História Love or hate? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Adriano Ramos, Alícia Gusman, Bibi Smith, Carmen Carrilho, Cirilo Rivera, Daniel Zapata, Davi Rabinovich, Firmino Gonçalves, Jaime Palillo, Jonas Pallilo, Jorge Cavalieri, Kokimoto Mishima, Laura Gianolli, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Personagens Originais, Rabito, Valéria Ferreira
Tags Carrossel, Fofo, Paulicia, Romance, Shipps
Exibições 332
Palavras 1.315
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente! Sabe que dia é hoje? Terçaaaa <3
Um pequeno aviso pros meus leitores favoritos: Eu vou postar, em média, dois caps na semana. Um no final de semana (Sabado ou Domingo) e outro no meio (Terça, quarta ou quinta). O do meio da semana talvez eu não poste frequentemente, mas vou tentar.
B
O
A

L
E
I
T
U
R
A

Capítulo 2 - The first day


Fanfic / Fanfiction Love or hate? - Capítulo 2 - The first day

P.O.V Paulo

Não é possível. Como que aquela guria da terceira serie virou isso? Quando o professor falou Alicia Gusman eu já estranhei, mas quando ela levantou eu quase caio da cadeira. Depois daquilo, eu não consegui prestar atenção na aula toda. Quando o sinal bateu, todo mundo foi para cima da Alicia lhe fazer perguntas inúteis. Me aproximei e escutei um pouco da conversa.

MJ- Como foi lá na Inglaterra? – Majô perguntou a ela.

Val- Os meninos de lá são mais bonitos? – Valeria perguntou como quem não quer nada. Graças a deus o Davi não está ali.

Ally- Ah, são, eu acho. – Alicia deu de ombros.

Mário- Mas você é só nossa. – Mário a abraçou.

Marce- Que fofo! – Marcelina comentou.

Jaime- Que bom que você voltou, eu estava morrendo de saudade! – Jaime falou e Ally sorriu, o abraçando de lado.

Daquela conversa só saia coisas assim. Bufei e acho que chamei um pouco a atenção dela.

Ally- Guerra! Nem fala comigo, é? – Ela fingiu chateação.

Paulo- Comigo. – Falei e ela me deu língua. – Olha aí, quem mostra a língua pede beijo!

Ally- Você continua idiota, né Guerra? – Ela revirou os olhos.

Paulo- E você continua irritante, né Gusman? – Revidei.

Koki- Ô Paulo! Vem cá! – Koki falou, depois da Bibi sussurrar algo em seu ouvido.

Sai do monte de pessoas e fui na direção dele. Ele estava animado, era perceptível. Ali no canto da sala, mal dava para escutar o que falavam com a Alicia.

Paulo- Fala, Japa. – Falei por fim.

Ficamos conversando um pouco até a professora Helena entrar para dar a aula dela. Novamente, aquela coisa toda da Alicia. As aulas passaram voando como sempre passam no primeiro dia. No intervalo, ninguém fez nada. Só ficamos na sala fazendo guerra de bolinha de papel, enquanto as meninas conversavam em um canto. A gente parecia um bando de crianças, as vezes. Assim que o relógio deu 12:00, o sinal tocou e todos os meninos se juntaram.

Mário- Onde a gente vai almoçar hoje?

Jaime- Aquela lanchonete da esquina. Sorvete, brigadeiro, bolo... Só assim para aguentar essas aulas chatas! – Jaime resmungou.

Dan- Primeiro, as aulas não são chatas, Jaime, são necessárias para sermos alguém na vida. Segundo, pode ser no restaurante, assim nós evitamos comer gorduras. – Daniel falou com aquele ar nerd de sempre.

Paulo- Falou o nerdão! Quem topa ir na lanchonete? – Praticamente todos os meninos levantaram as mãos. – Partiu lanchonete então.

Davi- Amanhã a gente almoça nesse restaurante aí, Dan. – Davi falou com a mão no ombro do Daniel, que apenas assentiu.

Fomos caminhando até a lanchonete. Sentamos em uma mesa, pedimos nossa comida e aí começou a conversa.

Jaime- Vocês viram a Alicia? Nem parece ela! Tá bonita... – O Jaime começou a conversa. Admito que fiquei um pouco enciumado, mas eles são quase irmãos e.... Ciúmes da Alicia? Credo! Claro que não.

Dan- A Carmen também tá, né? – O Daniel falou com um olhar distante.

Paulo- Vixe, mais um foi para o lado da luz, perdemos um guerreiro. Tá todo apaixonadinho pela Carmen. – Falei com uma vozinha irritante.

Dan- Pode até ser, mas pelo menos não fui eu quem ficou babando a Alicia a aula toda. – Eu engoli seco.

Paulo- E-eu mesmo não. – Falei e gaguejei por acidente. Merda.

Koki- Ficou com vergonha, Paulinho? –Koki falou com uma voz fina.

Paulo- Cala boca, Japonês! Eu vi você com aquele mimimi todo com a ruiva. – Me referi a Bibi, ele ficou meio vermelho e se calou.

Adri- A Laura ficou mais bonita esse ano, né? Eu achei. – Adriano falou como se estivesse sonhando.

Paulo & Koki- Isso é tão romântico! – Eu e o Koki falamos em uníssono, fazendo os outros rirem e Adriano balançar a cabeça.

Jorge- Vocês ficam aí brigando, eu não aguento! – O Jorge levantou as mãos.

Cirilo- Claro, por que ninguém falou nada da Marga! – O Jorge ficou vermelho.

Jaime- E você, Cirilão?

Paulo- Não falou nada da chatonilda!

Cirilo- Eu não sou apaixonado por ela! Não mais... pelo menos não como antes, eu acho. – Ele deu de ombros.

A moça trouxe nossos pedidos e nós devoramos em questão de minutos. Pagamos a conta e saímos da lanchonete.

Dan- Vamos indo para a escola? O inglês começa daqui a pouco. – Daniel falou e todos, menos eu, disseram sim.

Paulo- Vou ficar por aqui. Acabei pegando a turma 2 do inglês, que só começa mais tarde.

Koki- Beleza, falou!

Jaime- Tchau!

Cirilo & Dan- Até depois!

Eles foram se afastando e eu fui para a praça que ficava perto do colégio. Me sentei em um banco e observei a movimentação das pessoas na sorveteria.

Xxx- Paulo? – Uma voz conhecida me chamou. Virei e vi que era a Alicia.

Paulo- Oi Lilicia! – Lembrei do apelido que ela odiava que a chamassem.

Ally- Para de chamar assim! – Ela revirou os olhos. – Quer ir na sorveteria comigo?

Paulo- Ahn, p-pode ser. – Gaguejei de novo. Qual é o meu problema?

Ally- E para de gaguejar, me dá agonia! – Me levantei do banco.

Paulo- Foi mal.

Fomos andando até a sorveteria. Pedimos nossos sorvetes e sentamos para comer.

Paulo- Sabia que inaugurou uma pista de skate na nossa rua? Dá para ir a pé.

Ally- Não, né? Cheguei ontem. – Revirei os olhos – Você sabe andar de skate?

Paulo- Não, ganhei um skate semana passada, vou começar a treinar. Me ajuda? – Fiz um biquinho.

Ally- Tá bom. Amanhã depois da educação física. 5:30 da tarde, pode ser? Marquei de andar com o Mário, não vai ter problema.

Paulo- Pode, mas vou ter que levar a Marcelina, por que não vai ter ninguém em casa e meus pais odeiam deixa-la sozinha.

Ally- Não tem problema. Vamos voltando para a Mundial que já são quase 2 horas.

Paulo- Eu pago seu sorvete!

Ally- Não precisa.

Paulo- Moça, aqui, pelo sorvete de chocolate e o de amendoim. – Entreguei o dinheiro a mulher do caixa. A Alicia revirou os olhos.

Caixa- Obrigado, voltem sempre! Vocês são um casal muito fofo! – A mulher falou. Senti meu rosto queimar um pouco, e a Ally estava meio sem graça.

Ally & Paulo- Não somos um casal! – Dissemos em uníssono.

Voltamos ao colégio em silencio. Assisti a aula de inglês e de espanhol e logo depois corri para o futebol. Cheguei e a turma toda estava lá. As meninas em um canto, treinavam a torcida, enquanto os meninos no outro dividiam os times.

Dan- O treinador Campos faltou. Vamos só fazer um jogo rápido para abrir o ano. Ah, antes, Davi?

Davi- Oi?

Dan- Fala lá com as meninas para a gente ir na casa abandonada de noite. Sete horas. – Davi foi até elas e voltou correndo.

Davi- Elas toparam. – Ele disse, um pouco ofegante.

Jaime- Paulo, Mário e Cirilo no meu! Eu fico no gol, Paulo e Cirilo meio de campo. Mário é o meu zagueiro favorito.

Dan- Adriano, Davi, Jorge e Koki vem para o meu! Adriano fica na reserva por enquanto! Vocês são o time sem camisa! Eu vou para o gol, Koki e Jorge meio de campo. Davi cuida da defesa.

Tiramos as camisas e jogamos na arquibancada. Foi um bom jogo, senti o olhar da Alicia em mim algumas vezes, o que me deixou muito confiante. Meu time acabou ganhando.

Jaime- Aeeeee timão! – Jaime pulou em cima da gente comemorando.

Depois da pequena comemoração, me aproximei das meninas que já estavam saindo.

Paulo- No próximo jogo eu trago um babador para você, Lilicia. – Sussurrei no ouvido da Alicia que, assim que entendeu, revirou os olhos e deu um tapa no meu ombro.

Sai do campo em direção ao vestiário. Tomei banho ali mesmo e coloquei uma blusa de caveira, meu gorro e uma bermuda. Calcei meu tênis e fui procurar a tampinha, ou Marcelina, para irmos para casa. Ainda tinha aquela coisa na casa abandonada hoje à noite. Encontrei ela conversando com a Alicia e seguimos nós três para casa.

 


Notas Finais


E aí, gente? Gostaram? Não me deixem no vácuo! Comentem o que estão achando.
Lá em cima tem um avisinho pra v6, quem não leu, volta lá!
Obrigada pelos quase 20 favoritos e pelo incentivo! Amo vcs e espero q tenham gostado!
^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...