História Love My Love - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Evil Queen, Fanfic G!p, Homossexualidade, Jennifer Morrison, Khristtynna, Lana Parrilla, Lesbicas, Morrilla, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Swan Queen, Swanqueen, Swen
Visualizações 627
Palavras 2.218
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Orange, Poesias, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


*Boa leitura!😍😘📖📚📔

Capítulo 6 - O diário


 

Emma voltou para perto da fogueira desconfiada, a morena se controlou para não tirar uma com a cara dela.

 

-Criançona, suas mãos estão bem lavadas? –Perguntou querendo rir.

 

-Claro marrentinha, por quê?

 

-Você me ajuda a levar a comida lá para dentro, aqui está frio!

 

-Sim. -Emma pegou o peixe que já estava no ponto, colocou em cima de uma tábua forrada com folha de bananeira, bem ajeitada. Regina pegou dois cocos e entraram na casa, sentaram no assoalho e começaram a fazer suas refeições em silêncio. Quando acabaram arrumaram tudo em seu devido lugar. Emma estava incomodada com o silêncio.

 

-Então o que acha de lermos aquele diário? –Perguntou querendo puxar assunto.

 

-Sim! –Sentaram na cama improvisada.

 

-Você ler, quero apenas imaginar. -Disse a loira.

 

-Cuidado com suas imaginações! -Sorriu insinuando o ocorrido de horas atrás.

 

-O que quer dizer com isso?

 

-Nada, vamos ao que interessa. -Pegou o diário da mão da loira, sentou próxima ao lampião. Emma se ajeitou melhor na cama a olhando na expectativa.

 

A morena iniciou a narrativa.

 

Novembro de 1986, meu nome é Marlim, estava numa pescaria com meus amigos, quando uma tempestade nos pegou em alto mar, o barco acabou virando. Todos morreram, eu nem sei como sobrevivi, só sei que quando acordei estava nessa ilha. No total éramos cinco, eu sei que meus amigos morreram porque a maré trouxe os corpos deles para a praia, assim como minha rede de pesca e mais um baú com algumas coisas. Estou neste lugar faz cerca de um mês, começo a sentir desespero, então decidi escrever nesse diário, que por sorte estava dentro do baú, assim me distraio. Tenho medo de não ser encontrado e acabar morrendo nesse lugar sozinho, caso isso aconteça, quem sabe um dia alguém o encontre e saiba o que aconteceu comigo. Tenho dois filhos, um de cinco e outro de sete anos, o nome do mais novo é Pedro e do mais velho é Gibson e, também tenho uma linda mulher chamada Aurora, somos felizes ou pelo menos éramos, agora já nem sei o que vai ser da minha vida...

 

A morena continuou a narrar, Emma vidrada na história e de vez enquanto se distraía a admirando, na maioria das vezes seus belos lábios carnudos. Não souberam quanto tempo ficaram lendo, o diário que tinha bastante páginas,  acabaram adormecendo juntas, encostadas uma na outra.

 

Um mês depois....

 

Emma havia aprendido a subir na árvore do coqueiro, para a alegria de Regina que adorava uma água de coco fresquinha. Ainda não haviam acabado de ler o diário, quase todas as noites ficavam lendo, estavam se tornando amigas, apesar de Regina sempre implicar com a loira.

 

Emma não havia mas se masturbado pensando na Mills, para ela era como se tivesse desrespeitando a morena, não queria agir de tal forma, apesar de as vezes precisar ficar na água para acalmar os ânimos, afinal ficar vendo a amiga de roupas intimas não era fácil, e sendo ainda adolescente na puberdade só piorava.

 

Já a morena sentia muito desejo sexual, antes do ocorrido e ir parar na ilha, estava prestes a perder a virgindade para o namorado, já havia rolado altos amassos, ainda não tinha feito porque estava esperando a feste de aniversário dele, que seria na semana passada. Não pensava nele durante o tempo que está na ilha. Já havia se passado mais mês que caiu no mar e veio parar no local. Quanto a Emma, não era cega, a achava muito linda e queria saber com quantas garotas ela já havia ficado, e se quando se masturbava em quem pensava, era tanta curiosidade a respeito da outra.

 

Emma estava pescando o almoço, Regina sentada na areia apenas com suas roupas intimas a observando. A loira, já havia pescado dois peixes, ficando boa nisso, mas a saudade de casa era tanta, estava pensando em fazer uma jangada e cair fora, tentar a sorte em alto mar, quem sabe encontrar algum navio que a pudesse salvar, claro não deixaria para trás sua companheira de ilha.

 

Hoje leriam a última página do diário, estavam adiando esse final a mais de uma semana.

***

Na escola que estudavam, seus amigos haviam montado um memorial em suas homenagens, acendiam velas, haviam diversas fotos delas e coisas que gostavam. O namorado da morena, viva chorando pelos cantos, a amava demais, era mulher que sonhava se casar. Já Ruby sentia falta de sua melhor amiga, no fundo do seu coração sentia que ela estava viva. Havia uma rivalidade na escola, os amigos da morena diziam que foi Emma Swan quem a matou e, os da loira falavam que foi aos contrários. A escola estava dividida ainda mais. Zelena foi até o local conversar com a diretora a pedido de seu pai. Assim que adentou o pátio da escola viu uma jovem sentada embaixo de uma árvore, parecia chorar, resolveu se aproximar.

 

-Oie! –Ruby sabia que aquela era irmã de Regina, qual seria o motivo dela está puxando assunto, sendo que devia saber que sempre foi amiga dos Nolans. Hesitou um pouco antes de responder.

 

-Olá, não devia falar comigo!

 

-Ei, me diga qual o motivo? Apenas quero saber se está bem, você parecia chorar, na verdade estava dado as lagrimas em sus olhos.

 

-Não é da sua conta, não falo com os Mills!

 

-Já está falando!

 

-Você está forçando. –Zelena a achou adorável, com os incríveis olhos azuis, os cabelos pretos com mechas vermelhas e um visual bem descolado, provavelmente alta demais para sua idade. Sentou ao lado dela.

 

-Conversa comigo, esqueça essa história de Nolans e Mills, isso é chato. Me conte o motivo da sua tristeza, até posso imaginar, também estou triste.

 

-Eu sei, sua irmã. Saiba que minha amiga não a matou, Emma é a melhor pessoa que eu conheço, ela é doce, sensível, solidaria nunca machucaria ninguém.

 

-Calma, jamais pensaria tal coisa, minha irmã deve ter caído no mar e talvez sua amiga caiu atrás para ajudá-la ou quem sabe, resolveram fugir juntar. –Sorriu, fazendo a outra também sorrir e suavizar.

 

-Essa hipótese de minha amiga tentar ajudar sua irmã pode ser verdadeira, agora fugir juntas, impossível, elas nem se falavam, a escola é dividia.

 

-Que besteira, já faz tempo que é assim, desde que eu estudava aqui e a Gina ainda era uma pirralha, acredito que assim como você era na época.

 

-Nossa, então é antiga, não me lembro muito de quando você estudava aqui.

 

-Ei ainda sou bem jovem, vou completar 19 e você tem quantos anos?

 

-17, completei recentemente, a Emma tem 16, vai completa 17 no dia 5 do próximo mês, queria tanto que ela voltasse. O Sr David, iria dá uma grande festa para ela. –Seus olhos voltaram a encher-se de lágrimas.

 

-Não chora, vamos ter fé que elas vão voltar.

 

-Eu sei que a Emma está viva, apesar de muitos acharem que ela morreu.

 

-Não pense nisso, preciso ir falar com a diretora, meu pai está me deixando louca. –Levantou e deu um passo, se virou para a morena que permanecia no mesmo lugar. –O que acha de sair comigo, podemos ir ao cinema, preciso me distrair, assim como você?

 

-Não sei!

 

-Quem sabe, te pego as 19h no restaurante da sua avô. –Caminhou para dentro da escola, deixando Ruby sorridente.

***

Emma acabou a pescaria e foi assar o peixe, almoçaram, depois forma pegar bananas e água. Haviam voltado no final da tarde. A loira, ficou admirando o pôr do sol, sentada na areia, apenas de cueca e sutiã. Suas roupas bem desgastadas, só não estavam pior, por causa das do homem que estavam no baú, lavaram para aproveitar. Regina se aproximou sentando ao lado dela.

 

-O que acha de nadar um pouco?

-Não sei, pode ter tubarão. –Sorriu.

 

-Lesa, você vive dentro da água, agora vem com essa história de tubarão.

 

-Está escurecendo marrentinha. –Regina levantou e estendeu a mão para a loira.

 

-Vem e deixa de frescura.

 

Emma levantou a morena soltou sua mão e disse.

 

-Quem chegar por último acende a fogueira. –Saiu correndo pela areia, Emma sorriu e começou a correr atrás dela. Foram em direção as pedras. Swan consegui a alcançar, jogando-a na areia, Regina foi mais rápida e ficou por cima, a onda do mar as molhou, sorriram.

 

-Eu quem peguei você sua bobona, estou no domínio. –Emma sentiu friozinho na barriga, com a sensação do corpo da outra sobre seu e o sorriso dela a estava encantando.

 

-É realmente você me pegou.

 

-Sim eu te peguei. -A morena, não conseguia se mover apenas encarar a loira, seu estômago também com uma sensação diferente, desviou o olhar para os lábios de Emma, que em segundo a virou deitando sobre seu corpo de forma que a fez abrir as pernas para lhe receber, o contato dos seus sexos, fez suas respirações acelerar, Regina mesmo sem querer deixou um gemido escapar, como um alerta para a loira, que mesmo relutante resolveu se afastar antes que seu amiguinho ficasse animado, Regina poderia achar que era tarada. Se afastou do corpo da morena que se sentiu frustrada, estava excitada, por um momento quis beija-la. Emma levantou.

 

-Vamos logo tomar banho marrentinha, quero acabar de ler o diário hoje.

 

Sim! –Respondeu com a voz falha levantando. Entraram na água e começaram a nadar, estavam meia constrangidas, Regina ainda mais por ter ficado excitada com o contato.

 

A loira se aproximou dentro da água sorrindo. –Você acende a fogueira, eu te peguei. –Regina pensou “ não pegou porque é mole demais”.

 

-Nada disso criançona, você quem vai acender!

 

-Ah não, você é má.

 

-Você ainda não me viu fazendo maldade, agora vamos sair da água, está escuro.

 

Nadou para beira da praia, a loira a seguiu, saíram do mar. Emma foi acender a fogueira e esquentar o jantar. Regina estava dentro da casa, vestiu uma roupa improvisada com panos, não parava de pensar no ocorrido e a vontade de beijar a garota Swan, se fizesse tudo mudaria. Sentou na cama e nem notou quando a loira entrou com o jantar, ainda estava molhada, deixou o alimento no lugar que sempre faziam as refeições e se aproximou da cama.

 

-Regina, você está bem? –A morena se assustou.

 

-Que susto Emma! –A olhou dos pés à cabeça. –Você deve trocar de roupas, pode ficar resfriada. –Levantou.

 

-Você se importa comigo, marrentinha? –Perguntou animada.

 

-Sim Emma, eu me importo! –Se afastou deixando a loira alegre, tirou as peças intimas molhadas e vestiu uns trapos. Regina ficou na varanda pensando num jeito de afastar a loira, não queria e não podia sentir nada por ela, apenas uma fatalidade estarem juntas naquela ilha. Swan saiu e se aproximou.

 

-Lindo esse lugar!

-Lindo mesmo.

 

-Sentirei falta daqui quando for resgatada.

 

-Eu nem um pouco, apesar de ser lindo a noite estrelada e a lua cheia, ficar presa com você não será boa lembrança. –Emma sentiu seu jovem coraçãozinho doer, porque a morena estava falando aquilo, sendo que estavam se dando bem. Regina queria a afastar, assim parava de se sentir atraída por ela. Swan ignorou.

 

-Vamos jantar, estou faminta!

-Você sempre estar faminta garota!

 

-Claro, estou em fase de crescimento. –Sorriu e entrou na casa, Regina revirou os olhos e a seguiu. Como sempre faziam sentaram próxima ao lampião e começaram a jantar, Emma estava triste apesar de não demostrar. Regina percebeu que de repente ela parou de comer e ficou pensativa.

 

-O que você tem, estava faminta agora brinca com a comida?

 

-Nada não, você ainda custa acabar?

 

-Não, já acabei.

-Vamos ler o diário?

 

-Sim, quero saber as últimas palavras dele escritas ali. –Arrumaram as coisas e levaram as mãos que sempre ficavam puro a peixe apesar da morena ter feito colher de pau e Emma, ajeitado as cascas do coco para fazer de prato.

 

Sentaram na beira da cama, Regina pegou o diário.

 

Estou aqui a quase 10 anos, morrendo, nem sei direito quem eu sou, e tenho certeza que estou com tuberculose e morrerei em breve. Essa é a última página do diário, escrevi frente e verso cada uma do mesmo, isso me fez lembrar que ainda sou humano, meus filhos já devem estar adolescentes, minha mulher talvez tenha casado com outro. Solidão essa palavra me define…

 

A morena terminou as últimas linhas com lágrimas nos olhos, Emma da mesma forma.

 

-Regina pelo menos temos uma a outra.

 

-Pelo menos, queria que fosse eu e meu namorado aqui. -Falou encarando a loira.

 

-Sério? Para mim está bom que seja você, não me sinto só. –Disse Emma.

 

-Você e nada é mesmo que nada.

 

Emma levantou e colocou a mão na cintura. –O que deu em você? Está me tratando mal!

 

-Então não posso sentir falta do meu namorado e, preferir mil vezes estar presa nessa ilha com ele ao invés de você?!–Também ficou de pé.

 

-Eu sou legal! –Falou a loira magoada.

 

-Você é uma Nolan!

 

-E daí, você é uma Mills e te acho legal.

 

-Você é uma idiota!

 

-Não me ofenda, sei que estar com medo de morrer nessa ilha, mas isso não vai acontecer, vou dá um jeito de te tirar daqui eu prometo! –Falou e deu um passo para perto da morena.

 

-Você é uma inútil que fica se masturbando, em quem você pensa Srta. Swan? – A loira ficou vermelha, queria chorar.


Notas Finais


😍😘❣️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...