História Love vs Faith - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias Felix Kroos, Marco Reus, Mario Götze, Toni Kroos
Personagens Felix Kroos, Marco Reus, Mario Götze, Toni Kroos
Tags Felix Kroos, Mario Gotze, Romance, Toni Kroos
Exibições 10
Palavras 1.773
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoal, como eu disse ontem, farei os possíveis de postar os restantes capítulos que tenho prontos antes de voltar para a capital. Com alguma sorte postarei mais um ou os que sobraram hoje mesmo.

E desculpem pelo capítulo estar sem a imagem habitual, estou com alguns probleminhas aqui, talvez os seguintes também apareçam sem a foto, mas fazer o que né?kkkkk

Capítulo 42 - Capítulo XXXXII


Enquanto isso na casa dos Kroos, Toni acordou pelas 9:48h, isso porque ele e a Jessica saíram um pouco mais cedo da festa em relação aos outros e também porque ainda faltam mais dois dias para a comemoração terminar ( e mais dois dias de pegação para lá e para cá nos cantinhos com a Jessica).

Assim que levantou, foi diretamente para o seu banheiro, em seguida vestiu uma roupa casual e saiu do quarto. Enquanto passava pelo corredor, Toni viu uma cena que jurava não estar vivo para ver, eram Mandy e Felix na maior pegação no quarto do irmão mais novo, ela já estava de saída e ele jogou-a na cama e voltaram a pegação.

Toni seguiu em frente, desceu às escadas e não sabia se ficava feliz ou com pena da Mandy ele desconfia que ela ainda vai sair magoada dessa história. Quando chegou a sala encontrou com Laura.

- Bom dia Laura! – disse radiante.

- Bom dia querido, como está?

- Muito bem, obrigado. E os meus pais?

- Tomando o pequeno almoço no jardim, também acabaram de descer.

- Parece que todo mundo deu para acordar tarde mesmo – disse Toni.

- Falando em acordar tarde, a Jessica ligou para você, mas estava dormindo e então decidi que era melhor não acordar.

- Tudo bem, depois eu ligo para ela, mas a minha mãe não sabe disso... Ou sabe?

- Eu não disse nada.

- Obrigado pela sua descrição.

- De nada, agora vá tomar o seu pequeno almoço.

- Está bem, mais uma vez eu agradeço Laura – disse e depois foi para a mesa que se encontrava no belo jardim e cumprimentou os seus pais.

- Bom dia! – disse-lhes, ele estava feliz e não tinha porque esconder.

- Bom dia filho – disse Albert – bom saber que está tão bem disposto.

- O senhor não imagina o quanto.

- Não vai perguntar pela sua mãe? – disse Amélia.

- Eu cumprimentei e a senhora não respondeu, não há mais nada que eu possa fazer.

- Me poupe de suas ironias, eu estou de péssimo humor.

- A vida é o melhor presente que Deus lhe deu mãe, deveria cuidar mais dela e assim quem sabe o seu humor não melhora? – ele estava pouco se lixando com o que a sua mãe pensava dele naquela altura.

- Toni facilite! Estamos aqui tomando o pequeno almoço e um de vocês vai ter que ceder – disse Albert.

- Esse alguém não vou ser eu! – disse Amélia.

- Eu não estou a fim de discussão, e para falar a verdade eu estou feliz demais para isso – disse Toni dando uma garfada na salada de frutas que acabou de servir.

- E a que se deve a sua felicidade? O que é está dando tão certo assim na sua vida que te deixou tão feliz? – perguntou Felix, sentando na mesa com a maior ironia do mundo e servindo uma fatia de bolo para si e dando uma bela garfada.

- Você! – disse o Toni olhando para o irmão com um sorriso vitorioso.

- Eu? – perguntou Felix de boca cheia.

- Olha a boca menino! Por que o seu irmão? – Albert estava curioso.

- Eu não quero nem imaginar – disse Amélia.

- O meu maninho está amando de novo.

- Pelo o que eu saiba a mulher que ele ama é aquela desvirtuadora de filhos.

- Mais respeito com a Jessica mãe! Não é dela que eu estou falando.

- Então de quem você está falando? Pode desembuchar? – perguntou Felix impaciente.

- Da Mandy – Toni disse sem a menor cerimonia e Felix se engasgou todo.

- Mas, que Mandy? – perguntou Amélia – a filha dos Draxler?

- Exatamente – disse Toni enquanto tomava o seu suco tranquilamente – olha até que vocês formam um belo casal (o doido nem percebeu que o irmão dele mal conseguia respirar) – a tosse do Felix aumentou de intensidade.

- Respira filho respira – disse Amélia toda aflita.

- Relaxe mãe, isso não é nada que um copo de água, umas palmadinhas nas costas não resolvam – disse Toni no maior descaso.

- Para com isso Toni! Se não for para ajudar não atrapalha – disse Albert.

- Eu... E a Mandy – Felix tentou falar mas, não parava de tossir. Depois de respirar fundo ele finalmente disse – não temos nada! Absolutamente nada.

- Para de mentir! Eu vi vocês os dois na maior pegação hoje de manhã  – até parecia que Toni estava adorando tudo aquilo – no seu quarto.

- Cala a boca! – esbravejou Felix – se você pensa que por conta disso eu vou deixar a Jessica para você, eu acho melhor você tirar o seu cavalinho da chuva.

- Você gosta da Jessica. Tudo bem, eu posso viver com isso...

- Dá para terminar a porra da frase de uma vez? – os dias de tranquilidade do Felix simplesmente acabaram.

- Mas, você ama a Mandy! Pronto, falei!

- Eu não amo a Mandy!

- Eu vi! Estava bem escrito nos seus olhos o quanto você ama aquela mulher, a Jessica você só quer por idiotice sua, não por amor – disse Toni olhando firme para o irmão.

- O que aconteceu entre a Mandy e eu ontem foi apenas...

- Parem com isso os dois! Meu Deus do céu! Dois adultos se comportando feito crianças – repreendeu Albert.

- Não! – disse uma voz atrás do Felix, ele voltou-se e quase teve um surto – continuem, eu ainda não acabei de ouvir – era Mandy, ela derramou uma lágrima pois, não estava acreditando naquilo que ouvira de Felix.

- Mandy... Eu - Felix não sabia o que dizer.

- O que aconteceu entre nós ontem... Foi apenas o que? Fala! – gritou.

- Vocês precisam se acalmar para poderem conversar melhor – disse Albert tentando acalmar os ânimos.

- Eu já terminei, vou ver a Jessica e depois eu volto para ir à casa do Fabian para a festa de continuação.

- Toni você me paga, eu juro que você vai me pagar – disse Felix.

- Até agora eu estou esperando e não aconteceu nada – disse Toni que se retirou em seguida entrou em seu carro, deu partida e foi embora, os seus pais também  se retiraram deixando Mandy e Felix sozinhos.

- Eu estou à espera de uma explicação! Vai falar?

Felix falou demais e agora se encontra em um grande dilema, como ele vai sair disso, só ele sabe.

- Mandy, o que você ouviu foi...

- Por mais que eu me esforce você nunca vai me amar não é mesmo? – disse Mandy visivelmente abatida.

- Não fala assim, por favor...

- O que aconteceu ontem não foi nada demais para você, foi apenas uma transa para satisfazer a tua carência.

- Isso não é verdade – Felix estava desesperado.

- Para você foi um ato meramente carnal – Mandy não conseguiu controlar o choro.

- É claro que não, ontem foi uma das melhores noites da minha vida. Mandy me escuta – Felix tentou segurar a mão dela mas, Mandy se afastou.

- Não toque em mim! – gritou Mandy – eu estou com muita raiva de você. Como pode ser tão cretino, baixo e sem escrúpulos?

- Eu posso ouvir todo tipo de ofensa, vinda de qualquer pessoa... Menos de você Mandy.

- Por que disse aquilo ao seu irmão?

- Para que ele me deixasse em paz! Eu juro que não foi para te magoar, eu achei que você já tinha ido embora.

- Mas, não fui. E o tempo que eu fiquei aqui ouvindo aquelas coisas que você disse me fez chegar à conclusão de que você simplesmente não me ama.

- Eu te amo, mas do meu jeito.

- Que belo jeito de amar o seu! Olha, eu pensei que as coisas que me disse ontem eram verdade.

- Eu nunca fui tão sincero com alguém em toda a minha vida Mandy

- As coisas que me disse enquanto nós fazíamos amor...

- Eu não menti – Felix se aproximou mais dela – ter você depois de tanto tempo foi o melhor que podia ter acontecido comigo.

- Pena que durou tão pouco esse nosso romance – disse Mandy.

- Por que diz isso? Não tem que acabar, não agora, não assim – Felix tentou beijá-la.

- Por favor, não – disse Mandy – não enquanto você insistir na Jessica.

- A Jessica é um caso a parte!

- Quem você quer é ela! Eu apenas fui uma recaída, não vou dizer que você me usou porque não é verdade, mas eu não sou tão ingenua a ponto de não perceber que eu sou uma alternativa à Jessica.

- É claro que não – Felix já estava se sentindo aliviado, mas alegria de rico também dura pouco.

- É claro que sim! Eu não sou burra e muito menos nasci ontem! Se as coisas com a Jessica não derem certo você vai querer ficar comigo, mas isso não vai acontecer – disse Mandy categórica.

- Por quê? – Felix estava com medo da resposta.

- Porque você nunca mais vai tocar em mim, chega! Eu não nasci para ser a outra, a segunda opção.

- Mandy você não está me deixado explicar as coisas direito.

- E nem precisa! Adeus Felix – Mady se retirou sem ao menos deixar Felix explicar uma coisa que fosse.

- Mandy não faz isso espera! – Felix tentou correr atrás mas, ela foi embora – isso é tudo sua culpa Toni! – Felix berrava destruindo, a mesa do pequeno almoço – eu vou atacar onde mais te dói e dessa vez eu não vou falhar! Eu juro que não – Felix respirava fundo.

- Mas, o que foi que aconteceu aqui? Meu deus a mesa – era Laura que ouviu os berros dele e foi ver o que estava acontecendo e ela não conseguia acreditar, Felix enxugou às lagrimas rapidamente antes que ela chegasse mais perto.

- Nada. Eu apenas tive um ataque de raiva, nada demais – disse Felix – Laura...

- O que foi Felix? – perguntou Laura obviamente preocupada.

- A mãe da Jessica é neurologista não é? – Felix parecia distante.

- Sim – respondeu.

- É que eu gostaria muito de falar com ela, para marcar uma consulta, será que não temos o numero deles aqui em casa?

- Provavelmente o seu irmão tem o endereço da casa dos pais da Jessica.

- É mesmo?

- É! O único problema no meio disso tudo é que eu não sei onde ele meteu o endereço, mas deve estar algures no quarto dele.

-Ótimo, eu vou lá.

- Não vai precisar de ajuda? – perguntou a Laura.

- Quando eu encontrar aquele endereço... Não sou eu quem vai precisar de ajuda Laurinha, acredite – Felix saiu do jardim e subiu diretamente para o quarto do irmão. 


Notas Finais


Até ao próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...