História Love Notes! - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Lu Han
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Tao, Xiumin
Tags Babydokaisoo, Baekhyun, Exo, Hunhan, Kai, Kaisoo, Kyungsoo, Luhan, Sehun
Exibições 154
Palavras 3.404
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Fluffy, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá!
Estou de volta com mais um capitulo. Me desculpem por todas essa demora, mas acredito que todos leram o aviso e tenham me entendido.
Bom, esse capitulo é dedicado para o meu peixinho <3
Não tenho muito o que dizer para você, pois acho que já disse muito kkk
Então feliz 6 meses, peixinho! Amo você u.u
Espero que todo mundo goste desse capitulo kkk eu até fiz ele maior para compensar :)
Boa leitura u.u
(Eu coloco a capa do capitulo depois, pois a minha adorada capista está estudando agora kkkkk)

Capítulo 6 - Sua Voz


Love Notes

Sua voz

 

►Kris

 

KyungSoo...

Ele era o cara mais encantador que eu tinha visto na minha vida. Toda vez que eu o via de longe um sentimento de possessão nascia dentro de mim. Era algo que eu não sabia e não queria controlar, pois eu só queria que ele fosse meu.

 

Completamente meu...

 

Desde que KyungSoo me negou em uma festa, eu tenho feito de tudo para tentar ficar com ele e ter uma chance. Eu odiava ser negado, pois eu tinha tudo o que queria e com ele não seria diferente.

Eu só precisava pensar em algo para me aproximar dele...

 

Mas o que eu poderia fazer?

 

- Kris, o que foi? – Tao perguntou, colocando a mão sobre o meu ombro e me balançando de leve.

- Nada, eu estou bem. – Respondi um pequeno sorriso no rosto e Tao acabou ficando vermelho. – O que foi?

- Ah, não é nada. – Tao respondeu e virou de costas para mim. – O seu sorriso é bonito...

Eu fiquei estático por um momento, mas lembrei de que Tao tinha se confessado para mim um tempo atrás. Eu tinha deixado claro que não sentia nada por ele, mas não podia fazer o mesmo parar de gostar de mim, assim como eu não podia aprender a gostar dele desejando o KyungSoo.

 

Eu queria o KyungSoo.

 

- Kris! – Tao me beliscou dessa vez e eu me afastei dele com uma careta no rosto, fazendo o mesmo rir. – Desculpe hyung.

- Você não toma jeito, não é? – Perguntei com um tom de brincadeira e o mesmo negou com a cabeça.

- Olha! O Kyung está ali! – Apontou para a quadra onde os meninos jogavam futebol como loucos. – Vamos até lá falar com ele.

Tao saiu me puxando em direção a quadra e eu comecei a pensar em uma forma de chamar a atenção de KyungSoo sem ser rude e sem deixar claro as minhas intenções com ele. Depois de ter levado um fora do mesmo, eu acabei indo atrás dele para poder dizer que estava bêbado e não tinha noção do que fiz. Ele pareceu acredita, por isso ainda conversa comigo.

 

Ele é tão Ingênuo.

 

- KyungSoo? – Tao o chamou e o mesmo pareceu não estar o ouvindo. – Ué, o que deu nele?

- Não sei. – Observei o menor e percebi que suas bochechas estavam vermelhas, o deixando ainda mais lindo para mim. – KyungSoo?

- Kyung? – Tao o chamou novamente.

- Kris! Tao! – KyungSoo finalmente acordou de seu transe.

- Estávamos te chamando há um tempo, mas você não nos ouviu. – Eu disse para o mesmo e Tao confirmou com a cabeça.

- Desculpe, eu estava um pouco distraído. – KyungSoo respondeu sem graça e pude perceber que um pedaço de papel caiu de suas mãos.

 

Eu me abaixei e logo peguei o papel em mãos. Comecei a ler o mesmo assim que o abri. Aquilo poderia parecer chato da minha parte, mas não consegui evitar em saber.

Assim que li o bilhete uma súbita raiva tomou conta de mim e eu senti vontade de matar esse tal Kai.

 

- Quem é Kai? – Perguntei completamente irritado e com uma cara nem um pouco agradável.

- Não sei. – KyungSoo respondeu e tomou o bilhete de minhas mãos. – É o meu admirador.

- Você gosta dele? – Tao perguntou e eu arqueei a sobrancelha esperando a resposta do mesmo. – Acho que sim em!

- Eu ainda não sei quem ele é, mas quando eu souber vou dar uma recompensa por todos esses versos! – KyungSoo disse animado e  Tao pareceu se divertir com aquilo, mas o que me chamou atenção foi a palavra recompensa.

- Uma recompensa? – Perguntei interessado e cheio de expectativas.

- Sim. Um beijo talvez. – Ele respondeu de bochechas coradas e um sorriso nasceu em meu rosto.

 

Um beijo? Como seria ter os lábios de Do KyungSoo sobre os meus?

 

- Um beijo? – Perguntei enquanto divagava, podendo observar um Tao completamente raivoso.

- Vamos Kris? Precisamos ir! – Tao disse e agarrou o meu braço, me arrastando para longe.

- Hey, o que foi isso? – Perguntei irritado, tirando o meu braço de seu aperto.

- Eu gosto de você, mas você parece que já se esqueceu disso e fica de quatro pelo KyungSoo! – Tao respondeu e eu pude ver um pouco de magoa em sua voz.

- E eu gosto do KyungSoo! – Respondi e o mesmo se encolheu. – Então já que você gosta de mim me ajude a conquista-lo.

- E-eu não posso fazer isso. – Tao respondeu com os olhos lacrimejados.

- Por favor, Tao... – Implorei e ele continuou a relutar. – Eu faço o que você quiser.

- Eu quero um beijo em troca... – Ele respondeu e eu arregalei os olhos. – Já que eu nunca vou poder te ter pelo menos me dê um beijo.

- O que? – Perguntei exaltado.

- Por favor, eu te esquecerei para sempre depois disso. – Tao falou de cabeça baixa e eu me permiti pensar sobre aquilo. – Kris...Você...

- Tudo bem, eu aceito a proposta. – Falei convencido e Tao pareceu surpreso. – Assim que eu conseguir que o KyungSoo vire o meu namorado, eu te dou o que você tanto quer. Temos um acordo?

- Sim, estamos de acordo. – Ele balançou a cabeça em afirmação e naquele momento pude ver um brilho em seu olhar.

- E como você pensa em me ajudar a conseguir namorar o KyungSoo? – Perguntei ansioso enquanto puxei o mesmo para andar pelos corredores da escola. – Espero que seja algo bom...

- Você confia em mim, certo? – Ele perguntou com a sobrancelha arqueada e eu balancei a cabeça em confirmação. –Ótimo, vai ser tudo muito simples e fácil para você.

- O que você quer dizer com isso? – Cocei a cabeça em um sinal de confusão.

- Estou dizendo que o tal “Kai” está fazendo todo o trabalho difícil para você. – Tao respondeu e eu finalmente entendi o que ele estava querendo dizer. – É tudo bem simples. Vamos tirar proveito dos bilhetes românticos dele.

- Certo, esse plano é o melhor que eu já ouvi. – Respondi animado e Tao sorriu ao olhar em meu rosto. – Obrigado, Tao.

- Eu faço qualquer coisa por você, Kris...- Tao respondeu com as bochechas coradas e eu me senti mal por não ter o mesmo tipo de sentimento que ele tinha por mim. – Bom, só precisamos descobrir quem é Kai e esperar a hora que ele for se revelar...

- Ai eu entro em cena e digo para o KyungSoo que eu sou o amado dele! – Completei a frase com um sorriso no rosto e mesmo sendo difícil para o Tao, ele sorriu comigo.

         - Isso mesmo, Kris! – Ele deu risada pela a minha empolgação e eu senti o meu coração se aquecer.

        

         Que droga de sentimento é esse?

         O que é isso se aquecendo aqui no meu peito?

        

- Obrigado, Panda... – Dei um breve sorriso para o Tao e me aproximei do mesmo, beijando a sua testa em seguida.

- K-Kris, o que hm... Você... Está fazendo? – Tao perguntou com o rosto corado enquanto levava a mão até o lugar que eu beijei.

- Isso é só um bônus no meio do nosso trato. – Dei ombros e depois dei risada, pois Tao ainda continuava vermelho. – Para de ser uma menininha apaixonada.

- Vou te mostrar quem é a menininha! – Ele falou raivoso e eu me preparei para correr, afinal, Tao odiava ser comparado a uma menina. – Você não vai fugir!

 

Assim que o mesmo se moveu para me pegar, eu comecei a correr e a desviar das pessoas que estavam no corredor em horário de aula. Era vergonhoso estar fazendo isso, mas quando olhei para trás pude ver um grande sorriso no rosto de Tao.

 

Eu estava feliz...

 

Love Notes

Sua voz

 

No outro dia...

 

         ►Jongin

 

         - Eu sou o Kai, hyung. – Falei com o rosto virado para baixo tentando esconder as minhas bochechas coradas. – Me desculpe, eu não queria esconder isso por mais tempo...

         - Você é o Kai? – KyungSoo perguntou com a voz falha e eu me encolhi. – Por que você fez isso?

         - Porque eu sou apaixonado por você, KyungSoo. – Respondi e vi o mesmo parecer surpreso com a minha confissão. – Então, eu decidi fazer bilhetes românticos... Você gosta de romances... Hm

         - Bom, eu realmente gosto de romances... – Ele se aproximou de mim e colocou uma mão sobre o meu rosto. – Mas acabei de descobrir que gosto muito mais de outra coisa...

         - Uh...O-oque seria isso? – Perguntei meio desconcertado com a nossa proximidade.

         - Você... –Ele respondeu e o meu coração disparou como um louco. – Jongin, eu quero te beijar.

        

         Fiquei um pouco receoso ao ouvi-lo, mas logo levei minhas mãos até a sua cintura e aproximei o meu rosto do seu, deixando um breve selar em seus lábios.

 

         - Nini, eu amo...

        

         JONGIN! JONGIN! SEU INÚTIL!

        

         Gritos ecoavam pela a minha cabeça e sentia que ela iria explodir a qualquer momento. Eu estava amaldiçoando a pessoa que tinha me tirado de meu breve sonho e me levado para longe de KyungSoo.

        

         - Droga! Jongin! – Um tapa foi deferido contra o meu rosto e eu me levantei na hora, podendo ver Sehun parado em minha frente.

         - Porra, Sehun!!!! – Agarrei o meu travesseiro e o joguei em direção ao mesmo, que acabou desviando de minha mira. – O que você quer?

         - Estamos atrasados, Jongin! Muito atrasados! – Sehun resmungou e me puxou para fora da cama. – Você me disse no telefone para irmos mais cedo para a escola e entregar o novo bilhete para o Lu!

         - Eu não lembro disso....

         - Claro que você não lembra, seu inútil! – Sehun me empurrou para o banheiro. – Você acabou dormindo no meio da ligação.

         - Desculpe...

         - Te desculpo se você se arrumar rápido! – Ele debochou e logo deu uma risada. – Te espero lá embaixo.

 

         Assenti com a cabeça e assim que Sehun desapareceu do meu ponto de vista pude começar a me arrumar. Eu realmente tinha ficado com raiva por ele ter atrapalhado o meu sonho, mas ele fez por um bom motivo.

         O bilhete novo seria entregue para o KyungSoo de uma forma diferente dessa vez, por isso precisaríamos estar antes na escola. 

         KyungSoo chegava muito cedo e estar lá antes dela era o grande foco, pois o nosso objetivo era abrir o armário do mesmo dessa vez. Então, eu me arrumei o mais rápido que pude e corri para sala, arrastando Sehun comigo até a saída.

         Percorremos pelas ruas fazendo cosplay de Flash e em questão de minutos estávamos parados em frente à escola, observando um Luhan muito irritado.

         Ele não falou palavra alguma, só veio em nossa direção e nos arrastou para dentro da escola pelas orelhas. Sehun pareceu ficar indignado, afinal a culpa do atraso era minha e não dele.  Porém, se tinha algo que o Luhan odiava esse algo eram atrasos.

         Fomos arrastados assim até estar na frente do armário de KyungSoo. Os alunos que ali se encontravam nos olhavam de modo divertido e eu nunca me senti tão envergonhado.

         Logo que um grupo maior desapareceu de vista do corredor, Luhan pode abrir o armário de KyungSoo com as suas grandes habilidade, que eu não sei da onde ele tinha tirado.

        

         Luhan era uma caixinha de surpresas...

 

         O armário foi aberto e eu olhei para os lados, procurando algum sinal de movimento. Estaríamos fritos se alguém nos visse arrombando o armário de um aluno. Além de levarmos uma boa suspensão, KyungSoo descobria tudo e a minha vida ficaria uma bagunça.

 

         - Pronto, Jongin. – Luhan me puxou para perto do armário. – O que devemos fazer agora?

         - Só fiquem olhando e me avisem caso alguém apareça. – Expliquei e os dois balançarão a cabeça em confirmação.

         - Faça isso rápido, pois não é normal ter uma sorte como essa. – Sehun falou e Luhan o beliscou, tirando-me uma risada baixa. – Hyung! Isso doeu!

         - Eu já falei para você parar de ser tão negativo. – Luhan o repreendeu. – Bora lá, Jongin. Faça isso rápido.

        

          Comecei a vasculhar entre os cadernos e livros de KyungSoo, tentando achar aquilo que eu tanto queria. O plano dessa vez era colocar o bilhete no meio do livro que o Kyung estava lendo para mim, mais especificamente na pagina que ele iria ler hoje quando nos encontrássemos.

         Assim que o encontrei, procurei a pagina que estava programa para hoje e tirei o bilhete de meu bolso, colocando-o dentro do livro e o fechando novamente.

         Diferente das outras vezes, eu não me sentia mais tão nervoso. É claro, o meu coração ainda batia descontrolado dentro do meu peito, mas a minha confiança tinha aumentado e eu não me permitia sentir medo ou pensar negativo.

        

- Jongin!!Feche o armário!!Rápido!! – Sehun berrou enquanto tirava o livro de minhas mãos e o jogava para dentro, para do nada eu ser pressionado no armário por Luhan, fazendo com que o meu corpo fechasse o mesmo.

 

         O ato dos dois foi tão afobado que eu pensei que fosse morrer ali mesmo. As minhas costas pareciam queimar como o inferno, mas nada queimou mais do que o meu próprio rosto quando KyungSoo fez uma carinha completamente confusa e fofa enquanto olhava para nós.

         Eu tentei não demonstrar o meu desespero, mas aquela cena estava tão comprometedora. Sehun estava apoiado com a cabeça em um dos armários ao lado enquanto respirava pesadamente, Luhan tinha uma mão sobre o meu peito enquanto ainda me forçava contra o armário de KyungSoo, e por fim, eu estava com o rosto vermelho e os olhos arregalados.

 

         - O que vocês estão fazendo? – KyungSoo perguntou curioso enquanto aderia o mesmo movimento dos cachorrinhos quando não entendiam algo.

         - Nada não! – Respondi com um sorriso nervoso no rosto.

         - Hm... Não é o que parece. – Baekhyun surgiu do nada ao lado de KyungSoo e nos olhou de forma suspeita.

         - Estávamos treinando uma cena de um filme maravilhoso que eu e o Hunnie vimos, certo Jongin? – Luhan falou e eu assenti freneticamente com a cabeça quando ele parou de me pressionar.

         - Isso mesmo, Hannie! – Sehun concordou com um sorriso no rosto. – Decidimos usar o Jongs como cobaia nosso.

        

KyungSoo soltou uma risadinha assim que terminou de ouvir a história contada pelo o casal e se aproximou de mim, colocando a mão sobre o meu rosto.

        

         - Você está bem vermelho. – KyungSoo falou e eu corei mais ainda por conta da nossa proximidade. – Bem mais vermelho agora.

         - Desculpe... – Ri nervoso e ele me acompanhou. – Vamos ler no intervalo hoje?

         - Bom, eu vou estar um pouco ocupado... – Ele respondeu e eu fiz um bico chateado. – Mas podemos fazer isso depois das aulas terminarem.

         - Sério? – Perguntei com animado e ele balançou a cabeça em confirmação. – Não leia antes de estar comigo, certo?

         - Ah Nini! Você sabe que eu não resisto. – KyungSoo se afastou com um beicinho manhoso e eu sorri. – Tudo bem, não vou ler.

         - Que cena mais gay... – Baekhyun resmungou, mas se assustou quando viu um garoto parecido com uma girafa ao seu lado. – Channie! Que susto!

        

         O garoto mais alto soltou uma breve risada assim como todos nós e deixou um selar nos lábios do Byun, fazendo o mesmo corar de forma intensa e o arrastar pelo corredor.

 

         - O que foi isso? – Perguntei confuso enquanto via os dois se afastar. – E quem é ele?

         - Aquele é o Chanyeol, namorado do Baek e nosso amigo. – Luhan respondeu e o sinal soou estridente. – Hora de ir para a sala!

        

         Assim que o mesmo anunciou que deveríamos ir para a sala, todos o olharam com um bico nos lábios como se negassem o fato de ter que aguentar uma maratona de aulas essa manhã, mas logo se afastaram e seguiram para suas respectivas salas.

         O tempo das primeiras aulas se arrastou como uma lesma gigante, me torturando aos poucos. O recreio foi completamente solitário, pois eu já tinha me acostumado com a presença de KyungSoo e isso me fez sentir falta dele, deixando Sehun bravo comigo.

         Resumindo, isso se chamava ciúmes. Mas quando eu disse isso para ele, o mesmo fechou a cara e resolveu me ignorar pelo o resto do dia. Agora eu estava inquieto e sendo ignorado.

 

         - Sehun, você já pode parar de me ignorar... – Falei tentando chamar a sua atenção, mas sem sucesso. – Por favor, Sehunnie...

         - Qual é? Por que você não vai encher o saco do KyungSoo? – Sehun respondeu com a cara fechada.

         - Eu sabia! Você está com ciúmes! – Falei enquanto tentava segurar uma gargalhada.

         - Vai tomar no seu cu, Jongin! – Sehun me mostrou o dedo do meio e virou o rosto para o lado.

        

         Quando pensei em respondê-lo, o sinal de encerramento das aulas tocou e eu me levantei da cadeira em um pulo, correndo até a biblioteca.

         Assim que cheguei lá, procurei KyungSoo por toda parte, mas não conseguia encontra-lo.

 

         - Kyung? Cadê você? – Tentei falar o menos alto possível para que a bibliotecária não me expulsasse de lá.

        

         Continuei procurando e chamando por ele, até que sinto uma mão segurar o meu pulso e me puxar para uma das ultimas estantes cheias de livro. Eram as sessões de livros que ninguém gostava de ficar por muito tempo e isso me assustou ao extremo.

 

         - Calma, Nini. – Ouvi a voz de KyungSoo e olhei para ele, podendo ver o mesmo parado em minha frente. – Desculpe te assustar... A bibliotecária te viu?

         - Não, ela não me viu. – Respondi um pouco confuso e o vi soltar um suspiro aliviado. – Por quê?

         - Ela não gosta que ninguém fique aqui depois das aulas, pois ela pode ir embora mais cedo... – Respondeu com uma careta e eu sorri.

         - Mas vamos ficar trancados aqui se ela for embora...

         - Nós vamos sair antes de ela ir, não se preocupe. – KyungSoo sorriu e se sentou apoiado na estante, me fazendo copiar o seu movimento.

 

         Pude ver um sorriso nascer nos lábios do menor enquanto abria o livro e se preparava para ler para mim. Fiquei feliz por estar curtindo aquele momento novamente de ouvir a voz do menor narrando mais um capitulo do livro escolhido por ele.

         E lá estava eu de novo, perdido, viciado e amando estar dentro daquela história com ele mais uma vez.

         Tudo estava bem até que ouço a voz de KyungSoo parar por alguns minutos e um breve suspiro surpreso aparecer. Olhei em sua direção com pressa e preocupado com o que poderia ter acontecido, mas não era nada que eu não esperasse antes.

 

         - Kyung? – Toquei em seu ombro e vi o mesmo me olhar com as bochechas coradas. – O que foi?

         - Kai...é um bilhete do Kai...no meio do meu livro – Ele falou pausadamente como se ainda não acreditasse me fazendo soltar uma breve risada.

         - E o que você está esperando para ler? – Perguntei e o mesmo sorriu animado, pegando o bilhete em mãos e o abrindo.

        

Sua voz me incendeia,

Como uma noite de lua cheia.

O seu timbre dança pelos meus ouvidos

E desliga todos os meus sentidos.

Morro só de pensar

De sua voz não mais escutar

E cair na escuridão

Sem ter o seu coração.

 

Kai.

 

         KyungSoo leu o bilhete em voz alta para mim e o terminou com um belo sorriso no rosto. Eu não pude evitar em levar uma de minhas mãos ao seu rosto e acariciar sua bochecha lentamente enquanto olhava nos seus olhos.

 

         Eu tinha acabado de descobrir que amava os olhos de KyungSoo também...

 

         - Hm... Nini? – KyungSoo levou a sua mão até a minha, que estava pousada em seu rosto. – Você acha a minha voz grande coisa como o Kai diz?

         - Eu acho que ela é perfeita, assim como o Kai diz no bilhete. – Respondi convicto e ele sorriu de forma doce.

         - Por que você sempre concorda com ele? – KyungSoo perguntou curioso.

         - É obvio... – Soltei uma breve risada. – Pois eu tenho a mesma visão que ele tem a respeito de você, ou seja, para mim ninguém é mais perfeito que Do KyungSoo.

         Vi KyungSoo virar o rosto por alguns segundos e depois me olhar envergonhado, arrancando um sorriso de enorme de mim. Sua mão ainda continuava sobre a minha e eu conseguia sentir os seus batimentos cardíacos acelerarem juntos aos meus, mas do nada tudo pareceu ficar em câmera lenta e tudo o que eu senti foi...

 

         Um selar em meus lábios e a pura ausência de luz.

         Tudo ficou escuro...

 

 

         Continua...

 

 

         


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse capitulo kkk fiz ele com muito amor e carinho!
Não esqueçam de deixar a sua opinião :)
Eu comecei uma fanfic nova a pouco tempo sobre kaisoo, é um presente para a minha amiga kkk deem uma passada por lá :)
https://spiritfanfics.com/historia/my-virtual-boyfriend-6983099

Me chamem no twitter para conversar kk ou aqui mesmo u.u @Zeindoboquete

Bejinhos ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...