História Love survives all - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Personagens Alma Coin, Annie Cresta, Beetee Latier, Brutus, Caesar Flickerman, Cashmere, Cato, Cinna, Clove, Coriolanus Snow, Cressida, Delly Cartwright, Effie Trinket, Enobaria, Finnick Odair, Foxface, Gale Hawthorne, Glimmer, Gloss, Haymitch Abernathy, Johanna Mason, Katniss Everdeen, Madge Undersee, Mags, Marvel, Paylor, Peeta Mellark, Personagens Originais, Plutarch Heavensbee, Primrose Everdeen, Rue, Seneca Crane, Tresh
Tags Independency Day
Exibições 21
Palavras 1.234
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Científica, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Volta


 {1 mês depois... }

Pov Kat

Finalmente tudo estava voltando ao lugar. As cidades estavam sendo reconstruidas e todos voltando aos seus lares. Eu continuava na base até agora, mas já tínhamos ido até os Estados Unidos de avião, onde o presidente chamou os responsáveis e premiou com uma medalha. Foi uma honra estar lá e pude ver minha mãe. Ela trabalhava na Casa Branca como secretária particular do presidente. Ela falou que depois disso falaria com ele pra tirar um tempo de folga para ir nos visitar.

Hoje eu estou voltando para São Francisco. Minhas coisas já estão no meu carro. Mas não é só eu que voltarei. Gale e Peeta também voltaram pra lá e mais algumas pessoas que vão para outros lugares também.

Me despedi de todos e fui para o carro. Saí de lá sozinha, apenas ouvindo as músicas do meu pen drive. Passei em um posto de gasolina, abasteci e comprei umas besteiras pra comer e voltei pra estrada.

Depois de 10 horas e meia de viagem enfim cheguei em casa. A cidade não estava tão destruída. Apenas a parte que fica na beira do mar, o resto estava intacto. Estacionei o carro na porta da casa. Ela está a mesma coisa. Só não encontraria Charles ali. Charles. Eu vou sentir falta dele. Era um ótimo companheiro e namorado. Mas uma coisa que eu aprendi é a não ficar presa no passado e bola pra frente que a vida passa e os mortos não voltam.

Tirei minhas malas do carro e botei na porta. Abri a porta e vi. Tudo estava a mesma coisa de quando saí naquele dia as pressas. Botei minhas malas na sala e andei pela casa. Ainda era ela. Mas sentia falta de algo. Ou alguém ali comigo. Assim que comprei a casa chamei Charles pra vir morar comigo e ele aceitou. Só que agora. Estou sozinha de novo.

Passei algumas horas arrumando minhas coisas. E rearrumei a casa toda e limpei superficialmente os móveis.  Quando olhei no relógio a hora marcada era 23:55. Estava cansada então resolvi tomar um banho. Subi para meu quarto e separei uma roupa do closet. Apenas uma short folgadinho e uma blusa folgada também.

Tomei uma banho quente demorado, lavando meu cabelo. Assim que saí, vesti uma calcinha, um top e botei a roupa que eu separei. Desci as escadas e fui pra cozinha. Preparei dois sanduíches e um suco e fui pra sala. Liguei a Tv e comecei a assistir um filme que estava passando, só não sabia qual era.

Quando terminei de comer levantei para ir colocar as coias na cozinha mas fui interrompida pela campainha tocando. De primeira achei estranho e fiquei parada esperando tocar de novo. Assim que tocou a segunda vez, corri para atender. Botei o copo e o prato em cima da mesa e abri a porta. Gale e Peeta estavam parados na minha porta.

- Mas o que??? - Eu falei olhando pra eles

- Olá, boa noite pra você também. Bem queríamos saber se poderíamos dormir aqui, porquê nosso prédio está destruído, estamos cansados, com fome e.... querendo um abrigo -disse Gale tão rápido aue eu quase não entendi

- Nossa, entrem, cadê as malas?

- Estão no carro -Peeta falou olhando diretamente pra mim, enquanto eles continuavam parados na porta

- Ok, vamos buscar -Gale falou e se virou com Peeta e foram em direção ao carro.

Nesse exato momento senti o vômito subindo por minha garganta ai eu sai correndo largando eles lá. Procurei o primeiro banheiro e entrei, abri a tampa do vaso sanitário e coloquei tudo pra fora. Que merda tinha acabado de comer e o sanduíche estava bom. Dei descarga e lavei minha boca. Depois voltei pra sala. Eles já estavam dentro de casa com as malas, estavam olhando a casa.

- Bonita casa hem irmãzinha!

- Ah obrigada, suei muito pra conseguir tá. Então agora se sintam em casa. Tem dois quartos de hóspedes lá em cima. Tem um banheiro lá no final do corredor Peeta, e Gale se quiser pode usar o meu.

- Tá bom - os dois responderam na mesma hira e se entreolharam. Eu dei risada dos dois.

- Então, vou ver o que tem pra comer aqui -falei e saí em direção a cozinha.

Tinha muita coisa que eu havia jogado fora pois estava vencida. Então não tinha sobrado muitas opções. 

Tinha pão que ficava na geladeira e era só esquentar, iogurte, aveia, mussarela, tomate, pêra, enfim, algumas coisas que poderiam comer e amanhã eu iria procurar um mercado pra comprar mais coisas. Eu não iria comer mais nada hoje, poderia apenas tomar um leite.

Separei as coisas em cima do balcão pra eles e fui pra sala. Quando ouvi passos descendo a escada e vi Peeta. Ele usava uma calça de moletom, uma camiseta e um chinelo. Seu cabelo estava molhado e sua feição parecia bem mais tranquila.

- Então como se senti agora?

- Ótimo, foi bom ter saído da base, mas ao ver o prédio destruído foi quase desesperador se Gale não tivesse falado pra virmos pra cá.

- Pois é, então vamos pra cozinha

Não fomos pra lá e ficamos conversando enquanto ele preparava o mesmo que eu tinha comido, um sanduíche. Preparei um pra Gale também e fiz um suco para os dois. Logo ele chegou na cozinha e vestia uma bermuda e uma camisa e estava descalço.

- Me sinto em casa sabe -ele falou dando um sorriso

- Kkk pois é né, é a casa da sua irmã né -eu falei rindo

- Ah claro, uma irmã que eu não via a muito tempo e quando apareci está grávida - Ela fala como se estivesse me acusando

- Gale... -Peeta o repreendeu lançando um olhar pra ele

- Desculpa Katniss, é que... eu senti tanta a sua falta e quase nunca recbia notícias suas depois que nossos pais se separaram

- Tudo bem, eu sei como senti -falei com lágrimas nos olhos. Elas queriam sair, mas passei minha mão para seca-las. Lembrei que mamãe brigou feio com papai e ela decidiu se separar dele.

Peeta me encarava com uma certa preocupação. Eu estava apoiada na bancada e comecei a me sentir desconfortável já que os dois me olhavam. Me afastei um pouco e me virei para pegar um copo de água. Bebi e depois coloquei o copo na pia. O clima estava tenso.

- Bem, eu vou subir, podem ficar à vontade... - falei meio sem graça olhando para a cerâmica fria e passando a mão por ela.

- Ok, você está bem? - Peeta me perguntou preocupado

- Ah... estou sim

- Katniss você está pálida... - Gale falou se levantando da cadeira e vindo pro meu lado.
- Vai senta ai -ele puxou uma caderia mas eu não queria sentar, apenas ir para minha cama e ter uma noite tranquila

- Não... eu... eu vou subir, eu tô bem

- Você não tá bem Katniss, admita por favor - como Gale é teimoso. Mas eu realmente comecei a não me sentir bem, senti que minha pressão estava abaixando e que eu iria desmaiar

- Gale...eu... -de repente senti minhas pálpebras pesarem e meu corpo ceder até o chão, o som de um impacto abafado, e então Gale e Peeta correndo pra cima de mim foi a última coisa que eu vi...




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...