História Love To Remember - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Hopega, Minjoon, Monmin, Nammin, Sobi, Taekook, Vkook, Yoonseok
Exibições 47
Palavras 1.899
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ao som de Hair do Little mix eu me apareço o/ Pensa numa pessoa q se sente com essa música...sou eu!!! U.u
Hello xD Como Estão? Espero q bem!

E baum sorry a falta da capa, mas to preguiça hj, e sem o app. E ah, tomei um pouco de vergonha na cara pra terminar esse cap. Eu ia dx apenas a parte Vkookie mas ia ficar pequeno então pegay algumas partes do próximo cap e coloquei nesse para deixa maior ^^

É isso mores, boa leitura~~

Capítulo 4 - Between hate and love


 

A fumaça subia dos copos exalando o cheiro do café e dessa vez, sem que Taehyung percebesse, ele não estava deixando sua mente criar desenhos naquela fumaça. 

Seus olhos brilhavam, encantado com a voz do menino de cabelos negros e lábios delineados. A cada palavra era um conhecimento a mais que o Kim adquiria pelo mais novo, não era a primeira vez que se falavam mas era a primeira vez que conversavam pessoalmente e não por mensagens. Já haviam conversado sobre o autores preferidos, cantores, animes, comidas e bebidas que mais gostavam, tinham tanto incomum. 

"Como descobriu que gostava de escrever?" Perguntou Taehyung tomando um gole de seu café sem tirar os olhos do encantador menino a sua frente. Aquela cafeteria com certeza não seria mais a mesma, não depois de saber tanto de uma pessoa tão incrível como Jeon Jungguk.

A noite chuvosa lá fora deixava tudo mais confortante dentro daquele estabelecimento quente e com poucas pessoas, e a mesa longe de todos se mostrava a mais eufórica.

"Bom, de tanto ler livros eu fiquei fascinado pela escrita, e me esforcei para fazer alguns poemas e até textos." Explicou Jeon um tanto acanhado, pela terceira vez desde que a noite cairá.

"Que tipo de textos e poemas?" Perguntou Taehyung estranhamente interessado.

"Anh...Alguns..ou melhor a maioria é sobre o que eu sinto." Respondeu o moreno encarando seu café.

"Oh, e quem é a sortuda de corroer a mente de um escritor?" Novamente o Kim perguntou, mas dessa vez seu interior não queria muito saber.

"Sortuda?...Não tem sortuda..." Respondeu baixo o moreno, porém em sua mente repetia várias e várias vezes a voz do Kim chamando-o de escritor e sentia uma estranha felicidade com aquilo.

"Então, é sortudo?" Perguntou o Kim sem entender muita coisa mas um tanto surpreso.

"Digamos que não..." 

"Agora você me confudiu, kookie!" Falou o Kim enquanto encarava o fundo do copo a procura mais do líquido, bufou descontente e olhou para o moreno esperando o mesmo explicar-se.

"É, que...eu não gosto realmente de alguém à muito tempo." Respondeu ele olhando para a janela ao lado, encarava o asfalto, relembrando da última vez que havia se relacionado com alguém. Jeon sentiu-se um tanto estranho, fazia muito tempo, mas mesmo que tivesse lembranças bonitas pareciam tudas tão vagas, tão mortas. Talvez fosse a personalidade dele, que agora era mais aflorada, e ele se conhecia bem melhor, ele era realmente ele, sem esconder nada.

"Agora você me deixou curioso, sobre o que são exatamente os teus poemas e textos?" Perguntou o castanho ao mesmo tempo em que chamava a garçonete.  "Vai querer mais?" Outra perguntar e logo um aceno positivo do moreno.

Jeon agradeceu o pouco de tempo que teve para pensar enquanto o mais velho pedia outra rodada de cafés para eles. Ele não sabia como explicar, agora sentia-se idiota por ver que não fazia sentido sua escrita, era um sonho escrito em papéis. Nada a mais.

 "E então?" Ouviu a voz do Kim, que parecia um tanto distante. O moreno piscou algumas vezes e suspirou, ainda pensando.

"...Não sei explicar bem, as vezes acho que imagino demais. Como se eu vivesse na minha mente, entende?" Perguntou Jungguk enquanto via a garçonete depositar mais um café para ele e Taehyung.

"Acho que sim, eu era um pouco assim nos meus últimos anos na escola. Vivia num mundo só meu e todas as vezes em que trazia algo da minha mente pra fora, eu era taxado com um lunático." Respondeu Taehyung rindo soprado e fazendo Jeon o acompanhar.

"Mas a diferença é que a sua forma de trazer isso a realidade não te faz um lunático." 

"Mas sinceramente, eu me considero um." Disse Jeon tomando um gole de seu café.

"Quero ler um texto seu qualquer dia!" 

"São muitos..." 

"Não me importo. Lerei todos!" Rebateu o Kim fazendo mais novo rir jeito e suas bochechas ruborizarem.

"Nunca mostrei pra ninguém, isso vai ser constrangedor!" Falou Jeon passando a mão em sua franja,jogando-a para traz, totalmente envergonhado.

"Só irá ser constrangedor se um deles for sobre mim." Bricou Taehyung. Porém, a mente do moreno respondia que não demoraria para um texto ser sobre aqueles olhos castanhos e penetrantes.

 

                       ~****~

 

Debruçado na sacada do quarto que não lhe pertecia, ele sentia o vento bater em sua epiderme e em seus fios. Encarava o asfalto molhado relembrando dos momentos com o seu querido amigo. Praticamente um irmão, como diria o velho ditado, um irmão de outra mãe. 

Sem dúvidas, Park Jimin, era um irmão para Hoseok. E a falta que esse amigo irmão fazia em sua casa, em sua vida e em seus dias, era enorme.

Mesmo que recentemente o menino apenas estava ali de corpo e não de alma, ter Jimin ali era bom. Perde-lo, ou quase perde-lo, fora arrasador. Ver com seus próprios olhos o corpo estirado e aparentemente sem vida.

O apartamento era inundado por essa lembrança marcante, os momentos felizes tentavam a todo custo resistir porém, naquele quarto apenas o recente acontecido vivia ali. 

O Jung estava ciente de que não havia perdido seu amigo irmão, mas aquele noite não sairia de sua mente tão rápido, não seria digerida com facilidade. 
Soltou um suspiro e desbloqueou o celular logo vendo uma foto sua com Yoongi e Jimin. Mesmo que o ruivo não estivesse nos melhores dias, naquele dia eles deram boas risadas e Hoseok chegou a iludir-se de que o amigo havia esquecido aquele que suspostamente tinha o esquecido, mas se enganou. Sentia-se tão culpado por não dar atenção ao amigo, por não ter visto que o mesmo estava destruído por dentro, cegou-se com os sorrisos dele. 

"A culpa não é sua, nem do Namjoon e muito menos do Jimin, hobi!" Ouviu a voz rouca de Yoongi atrás de si e logo os braços do mesmo em volta da sua cintura. O mais novo bloqueou o celular e soltou outro suspiro enquanto, mesmo sendo maior, se encostava no Min.

"Eu sei só que..." 

"Hoseok, não é fácil assimilar, mas conseguimos salvar ele a tempo. Agora é só questão de tempo para eles se acertarem...Namjoon, não quer fazer mau a Jimin." 

"Mas fez!" O Jung rebateu indignado, se virando para o Min.

"Não era a intenção dele. Você está equivocado!" Yoongi retrucou sorrindo de canto.

"Então, me dê uma desculpa plausível." Pediu Hoseok.

"Quando tudo se ajeitar, você verá com seus próprios olhos." Respondeu o Min piscando para o moreno e logo baixando-se para pegar o gatinho de Jimin. Chamado Monie e dado por aquele que Jimin, as vezes, também chamava de Monie. 

"Ah não, não me venha com essas tuas metáforas Min Yoongi! Não estou para isso. Para de graça e me diz logo!" Ordenou Hoseok vendo o corpo do Min se distanciar e adentrar cada vez mais no apartamento deixando-o novamente sozinho na sacada. 

Hoseok, resmungou algumas coisas e bufando entrou para ir atrás de explicações diante aquela metáfora maldita do branquelo.

 

                            ~****~

 

 

Seus passos ecoavam naquele piso branco, já estava acostumado com aquele lugar, mesmo que ainda não gostasse. Parou em frente ao quarto trinta e dois. Suspirou, humideceu seus lábios e mordeu logo depois. Sempre tinha receio de reencontrar os pais do ruivo, idealizava várias situações, de lindas à horríveis, mas por ventura não havia trombado com nenhum dos dois, ainda.

Ouviu o rangido da porta e aos poucos foi entrando no quarto, mesmo não sendo tão tarde o ruivo já estava adormecido. O tempo em que ficaram afastados o ruivo havia parado de se alimentar direito e o que ocasionou em uma virose forte então, eles ficariam por alguns no hospital para certificar que Jimin iria se recuperar tanto psicológicamente quanto fisicamente.

Sentou-se na poltrona um tanto dura e encarou rosto do ruivo. Havia conseguido a calma e a compressão do menor, mas sabia que demoraria para o ruivo acreditar em seu amor novamente. Ele entendia o lado do mais novo e não iria questionar, iria aguardar. Não o deixaria novamente, enfrentaria os pais dele e não seria covarde outra vez.

Namjoon olhou para o relógio na parede do quarto que marcava mais de uma da manhã, o que fez o maior ficar surpreso e por irônia, um bocejo lhe veio. Piscou algumas vezes e logo ajeitou seu corpo na poltrona. Dessa vez poderia ficar no quarto já que os pais do ruivo pareciam não querer passar a noite ali, um tanto absurdo mas satisfatório para o Kim. 

Seus olhos voltaram outra vez para o rosto do Park, porém, desse vez não estava adormecido. O Park o encarava em silêncio o que fez Namjoon quase pular de susto.

"Puta que pariu, Jimin, quer me matar do coração?!" Perguntou o Kim tentando se recompor. Os lábios do ruivo se corvaram num sorriso pequeno, um tanto inconsciente, já que seu dono não tinha forças para lutar contra coisas tão pequenas porém, fortes. 

"Achei que só ia ficar uma noite aqui." Falou o Park vendo que o maior o encarava nervoso.

"Vou ficar aqui até você estar bem!" Respondeu Namjoon olhando para qualquer outro canto menos para o ruivo. 

Uma mistura de sentimentos agitava no interior de Jimin, a realidade e o amor travavam uma guerra. Ao mesmo tempo que Jimin, sentia-se com raiva também, sentia-se bem, preenchido.

Fechou os olhos tentando controlar tudo dentro de si.

"Boa noite, Jiminie." Ouviu Namjoon falar. Abriu os olhos e viu o maior tentando se ajeitar naquela poltrona.

"Deite aqui comigo." Ofereceu Jimin e logo arrastou seu corpo para dar espaço para o Kim. Olhou para o maior estranhando a demora, Namjoon olhava-o como se fosse uma criança na frente um bixo papão. Namjoon era a criança e Jimin o bixo papão.

"Mesmo?" O Kim perguntou com cautela. Jimin assentiu positivamente e logo viu o mais velho deitar-se devagar sobre a cama. Estavam tão perto. A quanto tempo não ficavam assim.

Engolindo a sálvia acumulada Jimin, cobriu o maior com o cobertor e logo subiu os olhos pelo tronco do mais velho. Como queria abraça-lo, mas estava tão magoado com ele.

Assim que seus olhos encararam os do Kim fora como ver um céu estralado do interior, um céu escuro e com milhares de pontinhos brilhantes, estava em outra dimensão e Namjoon estava na mesma situação.

O Kim encontrava-se não só perdido na beleza dos olhos do menor, mas também em seus cabelos, seu lábios, seu nariz e tudo naquele corpo. Sem malícia, apenas estava com saudade da presença do Park.

"Boa noite." Disse Jimin obrigando-se a virar de costas para o mais velho, tomando cuidado com o soro em sua veia. Seus olhos deslizavam pelo quarto, um tanto inquietos, e logo encontraram a janela. Vendo as finas cortinas balançarem vez ou outra e com isso podendo ver um pouco do céu noturno junto a uma luz amarelada de um poste. Para Jimin, a visão era realmente bonita, toda aquela mistura fazia-o ver uma beleza diferente. Mas ao mesmo tempo que se encantava com a vista, ele também se martilizava. Ainda estava com aquela guerra dentro de si e não sabia quem ganharia ou quem ele deixaria ganhar.

Estava confuso, com medo, magoado.

A decepção dentro de Namjoon fora inevitável, não esperava que o menor lhe abraça-se ou algo do tipo, mas achou que iria adormecer enquanto olhava o ruivo. Mero engano. Porém, ele estava disposto a se redimir, a consertar tudo que havia quebrado dentro do seu Minie
 


Notas Finais


Sem choro esse cap neh? E sem bad, só fofura hehe :3
Genti eu kero mto o gatinho do Jimin, o Monie >< Eu amei ele, só de imaginar, n coloquei mto como ele é pq ele vai siiim aparecer em outros caps. Digam a minha mãe pra ela me dar um gato e eu paro de enfiar gato nas fics huejuejue ( naum paro naum! 🌚)

Mas então, só vou dizer mais uma coisa, próxima fic minha a ser atualizada sera a Secret Love! Irie termina-la divamente, aos prantos mas divamente rsrs (Obs; Aos prantos pq será o fim dela)

Baum, é isso genten, um bjo pra vcs e dois queijos pra mim! Tichau~~💋💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...