História Love Or Kill - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Megan Fox
Personagens Justin Bieber, Megan Fox
Tags Justin, Megan, Romance
Exibições 52
Palavras 1.036
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, então, como todos podem perceber eu não estou postando nos dias certos (que estavam marcados nos primeiros cap). Mas oq acontece, tem dias que eu simplesmente não consigo postar, como aconteceu na maioria dos dias da semana passada. Quero pedir desculpas por qualquer atraso que tenha ocorrido. Vocês são maravilhosas (o). Boa leitura.

Capítulo 24 - I can not believe


Fanfic / Fanfiction Love Or Kill - Capítulo 24 - I can not believe

Megan Pov

- Me dê um bom motivo para eu estar aqui.- Digo fria e ela me olha com medo, então abre espaço para que eu entre e assim faço. A casa é simples e bagunçada. Alguns porta retratos pendurados mostravam a morena e a criança que a pouco eu havia visto do lado de fora. Me sentei no sofá marrom escuro que ficava no centro da sala e a mulher se sentou a minha frente e ficou a me observar.

- Aceita uma água?- Perguntou séria e eu neguei com a cabeça.

- Não tenho o dia todo.- Digo me ajeitando no sofá de forma inconveniente. Ela então limpa a garganta e começa a encarar meus saltos altos pretos.

- O seu marido.- Ela disse meio sem jeito.- Ele não é quem você pensa. Ele é mal.- Ela diz rancorosa e eu continuo a olhar séria para ela.

- Eu sei disso. Agora conte-me algo realmente importante.- Digo sem dar importância e ela parece se ofender.

- Meu marido trabalhava para ele, a dois anos atrás mais ou menos. Eu sempre soube que o que eles faziam não era certo, mas o seu marido sempre foi um patrão generoso e sabia da nossa situação.- Ela fez uma pausa e pareceu se emocionar, eu estava começando a ficar incomodada.

- Continue por favor.- Eu digo sem parecer rude e ela assenti com a cabeça e enxugando as lagrimas.

- Algo grande estava para acontecer, algo que era arriscado e foi preciso meses para o treinamento, eu nunca soube ao certo o que era. Enfim, depois que eles haviam feito o que Justin tinha mandado, houve uma queima de arquivo...meu marido foi morto.- Ela diz caindo em lagrimas, dou um suspiro profundo e fico sem palavras.

- Me desculpe.- Levanto atordoada mas sou impedida de andar por conta de uma forte tontura que me faz cair sentada no sofá novamente. A mulher se levanta e se senta ao meu lado.

- Eu sinto muito que saiba disso agora. Mas eu preciso que faça algo, não por mim...faça por aquela criança que está lá fora brincando. Ele mal fala, mas todo dia pergunta do pai.- Ela diz emocionada e eu fico sem dizer nada, apenas olhando para o rosto da mulher triste e cansada a minha frente. Sua casa é o reflexo da sua vida, bagunçada e simples. Eu não consigo acreditar que Justin tenha sido capaz de fazer algo assim. Agora está explicado sua reação quando o perguntei o que Stiller sabia de tão ruim que poderia usar contra ele. Me levanto ainda meio tonta e caminho até a janela para tomar um ar.

- Posso usar seu telefone?- Pergunto meio tonta e ela se levanta rápido e trás o telefone para mim. Disco rápido o numero do Stiller e espero ele atender.

- Estou te esperando aqui fora.- Ele diz antes mesmo de eu dizer “Alô”. Saio rápido sem dizer nada e vejo o carro dele estacionado atrás do meu, corro até o mesmo e entro meio ofegante.

- Estou passando m...- Eu ia completar a frase quando me inclino para fora do carro e vomito pela janela. Stiller rapidamente segura meus cabelos e eu fico um tempo na mesma posição tentando me recompor.

- Toma isso.- Ele diz me dando uma garrafa de água e eu a pego e bebo rapidamente.

- Como posso ter certeza de que você não pagou para que aquela mulher dissesse tudo aquilo?- Pergunto desconfiada e ele me olha sem expressão.

- Não tem como saber. Pergunte ao Bieber.- Stiller diz e liga o carro.

- Porque me seguiu?

- Porque eu sabia que você não ia estar bem para dirigir depois.- Ele diz dando de ombros então franzo o cenho.

- E desde quando temos tanta intimidade assim?

- Eu preciso de você viva Megan. Acredite, não é cortesia.- Ele diz indiferente e eu engulo seco.

- Porque me contou sobre Katherine?- Pergunto curiosa e ele limpa a garganta.

- Eu quis que você se sentisse como eu. Quando dormimos com uma pessoa e descobrimos que ela é outra. Dói, não?- Ele diz debochado e eu o encaro feio.

- Você é desprezível.- Digo com repulsa e sinto meu estomago embrulhar. Me debruço novamente para fora do carro e vomito. Depois me arrumo no banco e Stiller me olha vez ou outra de canto de olho.

- Você precisa ir ao médico.- Diz seco e eu dou risada.

- “ Não é cortesia”.- O imito.

- Cale a boca.- Ele diz com ódio e eu bufo. Stiller me deixa na esquina de casa e eu vou andando o restante do caminho, entro e os seguranças ficam a observar cada passo que dou. Fico a imaginar que talvez minha feição esteja denunciativa o suficiente para que todos saibam que descobri que meu marido é um assassino de pais de família. Passo pela sala e não vejo ninguém, agradeço mentalmente por isso. Corro em direção ao escritório e abro a porta de forma brusca, Justin está lá, sentado observando o jardim por sua grande janela fosca de vidro.

- Então é isso Bieber, esse era o seu grande segredo?- Grito com ele e o mesmo se levanat com rapidez.

- Como foi seu encontro com o Stiller, querida?- Pergunta sínico e segurando um copo com vodka. Aparentemente bêbado.

- Como você pôde Justin? Você tem noção do que fez?- Pergunto gritando mas ele parece não se importar, da de ombros.

- Você não sabe de nada Megan. Não me acuse de coisas que não tem como provar. Não me faça relembrar toda a droga do meu passado.- Ele diz alterado e eu dou risada.

- Você é tão podre quanto o Stiller.- Digo me virando mas Justin agarra meu braço e me puxa para perto de si.

- Você esteve com o assassino do seu filho.- Ele diz batendo o copo contra minha barriga, fecho os olhos e algumas lagrimas caem.

- Não Justin, eu estou olhando para ele agora.- Digo chorando e ele me solta e fica em silencio. Saio apressada e corro para o quarto, não consigo pensar que ele foi capaz de fazer algo tão ruim para alguém.


Notas Finais


Até o proximoo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...