História Love on ice - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias SHINee
Personagens KiBum "Key" Kim, Taemin Lee
Tags Lemon, Patinação Artística, Romance, Shinee, Taekey, Yaoi
Visualizações 14
Palavras 2.423
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu sei que deveria estar atualizando as outras fics, mas essa é curtinha. Então eu quis compartilhar com vocês.
Espero que gostem e tenham uma boa leitura. Ela é fofinha e eu não sou muito boa, então relevem kkkk
Qualquer erro eu já me desculpo desde já.
Boa leitura ♡

Capítulo 1 - Mau comportamento


Fanfic / Fanfiction Love on ice - Capítulo 1 - Mau comportamento

Algo ultimamente tem me deixado louco.

- KIM KIBUM, VAMOS LEVANTAR DESSA CAMA??

Acabo acordando assustado e olho para todos os lados com a mão em meu peito. Minha mãe as vezes era doida. Qual era o problemas dela? Aliás, qual era o problema das mães, não era só com a minha era com todas as mães, relatos de meus amigos da escola.

Após recuperar minha alma, acabo me levantando e seguindo até o banheiro, eu não sabia o que estava havendo ultimamente, mas algo está me deixando tão louco.

Isso tem nome e sobre nome...

Porém eu nunca falei com ele, eu meio ficava o observando durante o treino e ele era o garoto mais bonito que eu já tinha visto nesse planeta.

Foi amor a primeira vista.

Eu nunca senti isso por ninguém e ele veio do nada e se instalou em meu coração, foi mais ou menos assim:

Dois anos atrás.

Era começo do inverno quando o vi, alguém havia se mudado para a casa do lago, ninguém queria morar la, mas pareceu que ele e seus pais não se importavam com os boatos ruins daquela casa, era mais um cabana mais enfim.

Ele se mudaram e logo após ele se transferiu para o mesmo Colégio que o meu, bom so tinha ele na nossa cidade. Cidadezinha pequena digamos. Seus cabelos estavam bagunçados e o mesmo carregava um óculos em seus olhos cor de mel, olhos incomuns, mas descobri que eram lentes de contato, foi um roque. Ele se sentou ao meu lado e apenas trocamos sorrisos tímidos, não foi nada mais que isso.

***

- KiBum, você irá se atrasar!

Olho para o reflexo de minha mãe e sorrio mostrando os dentes e logo aceno com a cabeça dizendo que já ia sair.

Ela era um pé no saco e sempre estava em cima, até parecia que eu não sabia viver.

Bom, voltando ao assunto, Lee TaeMin, esse era o nome do garoto, ele era um ano mais novo que eu e bem inteligente pelo visto. Solto um suspiro e começo a tirar minhas roupas, não antes de fechar a porta, a coisas que eu prefiro não dividir com minha mãe solteirona.

Tomei um banho quentinho e relaxante e me vesti com o uniforme e desci as escadas sem pressa alguma, faltavam alguns minutos ainda e eu tinha tempo de sobr... minhas palavras morreram em minha mente ao ver a cozinha vazia.

- MÃE???

Gritei pela mais velha e só então vi que está havia me passado a perna.

Corre KiBum!

Não tardou em ver um garoto correndo pelas ruas até chegar no ponto se ônibus, este que já estava no meio do caminho.

- Merda!

Comecei a correr atrás do mesmo e os idiotas dos meus colegas de classe em vez de fazer o motorista parar, não, eles ficaram rindo da minha cara e foi ai que desisti e mostrei o dedo do meio para todos eles.

Sim, sou revoltado e odeio ser tratado como um qualquer.

Comecei a caminhar em vez de correr, meu visual ja estava todo fodido mesmo.

***

Foi um milagre eu conseguir chegar no Colégio, a aula ja havia começado e eu não poderia entrar, odeio minha vida! Me joguei sentando no corredor de minha classe e tombei a cabeça para trás e fechei os olhos, eu só queria que esse ano acabasse logo, eu queria ir para uma boa faculdade e só talvez ser alguém na vida e não um ginasta, pois eu odiava aquilo, não era meu sonho. Minha mãe era a treinadora e eu prezava por minha vida, ela era muito dura e me cobrava mais do que o restante dos ginastas.

Pra que fui nascer em uma família de atletas?

Eu sei que tenho o dom para as coisas, mas eu já estava cansado de patinar, assim que terminasse o ano eu iria pendurar meus patis.

***

- Hei! - Olhei para trás e pude ver Choi MinHo, um dos idiotas que tiram da minha cara quando perdi o ônibus. Eu odiava ele, pois cerebro não tinha, esse se perdeu em meios aos músculos.

- O que foi?

- Ihhh parece que tem alguém de mau humor, eu queria te chamar pra sair. - Ele acabou sorrindo e eu apenas revirei meus olhos, eu não queria sair com ele pois eu ainda tinha esperanças que, Lee TaeMin fosse me notar. - O que me diz? Podemos ver um filme na minha casa.

Filme.... sei..

- Acho que não vai dar, tenho treino e você sabe como a treinadora é. Ela me odeia. - Ele soltou um riso alto e abafado e logo segurou minha cintura e me encostou na parede.

- Deveria pedir para sua mãe te dar uma folga, sabe... - O idiota passou a mão em minha bunda? Ahhh Choi MinHo. Acabei o empurrando e sorri de forma educada.

- Não vai dar mesmo, estou nas finais de primavera e eu tenho que ganhar ouro, ou não terei um carro, sabe como é difícil não é? Você também e atleta... de... o que você faz mesmo? - Pisquei umas duas vezes e coloquei as mãos em minha cintura como se pensasse.

- Sou jogador de futebol americano. - O vi rodar os olhos e logo sorri me retirando e revirei os olhos.

O que esses caras cheio de testosterona queriam comigo? Eu não era tão fácil assim que poderiam apenas me jogar um charme e me levar para cama.

Eu acredito no amor acima de tudo e estou a espera do meu cavaleiro encantado... pera, acho que é Príncipe encantado, mas que perda em KiBum.

***

"KIM KIBUM, ONDE VOCÊ ESTA?"

Eu sabia que a coroa estava brava quando me mandava mensagem gritando, a sua voz aguda que chegava a me deixar surto de tanto que ela gritava, estava quase viva em minha cabeça e de uma coisa eu sabia, ela iria me dar esporro na frente do meu amorzinho.

Corro até a porta no ginásio de patinação e logo paro ofegante em frente a Sra. Kim, a mesma já estava me esperando para dar sermão e ao longe eu via TaeMin, ele estava me olhando com preocupação e isso era... pera, o senpai me notou, mas notou em um momento tão ruim, puta que pariu.

- Você sabe que todos chegam no horário não é? Você não tem uma responsabilidade maior que as dos outros, você é o menino de ouro o nosso ginásio e eu espero grandes concisas de você e... - Blá... blá... blá.. Era o mesmo papo chato de sempre, ela não poderia virar o disco e falar outra coisa? Me dizendo que minha pirueta ficou melhor, que meu giro duplo está mais rápido, esse tipo de coisa ela não vê. - Vai se trocar e não se atrase mais.

Eu sempre me atraso MinHee...

***

- Eu sei que você pode fazer melhor que isso Kim KiBum, mais rápido, mais rápido.

- Você está lerdo, mais uma vez.

- Mais uma vez.

- Mais uma vez.

- Levanta, você não é um iniciante, por que está errando tanto?

Eu simplesmente odeio minha vida, ela estava me cobrando o dobro, só por eu ter me atrasado cinco minutos? Suspiro me levantando do chão, porém não aguentava mais e apenas me sentei ali e esperei que meus pulmões voltassem ao normal, o ar havia sumido e eu estava morrendo, estava todo suado e minha mão estava queimada pelo gelo.

- Por que está sentado ai? Tem muito ainda para estar perfeito. - Eu ja estava começando a odiar minha mãe, por que aceitei treinar com ela para início de conversa? - Mais uma vez KiBum.

Acabei me levantando e encarando a mais velha, eu estava tao cansado, estava em meu limite.

- Eu não sou sua marionete e não sou obrigado a ficar aqui me matando para ter o que você não conseguiu. A culpa não é minha que você abriu as pernas para aquele traste.

Slap...

Eu acabei levando um tapa em meu rosto, o mesmo virou e eu pude perceber que eu havia feito merda, sabia que estava sendo injusto e ela pensava que só por que desistiu por minha causa eu tinha que levar toda a culpa e treinar e treinar para conseguir a medalha de ouro.

A mesma acabou saindo da pista de gelo, retirou os patis e seguiu até sua sala, meu rosto ainda ardia e eu estava prestes a chorar, mas tinha muitas pessoas em minha volta e aquilo foi muita humilhação.

- Você pegou pesado... - Ouvi uma voz e me virei para xingar o ser, porém parei ao ver o castanho me olhando, ele trazia um saquinho de gelo e logo o prensou em meu rosto. - Eu sei que está sendo duro para você, mas acima de tudo ela é sua mãe e tem que entender, ela só que o seu melhor.

Claro, ótimo.

Nossa primeira conversa tinha que ser sobre meu relacionamento com minha mãe? Abaixei a cabeça e toquei no saquinho de gelo, o que causou um atrito entre nosso dedos e logo ele os recolheu e enfiou não bolsos no moletom.

Aquilo foi meio repudiante, ele não gostava de contato?

- Eu sei que ela é minha mãe e que passou por muita coisa, mas ela deveria pensar em mim. Eu gostava disso quando se pequeno, mas agora eu cresci e isso so me cansa. Estou esgotado. Eu não sou o melhor aqui e não sei por que sou colocado no pedestal. Você patina melhor que eu! - Eu e minha maldita boca. Solto um suspiro e deslizo até estar fora da pista. Visto as proteções da lâmina e sigo em direção aos meus tênis.

Eu tinha que sair dali. A primeira impressão dada a TaeMin, foi que eu era um filho rebelde e que minha mãe sofria com o meu comportamento.

Eu não era assim, eu a amo e agradeço a ela, agradeço por ter nascido e ter ela, as vezes ela era maravilhosa.

Mas hoje em especial, estava sendo um porre.

Hoje era aquela data e eu a odiava.

***

Eu não sou uma pessoa ruim.

O pôr do sol era algo maravilhoso de se olhar e em um momento como esse eu agradecia por ter uma casa na árvore, era satisfatório e alto o bastante para desfrutar da paisagem.

Era o que eu pensava até que o vizinho soltar seu cão idiota e o mesmo ficar latindo embaixo da árvore.

Aquilo me deixava louco e puto.

- Que saco cachorro, vai procurar uma cadela para cruzar e vê se não me amola! - Murmúrio me jogando para trás e olhando o teto se madeira, este que já estava cheio de cogumelos.

Enquanto eu contava cada um deles a briga de mais cedo não saía de Minh cabeça, eu sei que fui babaca com minha mãe, mas ela havia sido babaca comigo primeiro.

Eu nunca podia fazer nada e aquilo chegava a ser quase um desaforo da mais velha, ela queria me escravizar?

Chegava a ser cansativo.

Eu precisava tirar notas boas, estudar e ainda ter um bom desempenho nos treinos, além de que a mesma me fazia comer coisas saudáveis, qual foi a última vez que ataquei um x-burger mesmo?

Acho que a três anos atrás, quando eu ainda tinha uma vida e ela não era tão sombria como agora.

A noite já estava caindo e meu estômago estava pedindo combustível, eu precisava descer da casa, mas estava tao envergonhado. Eu não sabia como encarar minha mãe depois de tudo o que eu disse.

Meu pai foi um cafajeste!!

***

O que fazer quando sua mãe está te ignorando?

Nada, não faça nada. Apenas fique a encarando o jantar todo, assim ela acaba ficando impaciente e te joga um pão na face.

Tá, acham que eu estava mentindo? Que é uma piada? Mas não, minha mãe sempre foi e sempre será alguém violenta, minha face estava doendo e o pão ainda estava intacto, só me fazia imaginar que a mais velha o queimou de propósito.

- Coma o pão... - Ela soltou e eu abri a boca vazias vezes, eu estava tao incrédulo. Nem morto eu comeria aquilo!

- Está queimando... - Murmuro cutucando o mesmo com um garfo e solto um suspiro. - O cão do vizinho talvez goste e... mãe... Eu sei que eu errei e sinto muito por isso, mas você está me sufocando com todo esse treino extra. Eu preciso respirar e ter uma vida social, quantos amigos acha que eu tenho... - Ela abriu a boca para me responder, porém a cortei. -

... de verdade.

Ela se calou...

Pensou... e logo sorriu de lado, eu conhecia aquele sorriso, coisa boa não sairia dela.

- Você poderia dar uma chance ao garoto novo. Eu sei que o acha atraente e que quer falar com ele mais vezes. Eu vejo isso no seu olhar. - Minha mãe me conhecia muito bem, até demais e aquilo me deixava chocado e com vontade de me esconder. Vai saber o que ela faz quando não estou por perto.

- Mãe... você acha que depois daquela gafe, ele vai querer ser meu amigo? Eu deixei uma primeira impressão horrível... - Ela cruzou os braços e me encarou com as sombracelhas juntas.

- Você a acha mesmo que uma briguinha idiota vai fazer ele esquecer as outras burradas que você fez ou não está se lembrando? Teve aquela vez que eu te pedi para comprar café para todos o patinadores e você colocou leite em todos, como não ouviu ele dizer que era intolerante a laquitose? Ele ficou o treino todo no banheiro. Ah teve aquela vez que mandei com que você enviada os patis para afiar a lâmina e todos voltaram enferrujadas. Você havia gostado todo o dinheiro com roupas das gucci e isso deu mais prejuízo e coitado do rapaz, ao pisar no gelo caiu de cara no chão. Você se esqueceu disso tudo?

- Tá, ja entendi. Não precisa fazer eu lembrar dos motivos que me tornam a pessoa mais burra e idiota do planeta terra. - Ditei inconformado. Eu pensei que ela era minha mãe.

- Você não é burro meu filho, apenas é desatento e bagunceiro. Só isso, mas pessoas mudam quando estão namorando, então espera só no que eu bolei para você. - Ah... Eu estava com tanto medo do que ela poderia me causar que acabei bem perguntando, se eu soubesse era capaz que eu não conseguisse mais encarar TaeMin nos olhos.


Notas Finais


E foi isso.
Eu só tenho que terminar o final do segundo Cap e tentar atualizar (Não)Amando. Tenham paciência comigo está bem?
Desculpe mesmo por fazer vocês esperarem tanto.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...