, eu te carrego! – falou se aproximando

Alicia – não mesmo! –falei curta e grossa

Paulo – é agora ou nunca! – falou estendendo a mão. Eu olhei pra trás e vi os bandidos se aproximando correndo. Não pensei duas vezes e aceitei a ajuda do Paulo! Eu passei os braços envoltos do seu pescoço e ele botou uma das mãos nas minhas costas e a outra debaixo do meu joelho. Fomos correndo! O Mário deu um chute numas latas para atrasa-los. Depois o Davi empurrou umas cestas de supermercado. Por fim o Jorge empurrou uns carros de supermercado e eles não conseguiram passar. Chegamos faltando 2 minutos para o portão fechar. O Paulo fez questão de me levar ate o quarto. Troquei-me e fui dormir pensando em como o dia foi agitado e em como o Paulo está sendo fofo. Dormi rapidinho!


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...