História Love Story - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, HyunA
Personagens BamBam, HyunA, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Alfa, Amor Proibido, Beta, Hoseok Alfa, Jikook, Jimin Alfa, Jungkook Omega, Lemon, Lobos, Namjin, Ômega, Reinos, Taehyung Ômega, Universo A/b/o, Vyoonseok, Yaoi, Yoongi Beta
Exibições 532
Palavras 4.648
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oioi!
Demorei, mas estou aqui! Voltei e estou muito feliz gente!
NOSSA MUITO OBRIGADA MESMO PELOS FAVORITOS E COMENTÁRIOS AMORZINHOS QUE RECEBI, DESCULPA A DEMORA PARA RESPONDER, EU SEMPRE LEIO ELES NA HORA OKAY?

Peço gentilmente que não me matem depois desse capítulo, lembrem-se que eu preciso estar viva para o próximo!
É isso!
Bom choro COF COF COF capítulo!

Desculpa qualquer erro.
Bora ler?
(*3*)/

Capítulo 16 - Vírus


Fanfic / Fanfiction Love Story - Capítulo 16 - Vírus

Capítulo – 15 – Vírus.

 

“Um único vírus é capaz de infectar uma população inteira de desprotegidos, um único ódio é capaz de destruir os corações de todos os frágeis”.

 

---

 

Jungkook não estava nada calmo, seu Appa o analisava como se fosse uma joia em teste de validade e isso estava sendo inquietante. Os olhos do alfa analisavam-no de um lado para o outro, cima e baixo, sem o mínimo de discrição. Jungkook estava ruborizado e agarrado ao braço de Namjoon, com a cabeça encostada próximo ao ombro dele e os olhos quase fechados, a vergonha o tomava de forma avassaladora. O cheiro do ômega estava ficando um pouco mais forte e consequentemente por Jimin também poder sentir o que Jungkook sentia, o dele também estava começando a ficar forte.

O ômega sentiu medo na mesma hora, eles seriam descobertos. A única palavra que se repetia em sua mente era, Droga, Droga, Droga. Os orbes do alfa mais velho ficaram mais intensos ao ponto que o cheiro aumentava, mas ainda parecia não saber diferenciar o cheiro.  Um grande amém por Namjoon ter um cheiro forte. O Appa dele se afastou e olhou para o príncipe abrindo um sorriso estranho, debochado talvez.

— Perdão se eu tiver sendo insensível, mas... Qual o real motivo para querer se casar com meu filho? Uma criança talvez? — na mesma hora Jimin e Namjoon começaram a tossir e, para ajudar a disfarçar – o que não ajudou muito – Tae começou a tossir também.

— O quê? — Jungkook soltou num grito o que chamou a atenção de todos ali. Provavelmente seu Appa pensou assim pelo cheiro estranho. Jimin fez sinal para que Namjoon agisse.

— Com todo respeito senhor, não acha que isso não foi muito... Rude? — ouviram-se alguns murmúrios, e o alfa mais velho se afastou mais ainda reverenciando em forma de desculpas. — Jungkook e eu vamos nos casar por causa do que sentimos um pelo outro, nós nos amamos!

— Bom... — a rainha começou invadindo o momento. — Acho que todas as intensões já ficaram claras, então qual sua resposta senhor Jeon?

— Minha resposta... — ele riu por um breve momento. Mesmo depois do que Namjoon disse ele pareceu tranquilo e voltou a sua postura anterior. — Pode se casar com meu filho. Como eu recusaria o pedido de futuro rei.

Os quatro, Jungkook, Namjoon, Jimin e Tae suspiraram aliviados em seu interior. Tinha dado certo. Mesmo tudo estando mais contra do que favor ao plano deles, ainda sim, deu certo. Jungkook pensou se deveria dizer algo, como um obrigado talvez, mas decidiu por ficar em silêncio. O Appa dele retornou para o lado de sua Omma que o olhava estranho, sem sentimentos, era uma expressão neutra bem... Indiferente à situação. Não é algo que se espera de ver como reação de alguém ao saber que seu caçula vai se casar. Todavia ele já sabia que nada mudaria a situação.

Mesmo com tudo aquilo o ômega ainda teve um pouco de coragem ao olhar para frente dos nobres, realezas e senhores ali presentes e cumprimentá-los ao lado de seu “noivo”. Foi quando se tocou que Yoongi e Hoseok não estavam ali, mas o que mais o intrigou foi que ele tinha os visto quando chegou . Para onde tinham ido? E por quê? Resolveu deixar pra lá e deu graças a tudo que fosse possível por finalmente poder sair dali. E assim o fizeram.

Foi-lhes recomendado que ficassem no mesmo quarto e Jungkook olhou para Jimin que na mesma hora apenas acenou disfarçadamente para que ele aceitasse. Por sorte o alfa mais novo teve a brilhante ideia de deixar os “noivos” na mesma torre que ele. Como uma condição é claro, ele teria que participar inteiramente do festival, algo que já tinha decidido não ir para fazer companhia ao seu ômega, mas infelizmente nem tudo estava a favor dos dois juntos.

O novo casal se afastou de todos, e se despediram indo para o quarto.

O caminho até o quarto dos dois foi calmo, pelo menos até chegarem lá não se ouviu uma só palavra. Assim que entraram no quarto espaçoso Jungkook se sentou na cama e olhou para o alfa que já se encontrava estirado no sofá. Os dois permaneceram em silêncio, conhecendo o novo quarto quando Jungkook, já complemente tomado pela curiosidade, resolveu fazer uma perguntinha que estava o martelando desde mais cedo.

— É seu ômega? — Namjoon o olhou confuso. — O que não parava de te olhar! É seu ômega? Assim sabe... De verdade. É? — o alfa suspirou, eles passariam muito tempo ali fechados já que Jimin e Taehyung haviam ido recepcionar um senhor muito rico que iria leiloar uma preciosidade em forma de quadro. Então não faria mal algum conversar com o ômega.

 

(...)

 

Em outra torre dali, em um quarto de hospedes se encontrava um casal bem conturbado, Hoseok e Yoongi. Os dois não estavam bem, talvez pela culpa que corroía o beta por dentro, pela suspeita que não abandonava a mente do alfa mesmo que ele já tivesse decidido que daria ao noivo o benefício da dúvida, ou por Yoongi ter saído do anúncio do casamento de uma hora para outra... Algo que realmente o alfa não havia entendido. Uma hora seu noivo estava ao seu lado e na outra tinha simplesmente sumido.

O alfa olhou o noivo que estava deitado na cama, estava assim desde que o encontrou no quarto, ele queria perguntar o que houve, queria muito saber o motivo de ter que ver a pessoa que ama deitada em uma cama, sem almoçar, no auge da tarde. Todavia este não lhe contava, já tinha perdido as contas de quantas vezes tentou iniciar uma conversa descente desde que chegou ali. Ver Yoongi daquele jeito, com os olhos inchados e ouvir os soluços que o noivo se esforçava para saírem baixos e não saber o motivo de tudo isso, ah, estava quebrando Hoseok de uma inimaginável. É horrível querer ajudar quem ama e não saber como.

Ele tinha acabado de sair de um banho longo, pode-se dizer que ele enrolou no banho, pois enquanto estava no mesmo o noivo chorava um pouco mais alto do nas outras vezes. Privacidade. Pensou que seria melhor se Yoongi tivesse isso naquele momento. Hoseok poderia sair e aproveitar o dia antes que o festival realmente começasse , mas deixar seu amor sozinho  naquelas condições estava fora de cogitação. Por isso e mais um pouco, ele se deitou ao lado do pequeno que estava encolhido nos lençóis de costas para si, olhou atentamente para as costas branquinhas do beta como se pudesse ver algo ali, deixou um suspiro preocupado sair e sem pensar duas vezes abraçou Yoongi que recuou no começo, mas ao perceber que não conseguiria se soltar deu-se por vencido.

Os dois ficaram abraçados bem ali, naquela cama bagunçada pelos lençóis. Pertinho um do outro, ouvindo a respiração um do outro, sentido o perfume que exalava do parceiro, em quase silêncio total se não fosse pela respiração dos dois e pelo choro do beta. Hoseok o apertou mais, como se isso fosse aquecer seu amor o suficiente para ele se sentir confortado e parar chorar, não pelo barulho, mas sim por... Doer. Dói ver a pessoa que você ama chorando. Dói mais ainda não poder fazer nada quanto a isso.

Yoongi não sabia o que fazer, ele queria segurar as lágrimas e não deixar que Hoseok o visse chorando, mas a cada momento isso se tornava mais difícil para si, as lágrimas eram umas rebeldes que o desobedeciam a todo o momento. Ficariam de castigo mais tarde. Sentir isso, seu homem, seu alfa, seu amor o apertando tão forte, isso deveria ser bom se a culpa não já tivesse o dominado. Ele praticamente já tinha aceitado o fato de que o príncipe o abandonaria assim que soubesse da verdade. Seria isso, seu amor viraria seu maior inimigo.

Yoongi suspirou cançado. Cansado de ficar deitado, cançado de chorar, cançado de mentir. Ah, tão injusto, tudo parecia cada vez mais injusto na sua mente. O que mais estava o matando por dentro é que seu noivo pode querer outro, vai, vai querer outro quando descobrir tudo. Só de imaginar outro, além de Taehyung, beijando seu amor, o tocando e sendo tocado por ele... Ótimo. Voltou a chorar.

Hoseok se desesperou mais ainda já que sua presença parecia ser o que fazia o beta chorar mais.

— Yoongi... Meu amor me diz, por favor, me diz o que tanto te machuca! Sou eu? Eu te machuquei meu anjo? — aquilo foi um estopim para Yoongi, ele estava fazendo Hoseok se sentir culpado. Aquilo era tão errado. Não podia estar mentindo para o seu amor, mas também não poderia lhe dizer a verdade. Ah, estava explodindo em desordem interior. Como poderia continuar com uma mentira que nem mesmo ele estava suportando mais.

— Hoseok... — murmurou. — Sai, por favor, sai!

— Não me peça isso meu anjo! — Yoongi percebeu que o alfa não desistiria tão sedo e entrou em desespero.

Como foram acabar assim?

Yoongi não entendia como pudera esconder isso tudo tão bem, por tanto tempo e agora só por que seu noivo está desfiado, ele desmorona... Como um gatilho aquilo abalou tudo o que tinham...

Como um gatilho ele disse o que não queria, o que não podia... Ele disse, “você está errado, eu não sou o espião, mas eu sei quem, então você está certo ao dizer que eu traí você” e engoliu o choro, por pelo menos um tempo. Virou-se para o noivo que agora tinha semblante confuso e esperou que este raciocinasse o que tinha acabado se ouvir. Percebeu que o alfa tinha compreendido totalmente suas palavras no instante em que pareceu estar irritado, ou quando ele se levantou o deixando na cama.

O Alfa parecia querer dizer algo, mas Yoongi percebeu que ele não o faria, não sabia o que dizer a ele, o tinha traído.

 

 

Hoseok sentia o sangue ferver, não estava acreditando naquilo que ouvira. Tudo bem, ele já desconfiava disso tudo, não deveria ser tanta surpresa, mas ainda sim, aquelas palavras foram uma confirmação e por mais que não admitisse, era uma confirmação que não queria ter ouvido. Era real, definitivo, seu noivo estava ajudando em uma conspiração e por mais que não fosse o espião, sabia quem era.

— Hosek... — Yoongi tentou, mas foi interrompido.

— Não, não quero ouvir! Eu... Preciso de ar! — e foi dizendo isso que o alfa se retirou do quarto. Yoongi se vendo sozinho ali, se deixou chorar. Ele não podia ter ficado de boca fechada? Tinha que ter falado demais? Mas de que importa pensar nisso agora? Já é tarde de mais. Acabou.

 

(...)

 

Jungkook respirou fundo olhando para os lados enquanto Namjoon o acompanhava até o quarto de Jimin tentando evitar que qualquer guarda os visse. Jimin logo chegaria com Taehyung e Jungkook queria estar o esperando no quarto quando isso acontecesse e também, ele quis dar tempo para Namjoon se explicar para o tal Jin. Os dois chegaram à porta e por incrível que pareça não tinha guarda nenhum ali. Como Namjoon havia previsto, os guardas estavam descansando enquanto o príncipe deles não chegava.

— Está entregue! — o mais velho disse assim que a porta foi aberta e Jungkook entrou.

— Sim, obrigada! — o ômega pediu. — Boa sorte com o Jin!

— É acho que vou precisar. — riu enquanto Jungkook fechava a porta.

 

Após deixar o ômega seguro no quarto, Namjoon foi a procura de Jin, ele andou por todos os lados possíveis, em quase todas as torres, nos jardins, salões, salas de repouso, na enfermaria do castelo, até que se lembrou do lago que tinha ali perto, e correu até lá.

 Ao chegar, pode ver a silhueta do mais velho que olhava o céu distraído com as nuvens, o cheiro de Jin estava estranho, parecia que ele estava triste. Aos poucos o alfa ia quebrando a distância entre eles, e já ao seu lado, ainda em pé, ele percebeu que o rosto do ômega estava banhado em lágrimas. Talvez ele fosse o culpado, não, ele era o culpado com toda certeza e sabia muito bem o que tinha feito. Soltando um suspiro longo, se sentou ao lado de Jin, este que não disse nada, mesmo tendo percebido sua presença desde o início. Os dois ficaram em silêncio. Um silêncio aterrorizante, pelo menos para Namjoon.

Jin se jogou para trás e se deitou no chão. Oh, ele não estava nada bem, não tinha nem mesmo conseguido ficar naquele anúncio, não depois de ouvir Namjoon dizer para membros dos cinco reinos que amava aquele garoto. Foi horrível. Ver quem ama dizer amar outro em alto e bom som, não queira ter que passar por aquilo mais uma vez, ou melhor, nunca mais. Seu coração pareceu quebrar na hora e pode jurar nunca ter sentido tanta dor assim, em toda vida.  Sentia o barulho de grama sendo amassada ao seu lado, Namjoon também tinha se deitado. Respirou fundo e contou até três, estava desconfortável.

— O que tanto olha? — Namjoon perguntou com o intuito de quebrar aquele clima tenso. O silêncio do ômega foi sua resposta. — Você não ficou até o final naquela hora... Aconteceu alguma coisa?

Dizer que Jin não se irritou nem pouco com a pergunta do alfa seria mentira. Jin sabia que Namjoon tinha total ciência dos seus sentimentos por ele. Tomou o pouco de coragem que tinha e virou para encarar o alfa tomando um susto ao perceber que o mesmo já lhe observava. Engoliu em seco e evitou piscar enquanto tentava decifrar o olhar intenso que era direcionado a si. Oh, aquele olhar que só Namjoon sabia ter...

Namjoon estava se remoendo pensando em algo para dizer ao ômega afinal, mesmo que Jungkook tenha dito que era melhor Nam dizer a verdade sobre o que estava acontecendo, não cabia ao ômega mais novo decidir se era certo ou não, para poder falar sobre isso com Jin ele teria que pedir para Jimin. Bufou soltando o ar no rosto de Jin que fez um careta, ah, tão... Só isso passava na mente do alfa que olhava bobo para a carinha avermelhada por conta do coro recente. Contudo o ômega pareceu pensar e no instante seguinte se levantou bruscamente e mesmo que Namjoon confuso tenha tentado lhe segurar ele conseguir se desvincular das mãos do alfa.

— Jin! — chamou, mas não obteve resposta do ômega que já estava bem à frente. — Ah poxa, estávamos tão bem ali.

— Esse é o problema Namjoon! — Jin parou e se virou para o alfa. — Esse é a merda do problema! — Namjoon se assustou com o linguajar do ômega e se tocou que ele realmente estava bravo consigo, o que o deixou mais confuso ainda, já que há segundos atrás ambos pareciam tranquilos. — Eu quero, eu... Você é tão cego assim que ainda não percebeu o que eu sinto por você? Mas que... Hah! — Jin gritou. — Estávamos bem, nisso você tem razão, mas aí eu lembrei que você está noivo de outro ômega e olha só, até já marcou ele! Por que fez isso? Por que me beijou se tinha marcado ele? Você me deu falsas esperanças, me fez acreditar que aquilo era real. Você me enganou Namjoon e agora vou ter que esconder meu sofrimento todas as vezes que eu ver você ao lado dele, quando vocês tiverem filhos e netos e... Ah, por que me fez te amar! Está doendo muito! E... Eu sei que é errado, mas eu queria você pra mim. Nam... Não existe uma forma de você quebrar a ligação da mordida?

O desespero na voz de Jin cortou Namjoon de um jeito horrível, ele estava fazendo tão mal para alguém tão bom e importante para si, mas simplesmente não podia contar a verdade... Não agora, não sem antes falar com Jimin. Ele ouviu um baque e olhou para Jin ajoelhado no chão chorando. Muito. Foi até ele com a intensão de ajudá-lo, mas o mesmo não permitiu.

— Sai, por favor, só sai...

Quando Namjoon pela última vez antes ir olhou para Jin seus olhares se cruzaram e ele quis chorar.

 

(...)

 

Jungkook olhou para os lados e afundou a cabeça na água morna, estava exausto, haviam acontecido tantas coisas que nunca imaginou que poderia acontecer consigo. Ah, ele só queria um pouco de paz, mas nem mesmo dormir direito ele conseguia. A marca. A maldita marca. Ele estava com uma saudade descomunal de Jimin precisando dele, pelo menos por um pouquinho de tempo e, mesmo que o Alfa fosse estar ocupado, só de estar no mesmo cômodo que ele já seria o suficiente. Todavia Jimin estava longe e sabe-se lá quando chegaria, ah, isso estava matando Jungkook.

Ele submergiu a cabeça e depois de um longo tempo suspirou de desgosto e saiu encharcado da banheira, se enrolou no tecido felpudo branco e foi se trocar. Estava meio frio, mas do lado de dentro era mais quentinho então ele vestiu algo de Jimin, e ficou com as pernas e coxas expostas. Deitou-se na cama e ficou encarando o teto. Tinha esquecido a janela aberta e por esta o vento passou forte fazendo a porta do closet bater, isso chamou sua atenção e voltou o olhar para onde tinha acabado de sair e seus olhos fitaram um ponto específico do cômodo. Aquela gaveta. A gaveta do outro dia.

Ele tentou de todas as formas se segurar e não ir até ela, até porque a mesma estaria trancada certo? Ele realmente queria pensar assim, mas algo lhe dizia que não, que talvez Jimin pudesse tê-la aberto e esquecido de trancar, e foi pensando assim que Jungkook se levantou e foi até lá, escorou a porta no caminho e assim que chegou em frente aquela cômoda olhou para baixo, na última. Ele deixou o ar da dúvida o dominar por um momento. Aquilo seria errado, mas... O que Jimin tinha que esconder dele? O moreno fechou os olhos e quando os abriu sua escolha já havia sido feita. Ele iria olhar, mas só se estivesse destrancada.

Agachou-se no chão e levou uma das mãos a alça da gaveta, não podia negar, ainda estava com um pé atrás, o que não durou muito já que o click que ouviu o deixou surpreso. Aberta. Seus batimentos aceleraram, e a curiosidade, ansiedade e nervosismo prevaleceram. Respirou fundo e abriu a gaveta com cuidado, muito cuidado, e quando ela ficou totalmente escancarada um ponto de interrogação maior do o que já tinha apareceu.

— Uma caixa?

Ele pegou a caixinha de metal e chacoalhou sem muita força, pareciam papéis... Certo... Não tinha cadeado, já que o mesmo estava na gaveta, Jimin com toda certeza havia esquecido aberta. Apos colocar com cuidado a caixinha no chão ele a abriu devagar e sim, eram realmente papeis, mas havia pincéis finos também. Jungkook pegou algumas daquelas folhas e as analisou com cuidado. Era uma pessoa, um homem, mas não era Jimin...

Foi aí que ele se lembrou, as pessoas do reino comentavam que o príncipe era um ótimo pintor, e mesmo que Jungkook nunca tenha visto seu alfa pintando, aquilo poderia muito bem ter sido feito por Jimin. Séria o rei? Não o homem retratado era mais jovem. Em um piscar de olhos ele se lembrou. Tinha visto esse homem que, aliás, era um ômega. Viu ele no anúncio do casamento de manhã, embora não sabia quem, era realmente a mesma pessoa retratada naqueles papéis. Por que Jimin retrataria outro ômega? Por que ele guardaria isso? Um amor do passado talvez, mas agora ele tem Jungkook. Então porque, porque ainda vê essas pinturas?

 

(...)

 

Jimin olhava para as árvores pelas quais passavam, estava quase escurecendo e por conta disso resolveram ir por dentro da mata, melhor do que ficarem expostos na estrada vazia. Tae parecia dormir então ele não tinha nada mais o que fazer além de olhar janela a fora e sentir falta do seu ômega. Jungkook não tinha abandonado sua mente em momento algum. Sentia falta do cheiro, da pele, daqueles dentinhos fofos... Até a saliva do mais novo o fazia falta. Hora, o que ele podia fazer, não havia forma de fazê-lo pensar em outra coisa.

— Jimin? — ouviu a voz cansada e olhou para Taehyung.

— Resolveu acordar? — brincou.

— Uhum. — o ômega murmurou e logo em seguida se espreguiçou. — Ainda estou com sono, mas a estrada parece mais um monte de pedras grandes. — Jimin riu do comentário e negou.

— Já, já vamos conseguir ir para uma mais tranquila, é só nos aproximarmos do castelo. — Jimin explicou.

— Já não estamos próximos?

— Nos aproximarmos mais! — Tae riu.

— Certo... Jimin! — o alfa deixou um “sim” escapar e o ômega continuou. — Posso fazer uma pergunta hipotética?

— Uma pergunta hipotética? — Jimin riu, sempre faziam isso quando queria contar algo de verdade, mas não queriam que ninguém soubesse. — Pode.

— Que bom! — Tae pareceu empolgado e Jimin riu disso. — Vamos dizer que um ômega, bem parecido comigo, se apaixonou por um beta e por um alfa, depois disso ele descobriu que os dois também sentiam o mesmo por ele. Até ai tudo bem, mas só que os dois estão estranhos e eu... Quer dizer, o ômega que se parece comigo, acho que isso pode ser culpa dele. Então eu tenho algumas perguntas que quero fazer em cima disso. Primeiro, os dois estariam com ciúmes, já que pode ser que... Ambos o tenham beijado? Ou... Pode ser alguma outra coisa, ou... Aish! Tenho outra pergunta também, é errado, três pessoas juntas?

— Hipoteticamente falando? — Tae assentiu e Jimin riu. — Certo, certo... Bom respondendo as perguntas, primeiro, não é sua culpa Tae, o problema deles é outro! Eles gostam de você, os dois, e não veem problemas nisso. Agora... Para a sociedade, na nossa, não existe lei contra isso, mas eles são príncipes e isso não é muito comum, mas um casal, alfa e beta, na realeza também não, então... Olha, tudo o que você precisa é aceitá-los e eles darão um jeito de dar certo, vocês três, sabe.

— Não estou falando de mim! — Tae se defendeu e Jimin riu. — É sério!

— Sei, não precisa esconder isso de mim, primeiro por que Jungkook me conta tudo e depois porque Hoseok é meu primo!

— Aish! Mas não conta pra ninguém! Fiquei com vergonha agora...

— Deu pra perceber! — Jimin deixou uma gargalhada gostosa sair. — Suas bochechas estão vermelhas! Olha só! — Tae abaixou a cabeça e escondeu o rosto.

— Jimin. — ele chamou ainda com o rosto coberto. — Me diga, você sabe por que eles estão agindo estranho?

Na mesma hora Jimin parou de rir. Ele não sabia como o primo ficaria se ele falasse sobre para Tae, mas talvez o ômega fosse a solução para eles se reconciliarem.

— Vou te contar!

 

(...)

 

Já estava de noite e Jungkook sentia os olhos doerem por conta do choro recente. Sim, ele havia chorado, por algo bobo e sem sentido, ele não sabia quando seus sentimentos tinham se tornado tão sensíveis. Estava claramente carente. Devia ser isso, tinha que ser. Mas algo lhe dizia que não, era algo mais, ver aquela pintura, saber que aquela pessoa existia de verdade e que aquilo fora guardado com tanto carinho e secretamente, querer saber por que Jimin ainda via aquilo, já que estava destrancada quando encontrou. Todavia ao mesmo tempo não queria saber, temia resposta.

Seus batimentos aceleraram ao que ouviu passos e sentiu um cheiro forte familiar, desde que foi marcado ele podia sentir o cheiro de Jimin de longe. Cada vez que os barulhos de sapatos impactando com o chão pareciam mais altos, seu coração pulava no peito. Estava nervoso. Havia decidido guardar a caixa e fingir que nada tinha acontecido, mas estava tão nervoso que temia não conseguir disfarçar. A porta foi aberta rapidamente revelando um Jimin exausto que a primeira coisa que fez foi olhar para seu ômega.

 

— O que foi? — Jungkook perguntou tentando evitar olhar diretamente nos olhos do alfa.

— Porque está assim? Aconteceu alguma coisa? — Jimin perguntou preocupado. No caminho sentiu que seu ômega não estava bem, mas para não preocupar o irmão preferiu não comentar nada.

— Não sei do que está falando... — Jungkook murmurou baixo. — Porque não vai tomar um banho? Relaxar... Os servos estiveram aqui a pouco para... Preparar seu banho. — Jimin assentiu percebendo que Jungkook não lhe diria nada.

— Vem comigo amor? — Jungkook negou e Jimin franziu o cenho. — Não quer? — o ômega negou mais uma vez. — Jungkook o que está acontecendo? Você está nervoso, nervoso demais! Acredite eu sei que está, não só pela marca, mas... Está no ar sabe, literalmente.

— Jimin, não é nada!

— Não me venha com essa, meu amor, o que tanto te aborrece? Hm? Me diga! — falou Jimin e se aproximou da cama. — Eu te amo! Não quero te ver assim... Jungkook! — o ômega se assustou e se encolheu, Jimin chamou seu nome usando a voz de alfa. — Você, Jungkook, você mexeu nas minhas coisas? — perguntou ainda usando a voz de alfa deixando o ômega incrédulo por Jimin estar falando com ele assim.

— Jim...

— Onde está? — gritou mais alto causando dor aos ouvidos de Jungkook. — Onde está a caixa Jungkook? — Jimin o estava tratando mal por causa de uma misera caixinha com pinturas de outro ômega?

— Eu...

— Diga!

— Na gaveta! Na gaveta! — gritou já chorando, tão sensível, talvez o Jungkook de antes não tivesse chorado tão fácil, ou talvez esse sempre tenha sido seu verdadeiro eu.

Jimin o largou lá e correu em direção à cômoda. Jungkook se encolheu na cama chorando, maldita hora que deixou sua curiosidade falar mais alto, Jimin nunca tinha falado assim com ele... Nem mesmo no cio, Jimin foi tão rude... Quem era aquele? Não podia ser seu alfa. Mesmo com todas as forcas que tinha não conseguiu se impedir de levantar e ir até o alfa e assim que chegou lá Jimin estava encarando a foto e chorando. Um mal estar percorreu o peito de Jungkook indo até o pescoço e descendo de novo. Seu alfa estava chorando, não por ele, mas por outro, a marca dizia isso, a forma como Jimin olhava a maldita imagem dizia isso. E o coração de Jungkook apertou. Ele se irritou. E falou sem pensar.

— Vai mesmo olhar essa merda na minha frente. Vai ficar chorando por qualquer um quando estou aqui! — gritou a última parte. Jimin olhou para ele, um olhar mais negro ainda, diferente. — Se sente tanto a falta da vadia por não vai...

Jimin reagiu e Jungkook sentiu, foi inesperado, forte, doeu muito, a pele do ômega esquentou e ardeu, seus músculos tencionaram, o ar pareceu ficar preso na garganta de Jungkook quase o matando sufocado. Ele fechou os olhos e deixou uma lágrima presa rolar, virou levemente o pescoço encarando o rosto no espelho. Vermelho, rosado, inchado, os vergões marcavam os dedos. Seus olhos se fixaram na cicatriz, quase invisível, de quando seu Appa lhe bateu. Fechou os punhos, foi tão forte que se cortou com as próprias unhas, soltou o ar preso e caiu ajoelhado no chão.

 

— Você... — sussurrou tentando segurar as lágrimas. — Você... Você... Você fez como ele Jimin, eu fiz algo errado e você fez como ele. Usou a força como punição. Você me machucou como ele. Me... Machucou como o meu Appa. Eu odeio você...

Aquelas palavra vindas do ômega acordaram Jimin que na mesma hora olhou para sua mão e logo depois para o rosto inchado de Jungkook. Ele se desesperou por sentir tudo aquilo que Jungkook estava sentindo.

— Oh não, Jungk...

— Sai! — Jungkook gritou chorando.

— Kookie, meu amor...

— Eu não quero você, eu quero meu Jimin de volta, sai! Eu quero só ele, você não é meu Jimin... Não pode ser! Não pode! Não pode! Eu... — os berros e choros de Jungkook estavam altos e a essa altura Jimin já estava no chão tentando tocar no ômega que só se afastava. — Eu... Meu Jimin! O que você fez com ele! Eu te odeio! Te odeio! Te odeio! Você não é meu Jimin! Não é o meu alfa!


Notas Finais


Genteyyyy Juro que chorei, não sei por quê... Acho que não ficou muito bom, mas deu pra sentir aquela dorzinha no peito enquanto eu lia... Espero que tenham ficado tristes opa, gostado do capítulo, qualquer coisa é só dizer!
Esse não ficou grandinho como o outro, mas tenho surpriseeee domingo que vem tem mais, ainda é uma semana, mas comparado ao tempo que ando demorando pra att, já esta bom... Néh?
Mais uma vez... Espero que tenham realmente gostado!

Até o próximo!

BEIJÃO! *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...