História Love Never Dies Even After Death {OS Jimin} - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin
Tags Bangtan Boys, Bts, Incesto, Jimin, Jiseo, Park Jimin, Seo Hyun
Exibições 172
Palavras 2.822
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bem bem bem, minha primeira OS
Eu não Manjo disso ainda
Mas eu fiz pesquisas pra escrever uma história boa.
Pra quem lê Love and Hate Imagine Luhan and Xiumin, tem aviso nas notas finais~
Enfim, é uma OS "pesada", quem tem algum problema com essas coisas e tals, não aconselho ler.
Boa leitura, espero que gostem, pois eu fiz com carinho e amor para vocês

Essa fic é dedicada à minha querida Unnie ~Sehy ❤

Capítulo 1 - One Shot


             “O amor vem inesperadamente,

       Assim como vai embora na melhor

                             parte”

                                Jimin’s POV

            Eu estava andando pelas ruas escuras de Busan, as gotículas de chuva engrossavam conforme eu corria, parecia um ímã. Voltar da faculdade nesse horário é ruim, ainda mais quando seu carro está no concerto.

           Vendo que não daria para chegar em minha casa, dei uma pausa em frente a uma garagem grande.

           Passei a mão em meu cabelo,  quando a garagem se abriu e alguém me puxou para dentro da mesma.

           – Vai se resfriar assim, oppa. - olhei para ela, era a Seo Hyun, colega de faculdade e trabalho, admito que tenho uma queda por ela, mas acho que ela nem me nota, mesmo em dois anos de trabalho e estudo juntos.

           – Não precisa se incomodar, eu ficarei bem. - sorri fraco e ela sorriu de volta, quando eu fui para me retirar, ela me segurou.

           – Eu estou dizendo para você ficar, por favormorte.a… - ela me abraçou por trás, tremendo, parecia estar com medo da tempestade ou algo assim.

           – Certo, certo… Está com medo, Seo? - me virei para ela e a abracei, afagando seus cabelos negros e lisos gentilmente, tentando ao máximo transmitir calma e segurança para a pequena.

           – S-Sim… - ela falou tão baixo que eu praticamente não ouvi. – F-Fique comigo, por favor… - ela me olhou nos olhos, parecia estar prestes à chorar.

               Uma mulher de 21 anos com medo da tempestade? Isso é tão fofo.

         {...}

          Ao entrar na casa, que é realmente bonita e arrumada, olhei em volta, nunca havia entrado ali, ainda mais que essa beldade nunca falou comigo a não ser para trabalhos da faculdade em equipe.

           – Sinta-se em casa! - ela sorriu singelo.

          Observei melhor Seo, dos pés a cabeça, agora que percebi que a mesma trajava apenas uma camiseta comprida, provavelmente sem nada por baixo daquela camiseta, quer dizer, sem shorts.

          Quando mal percebi, já estava observando ela fazia alguns minutos, ela corou ao perceber meu olhar fixo nela.

          – Vamos comer, Jimin oppa? - ela disfarçou a vergonha. – Eu já havia feito o jantar antes de você chegar, mas acho que tem o suficiente para nós dois!

              Ótimo! Comida! Melhor coisa da vida. Ou talvez não seja, já que estou vendo uma beldade dessas na minha frente… Tão perfeita, esse corpo - se bem que o corpo só completa a perfeição desse rosto- , eu já tinha reparado antes, mas nunca havia reparado tanto já que é vergonhoso ficar observando alguém com outras pessoas para contarem à ela que estou fitando-a.

           – Certo, vamos comer, aposto que você cozinha bem! - ela andou até a mesa, andei ao lado da mesma e logo sentei ao lado dela.

 

           Uma mesa tão bem arrumada, parecia que eu estava em um restaurante, e a comida parece tão saborosa…

           Comecei a comer o kimchi, meus olhos brilharam.

            – Melhor kimchi que eu já comi! - sorri, olhando para Seo que já estava um tomate de tão envergonhada.

            – E-Eu duvido… Mas que bom que gostou, só aposto que o kimchi de sua mãe deve ser bem melhor do que o meu, já que não tenho tanta prática…

           – Minha mãe morreu. O kimchi dela era bom também, mas não se compara ao seu. - comi tudo rapidamente com um sorriso, logo pegando mais.

           – Meus pêsames… - ela sussurrou baixo, comendo.

          

           Ficamos em silêncio até que terminamos de comer, a tempestade ficou mais forte e barulhenta, quando ouvimos a campainha tocar, Seo parecia que entrou em estado de choque.

          – Pensei que ele não voltaria hoje… Jimin oppa, se esconda no meu quarto… - ela me olhou e me puxou correndo para o quarto dela, logo ao subirmos as escadas e adentrarmos o quarto de Seo, ela fez eu entrar rápido no guarda roupa, sussurrou. – Fique aqui até eu dizer que pode sair. - ela fechou a porta do guarda roupa e saiu correndo para atender quem estava na porta, nem tive tempo de reagir.

                Eu fiquei confuso com aquilo tudo, mas apenas fiz o que ela pediu.

        {...}

         Já estava naquele guarda roupa fazia um tempo, até que ouço a porta do quarto ser aberta bruscamente e um barulho de alguém sendo jogado na cama sem cuidado algum.

          – P-Pare… Por favor… N-Não faça isso… - a voz da Seo ecoava pelo quarto, era uma voz chorosa.

           Ouvi barulho de roupas? Acho que eram roupas sendo rasgadas…

         – Você anda fugindo muito de mim, Seo Hyun, hoje irei fazer tudo que você estava evitando esse tempo, não quer me deixar voltar no tempo em que você dependia de mim? Assim vou te usar todo dia. - era a voz de um homem, grave e perversa. – Desde que você nasceu, eu te odiava, Seo, mas conforme você foi crescendo, na sua infância já senti atração por você, e isso apenas aumentou com o tempo.

               Ahn? Que merda é essa? Ela é abusada por alguém…? E também é alguém que conhece-a desde que nasceu…

          – N-Não…! Pare! Eu não quero voltar a ser usada assim…! - Seo gritava, quando ouvi o barulho de um tapa, e logo depois um gemido de dor. – P-Pare… Por favor… Joon Ho! - ouvi barulho de algemas sendo fechadas.

        – Apenas é permitido seus gemidos, não sua fala, Seo.

         Não aguentei e acabei saindo do guarda roupa, pulando em cima do homem, por sorte eu sabia a localização da cama, ele caiu com tudo no chão e eu fui junto, comecei a socá-lo, tudo no impulso da raiva.

             Como alguém pode abusar de uma mulher tão gentil e bonita…? Ele merece muito mais do que a morte.

          O rosto do tals de Joon Ho já se encontrava todo roxo, quando o mesmo apontou uma arma para minha cabeça.

          – Então é por isso que você não quer deixar que eu te abuse, Seo? Você já achou um merdinha de namorado agora? - ele riu, mas logo voltou a ficar sério. – Vou fazer o favor de matá-lo para você apenas pensar em mim, aquele que cuida de você desde que você nasceu. - ele ia atirar, quando Seo gritou.

           – NÃO! NÃO FAÇA ISSO! JIMIN...Jimin não tem nada haver com isso… - ela abaixou a cabeça. – Deixe ele ir, você pode me usar como quiser, oppa… - olhei para Seo e depois para ele, eles parecem ser irmãos, quer dizer que é incesto.

           – Hmmm? Ele é tão importante assim para você estar se sacrificando por ele?

           – Eu apenas quero que deixe Jimin fora disso.

           – Mas eu quero estar nisso. - falei e tomei a arma dele antes que ele reagisse, me levantando e apontando para o meio das pernas dele. – Abusou da sua própria dongsaeng? - ele recuou e eu atirei no meio das pernas dele.

          – QUE MERDA VOCÊ ESTÁ FAZENDO?! - ele gritou, se contorcendo de dor. – SEU FILHO DA PUTA! - Seo ficava surpresa, arregalando os olhos e me olhando.

         – Isso é para você aprender a não abusar de uma mulher tão perfeita, tão gentil e tão fofa como Seo Hyun, você nunca mais vai fazer isso, certo? - ri e ele se contorceu, gemendo de dor. – Ah, você nem vai poder fazer mais isso, já que não tem mais seu amiguinho. - atirei mais uma vez no meio das pernas dele e ele gritou de dor. – Vai me denunciar agora? Eu posso provar que você abusava da Seo, já que você mesmo admitiu. - ele desmaiou por causa da dor excessiva.

           Larguei a arma, soltando Seo que estava cheia de marcas no corpo e nua, abracei-a e a mesma retribuiu, chorando.

          – Desculpa, eu não sabia que ele voltaria de Londres hoje… Eu te meti nisso… - ela chorava alto, apertei-a, afagando seus cabelos escuros, tentando transmitir o máximo de segurança e conforto.

          – Tudo bem, Seo… Está tudo bem agora… - Não sei porque estou sentindo que preciso proteger ela, que eu quero proteger ela, é um sentimento incomum que eu nunca senti antes. – Eu não vou deixar fazerem isso com você novamente… Vou te proteger, Seo…

       

             Eu não sei o que deu em mim, mas me senti bem depois de proteger ela…

           {...}

         Levei o Joon Ho para o hospital e deixei ele lá.

                 ~Alguns meses depois~

         Ao voltar para a casa da Seo, fui recebido com abraço forte da mesma, é como se ela precisasse disso mais do que tudo.

         – E se ele voltar pra se vingar…? Sei que já passou dois meses, mas de qualquer forma eu não duvido de nada… - ela me olhou nos olhos.

         – Eu vou dar outra lição nele. - sorri, acariciando o rosto dela. – Não vou deixar que façam qualquer coisa com você. - ela me beijava.

            Um beijo intenso e necessitado, como se já desejássemos um ao outro há muito tempo. Seo acariciava minha nuca, enquanto eu segurava sua cintura e colocava mais nossos corpos.

            – J-Jimin… - ela sussurrou meu nome em meu ouvido após o ar fazer falta e separamos o beijo. – Eu me sinto diferente com você… Sempre te observei, te admirei, você sempre me atraiu de uma forma inexplicável e agora te ter aqui comigo, parece um sonho. - ela me olhava nos olhos, sorrindo timidamente.

            – Eu sempre fiz a mesma coisa, sempre te observei desde que te vi pela primeira vez… - sorri, sentindo meu rosto esquentar, já estava corado com toda certeza.

            – Isso deve ser um sonho. - ela estava totalmente corada, como um tomate humano, a mesma beliscou o próprio braço, quando eu segurei a mão dela.

           – Não se machuque… Eu posso te provar que isso não é um sonho… - beijei-a calorosamente e carinhosamente, acariciando suas costas.

           Seo retribuía na mesma intensidade, enlaçando meu pescoço com seus braços, logo pedi passagem com a língua, a mesma cedeu, explorei cada canto de sua boca, entrelaçando nossas línguas.

           Deitei-a na cama, ficando por cima da mesma, separando o beijo quando a falta de ar se fez presente, beijei toda a extensão do pescoço dela, enquanto a mesma tentava tirar minha camisa, ajudei ela e tirei minha camisa, logo tirando a dela e dando leves chupões na parte exposta de seus seios.

           – J-Jimin…ah… - ela gemeu baixinho.

            Sorri, e ela rolou comigo na cama, trocando as posições e ficando por cima de mim, ela tirava minha calça enquanto me beijava de modo necessitado e provocativo.

            Ela descia o beijo para meu ABS, logo ficando entre minhas pernas e abaixando minha cueca com a boca, observava meu membro ereto saltar do tecido que antes o impedia de se mostrar por completo. Seo mordia o lábio inferior ao ver a cena, abocanhando meu membro, me fazia arquear as costas para trás, gemendo baixo, levava uma mão até seus cabelos, acariciando-os.

            – V-Você é tão boa nisso, Hyun… - mordi meu lábio inferior enquanto observava-a me chupar e masturbar a extensão de meu membro, logo a mesma masturbava meus testículos, me fazendo gemer um pouco mais alto que antes. – A~Ah...I-Isso… - puxei de leve os cabelos dela fazendo-a parar de chupar meu membro e me beijar, não queria o corpo dela, apenas ela.

                Eu e Seo já estávamos juntos desde o acontecimento sobre o irmão dela, nosso relacionamento era forte.

           {...}

  

           Acordei com lágrimas nos olhos, estava chorando. Esse sonho me deixa com receio de dormir, ver aquela cena novamente…

          Eu sei que esse sonho aconteceu de verdade, mas não dá para admitir facilmente.

          Depois que eu vi Seo Hyun ser estuprada e morta com meus próprios olhos, sem eu poder fazer nada, não sei como reagir, mesmo que já tenham se passado anos…

                  ~Flashback On~

             Eu e Seo já estávamos juntos desde o acontecimento sobre o irmão dela, nosso relacionamento era forte.

            Enquanto eu a beijava intensamente, com todo desejo que eu sentia, alguém entrou na casa sem fazer barulho e tirou Seo de cima de mim bruscamente, jogando-a no chão, logo ele pulou em cima de mim, injetando algo no meu pescoço que me fez desmaiar, antes de meus olhos se fecharem eu vi ele, Joon Ho.

            {...}

               

           Quando eu acordei, estava amarrado em uma cadeira e com uma fita na boca, minha visão estava turva e minha cabeça dolorida, parecia que eu tinha levado uma pancada na cabeça.

           Minha visão voltou ao normal, assim pude ver a Hyun amarrada na cama, intacta mas nua, ele não tinha encostado nela, ainda.

          Seo estava chorando com um tecido na boca para abafar sua voz.

          Olhei em volta e Joon Ho entrou no quarto, com uma maleta, ele me olhou e sorriu sarcasticamente, colocando a maleta em cima da escrivaninha no canto do quarto, abrindo-a e pegando...Brinquedos sexuais.

            Minha fúria subiu a cabeça, comecei a me contorcer na cadeira para tentar me soltar, mas foi inútil, apenas me machuquei.

            – Já entendeu o que eu vou fazer, é? - ele ria sarcasticamente. – Sim, vou abusar dela na sua frente. Sem você poder fazer nada.

             Ele pegou uma venda e colocou nos olhos da Seo, colocando também uma coleira nela, pegando um Bondage Belt Restraint System - Kit com um cinto ajustável, correia de retenção ajustável, algemas de tornozelo e de pulso e quatro amarras - prendeu a cintura dela, os tornozelos com as algemas, tirou as cordas que a amarravam os pulsos, trocando pelas algemas de pulso - todos presos pelas amarras à balança erótica que estava presa ao teto.

            Ele pegou um chicote de couro com spikes por toda a extensão do mesmo, e tirou o pano da boca de Seo, chicoteando ela duas vezes nas coxas, a mesma gritava de dor se contorcendo com dificuldade por causa das amarras, ele sorria.

             – Acho que vou deixar isso mais divertido, certo, dongsaeng? - ele pegou uma mordaça com prendedor, colocando na boca de Seo, ajustando o prendedor para puxar seus lábios e deixá-los abertos e com o ferro machucando o interior de sua boca.

           Tentei me soltar novamente ao ver tudo aquilo, acabando por cortar um tanto meus pulsos com a corda, gemi baixo de dor, meu olhar era de fúria, apenas com o sentimento de matar aquele desgraçado.

             – Está gostando, Park Jimin? - ele riu cinicamente, dando com o chicote na minha cara, fazendo cortar minha bochecha e a mesma sangrou.

           

            Ele deu mais chicotadas na Seo, até todo seu corpo ficar roxo ou sangrando, logo ele pegou um prendedor de mamilos - com vibrador - e prendeu os mamilos dela, fazendo a mesma dar um gemido de dor - e talvez prazer que ela não queria sentir.

            Seo já chorava de dor sem parar, como uma criança depois de apanhar do pai.

             – Isso, chore, eu amo ouvir seu choro, seus gemidos, seus gritos. - ele lambeu toda a extensão dos seios à parte íntima de Seo, causando arrepios na mesma, logo enfiando dois vibradores na parte íntima dela, fazendo-a gemer alto e chorar mais com a dor. – É tão bom te ver submissa à mim novamente, dongsaeng… - sorriu de canto, saindo do quarto para pegar algo.

            Não chorei, apenas senti a fúria aumentar rapidamente conforme assistia aquilo, fazendo meus pulsos sangrarem mais a cada puxada, a dor já não importava mais.

            Joon Ho voltou com um copo de vidro, segurou o copo sobre a cama e ajustou a balança erótica, fazendo Seo sentar sobre o copo gelado, ele arrumava o copo, fazendo-o entrar no orifício anal dela, fazendo a mesma gritar mais - já praticamente sem voz de tanto gritar - conforme ele fazia o copo entrar, mais chances de quebrar o mesmo tinha, quando o copo chegou a adentrar metade, o mesmo se quebrou com a pressão, cortando as nádegas e seu interno, a mesma desmaiou com a dor, sangrando muito.

          Todo o corpo dela sangrava sem parar, quando Joon Ho sussurrou no meu ouvido ao se aproximar de mim.

           – Acabou. Adeus. - ele injetou algo em mim e eu apaguei.

                ~Flashback Off~

          Até hoje eu vivo com isso e nunca mais vi sinal algum de Joon Ho, o que me irrita, eu quero vingança de qualquer jeito, nem que eu morra com a vingança.

         Não consegui me envolver mais em nenhum relacionamento, porque a pessoa que eu amo está morta…

        {...}

          Enquanto eu pensava isso, estava andando pelas ruas escuras de Busan, no mesmo dia que conheci a Seo Hyun, não percebi que um caminhão vinha em minha direção em alta velocidade, logo o mesmo me atropelou…

        {...}

            Acordei em um local um vácuo profundo, confuso, me levantei e andei sem rumo, já que era apenas tudo vazio.

            Depois de algumas horas andando, vi alguém, uma luz, corri até a mesma, vendo ela… Seo Hyun… O amor da minha vida… Na verdade, até da morte.


Notas Finais


Comentem se desejarem ❤ amo saber as opiniões, nem que sejam negativas, podem dar!

~Pra quem lê o Imagine Luhan and Xiumin~
Bem, desculpem meus amores por não postar ainda o capítulo, mas é que eu estava me esforçando tipo, demais para escrever essa fic do Jimin ;-;
Mas prometo voltar a postar normalmente essa semana! ❤

~Pra quem não lê o Love and Hate Imagine Luhan and Xiumin~
O link pra vocês ❤
https://spiritfanfics.com/historia/love-and-hate-imagine-luhan-and-xiumin-6253642


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...