História Soo, i love u - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O
Tags Capítulo Único, Chansoo, Chanyeol, Exo, Hp!au, Kyungsoo, Universo Alternativo
Visualizações 42
Palavras 1.528
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Ficção, Magia, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bem, eu amo muito chansoo e estava ansiosa para fazer uma fanfic deles no universo de Harry Potter, outra coisa que eu amo demais.

Boa leitura♡

Capítulo 1 - Shame


— Soo...


— Nem vem Chanyeol, eu tô lendo. — Kyungsoo enfiou a cara ainda mais no livro, tentando ignorar o garoto manhoso do seu lado naquele banco, mas mentiria dizendo que não sorria de maneira boba com cada tentativa do mais velho de chamar sua atenção.


Eles estavam sentados na mesa da Corvinal, mesmo que Chanyeol fosse grifinório ele não ousava sair de perto do mais novo. O garoto de cabelos castanhos lia um livro sobre poções, já que aquela era uma das poucas matérias que tinha dificuldade mesmo sendo o preferido do professor Snape. Irônico não?

Chanyeol tinha acabado de chegar do treino de Quadribol, estava exausto e como todas as vezes que via Dyo, também estava carente da atenção do melhor amigo. Ele era como um cachorrinho. Kyungsoo podia ver o rabo invisível do Park balançar para cá e para lá. Querendo brincar ou apenas carinho.

Mas o corvino tinha outras preocupações, como orgulhar Severo Snape e tirar um nota melhor na aula do mesmo.

Ouviu Chanyeol bufar e interrompeu seus pensamentos, estava começando a viajar pensando sobre aquela situação novamente. Balançou a cabeça mandando o Park calar a boca e tentou se concentrar novamente naquele feitiço que era mostrado na página que abrira.



✿ฺ✿ฺ



— Soo... — e lá estava ele novamente na mesa do corvino, no dia seguinte, e Kyungsoo dessa vez não estava com nenhum livro, ele comia alguma coisa de forma paciente enquanto voltava sua atenção ao grandão que riu fraco — Aqui, deixa eu limpar.

Ele passou o polegar devagar no canto dos seus lábios fartos e úmidos, fazendo o rosto de Kyungsoo ficar ficar em mil tons de vermelho.

O baixinho bateu na mão do mais velho e se levantou com tudo pegando seu cachecol sobre a mesa e saindo dali o mais rápido que podia.

Deixando um Chanyeol para trás com a maior cara de pateta que poderia ficar.



✿ฺ✿ฺ



Quando saiu da sala se despedindo dos seus colegas, avistou Chanyeol de longe como se estivesse lhe esperando e ele de fato estava. Kyungsoo sabia.

Mas o garoto apenas virou em outra direção e apressou seus passos indo para a biblioteca. Deixando o outro de cabelo colorido plantado no corredor durante a tarde toda. Até que se deu conta que não iria ver Kyungsoo nem tão cedo naquele lugar.

O pior era que o Do começou a fazer isso a semana toda. Evitando ir ao banheiro quando o Park ia, ou a biblioteca, até mesmo ao Salão Principal. Ia comer na cozinha evitando seu amigo até não poder mais.

E tudo isso por causa de um toque.

Bem, talvez não tenha sido apenas um toque para ele.



✿ฺ✿ฺ



Em baixo de uma das muitas árvores que ficavam espalhadas nos campos de Hogwarts, um garoto de cabelos castanhos e bagunçados lia um pequeno livro sobre fantasia e estava imerso naquela história que envolvia dragões e até mesmo trouxas. Desde pequeno gostava de colecionar aqueles contos escritos pelas pessoa que não conheciam a verdadeira magia, mas fazia tão bom uso da sua imaginação que tudo que escreviam, Kyungsoo achava surreal.

Só não notou a presença de um certo alguém que vinha evitando desde o pequeno acontecimento no Salão Principal.

Kyungsoo era orgulhoso demais para dizer que sentia falta das manhas do mais velho. Ele não conseguia evitar aquilo, aquela situação. Algo deveria estar errado consigo.

Para ele pensar que estava apaixonado por Chanyeol era assuatador. Eles eram melhores amigos... Mas céus, seu coração tinha batido tão forte que parecia prestes a saltar pela boca.


— Soo.


Soltou um grito agudo quando ouviu seu apelido ser pronunciado por aquela voz rouca e baixa, então olhou para o dono dela com a mão no coração.

Chanyeol parecia abatido, chateado, e Kyungsoo se perdeu na imensidão que era o outro. Percebeu que as cores de sua casa combinavam totalmente com seus olhos afiados e seu cabelo bagunçado que possuía uma cor lilás desbotada. Que suas pernas longas eram belas e seu corpo era bem... Saudável.

Por Merlim, no que estava pensando?

Engoliu em seco e virou para frente abaixando a cabeça. Isso não era do seu costume, Kyungsoo não ficava envergonhado e nem ao menos nervoso diante de alguém. Aquilo era tudo culpa de Chanyeol.

Aquele orelhudo de uma figa...

Seus pensamentos novamente foram interrompidos e ele teve que arregalar os olhos quando reparou que Chanyeol estava sentado na sua frente e com o rosto muito mais próximo do que Kyungsoo deixaria. Mas por acaso ele estava pensando direito com toda aquela confusão?

Com certeza não.


— Ei, Soo, o que aconteceu? Você vem me evitando a uma semana. — seus olhos de cachorrinho estavam tão tristes que o moreno se sentiu imensamente culpado. Sempre brigava com Chanyeol por besteiras, lhe batia, lhe insultava. Mas nada era realmente sério, eles viviam colado um com o outro. Pelo menos até a semana anterior.


Sim, eles não se desgrudavam por nada desde quando se conheceram no primeiro ano em Hogwarts. O que era estranho, já que geralmente você se torna melhor amigo de alguém da sua casa.

Bem, parece que não foi isso que aconteceu eles.

Claro, tinham outros amigos em suas casas ou até mesmo na Sonserina e na Lufa-Lufa, mas nada se comparava ao amor que sentiam um pelo outro. Ao afeto e a confiança que conquistaram um do outro no decorrer dos anos de amizade. Kyungsoo confiava em Chanyeol até de olhos fechados e com o outro não era diferente.


— E-eu... — Chanyeol se aproximou mais e encostou a testa em seu ombro, suas mãos ficaram apoiadas nas coxas grossas do moreno e aquele ato faltou pouco matar ele do coração. Não duvidava que daquela distância o Park pudesse ouvir seus batimentos cardíacos em alto e bom som — Chanyeol...


— Você me deixou sozinho a semana toda. — murmurou de um jeito triste — Não olhou pra mim, não respondeu as minhas cartas, nem o berrador que eu mandei no meio do jantar.


Suspirou trêmulo e ficou em silêncio deixando o grandão desabafar, e nem se quisesse falar alguma coisa iria conseguir.


— Apenas foi para seu dormitório como se nada tivesse acontecido. Eu não sei o que eu fiz de errado. — choramingou erguendo o rosto e ficando apenas milímetros de distância de Kyungsoo, fazendo com que ele sentisse seu hálito quente com cheiro de chocolate, e cara, Soo adorava chocolate — Dyo... Por que me evitou depois daquele dia?


— Me desculpa. — sussurrou olhando para qualquer ponto que não fosse os lábios ou os olhos de Chanyeol — Eu... eu não sabia como agir.


Soltou angustiado.


— Você sempre foi afetuoso demais comigo. — o mais velho abriu um sorrisinho fofo — E eu fiquei nervoso quando você tocou a minha boca, porque eu não imaginei algo... algo inocente, Channie. Ai merda.


Escondeu o rosto com suas pequenas mãos, estava novamente vermelho como um tomate. Não conseguia encarar Chanyeol.


— Meu coração acelerou de uma forma estranha, como agora e eu não sei o que fazer!


Um perfeito "o" se formou nos lábios do maior, mas logo um enorme sorriso que Kyungsoo teve vontade de socar surgiu.

E também aquela pergunta.


— Soo, você gosta de mim?

Não, não, não, não, não... era óbvio que sim!


— O que?! Não! Quer dizer, sim... Ah, vai se ferrar Chanyeol!


O outro gargalhou e sem dar tempo do mais novo lhe bater, ele envolveu Kyungsoo num abraço apertado e cheio de carinho. O garoto de cabelo castanho sentia que ia morrer sufocado, mas foi o beijinho rápido que recebeu que o deixou ainda mais boquiaberto e assustado.

Park estava de brincadeira com a sua cara?


— Que caralho...


— Shhh, não estraga o momento. — foi impedido de falar com vários selinhos e não tinha ideia de como reagir aquilo.


— PARK CHANYEOL, QUER ME EXPLICAR O QUE VOCÊ TÁ FAZENDO?


Ouviu Chanyeol gargalhar mais uma vez e o olhou de cara feia.


— Soo, eu estava aqui achando que você me odiava ou sei lá o que, mas na verdade era isso. — Abriu aquele sorriso brilhante novamente e riu soprado do olhar indignado do pequeno Do — Eu te amo.


Após o sussurro, os olhos arregalados de Kyungsoo foi a coisa mais adorável que viu até aquele momento da sua vida.


— Você... — ficou quieto de tão pasmo que estava. Seu peito ardia de felicidade, mas não conseguia falar nada, sua voz não saia. Sua respiração parecia pesada demais. — Me ama?


Sua voz saiu tão baixa que ele teve certeza que Chanyeol não tinha ouvido, mas quando o mesmo balançou a cabeça confirmando, percebeu que estava errado.


— Eu te odeio por me fazer ficar sofrendo desse jeito. Deveria ter me contado antes! — começou a estapear o mais velho.


— Mas eu ia! Só que você se afastou. Como queria que eu lhe contasse? — resmungou chateado — O que? Queria um berrador n-


Em questão de segundos, Chanyeol estava atirado no chão com Kyungsoo sentado sobre si, lhe encarando e finalmente deixando o grandão com vergonha, algo lindo de se ver, na opinião dele.


— Chanyeol... Dizer que te amo é... Estranho?


— Não, nunca, e eu vou dizer que eu te amo muito e já sabia que você sentia o mesmo. — novamente tinha aquele sorriso estampado no seu rosto.


Então, um pequeno sorriso brotou naqueles lábios em formato de coração e aquela tarde que deveria ser solitária, acabou sendo repleta de amor e carinho.





Fim.


Notas Finais


Eu amo muito chansoo aaaaaaaa


Espero que tenham gostado.♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...