História Love suicide - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias American Horror Story, Skins
Personagens Elizabeth "Effy" Stonem, Tate Langdon
Exibições 36
Palavras 1.034
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente essa é minha segunda fic espero que gostem ♡

Capítulo 1 - Chapter 1


Fanfic / Fanfiction Love suicide - Capítulo 1 - Chapter 1

Meu Nome é Effy Stonem e vou contar uma história de amor, vocês devem achar que é mais uma onde a garota inocente, se apaixona pelo Bad Boy e eles ficam juntos, bom posso dizer que é praticamente isso, só que mais sombria, vamos por onde tudo começou, bem desde quando minha mãe foi diagnosticada com câncer as coisas mudaram, ela morreu faz 3 anos, eu tinha apenas 14 anos, uma criança ainda, uma criança que perdeu a mãe, uma dor que com certeza não existe pior, um aperto no coração toda vez que toco no assunto, ainda posso sentir seu abraço, posso ouvir sua voz, sempre choro quando vejo que não a tenho mais por perto, eu estava com medo de entrar em uma depressão, mas até agora estava conseguindo me controlar, meu pai nunca fala sobre isso, deve ser mais doloroso para ele, eles se amavam tanto, então ele resolveu se mudar, para tirar uma pouco esse ar de tristeza, meu pai comprou um casa em Santa Mônica (EUA), uma casa velha, mas ele queria começar uma vida nova, então ia ajudar ele, mesmo sabendo que era mais difícil do que ele imagina, recomeçar uma nova vida, era como se um pedaço de mim não existisse mais, o que meu pai queria e sonhava que eu fosse a "garota perfeita" mas o que é garota perfeita para os pais ? Uma adolescente que não usa drogas, se dedica aos estudos, não pensa em sexo, não tem namorado, não sai para as festas, não fala palavrão, não vive! Isso é a filha dos sonhos ? Pois eu não sou essa filha, tenho minha vida, meus amigos, ia em algumas festas, eu bebia, fumava, isso fazia eu esquecer tudo, tem jeito melhor? Claro que tem, mas esse foi o jeito que eu encontrei para tentar esquecer minha vida, tínhamos acabado de se mudar, estava levando umas caixas com as minhas coisas para meu novo quarto, era uma casa típica filme de terror, com porão, uma escada que levava ao meu quarto e do meu pai, cozinha e a sala, ali ia ser o nosso novo cantinho, eu fui pegar a última caixa que estava no caminhão quando vejo os nossos novos vizinhos, uma mulher loira, com um menino, com certeza era seu filho, ele era loiro também, quando ele olhou para mim, fiquei nervosa, nunca tinha sentido isso antes, ele tinha um olhar misterioso, fofo, mas ao mesmo tempo um olhar de que escondia algo, o que ele escondia eu me perguntei, nos guardamos segredos para nos mesmos, não confiamos em pessoas, as vezes segredos obscuros, cruéis, psicopatas, será que ele tinha algum segredo desse? Ou eu estava apenas pensando demais, ele tinha me despertado interesse, tinha que descobrir mais sobre ele, termino de guardar tudo quando meu pai me chama na sala

- então Effy, gostou da sua nova casa ?

dei um sorriso tímido, ele veio e me abraçou, nunca mais ele tinha me abraçado daquele jeito, foi um abraço quente, passando a mensagem que ele estava ali e ia me proteger, ele me solta e sorrir

- nossas vidas vão mudar a partir de agora Effy, eu prometo vai ficar tudo bem 

Já estava de noite, estava exausta, ajudei meu pai a arrumar toda a casa, deito na cama, estava imunda, mas com muita preguiça de ir tomar um banho, parecia que cada parte do meu corpo estava dolorida, quando escuto uma zoada, quando vejo o garoto, que tinha visto mais cedo, entrando no meu quarto pela janela, eu não estava entendo porque ele estava fazendo isso mas tudo bem

- ah Oi,  foi mal entrar assim, mas era preciso - falou respirando fundo 

- Desculpa fui grosseiro, meu nome é Tate, Tate Langdon - falou sorrindo 

- Effy Stonem - disse tímida 

- belo nome - falou sentando na minha cama 

- desculpa invadir seu quarto, é que minha mãe e meu padrasto estavam tranzando na sala e não quis presenciar aquela cena - ele falou com uma cara de nojo 

- o que aconteceu com o seu pai ? - perguntei curiosa,  será que estava sendo grosseira perguntando isso?

- bom... ele está morto agora - falou dando um sorriso meio tímido - minha mãe matou ele porque ela a traiu com a vizinha, louco né, bom minha família não é uma das melhores 

- nem a minha 

- não vi sua mãe, também morreu ?

- sim, de câncer 

- nossa..... sinto muito 

- tudo bem, já estou me recuperando

- se recupera fumando ?

fiquei assustada com a pergunta, como ele sabia e porque ele tinha perguntado isso

- desculpa, o que ?

- bom, você não é lá muito esperta deixando um maço de cigarros a vista ali, e outra não é uma das melhores maneiras de afastar a dor, você só vai morrer mais cedo, vai por mim eu sei disso, já fiz muita besteira quando meu pai morreu 

Ficamos calados, eu realmente tinha achado uma pessoa que me entendia? Ou estava apenas encantada com sua beleza, com certeza ele ia fazer eu de trouxa, então eu tinha que passar por cima

- bom, meu namorado não reclama - Tate rir 

- você não tem namorado - ele continua sorrindo 

- sim eu tenho 

- não, não tem, eu conheço as garotas, se você tivesse realmente um namorado, você não falaria isso 

- você realmente acha que conhece as garotas Tate?

- o suficiente

-isso quer dizer que ilude muito elas?

- você que está dizendo não eu, foi bom te conhecer Effy, espero vela de novo, podemos ser bastante amigos, temos mais coisas em comum do que você imagina 

ele sai pela janela e eu só podia pensar, o que tinha acabado de acontecer ? Ele era tão. .... tão. .... Não posso me relacionar com ninguém, não quero sofrer por amor de novo, então o melhor que podia fazer era esquecer ele, mas uma coisa ele tinha razão, nos tínhamos mais coisas em comum do que ele imagina, será que poderia dar certo? Porque o amor tem que doer tanto, não queria me decepcionar, não de novo, meu coração já está machucado demais.


Notas Finais


Comentem o que acharam <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...