História Love Someone - Capítulo 33


Escrita por: ~

Exibições 127
Palavras 1.355
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mozonaaaas, demorei mas voltei!!! Ta ai mais um capitulo pra vocês, demorei dias escrevendo ele e apagando porque achava que não estava bom, entããooo... Espero que gostem XD <3 comentem o que acharam depois e não esquece do favorito...

Capítulo 33 - Lançamento do filme e......


Fanfic / Fanfiction Love Someone - Capítulo 33 - Lançamento do filme e......

O filme passava e eu estava amando o resultado de tudo, a atuação do Filipe e da Bella, tudo estava perfeito, eu olhava para a Manu e na maioria das vezes ela estava dando altas risadas, confesso ter me sentido meio envergonhado, acho que é a primeira vez que exponho tanto meu passado para ela, mas ela estava tão linda prestando atenção e eu estava tão feliz de ver ela sorrindo e do meu lado que nem liguei para isso, me peguei olhando para ela e ela se desprendeu do filme e olhou para mim, sorriu e pegou em minha mão, eu acariciei seus dedos e percebi seu nervosismo pela sua mão que instantaneamente gelou. Eu sabia dentro de mim o que deveria fazer, mas tinha medo, me virei para o filme enquanto tomará coragem, para tentar alguma coisa. Eu e ela já tínhamos vivido tanta coisa juntos, namoramos,  beijamos, transamos, eu amei e amo ela de uma forma que nunca amei ninguém, mas o nervosismo que eu estou sentindo agora parece a dá primeira vez que nos vimos, respirei fundo e por um segundo fechei meus olhos, me virei para ela e ela olhou da forma mais encantadora possível, eu acariciei seu rosto e como se estivesse lendo a minha mente ela assentiu com a cabeça, eu me aproximei, vi seus olhos fechando e meus lábios tocaram o dela, pedi passagem e ela cedeu, minhas mãos foram até sua cintura e a sua até minha nuca, ela acariciava o meu cabelo e eu não consigo nem explicar tudo o que acontecia comigo naquele momento, se passava um filme em minha cabeça de todos os momentos dolorosos sem ela, finalmente meu Deus, finalmente aquilo acontecia e não era um sonho, era infinitamente melhor, meu coração batia disparado, o suor frio voltou, minhas mãos tremulas foram até seu cabelo fazendo carinho neles e por um momento eu queria que o tempo parasse, mas acho que ele já foi bom demais para mim por poder estar com ela agora, nós nos separamos lentamente e eu dei um beijo em sua testa.
Depois disso nós vimos o filme inteiro de mãos dadas, até que ela deitou sua cabeça em meu ombro e começou a acariciar meu braço, eu não pude deixar do sorrir. Depois de uma hora e meia o filme acabou, as luzes se acenderam e todos levantaram e aplaudiram, minha sensação foi de missão cumprida e trabalho bem feito. Nós saímos do cinema e fomos comer na praça de alimentação.
Kéh: Mano que saudades de ver vocês juntos- Manu corou e eu sorri.
T3ddy: Minhas gracinhas...
 

Depois de comermos fomos todos para casa, eu me joguei na minha cama, só conseguia sorrir e lembrar daquele beijo.


P O V – Manu

Desde que eu e Chris terminamos tudo tem sido muito difícil para mim, eu  tentei fazer como ele e me focar no meu trabalho, escrevi meu livro e fui convidada a lançar uma linha de roupa, eu me empenhava demais, acompanhei cada etapa, escolhi estampas, tecidos, fiz reuniões para que tudo saísse a minha cara e o resultado ficou incrível, meu trabalho não podia estar melhor, mas minha vida fora aquilo não podia estar mais conturbada, o arrependimento de ter dado aquele tempo vinha todos os dias, me fazendo repensar se aquilo foi certo, meu corpo necessitava dele assim como meu coração, eu sentia brutalmente a ausência dele, eu não ligava , não dei nem sinal de vida, mas tudo o que eu mais queria era saber como ele estava sem mim, se chorava e passava as noites em claro assim como eu, mas depois de um tempo que parecia uma eternidade, ele me ligou e se lembrou de mim, dentro do meu peito só vinha o alivio, era como se um pedaço do meu coração que eu havia perdido voltasse ao escutar a voz dele, eu não contive o choro mas fui obrigada a conter o sofrimento, mas toda a sensação ruim, de insegurança, de medo da perca foi embora quando ele me convidou para ir no lançamento de seu filme, queria dizer que ele queria me ver e eu poderia ter uma desculpa para ver ele também, naquele momento eu me senti feliz como não me sentia a semanas  e desde ai tive longos dias sem ouvir aquela voz, sem ver ele, ansiosa para o dia.
Quando atravessei a porta do shopping a ficha começou a cair, ele estava a alguns metros de mim, eu finalmente iria vê-lo, meu coração começou a bater forte, minhas mãos ficaram tremulas a cada passo que eu dava, eu já conseguia avistar o cinema, parei no meio do caminho, respirei fundo e o medo tomou conta de mim, senti um braço me envolver e era a Kéfera, ela não disse nada, só segurou em minha mão e seguiu andando junto a mim. Quando entrei na sala o avistei de longe, ele estava lindo, mais do que de costume, eu fiquei sem reação, só conseguia olhar para ele, tentei  puxar um assunto e até que funcionou, nós nos abraçamos e que falta eu tinha daquele abraço, finalmente eu me senti completa novamente, nós vimos o filme e eu fiquei impressionada, que trabalho incrível! A produção, elenco, a história, tudo era a cara do Chris, eu tentava prestar atenção no filme, mas confesso que era difícil, toda as vezes que eu olhava para ele, percebia seus olhos voltados para mim, eu segurei em sua mão e percebia que elas estavam tremulas, assim como as minhas, eu sei o que ele sentia e também o que ele queria, eu o conhecia, ele olhava fixamente para mina boca, assim como eu olhava para a sua, eu assenti como a cabeça e ele veio em minha direção, finalmente nossas bocas se tocaram, ele pediu passagem e eu dei, enquanto sua boca percorria a minha suas mãos foram para minha cintura enquanto a minha foi para sua nuca, eu acariciava seu cabelo, tudo o que sentia naquele momento era inexplicável, uma mistura de saudade, amor, carinho e o melhor era que eu sentia que tudo era reciproco, infelizmente nos separamos por falta de ar, ele deu um beijo em minha testa e voltamos a ver o filme. Quando acabou nós fomos a praça de alimentação, comemos lanche e fomos todos para casa. Eu me joguei sobre a cama da mesma forma que cheguei e só consegui pensar em tudo o que aconteceu, pensar em mim, pensar nele.... Eu sempre fui a menina comportada, racional, equilibrada e pensando na minha vida inteira, eu nunca me arrisquei de verdade, tinha medo até de começar meu canal no youtube, se não fosse alguém para me encorajar eu não estaria aqui, minha vida não teria mudado como mudou e quanto ao Chris, com a minha mania de pensar em tudo, de medir consequências, acabei com tudo o que a gente tinha, a culpa foi toda minha, acho que estava mais do que na hora de mudar isso, de fazer com que essa Manuela crescesse, olhei para o celular já era quase uma da manhã, peguei a chave de casa, tranquei e fui até a portaria, pedi um táxi que rapidamente chegou
taxista: Para onde vamos senhorita?
Eu: Rua: xxxx, apartamento xxx....
 
Rapidamente chegamos, dispensei o taxi e desci na portaria do prédio, o porteiro me olhou surpreso, talvez pelo tempo que eu não aparecia lá
Eu: Tenho que pedir pra subir? – Perguntei sarcástica, ele olhou em um papel qualquer me dando uma resposta ao nível
porteiro: Você continua sendo a única na lista dos que podem subir sem avisar- Eu sorri e ele riu.
Subi no elevador e sai praticamente em frente a seu apartamento, apertei a campainha e ele abriu, sua boca abriu sem conter a surpresa ao me ver
Chris: O que tá fazendo aqui?
Eu: Fazendo algo que eu deveria ter feito a muito tempo- O beijei intensamente, o beijo foi ficando rápido e pude sentir o calor vindo de seu corpo, ele me prensou na parede e fechou a porta com o pé
Chris: Ficou louca é? – Sorriu maliciosamente eu assenti com a cabeça. 


Notas Finais


gostaram???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...