História Love Me Daddy - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Rap Monster
Tags Babykink, Bangtan Boy, Bts, Imagine, Incesto, Namjoon, Sugar Daddy
Visualizações 614
Palavras 1.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong Bolinhos de Silla~~

Capítulo 33 - Kimono


Nossa solidão é um sinal combinado, como se nossos dedos fossem interligados
O amor é apenas ridículo, eu posso até saber quando você mente

(Lose Control — Lay)

Namjoon on

Se passaram uma semana, Min-Su parecia mais tranquila com tudo o que aconteceu o que aliviou a barra. Hoje teria um festival em Tóquio, todos vestiriam máscaras como se fossem espíritos para sair de casa e festejar. Acho isso tudo uma porcaria mas tem sempre um ser que me obriga, não é mesmo S/N...

— Olha se você não arredar a bunda desse sofá eu vou te machucar – Ameaçou me fazendo revirar os olhos.

— Eu não te obrigo a nada, então porque tenho que ir a um festival idiota? – Franzo o cenho.

— Okay Papai, eu vou sozinha... – Se vira de costas para mim – ...ou melhor, eu vou com o Seokjin – Eu sabia bem o que ela queria e acho que ela conseguiu.

— Ciúmes é um golpe bem baixo para você – Me levanto do sofá.

— Eu sei – Faz uma careta.

Chego perto da mesma e roubo um beijo saindo andando logo em seguida pra não levar tapas...

...

As ruas lotadas, conversas altas e tudo mais. Já estava me sentindo mal em ficar cercado de pessoas, ainda mais por pessoas de máscaras. Acho que tenho agorafobia...

— Vamos andar – Me puxa pela multidão.

A roupa que a mesma trajava me dava ansiedade por um lado e por outro me deixava excitado. Aquele kimono vermelho com preto a fazia ficar ainda mais linda e acho que eu não preciso dizer o que estou imaginando...

— Quer parar que me puxar por aí – Tento parar mas não consigo.

— Hey sossega – Aperta minha mão cravando suas unhas na mesma.

— Aish – Reclamo.

Depois de andar muito chegamos a lugar nenhum, quanto mais andávamos mais misturávamos com a multidão.

— Nhow que lindinho – Larga minha mão e corre até uma criancinha que chorava – Shhh está tudo bem – Sorriu o abraçando.

— Dong-yu!? – Uma voz bem familiar me fez virar dando de cara com Jiyun.

— Jiyun – S/N diz eufórica.

— Ainda bem que você achou ele – Arfa aliviada – O que eu disse sobre sai correndo Dong-yu? – Repreende o menino.

— Esse é seu filho? – Assentiu.

Flashback on

Era uma festa de debutante, todos estavam bebendo sem parar menos Jiyun, ela se mantinha sóbria.

Hoseok como um bom idiota ficou dando em cima da mesma que apenas tentava o ignorar. Mas como ele tem uma lábia para conquistar foi logo a pedindo em namoro. Jiyun não era do tipo de garota que caia nesse truquezinhos baratos, então ela apenas se levantou e foi embora.

Mas claro que quando Hoseok encana com algo é a mesma coisa que fazer ele ficar sem comer ninguém, ele fica lunático.

Passou mais ou menos três semanas e lá estava ele de novo, ao lado de Jiyun, e aparece que ele conseguiu o que queria. Pareciam um casal feliz até que eles sumiram do meu ponto de vista. Era óbvio que ele a levou para um quarto, fico ali bebendo enquanto olhava em volta, eu era daqueles que não corria atrás de mulher nenhuma, apenas ficava olhando.

No dia seguinte, a universidade inteira só falava em uma coisa: Jiyun e Hoseok como se fossem famosos.

Mas aí descobri os rumores, Hoseok além de brincar com os sentimentos da garota, disse que ela fez tudo por dinheiro. Aquilo com toda certeza a machucou, Jiyun começou a ser chamada de puta por toda escola então aí que eu entro. Eu defendia a mesma de tudo, até fingindo namorar ela para que calassem a boca, mas isso terminou no final do ano quando ela sumiu de Seoul.

Flashback off

— Porque me encara assim? Nunca me viu? – Sorriu para mim.

— Ah, oi Jiyun – Aceno com a cabeça – Esse carinha aí é quem? – Pergunto me curvando para olhar seu rostinho.

Não tinha como falar que não era de Hoseok, dos olhos ao nariz era uma caricatura bem feita.

— Esse é Dong-yu – Diz e o garoto se esconde atrás da mãe – Ele é tímido – Sorriu.

— Hey Dong-yu vamos – Diz S/N pegando na mão do menino e correndo pela multidão – APPA VOU COMPRAR DOCE – Gritou.

Acho que conviver com crianças afeta a personalidade de S/A.

— Então o que faz num lugar como esse? – Pergunto com as mãos para trás.

— Tentando esquecer da realidade e curtir com meu filho – Diz como se fosse obvio – E você?

— Fui arrastado pela S/N – Riu – Que foi?

— Não vejo uma mulher o obrigar a muito tempo – Faço cara de paisagem – Por favor, não a machuque. Apesar de ser sua filha ela é bem diferente de você... Mais gentil – A encaro.

— Eu sei – Arfo – E ela nem minha filha é – Vejo um ponto de interrogação nascer em seu rosto.

— Como é?

...

Voltamos para casa, contei a verdade para Jiyun e ela apenas ficou boquiaberta. Pedi para que mantivesse segredo e ela me prometeu isso, mas logo disse que é melhor contar para S/N antes que ela descubra da pior maneira.

— Min-Su – A voz da mesma ecoou pela casa.

— Ela deve estar com o Jin, ele iriam sair hoje – Ela se vira para me encarar.

— Eu sou a última a saber disso tudo? – Dou de ombros.

— Hoseok saiu também, volta de madrugada – Provavelmente para comer uma vadia...

— Nem me fale daquele troglodita – Seu rosto fica avermelhado.

— Podemos curtir sozinhos a casa toda – Seus olhos me fitaram.

— Vou dormir, ganho mais – Se virou.

— Ah antes que eu me esqueça, o que aprontou ontem com o Hoseok mocinha? – Ela para.

— N-Nada – Sorri de lado.

— Mentir não é a melhor opção – Me aproximo.

— Eu dei o que ele merecia – Cruzo os braços na frente do corpo.

— E o que ele merecia? – Franzi o cenho.

— Dor – Coloco minhas mãos sobre seu ombro.

— Você quase o deixou estéreo – Deslizo facilmente as mangas do kimono deixando seus ombros a mostra.

— Pelo menos assim ele não faria filhos por aí – Da de ombros.

— Você sabe que a culpa não é só dele – Beijo sua nuca.

— Não é minha, de certo eu fico enchendo as mina de po...

— Que coisa feia, falando coisas inapropriadas – Mordisco seu pescoço.

— Ele te contou tudo? – Deixo um chupão que fica avermelhado.

— Sim – Minto, afinal eu fiquei sabendo só do chute.

— Então você sabe a parte dos seios – Ergo o rosto.

— Qual exatamente – Fito o topo da escada.

— Que eu mostrei pra ele – Hoseok seu filho duma mãe, ah mas eu vou mata esse idiota.

— Você fez o que? – A viro de frente para mim.

— Você não sabia? – Engole em seco – É brincadeira Abeoji, eu nunca faria isso – Tenta reverter a situação.

— O que eu vou fazer agora não será uma brincadeira – A pego pela cintura a catando no colo – Acho que o vermelho combina bem com o seu corpo – Bato em sua nádega – Principalmente com sua bunda – Sinto um arfar em meu pescoço.

É difícil dizer se estou realmente apaixonado por você, mas sei de uma coisa... A maioria dos meus pensamentos é você...

Continua...


Notas Finais


Agorafobia - Temor ou medo angustiante que certas pessoas experimentam quando atravessam uma praça, uma rua, ou se vêem no meio da multidão.

Jal-ga...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...