História Love, Sex, Magic - 10 years after... the love still alive? - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Christina Aguilera, Ian Somerhalder, Johnny Depp, Maluma, Mariah Carey, Michael Jackson, Sebastián Rulli, Teresa, Thalía
Personagens Christina Aguilera, Ian Somerhalder, Johnny Depp, Maluma, Mariah Carey, Michael Jackson, Teresa Chávez Aguirre, Thalía
Exibições 21
Palavras 1.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Destiny without return


Fanfic / Fanfiction Love, Sex, Magic - 10 years after... the love still alive? - Capítulo 13 - Destiny without return

Thalia 

- E então, o que te traz aqui João Luis?_perguntei sem rodeios assim que consegui me acalmar um pouco. Me sentei na minha cadeira e fixei meus olhos nos dele esperando uma resposta que na minha opinião estava demorando demais a vir. Arqueei minhas sobrancelhas e ele sorriu, puxando a cadeira e se sentando na minha frente.

- É incrível como continua bonita mesmo depois de tantos anos._revirei os olhos.

- Obrigado pelo elogio mas me poupe das suas cantadas baratas.

-  Nossa. não me lembro de ter te visto tão arisca assim._ai, fala sério.

- Pois é, as pessoas mudam depois de passarem por algum trauma ou algum tipo de sofrimento.

- E você não fugiu a regra,  não é verdade?_ironizou com um sorriso sínico nos lábios.

- Enfim, ainda não respondeu a minha pergunta.

- Oh sim, claro princesa. Estou aqui por você._soltei uma sonora gargalhada na sua cara. Não acredito que esse idiota acha mesmo que quero alguma coisa com ele. Coitado.

- Me desculpe, não era a minha intenção.

- Não me ofendi. Bom, fiquei sabendo da situação critica que a Jackson Constrution Company estava enfrentando então dei a mínima, sabe que Michael e eu não nos damos muito bem._assenti lentamente com a cabeça. - Mas quando soube que você era uma das novas donas não pude ignorar e acabei comprando o restante das ações que estavam a venda._arregalei meus olhos na mesma hora enquanto ele sorria vitorioso.

Na mesma hora senti que meu chão faltou. Meu coração estava tão acelerado que tive a impressão que sairia do meu peito a qualquer momento. Perdi a cor do meu rosto, assumindo um tom pálido que chegou a me assustar quando peguei meu espelho de bolsa. João Luis percebeu meu estado e veio correndo até mim, se ajoelhando na minha frente e me olhando com um semblante assustado. 

- Thalia, tudo bem? Se sente mal?

- Não... não se preocupe, só minha pressão que deve ter caído. 

- Vou pegar uma água.

- Não, não precisa. Só me deixe sozinha. 

- Mas...

- Por favor! Estou bem, não tem por que se preocupar atoa._sorri. Ele assentiu e me deu um beijo na testa antes de me dar as costas e deixar a sala. 

Aproveitei a minha solidão para me acomodar na cadeira e respirar fundo. Fechei meus olhos e as poucos fui normalizando minha respiração e os batimentos do meu coração. Parecia que tinha corrido uns dez quilômetros em uma maratona. Depois de mais calma me coloquei a analisar o rumo que a minha vida está tomando devido as minhas decisões - as vezes certas, as vezes um verdadeiro fracasso -. 

Antes que pudesse raciocinar de verdade um estrondo na porta me faz abrir os olhos. Michael me encarava com a sobrancelha arqueada. Meu coração voltou a bater desenfreadamente quando os olhos dele encontraram os meus. Fiz um esforço desgraçado para não deixar lágrima nenhuma rolar dos meus olhos. Por mais que eu o ame mais que minha própria vida não serei fraca. 

- Não sabe bater?_seu semblante de indiferença deu lugar ao de preocupação. Caminhou até mim lentamente e se ajoelhou no meu lado esquerdo.

- Tudo bem?_acariciou meus rosto com carinho. 

- Tudo, não se preocupe.

- Tem certeza? Não parece muito bem. 

- Foi só uma queda de pressão, nada grave. Mas o que quer aqui?_me levantei da cadeira e obriguei minhas pernas se manterem firmes. 

- Quando ia me contar?_me virei para ele sorrindo e coloquei as mãos na cintura. Seus olhos percorreram todo o meu corpo, me obrigando a prender a respiração por alguns instantes.

- Contar o que Michael?

- Que é a nova moradora da mansão Jackson.

- Dereck te contou super rápido, confesso que estou surpresa.

- Não mais que eu, só não entendo uma coisa.

- E o que seria?

- Se me odeia tanto como diz por que quer viver debaixo do mesmo teto que eu. 

- Gosto de manter meus inimigos próximos de mim. 

- Você não tem escrúpulos mesmo.

- Não me elogie, por favor. 

- No que se transformou Thalia.

- No seu pior pesadelo Michael.

- Não posso acreditar que seja tão fria._Michael deu dois passos e agarrou a minha cintura, girando meu corpo e me encostando no tampo de mármore frio da mesa.

- Quando vai entender que quero distancia de você?

- Nunca, porque isso é mentira._os dedos de sua mão esquerda foram de encontro ao meu cabelo, colocando-o para atrás da minha orelha. Pude perceber no seu anelar a mesma aliança que ele passou a usar no noite que ficamos noivos. 

- Michael..._minha voz saiu falha e chorosa. Ele não pode estar fazendo isso comigo.

- O que  meu amor?

- Essa aliança...

- É a do dia que ficamos noivos._a lágrima que impedi de rolar pelos meus olhos mais cedo acabou embaçando a minha visão e molhando o meu rosto.

- Por que?

- Pra te provar que ainda te amo, que nunca te esqueci, que só penso em você.

- Chega!_afastei o seu corpo do meu em um empurrão e saí da sala correndo. Antes de sair da construtora pedi para que a secretária avisasse a Dereck que tinha me sentido mal e por isso fui para a minha ''nova casa'' mais cedo.

                                                                                                * * * 

Depois de ter rodado todos os bares possíveis de Miami resolvi ir para a casa. Assim que entrei com meu carro pelos portões da mansão voltei a chorar igual uma criança. Devo ter passado uns trinta minutos encarando aquela casa que eu fui tão feliz. Respirei fundo e desci do automóvel, dando de cara com um Michael de olhos vermelhos e inchados encostado na pilastra esquerda, na entrada da mansão. 

- Seja bem-vinda senhorita Sodi._na mesma hora um filme passou pela minha cabeça, como da primeira vez que pisei aqui. 

- Por favor Michael, não torne as coisas mais difíceis do que já estão.

- O que? 

- Sei que não te agrada a minha presença aqui, mas será por pouco tempo._ele me puxou pelo braço e me deu um selinho, mordendo o lábio inferior logo em seguida. 

- Você nunca mais vai embora daqui meu amor, acha mesmo que vou perder a chance de te reconquistar?_deu um tapa na minha bunda. - Não sou tão idiota assim._quando me dei conta Michael já tinha entrado, fazendo um sorriso bobo brotar nos meus lábios.

- Thalia, meu amor!_a voz de Dereck conseguiu tirar toda a alegria que estava sentindo. - Demorou a chegar, fiquei preocupado. 

- Não deveria._me virei para ele e notei que suava frio, estava com a gravata frouxa e os cabelos desarrumados. - Tudo bem Dereck? 

- Thalia, eu não aguento mais. 

- Não aguenta o que?_ele enfiou a mão no bolso e tirou de lá uma caixinha vermelha que foi aberta na minha frente, revelando um anel de diamantes. 

- Thalia Sodi, casa comigo?_qual é o real motivo de eu estar aqui mesmo? Eu amo o Michael tanto, não posso fazer isso. 

- Dereck eu...

- Você... 

- Eu aceito. 

Definitivamente não sei o que estou fazendo, só sei que é um destino sem volta. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...