História Love the Journey - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias After School, Bang Sung Joon, Kim Yoo-jung, Park Hae-jin
Personagens Bang Sung Joon, JooYeon, Jung-Ah, Kim Yoo-jung, Nana, Park Hae-Jin, Personagens Originais, Uee
Visualizações 22
Palavras 2.005
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi de novo!!
Trouxe mais um cap, espero que vocês gostem <3

Capítulo 6 - Seis


Fanfic / Fanfiction Love the Journey - Capítulo 6 - Seis

-Do que você estava falando no telefone? -Ele perguntou. -Quando falou sobre um amigo meu.  

Revirei os olhos. 

-Que o seu amigo me ofereceu dinheiro para sair com você? Como se você não soubesse. -Dei um sorriso falso. 

-Mas eu realmente não sabia –Ele começou mas eu decidi ignora-lo, então dei um passo para frente para entrar no carro.  

Hae Jin segurou o meu braço e me impediu de prosseguir. 

-Eu não sabia disso, sinto muito. -Ele soltou o meu braço e eu entrei no carro. 

Quando o olhei através do vidro, vi sua expressão de remorso. Ele realmente parecia ter percebido que ele e seu amigo tinham passado dos limites. 

Senti uma pontada de culpa mas decidi ir embora. Afinal, o que já tinha sido feito não tinha como apagar.  

Ele pode ser uma pessoa muito bonita, maravilhosa na verdade, e parecer simpático. Mas não adianta ser assim e me menosprezar apenas por ser dançarina, me oferecer dinheiro já era demais.  

Talvez ele não soubesse mesmo do que o seu amigo tinha feito, eu podia ver por sua expressão. Ou talvez ele fosse um mentiroso muito bom.  

Por via das dúvidas, preferia ficar longe. 

Senti o meu celular vibrar no bolso, mas continuei concentrada em dirigir e fui olhar apenas quando cheguei em casa. 

Era uma mensagem de Sung Joon: "Não, pode vir quantas vezes quiser!" 

Sorri ao ler e dei graças a Deus por não precisar ir ao Blue Night amanhã a tarde. 

 

Dia Seguinte – 18:00 

-Yoo Jin, o gerente pediu que eu ficasse como garçonete hoje mas aquele velho está aqui... -Nana começou e eu já soube que ela ia querer que eu trocasse com ela. 

-Tudo bem, estou te devendo uma. -Falei, dando um sorriso falso. 

Eu teria que aguentar assédios de um velho, de sei lá quantos anos, durante o resto da noite toda.  

Respirei fundo e passei uma maquiagem rápida no camarim e depois fui falar com o Gerente, explicando nossa troca. Ele reclamou um pouco, mas não se opôs. 

Mais uma vez Park Hae Jin estava aqui. Eu o vi sentado na área VIP com um copo de whisky na mão, dando um gole pequeno e olhando fixamente para a garota que estava parada a sua frente. Ela sorria de maneira sedutora e abaixava o máximo possível a cada vez que colocava um copo na mesa, mostrando seu decote.  

Eu não sei dizer qual dos dois seria a vítima da noite. 

-Cadê a Nana? -O velho perguntou assim que me viu. 

-Ela vai ficar no palco hoje. -Fiz uma careta falsa. 

-Tudo bem, você também é tão bonita quanto ela. -Um sorriso safado surgiu em seu rosto em quanto ele me olhava da cabeça aos pés. 

Isso me causou náuseas e arrepios. Os velhos deviam ser criaturas inocentes e gentis, os últimos das gerações que cresceram aprendendo a respeitar os outros e a ser gentil com estranhos. Mas parece que nem todos são assim. 

Senti sua mão tocar a lateral da minha coxa e me afastei um pouco. 

-O que o senhor vai querer beber? -Perguntei educadamente. 

-Pode trazer duas doses de tequila. -Ele falou. 

Me virei para ir até o bar buscar e senti a palma de sua mão batendo na minha bunda.  

Me virei e abri a boca para falar alguma coisa, mas eu estava completamente chocada e não consegui. 

-Senhor, não pode tocar nas garotas. -O segurança avisou. 

-Não tem problema nenhum, ela não se incomoda com isso. -Ele falou baixo para que eu não ouvisse, mas eu ouvi. 

Respirei fundo uma vez e segui meu caminho. Quando fui até ele novamente para entregar a bebida, fui rápida e fiquei um pouco distante.  

-Você está fugindo de mim, querida? -Ele perguntou, com certa raiva no olhar. 

-Não, de jeito nenhum. Só fiquei com medo de derrubar alguma coisa no senhor. -Inventei uma desculpa. 

 -Então venha até aqui. -Ele estendeu a mão para mim. 

A peguei antes que ele a colocasse em um lugar indevido, mas esqueci do detalhe que ele tinha outra mão, a qual levou para a minha cintura. 

-Você não gostaria de ganhar um dinheirinho a mais essa noite? -Ele perguntou e eu neguei. 

-Estou bem com o que ganho, senhor. -Eu disse. 

-Eu posso te pagar o dobro. -Ele tentou me convencer e eu recusei novamente. -Apenas me diga o quanto você quer. -Ele insistiu. 

-A dama já disse que não quer o seu dinheiro. -Hae Jin apareceu do meu lado. 

Ele estava bêbado, dava para sentir o cheiro forte do álcool a cada vez que ele abria a boca. 

-Quem é você? Não se intrometa! -O velho se levantou, irritado, fazendo Hae Jin soltar um riso soprado. 

-Eu sou Park Hae Jin, muito prazer. -Ele estendeu a mão e o velho a afastou com um tapa.  

-Vamos embora. -Peguei os ombros de Hae Jin e comecei guiá-lo para longe dali. 

-Vadia... Você nem vale tudo isso. -O velho resmungou e Hae Jin se virou novamente, se soltando das minhas mãos e dando um soco no rosto do mais velho. 

-Ele nunca mais vai fazer isso com ninguém. -Hae Jin resmungou para mim enquanto apontava para o homem caído. 

-Tomara que não. -Soltei um suspiro e o levei para fora antes que os seguranças o fizessem. 

Voltei para dentro e peguei uma garrafa de água com algumas bolachas que eu tinha na bolsa, levando tudo para Hae Jin. Talvez isso ajudasse ele a ficar sóbrio. 

Ele bebeu e comeu, obediente, sem dizer uma palavra. 

-Da próxima vez não se meta em brigas. -Falei já me levantando. 

Hae Jin segurou o meu pulso e ficou em pé na minha frente. 

-Eu não costumo fazer isso. -Ele sorriu. 

-Isso é ótimo. -Sorri de volta, tendo paciência e levando em consideração que ele estava alcoolizado. 

-Eu estava protegendo uma dama. A minha dama. -Ele sorriu novamente, pegando a minha mão e deixando um beijo ali. 

Isso me fez sorrir novamente. 

Ignorei o fato de ele ter mencionado a palavra minha na frase e apenas agradeci. 

-Obrigada. -Falei gentilmente. 

Park Hae Jin se aproximou e abraçou o meu corpo, fechando os olhos e ficando em silêncio por um momento. 

-Eu juro que não sabia de nada. Nunca faria isso com você, você tem que acreditar. -Ele disse, soltando um suspiro e me soltando. 

Pensando melhor sobre isso, Hae Jin parecia um pouco distante de seu amigo hoje. 

-Tudo bem, eu acredito. A gente pode conversar quando você estiver melhor. -Falei, o ajudando a se sentar novamente. -Vou chamar seu amigo para te levar pra casa.  

-Não! -Ele disse, se levantando em um pulo. -Eu vou sozinho. 

Hae Jin começou a pegar as chaves do carro e andar, cambaleando, até lá. 

-Você não pode dirigir assim. -Falei e ele deu de ombros. -Chame um táxi... Eu posso fazer isso pra você se quiser. -Insisti. 

Hae Jin ignorou qualquer sugestão que eu dei e entrou no carro, se sentando no banco do motorista.  

-Eu vou te levar pra casa, só vou pegar minha bolsa. -Revirei os olhos, desistindo de falar qualquer outra coisa. 

Ele começou a se mover, pulando para o banco do passageiro e fechando os olhos. 

Peguei a chave, por segurança, e levei comigo. 

-Vou precisar ir embora, juro que compenso depois. -Falei para o gerente. 

Saí correndo antes que ele tivesse chance de reclamar de qualquer coisa. 

Quando cheguei no carro, um Audi R8 branco, Hae Jin estava dormindo de boca aberta no banco do passageiro. 

Entrei e fechei a porta, dando partida e ouvindo um ronco silencioso do motor. 

-Hey! -Cutuquei ele. -Preciso saber onde você mora. 

Não houve resposta. 

-Park Hae Jin! -Chamei, mais alto dessa vez. 

Nenhuma resposta. 

Abri o porta luvas e procurei por algum documento que pudesse ter endereço, mas não achei nada. 

Peguei o seu celular mas tinha senha na tela inicial. Como eu poderia adivinhar sem saber nada sobre ele? Impossível. 

Eu não poderia levar ele pra minha casa por que seria mais uma desculpa para o mal comportamento de Yoo Jung. 

Chacoalhei Hae Jin com mais força e o chamando ainda mais alto, mas ele parecia estar em coma. 

Pensei por um momento mas realmente não sabia para onde levá-lo. 

Comecei a dirigir sem rumo, relaxando a cabeça no campo e vendo a paisagem através do vidro. Eu nunca teria chance de dirigir um carro desse de novo, então devia aproveitar.  

Dirigi por 40 minutos, até que cheguei a um bairro mais vazio localizado no interior de Seoul.  

Estacionei o carro perto de uma calçada com árvores de flores de cerejeira e desliguei o carro. Do outro lado da rua tinha um restaurante de lámen e eu ia fazer Hae Jin comer para depois levá-lo pra casa. 

Saí do carro e dei a volta, abrindo a porta do passageiro e tirando o cinto de Park Hae Jin. 

-Hae Jin. -Chamei. -Park Hae Jin! -Falei alto e ele acordou com um pulo, o que me fez rir. -Vamos descer. -Eu disse, o ajudando a sair do carro. 

Segurei o braço dele durante todo o percurso, enquanto atravessávamos a rua e enquanto procurávamos um lugar para sentar, pois estava com medo de que ele caísse. 

-Eu estou bem. -Ele falou, pela milésima vez. 

-Se você cair, não aguento te levantar. -Falei, segurando mais firme seu braço.  

Ele deu uma risada breve e se sentou onde indiquei.  

Escolhemos o que íamos comer e ficamos em silêncio, esperando que a refeição chegasse. 

Percebi alguns olhares em mim e só então percebi a roupa que usava: Calças jeans, uma camiseta branca que deixava toda a minha barriga exposta e sapatos de salto. 

Me senti desconfortável e cobri o meu corpo com os braços, dando um sorriso sem graça. 

"Deve ser uma garota de programa", uma senhora que estava sentada em uma mesa próxima da nossa falou, olhando de mim para Hae Jin. 

-Aqui, querida. -Hae Jin se levantou e colocou seu casaco sobre o meu corpo, dando ênfase na palavra querida enquanto falava. -Me desculpe por ter feito você sair às pressas, não deu tempo nem mesmo de vestir um casaco. -Ele falou, voltando para seu lugar e se sentando novamente. 

-Obrigada. -Eu disse, vestindo corretamente a peça e a fechando. 

A garçonete veio até a nossa mesa e trouxe dois copos com duas garrafas de soju, coisa que eu tinha pedido também. 

-Você está sóbrio o suficiente pra me levar pra casa, não é? -Perguntei, pegando uma das garrafas e enchendo o copo. 

-Sim. -Hae Jin respondeu com um sorriso no rosto, enquanto me via virar o primeiro copo. 

-Ótimo. -Falei, enchendo novamente e tomando em um gole. 

Senti a bebida arder enquanto passava pela minha garganta, mas logo essa sensação passou. 

Eu não queria ficar bêbada, apenas queria relaxar. E nada melhor do que uma bebida para isso. 

-Por que você bebeu tanto? -Eu sabia que não era da minha conta, mas tive que perguntar. 

-Porque eu estava irritado. -Ele respondeu, sem revelar mais nada. 

Arqueei as sobrancelhas e olhei para ele fixamente, esperando uma resposta mais detalhada. 

-Uma amizade de muito tempo acabou porque eu descobri que o meu amigo é um idiota. -Ele falou brevemente, sem querer entrar mais no assunto. -Que tipo de homem oferece dinheiro a uma garota? -Ele resmungou baixo, mas eu pude ouvir. 

Um sorriso surgiu no meu rosto e eu virei mais um copo de soju. 

-E por que você está bebendo? -Ele perguntou. 

Pensei por um momento, olhando fixamente para o pequeno copo que estava em minhas mãos. 

Talvez fosse porque eu estava cansada da humilhação em que eu passava no serviço, ou talvez eu quisesse apenas ficar mais tranquila. Talvez eu só não quisesse voltar para casa e encarar minha irmã, com medo que ela me dissesse mais alguma coisa que machucaria. 

Tantas coisas que eu nem saberia por onde começar. 

Virei o outro copo para cima e o enchi até a boca, fazendo a mesma coisa com o meu.  

-Pela vida. -Respondi, entregando um dos copos para ele e brindando. 


Notas Finais


O que acharam? Gostaram? Espero que sim :)
Até o próximo,
Chu~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...