História Love Me If You Can - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Corridas Ilegais, Drama, Gangster, Lesbicas, Máfia, Segredos, Yuri
Exibições 183
Palavras 1.502
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, FemmeSlash, Ficção, Luta, Mistério, Orange, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


(Dessa vez é o capítulo corrigido!) (Você que comentou anteriormente, sim estou falando de você, pode comentar de novo que eu deixo) :v
Hey Mafiosos

Fiz a cagada de postar um capítulo bugado, por isso exclui e corrigi o erro!
Então, como disse antes, eu já tenho as partes de "Baile de Máscaras" só que algumas partes ficaram bem vagas e "WTF?" então decidi escrever esse extra as pressas!
Vocês vão ficar confusas? Provavelmente sim, mas quando é que não ficam? :v

Boa Leitura ^-^
(Desculpem qualquer erro)

Capítulo 60 - O Corvo


Fanfic / Fanfiction Love Me If You Can - Capítulo 60 - O Corvo

Você é capaz de dizer como uma família é composta? Provavelmente não, já que a resposta básica para quase todos é que uma família é composta pelos pais e seus filhos. Isso é tão vago...

Quando eu era pequena, Mesmo que negasse a mim mesma porque queria parecer forte a os olhos dos outros, eu queria ter uma família. Mas quem pode culpar uma criança de dez anos por isso?

Acho que um dos desejos mais primitivos do ser humano é o de ter um companheiro, não necessariamente um amante, mas alguém que esteja ao seu lado independente do que aconteça, alguém que te ame apesar de todos os seus erros e falhas. Se você tem alguém assim, mesmo que seja apenas uma pessoa... Parabéns, você tem uma família. Percebeu? Isso foge do comum! Mas esse não deveria ser o básico?

E por que estou explicando isso? Porque fui burra o suficiente para buscar algo que sempre esteve em minhas mãos. Uma família. Rachel, Martin e Anna sempre estiveram comigo e mesmo assim... foram tantos os momentos em que desconfiei da lealdade deles e preferi me isolar em meus pensamentos e desconfianças. Hoje, com os meus vinte e cinco anos vividos de maneira até que bem intensa, percebo o quanto fui idiota em meus momentos de dúvidas e desconfianças - até da minha própria sombra -, e em minhas buscas silenciosas por respostas sobre quem eu era ou sobre quem eram meus pais - mais especificamente, o monstro que me abandonou em uma droga de orfanato. O que não teve muitos resultados - não na época.

Anos depois, com a minha aceitação pessoal de ser realmente algo descartável, tive a respostas para a maioria das minhas perguntas. E isso calou a minha curiosidade? Obviamente que não, até porque, quanto mais respostas conseguia, mais dúvidas surgiam.

E isso foi de todo ruim? Você, que leu o drama da minha vida, sabe que não. Não só pela Adrian, mas também pela Lisa e todos os outros; acho que posso dizer, que não fui beneficiada apenas com novos amigos, e sim com novas “aprendizagens”.

Eu sou Elise Bussie, a garota que era a pior da turma em quase todas as matérias e só tinha um único talento: carros, e mesmo assim foi escolhida por Franco para ajudar a Adrian, Achando que era apenas uma coincidência, para no final descobrir que seus caminhos tinham se cruzados diversas sem que eu pudesse saber ou controlar, Isso ficou bem frase de novela mexicana.

- Eu não sei se deveria me acostumar com seus devaneios ou te recomendar um psicólogo. – E como em todos os meus momentos de reflexão, sempre tem alguém para interromper, o escolhido da vez foi o Ângelo – Não deveria estar terminando de se arrumar?

Ignorei a perguntei dele e voltei a olhar para o mar. Já era noite e pela hora a festa já deveria estar começando, no entanto, como temos aspirantes a galã de novela – Caleb e Robert – não tínhamos saído ainda, já que eles ainda não estavam prontos.

Enquanto os “princesus” – apelido carinhosamente dado pela Lisa, Só ela pra fazer essas merdas – se arrumavam, eu, Anna, Adrian e Luna já tínhamos mais ou menos o plano que iriamos seguir. Por ser um baile de máscaras, tínhamos a vantagem de esconder nossa identidade e circular pelo espaço com certa liberdade – mas sempre tendo o máximo de cuidado. Então decidimos que: Adrian e Anna tentarão se infiltrar entre os da elite, que de acordo com Luna, ficaram nos andares superiores; eu e o Robert ficaremos no salão procurando algo – ou alguém – que nos ajudasse. Já o Caleb ficaria responsável por procurar minha irmã e os amigos dela, já que de acordo com a Luna, mesmo contra as regras que foram dadas a eles, eles decidiram ir ao baile tendo recebido o convite diretamente da Francesca.

Obviamente, eu não fui a única a ficar confusa; sim, eu imagino que pelo tempo que a Camile viveu na França – cresceu lá – ela deva conhecer nossa tia, mas o que me deixa mais cismada, é o porquê da Francesca me odiar mas não odiar a Camile. Ela é doida? Sim, provavelmente. O que também me deixou meio irritada, foi que mesmo com os meus avisos a Camile aceitou de bom grado o convite da nossa tia, Tipo, “a mulher caça a minha irmã desde que ela era pequena, mas vamos aceitar o convite”. Tenho que me lembrar de dar um tapa naquela idiota!

- É sério, fico assustado quando você para do nada para ficar pensando! – E mais uma vez, a voz brincalhona do Ângelo me trouxe de volta a realidade – Uma coisa que a Lisa me contou foi que você voltou com a Adrian, é verdade?

- Sim. – Bufei – Mas quero ver por quanto tempo dessa vez.

- Por que diz isso? – Ele se aproximou e me abraçou por trás, tentando me reconfortar – Vocês fazem um casal bonito, maluco... Mas bonito. – Ele tentou me animar, o que deu certo, já que ri de sua frase.

- Não somos um casal! – Tentei não mostrar fragilidade ao falar aquilo, o que obviamente não deu certo.

- Vocês são retardadas, hein? – Ele afundou a cabeça em meu pescoço e começou a rir – Claro que vocês são um casal, vocês não ficam com outras pessoas, na maioria do tempo estão juntas, tem bastante ciúmes uma da outra...

- A Lise é escorpiana, perigosa essa garota! Perigosa! – Lisa, que estava na cozinha na hora, preparando um sanduíche, comentou antes de ir para a sala.

- Obrigada pela informação, louca dos signos. – Ângelo falou alto para que a loira escutasse, e como resposta ela levantou o polegar em sinal positivo – Continuando: e o mais importante de tudo, vocês se amam, não é o suficiente? – Ele perguntou de maneira retorica, no entanto, uma terceira voz respondeu à pergunta.

- Às vezes não! – Viramos ao mesmo tempo e encaramos a loira que já estava pronta e com sua máscara dourada na mão – Principalmente para nós, duas mulheres quebradas pelo tempo!

A expressão do moreno ao meu lado, não foi muito diferente da minha: surpresa. Adrian usava um vestido branco de mangas longas, que era bem soltinho e ia até um pouco abaixo dos joelhos. Ela usava sapatos também brancos de salto, mas que não era tão alto, Até porque essa garota já é um poste, se usar salto ela fala com Jesus!

- Mesmo assim acho que vocês duas podem se concertar! – Ângelo, Vou contratar ele pra isso, mais uma vez me trouxe a razão.

- Vamos tentar. – Ela sorriu, mas logo franziu o cenho – Deveria me preocupar com o fato de que você está abraçado com a minha garota?

Eu e o Ângelo nos encaramos por curtos segundos, antes de começarmos a gargalhar. Sabíamos que a Adrian só estava brincando, até porque, ninguém naquela casa se atreveria a tocar em mim; não por medo da loira, e sim, porque eles nos respeitavam muito e adoravam nos ver como casal.

- Tenho uma missão para você loira. – Ângelo informou, logo após parar de rir e retomar o folego.

- É, qual?

- Depois que tudo isso acabar, você terá que fazer um pedido de namoro descente para essa garota e vocês terão que parar com esse cú doce!

- TE AMO, ÂNGELO, UOOOU! – A maluca da Lisa, gritou quando voltou a cozinha para deixar o prato na pia.

- Claro, Angel. – Adrian brincou e o moreno fez uma cara de desgosto.

- Isso é apelido de mulher, Andy!

- E quem duvida que você não é? – Lisa.

P.O.V Narradora

- Você não pode aparecer nesse baile, é perigoso Francesca! – Pierre, que estava extremamente nervoso, andava de um lado para o outro no grande escritório da morena.

Francesca, uma mulher já de certa idade, estava sentada em sua grande cadeira e analisava o loiro que andava de um lado para o outro, preocupado com a amiga.

- Você sabe que ele estará aqui, não sabe? – Ele perguntou mais uma vez, entretanto dessa vez, ele mostrava toda a sua preocupação.

- Claro que sei, mas elas também estarão e você sabe que eu tenho que proteger minhas pequenas! – A mulher sorriu ao olhar para o lado e observar a fotografia das sobrinhas – Elise vai acabar caindo em uma armadilha e não sei se Camile vai conseguir salva-la!

- Elise não sabe da verdade? – O loiro perguntou indignado – Não acredito que teve tantas chances e as desperdiçou!

- A questão não é essa Pierre, a verdade é que... – Ela suspirou – Nem Camile sabe da verdade!

- E quando vai contar?!

- Não sei, mas por enquanto mantenha elas longe... dele! – Disse com escarnio.

- Do corvo?

- Sim, ele estará aqui e fara a próxima jogada! 


Notas Finais


PERA, PERA, PERA.... DE QUE LADO ESSE POVO ESTÁ E QUE VERDADE É ESSA?
Que comece as teorias da conspiração! :v

Quem quiser entrar no grupo do Whats deixa o número nos comentários ou manda por mensagem (não esqueçam do DDD!)

COMENTEM! Please :3

Até o próximo, Bye :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...