História Love or Fun - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Romance
Visualizações 549
Palavras 4.326
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


DEMOROU MAS CHEGOU !! DUIHEWIGFUEWF BOA LEITURA GATAS

Capítulo 22 - I want to stay with you.


POV Justin

A parte de ver Vanessa sofrer funcionou, mas não queria que fosse dessa maneira. Eu não queria que ela descobrisse que fiz isso com ela. Quando eu planejei isso, eu estava interessado somente no dinheiro dela, mas agora, eu a amo. Sei que ela não acredita no que eu digo, e eu não tiro a razão dela, e também sabia que eu não poderia fazer nada para que ela mudasse de opinião e mudasse pra mim. Juro que tô com medo que ela volte com Lohran ou que sua doença se agrave. Não quero perde-la.

Vanessa passou o dia inteiro no quarto. Pedi para as empregadas levarem comida pra ela, mas ela recusou. Cara, eu sou realmente um monstro.

[...]

-Você tá amarradão nela, né não? -Ryan falou-.

-Tô, cara.

-Vocês estavam de boa. O que aconteceu?

-Ela descobriu uma parada aí.

-Entendi.

-Daqui a pouco ela desce te beijando.

-Espero.

-Mas e aí, pegou quantas ontem depois que ela foi embora?

-Nenhuma -ri fraco-. Eu tô apaixonado por ela mesmo. Entende?

Ele assentiu e riu.

-Essa doença dela é grave?

-É no coração, mané.

-Nossa -ele falou surpreso-. Tomara que não aconteça nada com ela.

-Não vai acontecer. O aniversário dela é semana que vem, cara.

-Vai fazer o que pra ela?

-Eu ainda não sei. Só quero que seja especial.

-Justin, na boa, você ficou muito bobo depois que começou a gostar dela -Ryan riu-.

Revirei os olhos mas depois ri. Ficamos conversando igual dois idiotas, até que eu ouço passos. Era Vanessa.

-Oi, Ryan.

-E ai, gata.

Ela riu fraco e segui andando para cozinha.

-Aí, to saindo fora. Qualquer coisa me liga.

Assenti e toquei sua mão.

-Você vai mesmo sair da minha vida?

-Nós conversamos sobre isso.

-Pensa nesses últimos dias que passamos juntos.

-Eu perdi a confiança em você. Eu realmente não sei o que você pode fazer comigo.

-Eu te amo, Vanessa.

-É.

Segurei em suas mãos e a puxei pra mim. Rocei nossos rostos e ela se afastou.

-Por favor.

-Porra, Vanessa. Eu fiz tudo por você. Fiz tudo pra ficar com você. E agora, você quer acabar com tudo. Entende, quando eu fiz isso eu não estava interessado por você, alias, nunca pensei que algum dia iria me apaixonar justo por você. Mas agora, você sabe, eu mudei e eu te amo.

-Você mudou em que, Justin? No fundo, você continua o mesmo de sempre. E acredite, eu me apaixonei por você desse jeito -suspirou-. Eu sei que você tá fazendo de tudo pra ser o melhor pra mim, mas cara, eu sei que você tá se cansando de mim.

-O que eu mais posso fazer? Eu te peço perdão por tudo de ruim que fiz pra você.

-Eu não confio mais em você.

Soquei o balcão da pia e ela se assustou.

-Eu não vou desistir de você, Vanessa Benson.

-Eu nunca vou parar de te amar. Você sabe diso.

Vanessa veio em minha direção e me abraçou. Segurei em seu rosto e te dei um selinho. Ela não fez nenhum movimento. Olhei em seus olhos e, finalmente,  ela cedeu o último beijo. Mas bem, o beijo não durou nem 30 segundos, foi rápido.

-Prometo que saio daqui ainda essa semana. Preciso de um lugar pra ficar.

-Fique aqui o tempo que precisar.

Ela assentiu e saiu.

POV Vanessa

Seu lábio se encontrou ao meu e eu me senti uma otária por me entregar tão fácil pra ele. Bati a porta do quarto e chorei na frente da mesma. Eu queria poder abraçar meu melhor amigo e ouvir ele dizer que tudo iria ficar bem. Mas na real, eu não sei Lohran ainda me tem como sua melhor amiga e também não sei se ele iria me ajudar. Mesmo assim, eu precisava tentar. Liguei uma, duas, três vezes e ele não me atendia. E bem, ele estava na razão dele.

POV Lohran

Cheguei em casa com Katy e ela não me disse uma palavra sequer.

-Katy, me desculpa, ok? Eu fiz aquilo porque senti ciumes de Vanessa.

-E sempre que você sentir ciumes dela você vai me usar?

-Não. Eu pensei no que você disse, e eu resolvi te dar uma chance. Me faz feliz? Me faz esquecer ela?

-C-claro! -seus olhos brilharam-. Eu vou te fazer feliz, Lohran.

Ela me abraçou forte e, de começo, eu estranhei esse abraço. Sei lá, acho que era porque Vanessa era pequena e sempre que ela me abraçava, sua cabeça ficava de baixo do meu queixo e, com Katy, era diferente. Ela era quase do meu tamanho e sua cabeça não ficava de baixo do meu queixo.

-Vou aprender te amar novamente.

-Eu vou esperar o tempo que for.

Sorri e a beijei. A empurrei contra o sofá e fiquei por cima dela. Passei minha mão em seus seios e beijei seu pescoço. Quando ela ia tirar minha camiseta, meu celular toca. Ela revirou os olhos e eu sai do colo dela. Vi no visor e vi que era Vanessa. Encarei o celular até ele parar de tocar. Quando finalmente parou, ele voltou a tocar. Tocou um, duas, três vezes até ela desistir.

-Vanessa?

-Sim. É, acho que vou ligar pra ela.

-Lohran!

-Katy, menos.

Subi pro quarto, tranquei a porta e liguei pra ela.

-Ligação on-

-Lohran? Por favor, não desliga o telefone. Eu preciso de você.

-Eu não vou desligar.

-Eu tô sozinha. Eu não tenho pra onde ir. Me ajuda.

-O que aconteceu?

-Eu não estou mais com Justin. E eu descobri quem me sequestrou aquela vez -ela disse com a voz de quem chorava-.

-Hum. Quem? Como assim?

-Foi o Justin, Lohran.

-O que?!

-Eu descobri tudo.

-Calma, eu vou te buscar. Me espera.

-Ligação of-

Minha suspeita estava certa. Bieber sequestrou Vanessa por dinheiro. Como ele podia ser tão pobre ao ponto de fazer isso com uma garota de 16 anos? Ainda mais com Vanessa, a garota que mais o ama no mundo. Eu sei que eu estava sendo um otário em ir busca-la, mas cara, é a minha pequena.

Desci as escadas correndo e peguei a chave do carro. Bati a porta antes de Katy conseguir falar alguma coisa. Acelerei na máxima velocidade para chegar o mais rápido possível na casa de Bieber.

[...]

-Você é podre, Bieber.

-Quem te chamou aqui?

-Minha Vanessa. Como você teve coragem de sequestra-la? Como?!

-Isso não é da sua conta.

-Você pediu 2 milhões em troca dela. Você a maltratou, Bieber.

-O que você quer aqui?

-Ele veio me buscar -Vanessa disse descendo as escadas-.

-Veio o que?

-É. Eu to indo embora, Justin. E não, eu não estou voltando pra ele.

-EU JÁ DISSE QUE VOCÊ NÃO VAI SAIR DAQUI! Quer dizer, fica. Eu preciso de você -Bieber disse com os olhos umedecidos. Me poupe-.

-É... vamos, Lohran? -Vanessa disse segurando o choro-.

Assenti e peguei sua mochila. Saí na frente.

POV Vanessa

Ouvi a voz do Lohran vindo lá de baixo. Desci rapidamente antes que aquilo se tornasse uma briga entre os dois.

-EU JÁ DISSE QUE VOCÊ NÃO VAI SAIR DAQUI! Quer dizer, fica. Eu preciso de você -Justin disse com os olhos cheio de lágrimas-.

É... vamos, Lohran? -falei segurando o máximo que podia o choro-.

Ele assentiu, pegou minha pequena mochila e saiu na frente.

-Até mais -falei-. Eu te amo -murmurei-.

-Não -ele segurou em meu braço-.

-Justin...

-Vanessa.

Me soltei dele e saí.

-Eu te amo. Não vou desistir de você -ele falou baixo mas eu pude ouvir-.

Saí daquela casa quase chorando. Porra, porque ele fazia isso comigo?

[...]

-É, você tá com Katy? -perguntei-.

-É, a gente tá namorando.

-Ah. Legal.

-É.

-E você a ama?

-Vou aprender.

Suspirei.

-Ah, e o que rolou entre você e o Bieber? Digo, como você descobriu aquilo?

-Eu vi as fotos que ele te mandou.

-Nossa.

-Pois é. Não vou ficar na sua casa por muito tempo, só vou ficar lá por uns dias.

-Não precisa se incomodar quanto á isso.

-Obrigada. Mas, eu vou ficar uns tempos com meus pais.

Ele freou o carro com brutalidade.

-Por que?!

-Eu tô doente, Lohran. Eu tô destruída por dentro. Eu preciso dele.

-Mas cara, você pode se cuidar aqui.

-Eu tô sozinha. Não quero ser um incomodo pra ninguém.

-Você não me incomoda -ele murmurou-.

-Eu preciso estar com eles.

-Você volta?

-Acho que sim. Não pretendo morar com eles.

-Ah.

Ele me olhou e ligou o carro novamente.

POV Justin

Ela foi embora, mas, eu sei que ela volta. Pra ser realista, eu me arrependo de ter feito aquilo com ela. Quer dizer, não era pra estar assim agora. Era pra eu estar curtindo na boate, ela em casa chorando por mim e o babaca do Lohran atrás dela, bem, a parte do Lohran atrás dela ainda não mudou. Todos aquelas ideias de faze-la sofrer como ela fez comigo, sumiu quando eu percebi que eu realmente a amava e que, realmente, queria ficar com ela. Eu juro, não vou desistir dela. No fundo, eu tenho certeza que iremos envelhecer juntos.

[...]

Tomei banho e fiquei deitado na cama. Meu celular tocou e meu coração tremeu. Olhei na tela e vi que era minha mãe.

-Ligação on-

-Oi, mãe.

-Filho! Que saudades!

-Eu também. Como vocês estão?

-Estamos ótimos! E como vão as coisas por aí?

-Ah, tá tudo bem.

-Que bom ! Não esqueceu de amanhã, certo?

-Amanhã?

-Sim. Nós iremos voltar.

-Porra! Quer dizer, é mesmo. Tinha me esquecido.

-Percebi -riu-. Bom, tenho que desligar. Boa noite, eu te amo.

-Também te amo.

-Ligação of-

Amanhã minha família volta pra cá. Não que eu não quisesse eles aqui, mas, não estava nos meus melhores dias. Porra, eu queria que Vanessa tivesse aqui pra, finalmente, anunciar pra toda minha família: "mãe, essa é minha namorada".

POV Vanessa

Cheguei na casa de Lohran e praguejei trilhões de vezes para não encontrar Katy ali. Ele entrou primeiro e eu entrei logo atrás dele.

-Katy? Cheguei -ele falou-.

-To aqui na cozinha -ela gritou e Lohran entrou. Entrei em seguida-. Onde estava? -ela perguntou-.

-Fui buscar Vanessa.

Pude ouvir ela bufar. Lohran pegou na minha mão e me puxou.

-Quem é vivo sempre aparece -Katy falou sendo irônica-.

-E quem é a vadia sempre entra na vida os outros pra atrapalhar -sorri-.

Lohran mandou ela parar e ele me levou até um quarto.

-Não provoca ela -ele falou-.

-Eu provoquei, Lohran?

-Não quero saber. Só quero que você respeite minha mulher.

-Sua. Mulher. -falei pausadamente-.

Ele assentiu e saiu do quarto, me deixando sozinha.

Me sentei na cama e xinguei Katy de todos os piores nomes possíveis. Eu sei que ela o conhece a mais tempo, mas cara, ela foi intrusa. Se eles não tivessem se beijado, se ela não tivesse chegado, talvez, eu não iria ficar confusa em relação a Lohran e Justin. Porque se eu estivesse com Lohran, eu tenho certeza que, ele iria me fazer esquecer Justin.

POV  Justin

Eu precisava de Vanessa aqui. Eu queria poder sentir seus lábios no meu. Queria poder sentir sua respiração ofegante depois de uma noite de prazer. Eu sei que ela está magoada, ferida, mas, as coisas não eram pra ser assim. Acho que de todos os casais do mundo, o nosso é o mais conturbado. Sempre tem algo pra dar errado. E quem sempre faz dar errado, sou eu.

[...]

Na manhã seguinte acordei antes das 10:00 da manhã pois minha família viria pra cá. Meus pais e meus irmãos. Tomei banho e coloquei uma calça preta, um tênis da mesma cor e uma blusa regata branca. Arrumei meu cabelo do jeito de sempre e passei um pouco do meu perfume. Sem quer, assim que abri a gaveta do banheiro, encontrei algumas lâminas de Vanessa. Meu coração quebrou ao ver aquilo. Eu me lembro perfeitamente das vezes que a vi sangrando por culpa minha. Eu fiquei com raiva de mim mesmo e acabei amaçando as que estavam na minha mão. Peguei o resto que sobrou da gaveta e joguei tudo no lixo. Quando dei por mim, havia lágrimas no meu rosto. As limpei no mesmo segundo e desci. Cheguei no meio da escada e já pude ouvir a voz de Jaxon Jazzy. Sabe, ainda bem que eles vieram, assim, eu poderia parar de pensar um pouco nela. Saí e os encontrei no jardim correndo.

-Jazzy! Jaxon! -gritei e me agachei. Os dois vieram correndo em minha direção e me abraçaram-. Como vocês estão?

-Estamos bem, Justin! -Jazzy disse sorrindo-.

-E a viagem?

-Foi muito legal! Papai e mamãe compraram várias coisas pra nós! Comprei o boneco Ken, ele parece com você -ela riu-.

-Parece comigo? Sério? Então ele é lindo -ri-.

-Ele é um gatão! -ela falou rindo e me deu um beijo na bochecha. Jazzy saiu correndo pra dentro de casa e Jaxon ficou um pouco comigo e logo em seguida, entrou-.

-E aí, rapaz -meu pai falou e nós fizemos o toque com as mãos-

-E aí, velho.

-Como estão as coisas por aqui?

-Bem. Como foi o vôo?

-Foi sossegado.

Assenti e ele entrou levando as malas.

-Filho! -minha mãe veio em minha direção-.

-Oi, mãe! -a abracei-.

-O que aconteceu? Que carinha é essa? -estava muito na cara que eu estava acabado?-.

-Foi nada.

-Me diz o que aconteceu -é, eu literalmente não posso enganar minha mãe-.

-Um lance com uma garota.

-Filho, você está namorando? -ela perguntou sorrindo-.

-N-não. Ela foi embora.

-Oh meu Deus! Por que?

-Discussões -óbvio que eu menti, quer dizer, em partes-.

-Poxa. Mas olha, se vocês dois se amam, pode ter certeza que ela volta. Acredita em mim -ela sorriu e beijou minha testa-.

Sorri de volta e ela entrou. Fiquei um tempo lá fora pensando sobre tudo antes de ter coragem de entrar e fingir que estava tudo bem.

POV Vanessa

Mais um dia nessa casa e eu não estava mais aguentando olhar Lohran e Katy se beijando. Dói. Mas, a dor maior é saber que, apesar de saber as verdades sobre Justin, eu o amava e sentia sua falta. Suspirei e me olhei no espelho daquele quarto. A porta se abriu e eu me assustei quando vi Lohran entrando.

-Desculpe entrar assim.

-Tá tudo bem, afinal, a casa é sua.

Ele revirou os olhos. Lohran odiava quando eu falava assim.

-Só vim pegar uma coisa no closete.

Assenti e ele foi pegar a tal coisa dele. Entrei no banheiro para escovar meus dentes e quando saí, vi Lohran sem camisa. Entrei novamente no banheiro e esperei ele colocar a tal camiseta que ele havia pegado. Em seguida, saí. Caminhei até a porta sem dizer alguma palavra á Lohran. Encostei a mão na massaneta e senti ele atrás de mim, colocando a mão na mesma.

-Desculpe -eu disse colocando a mão na mesma-.

-Shiu -ele sussurrou me virando pra ele-. Você fez muita coisa pra mim, garota. Coisas boas e coisas ruins, claro -ele disse trancando a porta-. Mas sabe, você foi a única garota que eu realmente amei. Quer dizer, amo. Amo com todas as forças que tenho guardada em mim. Você é a garota dos meus sonhos -nessa altura, eu já estava com lágrimas nos olhos-. E apesar de tudo, de tudo mesmo, eu te amo pra caralho.

Fiquei olhando em seus olhos. Não conseguia achar palavras e, quando as achava, elas não saíam. Lohran consegue me fazer acreditar que eu sou especial pra alguém.

-Eu sei que você não acredita, mas eu te amo -eu murmurei-.

-Se isso for verdade, eu acredito.

-É verdade, Lohran! Eu juro.

Ele sorriu torto e eu o abracei. Lohran afastou meu rosto de seu peitoral e segurou em minha nuca. Segurei sua mão e logo em seguida a soltei. A intenção era que eu conseguisse evitar que aquilo acontecesse, mas cara, era totalmente inevitável. Lohran selou nos lábios e apertou nossos corpos. Segurei em sua bunda e ele passou a mão por dentro da minha blusa. A tirei rapidamente de lá e o soltei. Lohran me puxou pela cintura e me colocou em sua cintura. Ele beijou meu pescoço e me jogou na cama.

-Você não pode -murmurei enquanto ele beijava meu pescoço-.

-Por que?

-Você namora.

Ele riu fraco e mordeu meu lábio. Lohran tirou minha camiseta e quando, ele ia tirar meu sutiã, Katy grita por ele. Revirei os olhos e ele saiu de cima de mim. Coloquei a camiseta de volta e levantei. Fui pra porta e Lohran me puxou por trás, pude sentir seu membro roçar na minha bunda e eu fechei os olhos. Ele riu e saiu. Filho da puta.

[...]

A tarde caiu e o casalzinho havia saído. Abri minha mochila e não encontrei quase nada do que precisava. O jeito seria ir até a mansão de Justin e pegar aquilo. Mas como? Eu não teria coragem de vê-lo e ignora-lo. Pensei várias vezes até tomar coragem e chamar um taxi.

[...]

Os seguranças abriram o portão e eu entrei no jardim. A porta da sala estava fechada, então, eu toquei a campainha. Alguns segundos depois, a maçaneta se mexe e eu estava pronta para ver Justin. A porta se abriu e uma mulher, muito bonita, abriu a porta. Fiquei olhando pra ela e ela me olhando.

-Olá -ela disse sorrindo-.

-O-oi -sorri fraco-. É, Justin está ai?

-Não. Ele foi levar os irmãos no parque.

-Ah, então eu volto mais tarde.

-Não. Entra -ela disse simpática-.

Assenti e entrei.

-Desculpa minha indelicadeza, mas, você seria o que do Justin?

-Sou a ex dele -baixei a cabeça-.

-Oh meu Deus! Seu nome é como?

-Vanessa. A senhora seria Pattie?

-Senhora não, pode me chamar de você -ela disse em um tom de brincadeira e eu sorri-. Sim, sou Pattie.

-Prazer em conhece-la.

-Idem. Desculpa tocar nesse assunto, mas porque vocês terminaram?

-Brigas -abaixei a cabeça-.

-Entendo. Ele ama você. Sabe, Justin nunca foi de se apaixonar por ninguém, quer dizer, Justin nunca namorou sério.

-Nunca?

-Nunca. Eu percebi o quanto ele te ama quando ele falou de você. Seus olhos brilhavam -ela sorriu-.

-Eu também o amo. Amo muito. Justin é o garoto dos meus sonhos -falei e senti meus olhos se encherem de lágrimas-.

-Oh querida, não chore -ela se sentou perto de mim-. Tentem de novo, conversem.

-Eu perdi a confiança nele, Pattie.

-Ele pode reconquista-la. Ele é um garoto bom.

-Eu não sei.

-Eu não quero forçar nada, mas Vanessa, pense o quanto vocês se amam e o quanto combina.

Sorri e ela mudou de assunto.

POV Justin

Levei Jaxon e Jazzy pro parque para matar a saudades deles. Cheguei em casa e os dois foram direto pra porta da cozinha. Ri fraco e entrei pela sala. Fechei a porta e, quando me virei, vi Vanessa sentada conversando com minha mãe. Ela me olhou e abaixou a cabeça.

-O que faz aqui? -perguntei-.

-É, vim pegar minhas coisas.

-Por que?

-Porque sim.

-Bom, eu vou ver as crianças. Juízo -minha mãe falou levantando-.

Me sentei no sofá da sua frente.

-Vai morar com ele?

-Não, Justin. Posso pegar minhas coisas?

-Pode, ué.

Ela levantou e eu fui logo atrás dela. Entramos no quarto e eu tranquei a porta.

-Agora pode falar.

-Falar o que?

-Por que você vai embora.

-Eu vou me mudar pra Miami.

-COMO É?

-Preciso me cuidar.

-Eu cuido de você.

-Não, Justin.

-Eu só te peço pra não ir embora de novo. Fica comigo hoje, amanhã, fica comigo pelo resto da vida.

-Não peça isso, por favor -ela disse e se apoiou no meu peitoral-. Você me machucou. Eu juro, juro que esperava tudo de você, menos aquilo.

-Eu já disse. Eu não gostava de você e queria seu mal, mas agora, eu te amo e faria qualquer coisa pra ver você bem.

-Justin...

-Faz assim. Fica aqui, vamos jantar e depois a gente conversa sobre nós. Por favor -a  interrompi-. Agora vamos descer, quero apresentar minha família.

A puxei pela mão e nós descemos as escadas.

[...]

-Justin tirou a sorte grande -meu pai disse-.

Ela sorriu fraco.

-Você é muito bonita. Parece a Cinderela -Jazzy falou pra Vanessa-.

-Aw, obrigada! Você é uma boneca -sorriu-.

Ficava olhando aquilo com um sorriso enorme no rosto. Eu realmente sentia vontade de ter uma família com ela.

Pov Vanessa

Subimos pro quarto e eu coloquei a roupa em cima da cama. Entrei no banheiro e Justin foi atrás.

-Não. Você fica.

-Eu to com saudades.

-Justin, na boa.

-Tá, Vanessa -revirou os olhos-.

[...]

-Nossa! -ele falou-.

Sorri ele chegou perto de mim.

-Fica comigo. Não me abandona.

-Você promete que nunca, nunca mais, vai me decepcionar? Que vai parar de usar drogas?

-Eu nunca mais vou fazer você chorar. Mas Vanessa, não tem como.

-Tem sim. Toda vez que você fumar, pensa em mim.

-Eu penso em você o tempo todo.

Escondi o sorriso e continuei falando sério.

-Promete?

-Prometo.

Sorri e dei um beijo no seu rosto.

-Beijo no rosto?

Ri fraco e dei um selinho nele. Justim segurou em minha nuca e me beijou. Sua língua pediu passagem e eu cedi. Mordi seu lábio e dei inúmeros selinhos.

-Eu sou muito trouxa.

-Por que? -ele perguntou e afastou me cabelo pra trás-.

-Porque eu tento fugir do homem que eu amo -ele sorriu-. A partir desse momento, vamos esquecer de tudo de ruim que aconteceu entre nós. Eu quero me cuidar agora, eu quero ficar com você.

-E você vai ficar comigo. Nada e ninguém vai nos separar, eu prometo.

Assenti e o beijei.

-Vamos? -ele falou e segurou em minha mão-.

-Claro.

Descemos as escadas e encontramos Pattie sentada. Ela me olhou e sorriu.

-Divertam-se -ela falou-. Ah, e juízo, senhor Justin Drew Bieber -ela falou nos causando risos-.

Seguimos até o jardim.

-Escolhe um -ele disse-.

-O preto.

-Por que não o de oncinha?

-Porque não! -ri-.

Ele riu e nós entramos.

[...]

-Me ensina a dirigir?

-O que?! Você?! Nunca! -ele riu-.

-Para de ser chato! Por favor.

-Tá bom, Vanessa. Amanhã cedo, ok?

-Cedo? Ah, claro. Pena que você não vai querer algo melhor do que isso -sorri-.

-N-não. Deixa pra depois, não é mesmo? Dirigir não é tão legal assim -ele disse em um tom que me fez rir-.

[...]

Chegamos no restaurante e o garçom nos guiou até uma mesa. Fizemos nossos pedidos e Justin pediu um vinho.

-Bebe pouco.

-Relaxa.

Odiava quando ele falava desse jeito. Mas, do mesmo modo, ele iria fazer o que mandei. Os pratos chegaram e, assim que coloquei o garfo na boca, eu senti uma vontade imensa de vomitar. Tudo a minha volta começou a girar. Me apoiei na mesa e pisquei várias vezes até aquilo parar.

-Tá tudo bem? -ele perguntou-.

-Tá sim -sorri-.

Ele sorriu e nós comemos.

[...]

Justin pagou a conta e nós ficamos em uma praça.

-Eu tô louco pra sentir seu copo -ele murmurou-.

-Não podemos ir pra sua casa. Sua família está lá.

-Topa motel?

-Com você, topo qualquer coisa -falei e ele sorriu-.

[...]

Justin pegou a melhor suite que havia ali. Entramos no quarto e nos deparamos com um cano de Pole Dance. Justin sorriu safado e logo uma ideia tosca veio em minha mente. Bem, não era tão tosca. Digamos que ele merecia isso.

-Você. Deitado. Calado -falei pausadamente e o empurrei contra a cama-.

Ele mordeu os lábios e eu tirei minha roupa, ficando apenas de sutiã e calcinha. Eu não sabia como fazer isso, mas seria legal. Me aproximei daquele cano e rodei em volta dele. Virei de costas pro cano e passei minha bunda ali. Bem, aquilo não era tão difícil. Em seguida, dancei em volta daquilo e eu já poderia ver Justin se excitando. Tirei meu sutiã e joguei pro Justin. Ele pegou o mesmo e cheirou. Massageei os bicos de meus seios e arfei. Tirei minha calcinha e joguei em um canto qualquer. Passei a mão na minha vagina e soltei um gemido abafado. Com muito esforço, subi no cano e desci aquilo. Olhei para Justin e ele estava totalmente excitando. Ri e me chamou. Fu até ele e tirei sua camiseta e sua calça, junto com sua cueca box azul. Seu membro estava duro e ereto. Mordi os lábios e Justin segurou na minha cabeça para que eu começasse a chupa-lo. Assim eu fiz. Mordi o topo de seu membro e em seguida, o abocanhei chupando. Justin forçava minha cabeça contra o mesmo para que eu não parasse. Senti as pernas dele fraquejarem e ele gozou em minha boca.

POV Justin

Eu já estava completamente louco para ter Vanessa pra mim sem ela fazer absolutamente nada e, depois de vê-la fazendo aquilo, meu desejo e vontade de tê-la estava infinita.

A joguei na cama e, como ela já estava sem roupa, encostei meus lábios em sua intimidade e senti ela se contorcer e gemer baixo. Continuei com aquilo e penetrei dois dedos. Fiz movimentos que davam prazer a ela. Vanessa gemia alto e não estava preocupada com volume. Senti suas pernas tremem e ela chegou em seu limite.

Sem mais demoras, peguei um, das milhares de camisinhas que haviam naquele quarto de motel, e coloquei em meu membro. Vanessa abriu as pernas e as prendeu em volta a minha cintura e em seguida, eu penetrei. Ela cravou suas enormes unhas que, estavam pintadas de roxo, nas minhas costas e gemia meu nome. Aumentei a velocidade e a força e, depois de minutos assim, senti que ela chegou em seu limite e eu também. Vanessa me empurrou pro lado e se cobriu com o lençol.

-Eu te amo.

-Eu também te amo -ela falou sorrindo e deitou no meu peitoral-.

Dei um selinho nela e assim, finalizamos o melhor dia da semana.

Se eu tivesse um desejo, eu desejaria tê-la perto de mim todos os dias. Minha Vanessa.


Notas Finais


Bom dia porque aqui é 05:53. Janessa is back! Vanessa nasceu pra ficar com Justin, amo forte. Mas enfim, próximos capítulos não vai ter treta e nem nada do tipo. Vai se resumir em Janessa feels. E sim, vai ter a segunda temporada em breve, mas, não vai ser muito longa, ok? Espero que gostem desse capítulos e eu espero conseguir postar semana que vem sem falta. Bjos.

Twitter: @liveformybieber
Grupo no Facebook: https://www.facebook.com/groups/362039920585130/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...