História Love on Fire - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anitta, Kéfera Buchmann, Lucas Lucco, Originais, Paolla Oliveira, Preta Gil
Personagens Anitta, Kéfera Buchmann, Lucas Lucco, Paolla Oliveira, Personagens Originais, Preta Gil
Tags Anitta
Exibições 23
Palavras 1.456
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei com um capítulo fresquinho pra vocês.
Vi que tem muitas exibições e poucos comentários.
Gostaria de ouvir a opinião de vocês.
Sem mais delongas..

Capítulo 4 - Jantar


Pov Anitta 


    Me arrumei as pressas pois não queria deixar Fernanda esperando muito. Desci as escadas correndo ao chegar no estacionamento vejo ela escorada no carro conversando ao telefone, ela ria de alguma coisa que a pessoa do outro lado falava, sorri ao ver o como ela é linda, assim descontraída ela fica ainda mais. Ela me viu e sorriu para mim,fui me aproximando dela e escutei ela se despedindo.

 - O parceiro tenho que ir,cuida da minha guarnição ai viu. Fica com Deus, te amo irmão. -Disse sorrindo e desligou. -Uau como você está linda, você sempre vem por aqui gata?-Disse se aproximando e me abraçando pela cintura eu envolvi meus braços e seu pescoço e dei um selinho nela. 

  

  -Boba, seu irmão no telefone? -Perguntei a ela que sorriu .


  -Quase isso, ele é meu companheiro e braço direito no quartel, somos praticamente irmãos. Lucas salvou minha vida várias vezes, assim como já salvei a dele. Entramos juntos Nos Bombeiros, desde então não separamos mais. -Disse com os olhos brilhando ao falar do amigo, percebi e sorri ao ver aquilo.


   -Devo me preocupar com ele? -Brinquei e ela gargalhou. Fomos andando em direção ao carro, ela abriu a porta pra mim, sorri para ela com a gentileza. Ela fechou a porta e deu a volta sentando no banco de motorista.


  -Então aonde vamos? Não conheço muito aqui. -Disse olhando pra mim e ligando o carro. 


  -Podemos ir no Paschoal ,a comida de lá e divina,e o ambiente muito agradável. -Sugeri e ela apenas olhou para o GPS como se pedisse que eu digitasse o endereço, prontamente o fiz, logo fomos direcionada ao destino é ela arrancou o carro. No começo ficamos em silêncio, a única coisa que se escutava no carro era apenas a música que tocava no som do carro,resolvi quebrar o silêncio .

 

 - Há quanto tempo você é bombeira? -pergunto curiosa, e ela olha pra mim sorri, mais logo volta a olhar para o trânsito. 


  -Há 10 anos,entrei assim que fiz 18.-Respondeu 


 -Então você tem 28 anos,com cara e corpo de 18.-disse divertida, e mesma sorriu e mesmo de perfil pude perceber ela arqueando a sobrancelha. 


 -Então você repara no meu corpo senhorita?-perguntou com um sorriso malicioso no rosto,e eu corei. -To brincando. Desse criança sabia que queria ser Bombeira, era fascinada com a profissão, ver aqueles homens fardados e os caminhões com as sirenes ligadas. -enquanto ela falava percebia o brilho no olhar e o orgulho que ela tinha da profissão. - Um dia numa ocorrência um menino sofreu um acidente de carro, eu atendi ele pois era a mais próxima da ocorrência, ao chegar lá ele estava sentado na calçada, ele sofreu apenas algumas escoriações, machucou a cabeça, fiquei com ele lá até alguma ambulância chegar, fiquei conversando com ele,ele me falou que queria ser igual eu, um bombeiro. Fiquei curiosa e perguntei o por que,ele me respondeu que os Bombeiros eram anjos que Deus enviava na terra pra cuidar das pessoas. Naquele momento eu tive a certeza que escolhi a coisa certa, não tem nada mais gratificante do que você poder salvar um vida e ver a gratidão nos olhos da pessoa. -finalizou,eu nunca vi alguém falar tão apaixonado pela profissão como ouvi ela falar, naquele momento sentia orgulho de estar com aquela mulher incrível ao meu lado. Ficamos em silêncio,mal percebi que estávamos entrando no estacionamento do restaurante,ela estacionou o carro e desceu vindo ao meu lado e abrindo a porta pra mim, como um perfeito cavalheiro, no meu caso uma cavalheiro. 


  -Obrigado,cavalheiro. -disse sorrindo e beijando seu rosto, ela seu curvou em uma reverência eu sorri com aquilo. 


  -As ordens milady.- disse e eu gargalhei com a brincadeira, ela travou o carro e fomos andando em direção a entrada ,ela estava ao meu lado, não sabia se pegava no braço dela, parece que ela leu meus pensamentos pois colocou sua mão na base da minha cintura me conduzindo, a entrada, gostei daquele gesto. 


  Ao entrarmos no restaurante,fomos caminhando para uma mesa que estava mais afastada das outras, enquanto caminhávamos , alguns homens e mulheres direcionaram  o olhar para a bombeira que pareceu não notar, fiquei com ciúmes, e acabei pegando em sua mão querendo passar a mensagem pra eles que ela estava comigo, alguns pareceram entender, mais uma em particular tinha um sorriso malicioso e não parava de olhar para Fernanda aqui estava me incomodando. Chegamos na mesa, e ela puxou a cadeira pra mim, sorri agradecendo, ela se sentou na minha frente, e logo veio um garçom nos atender, hoje era dia de rodízio de mini pizzas, optamos em participar do rodízio. 


   -Espero que você não se assuste ao me ver comendo. -Brinquei com ela que soltou um riso.


  -Claro que não, até mesmo por que adoro comer, vamos dizer que minha família ama comer e puxei isso. -Disse divertida e eu ri. O garçom chegou nos servindo vinho e algumas mini pizzas, começamos a comer em meio a uma conversa sobre minha carreira, ela se mostrava interessada e me fazia algumas perguntas, e eu ficava feliz em ver o interesse dela em o que eu fazia, a maioria das pessoas com a qual eu saia não tinha interesse algum em querer saber, queriam apenas tirar proveito da minha condição. 


  - Você tem irmãos? -perguntei mais já sabia a resposta graças a minha pesquisa sobre ela, ela assentiu pois mastigava ela engoliu e deu um gole do vinho em sua taça. 


 -Tenho dois, Matheus de 25,e a Lorrane de 19.São irmãos incríveis,Lorrane e o xodó da família, morro de ciúmes daquela pirralha. Quando ela começou a namorar fiquei louca querendo por fogo no namorado dela. -Disse divertida e eu soltei uma gargalhada.


  -Que ironia alguém que apaga o fogo,querendo começar um. -disse debochada. - Eu imagino sua irmã como ela deve se sentir, meu irmão ele é ciumento comigo, quando comecei a namorar ele ficou mais ainda. Mais com tempo acostumei. - disse logo em seguida tomei um pouco se vinho.


  -Não é ciúmes, e cuidado ninguém quer ver sua irmã machucada por conta de imbecil, sou muito protetora com quem eu amo. -disse, e senti meu peito aquecer com o modo que ela falou e depois me olhou. Continuamos a nosso conversa, descobri que ela tinha 4 sobrinhos por parte só seu irmão, ela me contou que ele se casou com uma mulher que já havia 2 filhos e teve maia dois com ela,quando ela me mostrou a foto dos 4 fiquei apaixonada por eles era fofos principalmente Hillary que tinha 1 aninho. Daniel que era sua afilhado era a cara da Comandante, se não soubesse que era filho do seu irmão jurava que era filho dela.


  -Acho melhor te levar pra casa, você deve esta querendo descansar. -Disse chamando o garçom pra pagar a conta, tivemos uma pequena briga pra ver quem pagava, mais ela no fim pagou tudo. 

--------------------------x---------------------------

   Entramos no carro e fomos em direção a minha casa eu guiava ela, não demorou 10 minutos e já estamos na porta da minha casa. Como das outras vezes, ela desceu e abriu a porta pra mim, me estendendo a mão pra me ajudar a descer. Fomos caminhado lado a lado até a porta. 


   -Sabe eu queria tirar uma foto com você. -disse pra ela que apenas sorriu em concordância ,peguei meu celular pra tirar uma selfie nossa, ela se aproximou me abraçando pela cintura e eu encostei minha cabeça e seu ombro sorrimos pra foto, e bati eu fui olhei pra ela que retribuiu o olhar mal vi que o celular bateu a foto automaticamente. Ela se afastou um pouco guardei meu celular.


 -Obrigado pela noite agradável, você vai fazer alguma coisa amanhã?-perguntei ansiosa .

 

  -Acho que não, Tassio deve querer ir pra algum lugar, mais podemos marcas alguma coisa, tipo praia sei lá. -Disse sorrindo. 


   -Eu não quero parecer grudenta né algo parecido, só gostei de ter você por perto. -disse envergonhada ela nada disse apenas se aproximou e puxou me dando um beijo de tirar o fôlego no começo fiquei sem reação, mais logo retribui o beijo,colocando minhas mãos e sua nuca aprofundando o beijo ainda mais, na hora que sua língua quente encostou soltei um gemido, sua boca era um vício, eu queria ter cada vez mais e mais dela. Aos poucos fomos parando o beijo, dei um selinho nela finalizando o beijo. Ela me olhou intensamente e disse:


    -Acredite meu anjo,eu te quero bem mais que perto. -Disse e foi andando em direção ao carro, logo arrancado o mesmo. 


   Eu sorri com aquelas palavras.


   Peguei meu celular e vi as duas fotos nossas e me surpreendeu em ver o quão bem ficávamos juntas.


  Aquela mulher seria minha perdição 




Notas Finais


E aí gostaram?
Comentem e deixe eu saber


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...