História Love or Sin? - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gilmore Girls, Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jocelyn Fairchild, Luke Graymark, Madame Dorothea, Maia Roberts, Maryse Lightwood, Simon Lewis, Valentim Morgenstern
Tags Clace, Gilmore Girls, Incesto, Romance, Shadowhuntes
Exibições 79
Palavras 1.372
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoas!
Como vocês estão? Eu estou bem!
Não tenho mais nada para falar, então aproveitem o capítulo e boa leitura!

Capítulo 15 - Colares de Compromisso


Fanfic / Fanfiction Love or Sin? - Capítulo 15 - Colares de Compromisso

RORY

Fique apoiada na bancada que dividia a sala da cozinha, eu tinha uma boa vista da janela, fiquei encarando o lado de fora da mesma. Depois de pouco tempo, observei Clary vindo com duas sacolas em suas mãos, mas, ela não estava sozinha, havia alguém do seu lado. Dean. Droga, será que ele falou que eu e Jace estamos juntos? Mesmo que seja mentira, ele pensou isso e pode falar para a Clary e ela pode acreditar nisso, um dos grandes problemas de Clary é ser ingênua.

—Jace, ela está vindo com as velas! —falei.

—Deixa eu ver. —ele falou sério, eu o impedi, empurrando ele de volta para perto do sofá.

—Não, continue fazendo, isso aí! —falei.

—Tá, então, pega as velas dela, trás para cá e sai com ela de novo! —ele falou, o nervosismo em sua voz era inegável.

—Sair com ela de novo? —perguntei.

—Sim, as coisas não saíram do jeito que eu planejei, preciso de mais um pouco de tempo! —Jace informou, mexendo em seu cabelo, como fazia quando ficava nervoso.

—Tudo bem! —falei, saí pela porta, o clima estava bem pesado entre Clary e Dean, até que ela me olhou. Ficamos em silêncio.

—Jace pediu às velas! —informei, pegando a sacola de suas mãos e levando para a casa. Fechei a porta, fiquei apoiada nela, fechei os olhos e respirei fundo, havia me esquecido que estava do lado de fora da casa, então, Dean e Clary me encararam. —Clary, vamos dar uma volta? —perguntei, estava muito nervosa por não saber o que se passava.

—Sim! Dean, obrigada pela companhia! —ela falou, sorriu, parece que a Clary voltou ao normal.

Começamos a andar, o vento estava bem forte.

—Clary, o que aconteceu? —perguntei finalmente.

—Nada, por que, aconteceu algo? —ela perguntou. Droga, o Dean contou mesmo.

—O que o Dean falou para você, no caminho? —perguntei.

—Nada demais, ele só perguntou se você estava ficando com outra pessoa, talvez, ele tenha insinuado que você agarrou o Jace!

—Talvez? —repeti em forma de pergunta.

—É, ele disse muitas coisas!

—Clary, eu não estou agarrando o Jace! —falei.

—Eu sei! —ela falou.

—Então você não acredita no Dean…? —perguntei.

—Rory, eu sei que você não ficaria com o Jace!

—Como você sabe? —perguntei, brincando.

—Sabendo! —ela respondeu.

JACE

Depois que Rory e entregou as velas, eu as larguei em cima da bancada da sala. Sentei em uma cadeira que estava ali perto. Fiquei quieto, observando a sala, e pensar que, a poucos dias eu e Clary mal nos falávamos e quase nunca nem olhávamos no rosto um do outro. Porra, eu realmente não acredito que eu tô fazendo isso por ela, mas, com ela, eu me sinto, seguro, sinto que eu posso ser quem eu quiser pois a Clary vai me entender. Clary vai aceitar e eu amo muito ela por isso. Até que enfim meu pai fez algo bom, quer dizer, não completamente porque ele matou uma pessoa, mas, se não fosse por isso, não teríamos voltado à Stars Hollow, eu não teria beijado a Clary  por causa de dois garotos bestas que me desafiaram a fazer isso. Claro, que a provocação deles foi apenas um pretexto, eu sempre tive vontade de provar o gosto dos lábios da Clary, valeu a pena ela ter brigado comigo, mas foi aí que eu soube, eu havia me apaixonado por ela e agora, eu estou aqui, sozinho numa sala escura de uma casa que nem tem luz, preparando uma surpresa para pedir Clary em namoro!

Respirei fundo, me levantei da cadeira, tirei as velas da sacola e depois da embalagem em que elas vinham, pus as velas em lugares onde imaginei que elas ficariam bonitas para a Clary, espero que eu tenha acertado.

Quando eu termino de colocar as velas, todas em seus lugares, saio da casa, quando eu saio, percebo que um cara, vestido todo de preto sai de trás de um poste. Ele fica me observando, era Dean, ele começou a vir até mim, cambaleando, além de viver se achando o machão, Dean estava bêbado.

—Eu quero falar com você! —ele falou, embaralhando a língua, completamente. Ele também —tentou— apontar o dedo para mim, mas acabou apontando para o lado.

—O que foi, cara? —falei, me aproximando dele, por puro reflexo, fui um pouco para o lado, depois de ter tentado acertar um soco em mim, Dean embaraçou-se com suas pernas e quase caiu, seria um tombo lindo se eu não tivesse segurado ele;

—Você! —ele revirava os olhos e tentava os manter abertos —Não… —ele arregalou os olhos e olhou para frente, como se tentasse se lembrar o que queria falar.

—Não, o quê? —perguntei.

—Não vai tirar a Rory de mim, eu amo ela, amo ela à três meses! Você chegou a quatro dias! —ele falou, tentou levantar quatro dedos, mas, foi malsucedido.

—Eu não quero tirar a Rory de você! —falei.

—Não? Jura? —o olhar dele se iluminou.

—Juro, agora sai daqui! —falei o empurrando para a frente, ele quase caiu, mas continuou —cambaleando— andando. Respirei fundo, dez da noite e a rua estava deserta. Estralei meu pescoço, com muita facilidade. Fiquei encarando a porta de casa, que estava fechada, respirei fundo novamente e entrei, vi a sala, estava realmente linda, modéstia parte, o gostoso aqui tem talento para decorações!

Orgulhoso pelo meu trabalho, entrei na casa por completo e fechei a porta, peguei o meu celular, que antes estava no meu bolso, desbloqueei ele e disquei o número de Rory.

—Alô? —ela perguntou.

—Você pode vir! —falei.

—E a Clary? —ela perguntou.

—Ela vem depois! Preciso de você, agora! —falei.

—Eu não posso deixar ela sozinha! —Rory falou.

—Certo, não vem agora! —falei. Desliguei e comecei a discar de novo.

—Oi Jace! —tia Lorelai falou, com entusiasmo, como sempre.

—Pode me ajudar? —perguntei.

—Claro! —ela falou.

—Primeiro, onde está minha mãe? —perguntei.

—No banho.

—Tá, bom, Rory e Clary vão passar por aí logo, quando elas passarem, por favor, chame Clary e mande a Rory vir!

—Tudo bem, mas, por quê?

—Quero dar um susto enorme na Clary! —falei. Desliguei, disquei para a Rory novamente, isso está ficando chato, até o fim da noite, meus créditos vão para o espaço.

—Oi, de novo! —Rory disse.

—Pode vir! Pelo caminho da sua casa! —falei e desliguei, sem mais explicações.

✳✳✳✳

—Cheguei! —anunciou Rory, entrando pela porta. —A minha mãe chamou Clary…

—Eu sei —falei, interrompendo-a. —Eu pedi! —confessei.

—Tudo bem, agora, você fica ali! —mandei e a empurrei para trás do balcão, apenas uma parte de seu corpo ficou a mostra, entreguei o lançador confete para ela. —Eu vou ligar para sua mãe e pedir para ela mandar a Clary para casa.

✳✳✳✳

Clary estava demorando, eu estava começando a ficar nervoso por causa disso, me sentei no sofá e quase derrubei uma das velas que ficava ali perto.

—Jace —Rory falou baixo, tentando chamar minha atenção.

—O que? —respondi, um pouco alto. Rory apontou para a porta, Clary estava se aproximando. Rory se abaixou, agora não dava para ver ela.

Clary abriu a porta e olhou em volta, eu não notei quando Rory pulou, apenas vi vários confetes voando pela casa, Clary gritou um pouco e depois recuperou seu fôlego, me aproximei dela.

—Clarissa… —falei, tocando seu braço.

—“Clarissa”? —ela repetiu.

—Bom… —respirei fundo, ficando nervoso. —Clary! —sorri, ela também. —Você, quer namorar comigo? —perguntei a olhando nos olhos, ela não respondeu nada. —Dessa vez eu estou fazendo um pedido decente, que você merece! —falei.

—Espera! —Rory falou. —Aqui! —ela me entregou uma caixa preta com vermelho, quando eu abri, vi dois colares de âncora, iguais.

—Um colar? Por quê? —Clary perguntou.

—Eu imaginei que vocês não iam querer usar anéis de compromisso, então, porquê não colares de compromisso? —ela falou.

—Jace —Clary voltou sua atenção à mim novamente.

—Clary…

—Eu aceito ser sua namorada! —ela falou. A peguei no colo e comecei beijar ela. Ficamos nos beijando por mais algum tempo, até que Rory pigarreou.

—O que foi? —Clary perguntou.

—Eu vou deixar vocês sozinhos, para curtir a noite! Aproveitem, se divirtam e não se esqueçam da proteção! —falou, maliciosamente, fazendo Clary corar. Rory saiu de casa, eu e Clary continuamos nos beijando.


Notas Finais


Bom pessoal, é isso!
O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...