História Love Of My Life - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Cora Hale, Derek Hale, Jackson Whittemore, Jennifer Blake, Lydia Martin, Malia Tate, Matt Daehler, Scott McCall, Stiles Stilinski
Tags Lemon, Sterek, Stiles Stilinski, Yaoi, Young Derek Hale
Exibições 319
Palavras 4.062
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ahhhhhh.

Essa é uma fanfic bobinha que eu comecei a escrever enquanto assistia procurando Dory - pela segunda vez (😗???) e enquanto eu não conseguia bolar algo descente para os capítulos das já postadas. É isso qq

Boa leitura e me desculpem por qualquer erro.

Capítulo 1 - You stole my love.


Fanfic / Fanfiction Love Of My Life - Capítulo 1 - You stole my love.

 

 

 

Derek passou por debaixo do banner com os dizeres “Baile dos ex-alunos.” Completamente sem ânimo, ele não queria estar ali, de jeito nenhum, mas sua mãe insistira tanto, tanto que ele resolveu ir. Mesmo que estivesse desacompanhado. Não que lhe faltassem acompanhantes, ele só não queria nenhuma delas....

O moreno sentou-se numa mesa um pouco afastado de todos. Encarando alguns dos seus amigos se divertirem, e a banda que tocava ali, enquanto ele bebia algo que havia pego no bar improvisado. 

O moreno olhou de relance para Stiles, que encarava os amigos dançando Com um sorriso.

Ver o castanho ali era um dos motivos que ele não queria estar ali. Olha-lo lhe trouxe algumas lembranças da última que que havia falado com o mesmo, há três dias.

 

 “Você disse que havia terminado com ela, você mentiu. ” o castanho falou num tom magoado. 

“mas eu... ” O moreno não conseguiu formular uma frase. olhar do castanho, sobre si, pesava.

“mas nada Derek, eu não serei uma segunda opção, acabou. ” grossas lágrimas banhavam o rosto do castanho. Derek até tentou mover os lábios na tentativa de falar algo, mas nada saía. E assim permaneceu observando o castanho se distanciar.

 

Desde então o castanho o ignorou. Depois de um tempo aquilo mais machucava do que irritava o Hale. Mas a culpa era somente sua. Ele estava ciente disso, pois o Stilinski havia lhe dado várias oportunidades e ele praticamente havia pisado em todas.

Derek suspirou pesado encarando a bebida em seu corpo. — burro. — murmurou para si mesmo, levando a bebida de encontro a sua boca. O moreno notou uma aproximação repentina na mesa em que ele estava. E encarou a pessoa de soslaio. — o que quer? — o tom amargo na voz do Hale não intimidou a garota.

— precisamos conversar sobre nós, Derek. — Jennifer jogou uma mexa do seu cabelo para trás.

O moreno sorriu, gargalhou na verdade, a mesma fora abafada pela música alta.

— esse é o problema garota, não existe “nós. ” — Derek olhou nos fundos dos olhos da Blake. — qual a parte do “nós não estamos mais juntos ”, “acabou ” você não entendeu? — o moreno levantou-se, se distanciando da mesa. Deixando uma Jennifer espumando de raiva para trás.

 

O moreno foi atrás de mais daquela bebida, e de uma mesa nova.

 

 

 

 

Desde que Derek olhou fundo nos olhos do castanho pela primeira vez. Âmbar passou a ser a sua cor preferida.

Quais as chances dele o olhar nos olhos outra vez? “0” era a resposta que Derek dava a si mesmo.

O moreno estava escorado em uma parede, encarando o Stilinski dançando com sua prima, irmã mais nova, Allison, Scott, Lydia, Jackson e Matt. Ele queria muito ir até o castanho e conversar com ele. Mas lhe faltava o essencial: a coragem.

 

 

 

 

O Hale não sabia ao certo o quanto daquela bebida havia tomado, e nem a quanto tempo estava ali, mas se sentia um pouco mais leve, tonto e um tanto alterado.

Ele estava decidido a falar com Stiles, só estava esperando uma oportunidade.

Viu Scott se distanciar do seu grupo de amigos, indo em direção ao banheiro. 

 Uma ideia maluca passou por sua cabeça. Mas no estado em que estava ele não a achava tão maluca assim.

 

O moreno seguiu o McCall. Assim que o rapaz entrou, Derek fez o mesmo, fechando a porta atrás de sí.

 

— Scott... — o Hale o chamou com receio.

Scott olhou o Hale pelo reflexo no espelho.

— o que quer? — o moreno de queixo torto virou-se para encarar o Hale.

— eu preciso da sua ajuda. — a voz do Hale saiu  como uma súplica. — com o Stiles. — sussurrou.

— e por que eu o ajudaria? Ainda mais com ele, depois do que fez... — o McCall cruzou os braços. Fitando o moreno, desconfiado.

 — você sabia? Sobre nós... — o moreno perguntou um pouco surpreso. Stiles havia dito que guardaria segredo.

— claro! Pode não ter saído da boca de vocês dois. Mas Stiles é o meu melhor amigo, e não sabe esconder o que está sentindo. — o moreno gesticulou com as mãos.

O Hale relaxou, se estapeando por ter desconfiado do castanho.

— eu o amo Scott. — o moreno disse convicto, um pouco mais alto. E o McCall arqueou a sobrancelha com a aquela confissão repentina. — eu fui um idiota, provavelmente ainda sou. Só quero consertar o meu erro... Por favor.

O McCall ponderou um pouco, fitando o Hale, ainda em dúvida se deveria ajuda-lo ou não. 

Mas deu o braço a torcer.

— eu não deveria, Mas.... não aguento mais ver a cara de cu do meu amigo. Do que precisa? — Scott deixou sua pose de durão de lado. 

— sabe tocar violão, certo? — o Hale perguntou incerto. E o McCall confirmou balançando a cabeça, mesmo não entendendo onde o moreno queria chegar.

 

 

 

 

 

— cara... Você tem certeza de quê quer mesmo fazer isso? — o McCall encarou o Hale, incerto, ignorando os olhares de algumas pessoas direcionados a eles. Que se encontravam no palco.

O Hale coçou a garganta afrouxando o aperto que a gravata lhe fazia.

— absoluta, Scott.

— mas essa música? — o moreno torceu o nariz. — não é um pouco... Sei lá, brega? —  o McCall se apoiou no violão.

— uma vez ele me disse que era uma das preferidas dele. — o moreno deixou escapar um fino sorriso nostálgico.

— é bem a cara dele mesmo. — o de olhos castanhos se remexeu no banco em que estava sentado. — desde quando você sabe cantar, Derek? — ele estava curioso.

— hã... Eu sempre cantei..... No chuveiro... — o moreno murmurou baixinho.

— é sério isso? — Derek balançou a cabeça confirmando. — céus... — Scott revirou os olhos para o rapaz.

 — pronto? — o McCall perguntou.

 Derek acenou positivamente, o moreno caminhou em direção ao centro do palco, se posicionando atrás do microfone.

O Hale deu leves batidinhas do objeto, fazendo com que o som ecoasse por todo o recinto,  chamando a atenção dos que ali estavam presente. Só deus sabe o quão difícil para o Hale era estar ali, ele não lidava muito bem em ambientes fechados e com tantas pessoas reunidas, mesmo sendo o capitão do time de basquete, ter mais da metade da escola, e o próprio time, lhe encarando não ajudava muito.

— queria um minuto da atenção de vocês. — o moreno conseguiu não gaguejar, e conseguiu o que queria agora todos o encaravam, inclusive quem ele queria, Stiles. O moreno conseguiu sorrir. — poucos que aqui se encontram me conhecem, digo: realmente me conhecem. E sabem o quão idiota eu posso ser... Sou. — o moreno enxugou o suor que escorria pela lateral do seu rosto, Derek passou a encarar um ponto específico daquele salão. 

A porta.

 — eu realmente sou um idiota. E geralmente sou com as pessoas que realmente se importam comigo, minha prima e irmã são duas de algumas provas vivas disso. — o moreno apontou de forma descarada para as garotas, que se encolheram em seus respectivos assentos, mortas de vergonha com a atenção os olhares que receberam. As pessoas encaravam o Hale sem entender o que ele fazia ali, e onde queria chegar. Stiles era uma delas.

— vocês devem está se perguntando: o que esse cara está fazendo? — o moreno riu sem humor.  — pois bem. Dizem que quando você encontra a pessoa certa geralmente a deixa escapar por entre seus dedos. Foi justamente o que aconteceu comigo. Como eu disse: sou um idiota. — o Hale fez questão de olhar para o Stilinski, que retribuiu o olhar. Derek sentiu o coração tamborilar em seu peito. O moreno respirou tentando se concentrar, mesmo que sua vontade agora fosse sair correndo dali.  — dedico essa canção  para essa pessoa especial qu.... A que de foda. — o Hale passou a mão pelos seus cabelos negros de forma exasperada. — Stiles Stilinski essa é para você. Love of my Life. — o moreno crispou os lábios, encarando Stiles. Que tinha seu rosto rubro, com os olhares, agora, direcionados a sí. Alguém fez a questão de direcionar o holofote por alguns segundos na direção do castanho. Para o seu desconforto.

 

Derek ignorou a onda de burburinhos assim como alguns olhares de incredulidade, talvez pelo fato dele - Derek Hale o bad boy - ter acabado de se assumir gay, mas ele não se importava com isso, não mais. O moreno fitou o McCall balançando a cabeça em afirmação, um pedido mudo para que ele começasse. O McCall arriscou algumas notas, e quando enfim encontrou as certas começou, seguido por Derek.

 

“Love of my life, you've hurt me... You've broken my heart and...”

A voz do moreno era lenta e graciosa, o que ninguém esperava de um cara com a aparência... “Bruta. ” Bela, bela era a palavra certa para descreve-la. Um silêncio tomou conta do salão, todos encaram o rapaz perplexos. Scott deslizou seus dedos pelas cordas de forma bruta, errando algumas notas, chocado com o moreno.

Derek o encarou confuso, questionando se o moreno sabia mesmo o que estava fazendo.

O McCall sibilou um “me desculpe” balançando a cabeça e recomeçou.

Derek respirou fundo e fez o mesmo.

 

“Love of my life, you've hurt me

You've broken my heart and, now, you leave me

Love of my life, can't you see?

Bring it back, bring it back, don't take it away from me

Because you don't know what it means to me...”

 

 

Derek cantava mais para si do que para o castanho, imaginando o castanho cantando o começo do refrão para si e não o contrário. Evitava olhar para o mesmo a todo custo. Mas sabia que o Stilinski permanecia do mesmo lugar. 

Mas passou a fita-lo, como seu ponto específico, quando os adolescentes se levantaram dos seus assentos e se aproximaram do palco.

Aquilo era aterrorizador de todas as formas. O Hale fechou os olhos se imaginando em outro lugar.

 

 

“Love of my life don't leave me

You've stolen my love and now desert me

Love of my life, can't you see?

Bring it back, bring it back, don't take it away from me

Because you don't know what it means to me... ”

 

 

O moreno lembrou-se  de como o Stilinski sempre pedia para ele cantar, e ele geralmente negava. Pois julgava não ser bom naquilo. E lá estava ele fazendo o que geralmente negaria fielmente. E ele daria tudo só para ouvir o pedido do castanho novamente.

Derek notou que alguém se juntou a ele e ao McCall, no teclado. Mas ele. Não abriu os olhos para ver quem era.

 

“ You'll remember when this is blown over,

And everything's all by the way

When I grow older, I will be there at your side to remind you

How I still love you, I still love you... ”

 

 

 

Quando o moreno resolveu abrir os olhos, e seu olhar se encontrou com o do Stilinski, sentiu seu peito inflar e aquecer com o sorriso que o castanho direcionava para si. Ele tinha certeza que era. E foi tão fácil como respirar retribuir o sorriso.

 

 

“ Hurry back, hurry back, don't take it away from me, because

You don't know what it means to me ”

 

 

O moreno olhou para o lado, vendo quem havia se juntado a ele. Era Paige, a garota piscou para ele. Estava orgulhosa do amigo.

Derek voltou sua atenção para o castanho, e se surpreendeu ao vê-lo de levantar.

 

 

“Love of my life,

Love of my life...

Uhhh... Yeah.... ”

 

 

Derek o viu se afastar cada vez mais, a passos apressados, com as mãos na cabeça. Derek não entendia, pensou que o castanho havia gostado, mas lá estava ele saindo do salão. O moreno sentiu seu peito comprimir, ignorando os assobios e aplausos saiu a passos apressados do palco.

 

 

 

 

O moreno se livrou da sua gravata jogando-a em cima da pia, aquilo o estava incomodando há horas. Fitou seu reflexo no espelho se sentindo mais idiota do que o normal. O moreno inclinou para frente, lavou seu rosto deixando que a água levasse consigo as lagrimas represadas. O moreno enxugava os rosto com o paletó  (pois algum engraçadinho havia jogado todo o papel-toalha num dos vasos) quando ouviu a porta do banheiro ser aberta e fechada logo em seguida.

— está ocupado. — avisou, com a roupa ainda no rosto.

— espero que esse terno não seja alugado. — o moreno perdeu o fôlego ao ouvir aquela voz, e se perdeu ao encarar o par de olhos cor de âmbar, fixos sobre si, acompanhados de um sorriso.

— E é. — o Hale coçou a nuca sem jeito. Stiles estava lindo naquele terno cinza. Do corpoz os olhos do Hale pararam nos lábios  do castanho. — Vi você saindo do salão... A-achei que você tinha ido embora. — o moreno engoliu um bolo que havia de formado na sua garganta. Observando o castanho se aproximar se si.

— fui atender um telefonema. Meu pai tende a me ligar nos momentos mais importunos... Mas você já sabe disso, não é!? — o castanho sorriu grande. E o Hale repetiu o ato, se lembrando de quando o Xerife ligou para o castanho num momento íntimo dos dois.

O moreno balançou a cabeça, tentando afastar aquela lembrança e focar no agora.

— Stiles, eu... — Derek perdeu a fala sentindo a mão do castanho acariciar seu rosto com ternura. 

— me desculpa. — ouviu o castanho dizer, Derek o fitou sem entender o porque daquilo.

— como? — ele realmente não havia entendido.

— eu não devia ter te pressionado. Devia ter enxergar o seu lado também. Você foi muito corajoso, Derek, em se assumir na frente de tanta gente. 

— mas eu não me assumi. — o moreno franziu o cenho e Stiles soltou uma leve gargalhada.

— você pode não ter usado certas palavras, mas com certeza deixou subentendido. — o castanho sorriu acariciando o dorso do moreno. Que fechou os olhos apreciando o carinho do rapaz.

— podemos deixar esse pequeno detalhe de lado!? Então, você me perdoa por ter sido um idiota? — o Hale sorriu de forma tímida.

 

Stiles balançou a cabeça em confirmação, colando seu corpo ao do moreno. 

— mais do que perdoado, Senhor Hale. — o hálito quente do castanho açoitou o rosto do moreno, e o Hale  só conseguia pensar no quão tentadores os lábios do rapaz pareciam.

Sentiu os lábios do Stilinski roçarem no seus e um beijo afoito foi iniciado, deixando claro a saudade que um sentia do outro.

Uma das mãos do moreno pousou na nuca do castanho, aumentando o contato entre os dois corpos, a outra  na cintura do castanho. O mesmo fixou suas mãos na cintura do moreno. A língua de Derek pediu passagem, deixando claro a urgência que ele sentia em provar do castanho novamente. Stiles sentiu o gosto do álcool invadir a sua boca, mesmo não gostando de bebidas alcoólicas ele não se importou muito com aquilo, e correspondeu o beijo com a mesma urgência do outro.

Derek gemeu entre o beijo, sentindo a coxa do castanho pressionar sua quase ereção. — sempre o mais animadinho. — o castanho murmurou, mordiscando a pele do pescoço do rapaz, enquanto desabotoava a camisa do moreno. Derek soltou um riso nasalado.

 — ele também sentiu saudades. — o Hale brincou, piscando em direção ao castanho. Grunhindo em seguida, com o aperto exagerado que o Stilinski deu em seu membro.

— tão engraçadinho. — o castanho passou a beijar o torso exposto do moreno, se deliciando com os suspiros que escapavam dos lábios do moreno, enquanto suas mãos havidas desfivelavam o cinto do outro. O castanho desceu a calça social do moreno até metade de suas coxas e agachou-se em frente ao moreno, passando alisar o membro por cima da box avermelhada Hale.

Derek agarrou-se firme no mármore da pia em que se encostava, mordendo o lábio inferior. O Stilinski sugava sua glande com força, enquanto apertava suas coxas, o moreno suspirava baixinho em expectativa, que logo foram atendidas.

Stiles abaixou e peça íntima do rapaz, o suficiente para que o falo saltasse para fora. O castanho o agarrou e sorriu ao ouvir o gemido que escapou do moreno. O Stilinski o masturbava, encarando o líquido translúcido sendo expelido pela glande rubra. O castanho ergueu o rosto mirando o moreno, que o encarava com súplica. Stiles sorriu de canto masturbando o membro de forma exageradamente lenta.

— Stiles... — Derek semicerrou os olhos  apreciando o máximo os toques do castanho. Stiles adorou o tom pedinte do moreno, mas ali não era o local ideal para provocar o Hale, eles tinham que ser rápidos.

Stiles círculo a glande com a língua, envolvendo-a em sua boca, sugando o líquido expelido. O moreno gemeu de forma descompassada, apoiando-se nos ombros do castanho. Que sugava seu membro, massageando toda a extensão do mesmo. Derek tentava não gemer, mesmo que o som alto do lado de fora provavelmente os abafasse. Ele não queria dar chance ao azar de ser pego ali com o seu amado.

O moreno levou uma de suas mãos até a cabeça do rapaz, seus dedos se perderam entre os fios acastanhados, e o puxou contra o seu sexo. Stiles deixou que o moreno conduzisse aquela dança, sentia os pelos púbicos do moreno rasparem em seu nariz e lábio. O castanho invadiu a box do rapaz, passando a acariciar as bolas inchadas do moreno. Derek se sentia tão quente, tão próximo que mais uma sugada do castanho fez com que o moreno gemesse alto explodindo em três jatos quentes na boca do rapaz.

Stiles fitava o moreno com intensidade, enquanto se colocava de pé novamente. O moreno perdeu o ar quando viu o Stilinski chupar dois dos seus dedos, deixando um rastro de saliva misturado com o seu sêmen pelo mesmo. O castanho colou seus corpos mais uma vez, beijou o Hale fazendo-o provar do seu próprio gosto. 

As mãos do castanho deslizaram para dentro da box do moreno, uma acariciando a nádega firme do rapaz. Enquanto um dedo da outra deslizava por entre as nádegas do moreno, tocando em sua entrada. Derek estremeceu, fechando os olhos, com o toque e Stiles curvou o dedo invadindo o interior do moreno.

— S-Stiles... A porta. — o moreno mais do que nunca não queria ser pego ali, pois ele estrangularia quem os interrompessem.

— eu a fechei, Der, assim que eu entrei. — Stiles sorriu de forma cafajeste, Derek ao abrir os olhos retribuiu o sorriso.

O moreno balançou a cabeça em negação mantendo o sorriso. — vamos logo com isso. — o moreno disse impaciente, ficando de costas para o castanho, inclinando seu corpo para frente, erguendo o quadril.

Stiles adorou a visão que teve, mesmo que a box atrapalhasse a visão, o castanho sorria de lado para o reflexo de Derek que o encarava. O Stilinski agachou-se novamente e deslizou a peça íntima por entre as pernas do moreno.

O castanho deslizava suas mãos pelos glúteos do moreno. Apertou a carne firme daquela região, seus dentes rasparam por aquela pele mais clara do Hale, que fazia questão de erguer seu quadril. Sua língua deslizou do períneo até a entrada  do rapaz, repetindo o ato várias vezes, até que se fixou no botão do moreno, que se remexia em busca de mais contato com a língua do castanho.

Stiles brincava com a língua no anel rugoso do Hale, enquanto se desfazia do seu terno, colete e camisa. O castanho sondou a entrada do amado, enquanto se levantava e colocava suas roupas sobre a pia. O castanho inseriu seus dedos no interior do Hale, ouvindo-o gemer em surpresa. Stiles ergueu a camisa que Derek usava, expondo o dorso do moreno que ele passou a beijar. O Stilinski alisava a barriga trincado do moreno enquanto seus dedos brincavam no interior do Hale. 

Stiles sabia usar a língua, e sabia muito bem usar os dedos. Os dedos do  Stilinski eram longos e iam fundo no Hake, mas não era deles que o moreno precisava naquele momento.

— eu preciso de você, agora. — Derek o encarou com o rosto rubro, o moreno arfou entre uma ou duas palavras, sentindo os dedos de Stiles se remexerem de forma afoita. 

O Stilinski  beijou o rapaz com fervor, acatou de bom grado a “ordem” que recebeu. O castanho se posicionou atrás do moreno enquanto desfivelava o próprio cinco, Stiles desceu sua calça junto com a sua peça íntima até os joelhos. Encarou sua glande que brilhava por conta do pré-gozo, o rapaz alisou o próprio falo espalhando o líquido por todo o membro. Derek o encarava pelo espelho, viu o castanho olhando para baixo enquanto um filete de saliva escapa da boca do mesmo. 

Stiles espalhou o líquido junto ao pré-gozo por toda a extensão do membro. E posicionou sua glande na entrada do rapaz.

— pronto? — perguntou encarando o reflexo do Hale.

— sim. — Derek balançou a cabeça em confirmação. Sua feição mudou para desconforto quando sentiu a glande do castanho forcar a entrada e lhe invadir. Não importa quantas vezes ele fizesse aquilo, sempre parecia difícil.

— relaxe, Der. — Stiles acariciou a pele morena das costas do Hale, movendo seu quadril lentamente para frente, afundando-se no interior do rapaz. Derek limitou-se a balançar a cabeça, mordendo o lábio inferior.

Derek suspirou sentindo toda a extensão do membro do castanho enterrado dentro de si.

— ahhh... Tão bom.  — O castanho gemeu sentindo  as paredes internas do Hale espremerem seu membro, era tão quente e apertado que ele poderia ficar ali por horas sentindo aquela sensação gostosa.

— mexa-se. — o Hale pediu de forma impaciente, empinando seu quadril e o remexendo. Stiles o segurou pela cintura, apertando-a levemente. O passou castanho retirar parcialmente seu membro de forma lenta, e o enfiar novamente tão lento quanto. Aquilo era torturante para o Hale, que em meio a gemidos pediu que o Stilinski se apressasse.

 Stiles encheu suas mãos com a carne dura da bunda do Hale, fincando seus dedos nas nádegas fartas, acelerando os ritmos das estocadas. O som dos corpos se chocando, assim como os gemidos que ambos deixavam escapar, se misturavam ao som da música que tocava no lado de fora.

Os castanhos as vezes movia minimamente deu quadril de uma lado para o outro entre as estocadas. Quando Derek gemeu alto ele teve a certeza de que havia encontrado o que procurava.

Mas um som específico fez com que ele parasse de repente. Batidas...

— tem alguém aí? — alguém perguntou, dando incessantes batidas na porta.

— c-continua... — o moreno murmurou fitando o companheiro por cima dos ombros. “Shiiiii” Stiles pediu que ele fizesse silêncio. As batidas continuaram. — está ocupado porra. — o moreno vociferou no mesmo instante em que a música fora trocada, erguendo seu corpo, fitando a porta. As batidas cessaram. Stiles gargalhou alto, voltando a se mover.

O castanho puxou o corpo do Hale sentindo os músculos das costas do moreno baterem em seu torso. Stiles levou sua mão até o membro do rapaz, o masturbando, investindo com mais força no Hale. Derek virou o seu rosto para o lado e Stiles tomou os seus lábios. O castanho sentiu suas pernas fraquejarem e gemeu entre o beijo, se derramando dentro do moreno. Stiles permaneceu ali, continuando a estimular  o membro do outro, que em segundos se derramou entre os dedos do castanho. Stiles saiu de dentro do moreno e ergueu a sua calça. 

Derek sentiu o líquido escorrer por entre as pernas e se limpou com o paletó antes de erguer sua box e calça. Seu peito subia e descia, Stiles não estava tão diferente assim.

— você não tem o menor respeito por coisas alugadas, não é!? — o castanho sorriu abraçando a cintura do moreno, que parecia no mundo da lua.

— eu te amo. — foi o que o Hale conseguiu balbuciar, Stiles o encarava com aqueles olhos e sorriso que o deixava fora do eixo.

— eu esperei bastante tempo para ouvir isso. E não poderia ter sido num momento mais oportuno como esse. — o castanho gargalhou, Derek o acompanhou, adorava o bom humor do castanho.

Stiles alinhou o terno em seu corpo, o que não adiantou muito pois ele parecia que havia sido tirado de dentro de uma garrafa. Derek jogou o paletó no ombro e abotoou a sua camisa.

Stiles se aproximou do Hale e o beijou, antes de saírem dali.

 

 

— aonde vamos? — o moreno não conseguia esconder o sorriso, enquanto era puxado pelo castanho em direção a saída do salão, esbarrando em alguns adolescentes.

— para casa. — Stiles parou de repente. — isso aqui pra mim já deu. — ele olhou em volta. Derek confirmou com a cabeça.

— para minha ou para a sua? 

— tanto faz. — o castanho sorriu dando de ombros, voltando a puxar o Hale para fora dali.

 

 

 

 

 


Notas Finais


É aquele ditado:

“nós não sabe fazer drama, mas tenta. ”

É isso, espero que tenham gostado e... Hã.
É isso qqq




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...