História Love Story - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Musica, Romance
Visualizações 4
Palavras 3.361
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - The Knight


 

Era a primeira vez que eu estava em uma banda. Esse ano estava me trazendo muitas primeiras vezes. Pedi para Tamaki ir comigo no meu primeiro ensaio com a banda naquela tarde de sábado.

A banda de Mamoru ensaiava em uma pequena gravadora no centro da cidade, perto de onde trabalhava, era um buraco em uma rua estreita debaixo de uma loja de instrumentos.

Quando cheguei lá, eles estavam ensaiando. Todos tocavam muito bem e Mamoru cantava incrivelmente bem. Fiquei mais nervosa do que já estava.

- tudo bem com você? – perguntou Tamaki, ele, como sempre, havia percebido meu nervosismo.

- é meu primeiro ensaio, na verdade um teste – contei – estou nervosa, sou mesmo boa cantando?

Tamaki me olhou e sorriu. Então passou a mão na minha cabeça e apertou minhas bochechas.

- você já se ouviu cantando? – perguntou.

- claro.

- e o que acha da sua voz?

- normal.

- se escute de novo porque você ouviu errado – comentou dando um suspiro – não é porque sou seu namorado, mas você tem uma bela voz e consegue transmitir seus sentimentos através da música, consigo sentir o impacto da letra.

Fiquei olhando para Tamaki, eu queria beija-lo, mas a porta da sala em que a banda estava ensaiando se abriu com tudo. Era Mamoru, ele estava suado.

Ele usava uma camiseta preta, jeans colada, botas, seu estilo era parecido com o de Tamaki, mas nele ficava bem, porque ele era de uma banda e podia ter um estilo roqueiro meio gótico.

- você veio!  Que bom! – ele segurou no meu pulso, mas antes de voltar para a sala – vou pegar ela emprestado por um tempo.

- só não abusa – Tamaki cruzou os braços – boa sorte – ele me olhou e sorriu – sou seu fã!

- obrigado, vou dar o meu melhor! – falei antes que Mamoru me arrastasse para dentro da sala.

Lá dentro estavam todos os membros da banda. O baterista era o que mais me deu medo. Usava uma camisa preta, tinha brincos na orelha e o seu cabelo era azul escuro, caía bem nele, mas ele tinha um olhar sério e fechado. O tecladista era o mais simpático, tinha cabelos loiros e olhos escuros, seu sorriso era bonito e me passava conforto, ele aparentava ser simpático.

- é ela? – perguntou uma menina.

Olhei para a baixista e me assustei, durante o show eu jurava que ela era um homem. A menina era tão alta quanto Mamoru e Tamaki, tinha cabelos negros curtos e um olhar sério e fechado igual o do baterista.

- sim, pessoal essa é Miharu Misaki! Ela é da minha sala e tem uma linda voz! – disse Mamoru – sejam bons com ela.

- olá – falei timidamente.

- Misaki, esses são os integrantes da banda – continuou Mamoru – o nosso incrível baterista Chiaki, nosso tecladista Yuu-kun e nossa baixista Yamada!

- prazer em conhecer todos vocês – falei tentando ser educada.

- bem, já que já sabe nossos nomes vamos começar com esse teste – disse Yamada.

- que música vai cantar? – perguntou Yuu – tem algo em mente?

- sim – respondi – vocês conhecem I’m alive? – perguntei.

- sim – respondeu Chiaki.

- eu gosto dessa música – disse Yamada sorrindo.

- ela é toda em inglês – comentou Yuu – você é corajosa.

- vamos lá! – disse Mamoru pegando sua guitarra.

A música começou a tocar. Eles eram bons.

- Nada do que eu diga está certo não posso amar sem uma briga ninguém nunca sabe meu nome quando eu oro por sol, chove – cantei - estou cansada de perder tempo mais nada se move na minha cabeça não acho inspiração eu levanto e caio mas, eu estou viva, eu estou viva, oh yeah Entre o bem e o mal é onde você vai me encontrar, procurando pelo paraíso eu vou lutar, e vou dormir quando morrer, vou viver minha vida, estou viva!

Inglês não me atrapalhava, eu até gosto mais da minha voz em inglês, meus pais sempre me cobraram o inglês, desde pequena falo, não sou fluente, mas sou muito boa e me orgulho disso. Aprender novas línguas é um dos meus passatempos favoritos.

A música acabou e quando percebi todos da banda estava me olhando sorrindo.

- eu disse que ela é boa – falou Mamoru.

- realmente – concordou Yamada – muito boa!

- eu gostei – disse Chiaki – o que diz Yuu-kun?

- por mim ela tá dentro – falou Yuu – o que acha de fazer parte da nossa banda?

- eu adoraria – respondi – obrigado pelo convite.

De alguma forma eu estava feliz. Eles haviam gostado, não eram profissionais, mas eram bons, eu estava feliz por alguém ter gostado da minha voz. Eu precisava contar logo para Tamaki. Abri a porta e lá estava ele ansioso encostado na parede e olhando toda hora para o seu celular.

- eles gostaram! – falei me aproximando.

- o que? – perguntou ele me olhando – gostaram!

- sim! Estou na banda! – contei. 

Tamaki me abraçou, ele me ergueu do chão e me girou, desta vez não me importei se haviam outras pessoas olhando eu estava tão feliz que queria ser abraçada assim.

- pombinhos, desculpa atrapalhar – era Mamoru – mas nossa cantora aqui precisa ensaiar!

- sinto muito por isso – falei sem jeito.

- não peça tantas desculpas – disse Yamada – você é sempre assim?

- assim como?

- toda hora se desculpando? Menina seja mais animada! – respondeu Yamada sorrindo. Talvez ela não seja tão séria assim.

- ok, vamos te deixar por dentro de como fazemos as coisas por aqui – falou Mamoru – ensaiamos todos os dias as 20 horas, tudo bem para você?

- eu saio do trabalho as 21 – contei – tem problema de me atrasar só um pouco? É bem aqui perto.

- você trabalha? Que legal! – disse Yuu – onde trabalha?

- é... bem... no Maid Café – respondi timidamente, apesar de ter melhorado minhas habilidades de conversa eu ainda travava, não sabia que tipo de informação eu poderia dar para essas pessoas.

- que firme – comentou Yamada – eu trabalhava em um maid café quando estava no ensino médio.

Ensino médio? Acho que fiz uma cara estranha, todos eles me olharam e caíram na gargalhada.

- esqueci de contar algo para você Misaki – disse Mamoru rindo – somos os mais novos daqui.

- que? – olhei para o resto da banda – quantos anos vocês tem?

- eu tenho 20 – respondeu Yamada – curso o segundo ano da faculdade de música.

- eu tenho 18 anos – respondeu Yuu – estou no meu ultimo ano do ensino médio.

- eu sou o líder – respondeu Chiaki – tenho 22. Estou estudando música na mesma faculdade que Yamada.

- você só tem idade para ser líder – comentou Yamada – mas todos sabem que sou eu.

- espera aí a ideia de juntar a banda foi minha – disse Mamoru – eu sou o líder.

- pirralho iludido – comentou Yamada.

Eles começaram a discuti. Pude observar que se dão muito bem apesar da diferença de idade. Chiaki era o mais velho, porém o mais infantil, Yamada parecia ser bem madura, mas ela se irritava com facilidade, Yuu era tranquilo e tentava amenizar as brigas por fim Mamoru não tinha maturidade para ser o líder, ele era o que mais implicava, mas acho que isso era quando ele estava com seus colegas de banda, pois na escola ele sempre pareceu ser maduro e responsável.

- gente – falei – vamos ensaiar.

- é verdade – concordou Yuu.

- siga o exemplo dela Mamo-chan – disse Yamada.

- é siga o exemplo dela Mamo – disse Chiaki.

- certo, certo! Vamos lá!

Mamoru me deu a lista de músicas que eles iam cantar no próximo show da banda, disse que algumas eram femininas de mais para ele cantar, então eu ia cantar sozinha, mas outras íamos fazer um dueto.

Por sorte todas eram músicas conhecidas, algumas aberturas de anime e outras de bandas que eu escuto.

Conseguimos ensaiar cinco músicas até que todos ficaram cansados e decidiram ir para casa. Quando saí do studio avistei Tamaki mexendo no celular. Fiquei surpresa em vê-lo ali, me aproximei correndo.

- você ficou me esperando aqui? – perguntei.

- claro – respondeu – também ouvi o ensaio de vocês.

- e o que achou? – perguntei animada.

- vocês são incríveis – respondeu sorrindo – ah, estou com ciúmes.

- o que? Porque?

- porque eu pensei que seria o único que ia poder ouvir sua voz, mas agora todos vão ouvir.

- não seja tolo – falei sentindo meu rosto corar – ainda posso cantar em particular para você.

- sério mesmo? – ele se animou – isso é uma promessa, vou cobrar.

- pode cobrar eu não esqueço – falei sorrindo.

- é tão bom te ver animada – comentou.

- isso tudo foi porque você apareceu na minha vida – comentei – se não fosse por você...

- de novo esse discurso? – perguntou.

Estávamos andando de mãos dadas pelas ruas movimentadas da cidade durante a noite.

- é a verdade – respondi – foi por que você...

- não – disse ele me olhando sério – tudo que conseguiu foi porque você é você.

- não entendi.

- digamos que a Miharu Misaki que você acha que é não é a mesma que eu vejo – explicou – a Miharu Misaki que eu vejo é uma menina incrível, mas ela não sabe disso e acaba sendo insegura e fechada porque não quer que as pessoas vejam seu lado frágil, mas ela não tem porque ter medo, ela é incrível – ele me olhou – você é incrível, aceite isso.

Meu coração foi a mil. Tamaki pode ser mulherengo e tarado, mas ele sabe ser fofo e romântico, sorri para ele e o beijei na bochecha.

- por isso que te amo – falei.

- o que disse? – perguntou.

- você ouviu – respondi ficando vermelha.

- eu não ouvi direito – mentiu.

- problema não é meu – falei.

- fria como sempre – comentou rindo.

...

Os dias foram passando. Todos os dias depois do meu trabalho eu ia correndo para o studio ensaiar. Acabei ficando próxima dos membros da banda, eles eram legais, era divertido ver Yamada e Chiaki brigando.

- que!? Vocês são um casal? – perguntei chocada ao saber que Chiaki e Yamada namoram faz um ano.

- sim – respondeu Chiaki – apesar de ser assim, Yamada-chan é uma gracinha.

- cale essa boca – disse ela envergonhada – vamos voltar a ensaiar!

Todos concordaram. Estávamos ensaiando uma música nova, essa tinha um solo de guitarra, Mamoru disse que precisa praticar mais e que era para eu cantar essa música sozinha.

- tem certeza? Eu já estou cantando boa parte das músicas do show – comentei.

- não tem problema – disse ele – é que essa música é um pouco difícil e as vezes eu não consigo cantar e tocar ao mesmo tempo.

- por isso precisávamos de uma cantora – disse Yamada – minha voz não combina com a maioria das músicas, então eu não podia ficar cobrindo o Mamo-chan toda vez, não se preocupe, sua voz é perfeita, continue se esforçando!

- vamos tentar mais uma vez – disse Chiaki – desta vez só com a voz de Misa-chan.

- Misa-chan? – eu o olhei espantada.

- ué, você precisa de um apelido – respondeu – Mamo-chan, Yuu-kun, Yama-chan.

- não me chame de Yama-chan – disse Yamada. Pude ver sua repulsa por aquele apelido.

- pensei que Yuu fosse o seu nome – olhei para o menino no teclado.

- é Yuuta – revelou sorrindo – eu gosto de Yuu-kun.

- eu detesto Mamo-chan – contou Mamoru.

- ninguém liga – disse Yamada.

Todos caíram na gargalhada, depois disso voltamos a ensaiar. Desta vez eu sozinha cantei a música nova. Hey Kids!

- Só quero segurar suas mãos – essa era a parte em inglês -  Hey crianças loucas! A época mudará devagar, mas os impacientes continuaram infinitamente! Hey crianças loucas! Vocês deveriam encontrar. Eu não estava louca, eu quero procurar o amor, e guarda-lo pra sempre e jamais esquecê-lo! Hey crianças loucas! O futuro ainda é tão passageiro? Só quero segurar suas mãos! Eu juro, eu respeito o herói!

- como imaginei – disse Chiaki – ficou bom na sua voz Misa-chan.

- obrigado – falei.

- ótimo! Vamos decidir a ordem das músicas – disse Mamoru – vamos começar com DANCE DANCE, depois I wait,  How can I say, free – enquanto ele falava Yamada anotava tudo em um caderno – butterfly, Nee, no limit, NO thank you.

- essas daí são as que eu canto sozinha, certo? – perguntei.

- sim, desde Nee – respondeu.

Fiz a mesma coisa que Yamada, fui anotando a ordem.

- depois vem seijatachi – continuou Mamoru – essa eu canto sozinho e por fim vem Hey Kids!

- acho que uma música que todos nós cantamos deveria ficar por ultimo – falei – que tal Congratulations?

- eu gostei da ideia – disse Yuu – o que vocês acham?

- é uma boa música para encerramento – concordou Chiaki.

- eu tenho uma ideia melhor – disse Yamada. Ela ficou de pé, foi até sua bolsa e voltou com uma pasta, dentro dela haviam várias folhas – eu andei ocupada esses dias escrevendo uma música, eu queria que vocês ouvissem e me digam o que acham.

- uau – disse Yuu lendo a letra – é muito boa.

- primeiro escutem – disse ela pegando seu baixo e começando a tocar.

Era uma música animada. Bem a cara das músicas que a banda tocava. Quando Yamada começou a cantar eu não entendi muito bem porque ela falava que não conseguia, sua voz era linda.

Quando ela terminou fui a primeira a ficar de pé e bater palmas.

- uau! Que linda sua voz! – falei.

- obrigado – disse timidamente – o que acharam da música?

- eu achei muito boa – respondeu Chiaki – bem animada e com uma pegada de rock.

- eu também gostei – respondeu Mamoru – vamos deixar essa música para o final.

- também concordo – disse Yuu – e você Misa-chan?

- eu? Eu amei! – respondi – você escreveu isso? Uau! Que incrível!

- obrigado! – ela ficou ainda mais sem graça.

- qual é o nome da música? – perguntou Chiaki.

- é listen – respondeu Yamada.

- então é isso – disse Mamoru – Listen! Fica por ultimo.

Todos concordam com a ordem.

Quando mais os dias iam se passando mais nervosa e ansiosa eu ficava o show estava se aproximando. Um dia Asami e Yui me sequestraram para ir comprar roupas. Elas falaram que sentiam minha falta nos passeios depois da aula. Como eu queria ir ensaiar e sair mais cedo do trabalho eu estava saindo correndo da escola direto para o trabalho e só via meus amigos durante os intervalos e nem era tanto assim, pois eu ia praticar um pouco mais com Mamoru.

- você faz falta – comentou Asami – quando vai ter tempo para nós?

- depois que esse show passar vou ficar livre – respondi – sinto falta de vocês também.

- como anda as coisas? Conta tudo para gente – disse Asami.

- está tudo bem – respondi – o pessoal da banda é muito legal! Me divirto bem com eles.

- estou com ciúmes – disse Yui – aquele tal de Yuu-kun está solteiro?

- porque você tem interesse? – perguntou Asami.

- ele é gatinho – respondeu Yui dando de ombros.

- acho que ele é sim – respondi – vou checar isso.

- você mudou tanto – observou Asami – antigamente você nem conversava com ninguém e veja como está agora, indo conseguir um paquera para a Yui.

- é que – comecei, senti meu rosto corar – tem alguém que eu quero impressionar.

- falando nele – disse Yui – como anda as coisas entre vocês? Viviam coladinhos e agora mal se falam.

- Tamaki sempre vai me buscar depois dos ensaios – respondi – estamos bem.

- isso é bom – disse Asami – um dia ele estava de mal humor porque você ficou o intervalo de almoço todinho com o Mamoru.

- aquele ciumento – comentou Yui – não parou de falar mal do Mamoru.

- bem a cara dele mesmo – Asami riu.

Elas começaram a falar coisas do grupo, eu percebi que estava perdendo varias coisas. Me senti mal, me senti excluída, faz tempo que não me sentia assim. Tentei forçar um sorriso e dizer que já tinha que ir para o ensaio, elas ficaram tristes e insistiram em ir comigo.

Liguei para Yamada e perguntei se teria problemas em levar as duas e ela respondeu que não, era sempre bom ter alguém para ver os ensaios.

Então as duas foram comigo. Quando cheguei na entrada no studio vi Tamaki parado, ele parecia estar esperando alguém. Ao vê-lo sorri.

- ei! – chamei. Ele me olhou e sorriu – o que faz aqui?

- vim te ver – respondeu – sinto sua falta.

- eu também – falei.

Ele me olhou nos olhos. Senti algo diferente naquele olhar. Eles estavam tristes e cansados, segurei em sua mão e a coloquei em meu rosto.

- sinto muito por não estar mais presente – falei.

- que isso – ele apertou minhas bochechas – sei que isso é importante para você e vejo que está muito feliz fazendo isso, não se preocupe, você vai ter que compensar tudinho depois desse show!

- ui, que tipo de compensação ela vai ter que dar? – perguntou Asami se apoiando no meu ombro. Foi agora que lembrei que elas estavam comigo.

- eu espero que você a castigue bem, Tamaki – comentou Yui.

- pode deixar – ele me olhou com uma cara de tarado.

- seus... – comecei.

- Misa-chan – era Yuu, ele estava chegando no studio também, parecia cansado, estava usando uniforme do seu colégio e segurava livros, estava estudando até agora – boa noite! Quem são esses? Seus amigos?

- Yuu-kun, boa noite! – falei – essas são Asami e Yui e meu namorado Tamaki.

- uou! Você tem namorado!? Que pena! – comentou – pensei que teria uma chance.

- Yuu-kun não diga essas coisas! – falou Yamada aparecendo, ela também havia acabado de chegar – o namorado dela pode ficar com ciúmes e você nem de mulher gosta!

- que? – eu, Asami e Yui perguntamos ao mesmo tempo.

- que constrangedor você revelar isso assim Yama-chan – disse Yuu rindo.

- é verdade? Você gosta de homens? – perguntei.

- porque você acha que ela tem ciúmes de mim com o Chiaki – respondeu Yuu.

- seu pivete... – começou Yamada.

- parem de brigar – disse Chiaki – Yuu-kun sinto muito, mas nosso amor é proibido, por isso eu fico com a Yama-chan.

- que pena – Yuu suspirou – mas acho que ainda posso roubar o namorado da Misa-chan – ele olhou para Tamaki.

- que? – perguntei – não!

- se você me dar mais atenção que ela sou todo seu – disse Tamaki – sabe Yuu-kun, a Misa-chan é horrível, ela é fria, me trata mal e ainda me ignora... eu me sinto sozinho.

- eu posso acabar com sua solidão – disse Yuu – que menina cruel é você hein Misa-chan.

- que? Não! – comecei, mas as palavras se embolara, então respirei fundo e puxei Tamaki com força – ele é meu!

Então todos me olharam e fizeram um coro de uou, fiquei mais vermelha ainda e eles começaram a rir. Entramos no studio quando Mamoru chegou.

Asami, Yui e Tamaki entraram na sala com a gente e ficaram sentados nos puffs.

Começamos a ensaiar, foi divertido ver meus amigos me aplaudindo e gritando meu nome toda vez que eu cantava. Confesso que foi melhor com Tamaki aqui, certas músicas quando escutava e cantava eu só conseguia pensar nele.

- Você era bonita, seus olhos que costumavam me olhar, sua voz que costumava me ligar, tudo isso, tudo isso, tudo isso para mim foi – cantou Mamoru, esse era o refrão de uma música e ele cantava sozinho essa parte - você era bonita, como a sensação de não querer mais nada. Os momentos que você só me deu tudo isso, tudo isso já passou, mas você era tão linda.

Eu achava essa música muito bonita e triste ao mesmo tempo. Ele decidiu cantar ela semana passada, disse que precisávamos de uma música mais lenta para o show. Ele estava certo.

- então foi isso – disse Mamoru arfando, percebi que estávamos todos cansados.

- estou morta – falei.

- vocês são ótimos – disse Yui – gostei das músicas.

- vocês são incríveis juntos – falou Asami.

- mal posso esperar para o show – disse Tamaki.

- é nesse fim de semana – lembrou Yuu.

- mas já!? – perguntou Yamada.

- já – respondeu Mamoru – estou confiante de que vai ser um show incrível.

Ele me olhou e sorriu. Naquele momento não percebi que esse olhar foi o desencadeamento para os dias mais tristes da minha vida. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...