História Love War - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandra Daddario, Magcon, Nash Grier
Personagens Nash Grier
Tags Amor, Indecisão, Rivalidade
Exibições 157
Palavras 2.228
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Algumas coisas sobre a fic: PS: Com o tempo vou adicionando mais ciosas, fiquem ligadas.

-Katherine é Alexandra Daddario
-Kyle é Leonardo Picon
-Katie é India Eisley
-Christian e Crawford não são irmãos!
-Phoebe é AnnaSophia Robb
-Natalie é Jourdan Miller
-Nicole é Sara Sampaio
-Briana é Adriana Lima
-Sarah é Aarika Gerette
-Peter é Daniel Sharman
-Dafne é Angelina Jolie
-Valentine é Pitbull
-Megan é a Chloe Moretz
-Alicia é Danielle Campbell
-Klaus é Joseph Morgan
-Jay é o Logan Lerman
Boa Leitura!

Capítulo 19 - Opções


Fanfic / Fanfiction Love War - Capítulo 19 - Opções

Nash POV

—Vocês não sabem com quem que a Katherine estava conversando no corredor. –Shawn diz.

—Quem? –Gilinsky pergunta.

—Jay Bellini. –Shawn diz e eu reviro meus olhos.

—Fica de olho em Nash. –Johnson zomba.

—Vamos todos lá pra casa, temos que conversar. –Digo mudando de assunto.

—Até Shawn? –Hayes pergunta.

—Até Shawn. –Respondo e saio andando.

Entramos em casa e logo os meninos se acomodaram.

—Não sabia que íamos ter visita. –Minha mãe diz descendo as escadas.

—Eles já são de casa. –Hayes diz.

—Tinha me esquecido que tenho mais filhos. –Minha mãe e entra na cozinha.

—Mãe, Pai, venha cá. –Gritei e em segundos eles apareceram na sala e se sentaram.

—Klaus está na cidade. –Digo e meu pai arqueia a sobrancelha.

—Quem é Klaus? –Aaron pergunta.

—Pai da Katherine. –Gilinsky responde.

—E tem mais coisa. –Digo.

—Prossiga. –Shawn diz e eu ri pelo nariz.

—Katherine encontrou com Valentine. –Digo e meu pai arregalou os olhos.

—Essa garota não tem medo de morrer? –Hayes pergunta assustado.

—Katherine é maluca. –Gilinsky diz.

—E aí? –Minha mãe pergunta.

—E ai que Katherine tinha uma lista das famílias que Valentine iria atrás. –Começo a dizer. –E hoje ele entregou outra para a mesma, eu não entendi o motivo, mas todos nós estamos na lista, nossas famílias.

—Valentine entregando a lista das famílias que irá atrás? Meio impossível, Valentine não gosta de ninguém no caminho dele. Ele não iria entregar a lista. –Minha mãe diz.

—Mas Valentine sempre quis Katherine com ele, ela trabalhando para ele. Valentine tem medo da Katherine. –Gilinsky diz.

—Medo de uma garota de dezessete anos? –Christian pergunta sarcástico.

—Não. –Minha mãe responde.

—Ele tem medo da mulher que ela irá se tornar. –Meu pai diz.

—Katherine quer ser uma Alfa Genuína, ela já é mais forte para uma garota lobisomem de dezessete anos, sendo alfa ela será muito mais forte. Ela pode acabar com Valentine num piscar de olhos sendo alfa. –Gilinsky diz.

—Então todos nós estamos correndo perigo? Eu não sou vampiro, nem lobisomem e nem nada! –Shawn diz.

—Nós vamos nos proteger, ninguém vai morrer! –Digo firme.

Katherine POV

Chegamos a casa onde meus parentes estavam e eu cumprimentei todos, nos espalhamos pela sala e começamos a conversar.

—Posso falar? –Digo alto o bastante para todos ouvirem e ficarem quietos.

Peguei a lista que estava no meu bolso e joguei na mesinha de centro.

—A outra parte da lista de Valentine. –Digo cruzando os braços.

—Onde conseguiu? –Kyle pergunta.

—Com Valentine. –Respondo e vejo meu pai me olhar feio no fundo da sala.

—O que? –Meu pai diz vindo até a mim.

—Eu estava na escola, ele me mandou mensagem, eu sai da escola, encontrei com ele, voltei pra escola, estou viva e contando a história. –Digo sorrindo sarcástica.

—Já falei que não quero você com Valentine! –Meu pai grita.

—Já falei pra não gritar comigo. –Digo respirando fundo.

—Kath, você poderia ter morrido. –Alfredo, meu primo falou.

—Valentine nunca irá me matar. –Digo firme.

—Eu sei que não, Katherine. –Meu pai disse suspirando e passou as mãos em seu cabelo. –Mas você precisa ter alguém por perto, não pode ir sozinha.

Reviro os olhos e me jogo ao lado do Grayson.

—Eu sei me cuidar. –Resmungo e ele revira os olhos.

Fomos almoçar e até que o almoço foi tranquilo, agora estamos novamente na sala para resolvermos negócios.

—Valentine irá mandar seres sobrenaturais também, não irá fazer quase nada com as próprias mãos. –Katie diz.

—Wendigos na cidade, não podemos nos esquecer dessa parte. –Kyle diz.

—Podemos acha-los. –Um primo Alfredo falou.

—Uma parte pode ficar encarregados de caça-los e outros vão atrás das famílias. –Nicole deu uma ideia.

—Eu quero caça-los. –Digo firme.

[...]

O resto da tarde foi um pouco tedioso, ficamos resolvendo tudo, eu só desejava minha casa.

Assim que abri a porta, subi correndo pro meu quarto e tranquei o mesmo.

Me despi no banheiro e tomei um banho relaxante, sai enrolada na toalha e coloquei um short moletom cinza e uma camisa preta com uma estampa qualquer.

Penteei meus cabelos, coloquei meu celular no carregador e desci.

—O que vamos jantar? –Pergunto me sentando ao lado do Kyle.

—Klaus pediu pizza. –Peter diz e eu assinto.

Estavam todos na sala, menos meu pai.

Procuro o mesmo pela casa toda, e o encontro em um dos quartos.

—No que tanto pensa? –Pergunto me sentando ao seu lado, na cama.

—Em você. –Ele diz me encarando. –No quanto você é parecida com sua mãe.

Sorri com suas palavras.

—Sua outra filha está de papo com Hayes. –Digo e ele ri pelo nariz.

—Não ligo. –Ele diz.

—Vocês não vão fazer as pazes nunca? –Pergunto.

—Eu tento, mas Chad me odeia agora. –Ele diz e encara o chão.

—Por um lado ele está certo. –Digo e ele assente com a cabeça. –Com quem está o cálice?

—Quer a verdade? –Ele pergunta me encarando e eu assinto. –Eu não sei.

—E o que faremos? –Pergunto.

—Comemos pizza. –Ele brinca e a campainha toca.

Gargalhei e descemos.

Meu pai pagou o entregador e pegamos as caixas, as colocando na mesa.

Tinha sete pizzas de sabores diferentes.

Com certeza isso irá acabar em menos de duas horas.

Começamos a comer e jogar conversa fora.

—Preciso comunicar uma coisa á todos, principalmente Katie. –Digo e todos me encaram. –Matthew veio falar comigo hoje, a mãe dele se esqueceu de falar algo para Katie.

—O que era? –Ela pergunta mordendo a pizza.

—Quando você completar quinze anos, todos os mortos irão passar por você, você sentirá cada um deles. –Digo e ela se engasga.

—Me diz que isso é mentira. –Ela diz e eu nego.

—Você pode não aguentar a dor e desmaiar, e se ela for muito forte você pode ficar dias desacordada. –Digo.

—Eu não quero isso. –Ela diz.

—Sinto muito. –Digo e volto a comer.

Comemos e mudamos de assunto.

A pizza acabou em menos de uma hora... Essa é minha família.

Subi para meu quarto e me deitei, peguei meu celular e chequei o mesmo.

‘’Ainda quer o feitiço?’’ –Johnson.

‘’Não, mas obrigada.’’ –Respondo.

—Posso dormir aqui hoje? –Kyle pergunta entrando com calma no meu quarto.

Assinto sorrindo e ele fecha a porta, tira sua camisa e se deita ao meu lado.

Deixei meu celular carregando e me virei para dormir.

Kyle depositou um beijo em minha testa e então dormimos.

O despertador soava alto, resmungo e desligo o mesmo.

Levanto-me com calma.

—Bom dia. –Kyle diz com um sorriso lindo nos lábios.

—Bom dia, achei que iria continuar a dormir. –Digo e ele me da um abraço.

—Preciso resolver umas coisas. –Ele diz e eu assinto.

Entro em meu banheiro e retiro minhas roupas, tomo um banho rápido e saio enrolada na toalha, coloco uma calça jeans clara, uma preta dos The Beatles, um tênis preto qualquer, penteei meus cabelos e passei um perfume.

Desci e cumprimentei todos.

—Milagre, todos acordados essa hora. –Meu pai diz se juntando á nós na mesa.

—Katie vai com sua irmã hoje, papai precisa resolver umas coisas com os meninos. –Meu pai diz e ela assente.

—Ethan e Grayson não irão para escola? –Pergunto e eles negam.

—O que vocês tem pra resolver? –Natalie pergunta.

—Negócios. –Kyle responde.

—Quais? –Briana pergunta.

—Nosso. –Peter responde.

—Quais? –Nicole reforça a pergunta.

—Vamos falar com algumas famílias que achamos aqui perto. –Ethan diz.

—Sei... –Digo e volto a comer.

Termino de tomar meu café rápido e subo.

Escovei meus dentes e peguei minhas coisas.

Desci e me despedi de todos, Katie subiu na moto comigo e eu logo dei partida. Em minutos chegamos à escola, Katie desceu e foi ao encontro de Hayes, tão fofos. Fiquei encostada na minha moto em quanto o sinal não batia.

—Olá. –Matthew diz ao meu lado sorridente.

—Oi Matthew. –Digo sorrindo fraco.

—Falou com Katie? –Ele pergunta.

—Falei, foi um choque pra ela. –Digo.

—Entendo se puder, ela pode passar o dia lá em casa? Posso ajudar ela ainda mais. –Ele diz.

—Vou falar com meu pai e depois te procuro. –Falo e ele assente.

—Oi pros dois. –Gilinsky diz vindo até nós com os meninos.

Cumprimentamo-nos.

—E então você se encontrou com Valentine? –Gilinsky pergunta e eu assinto.

—Você é maluca. –Hayes diz abraçado com a minha irmã.

—Deixei? –Pergunto brincando, olhando para os dois abraçados.

Katie cora e todos riram.

Sinto meu celular vibrar no bolso da calça, retiro e desbloqueio o mesmo.

Mensagem de Valentine.

‘’Tenho um assunto para tratar com você, me encontre no XXXXX XXXXX em meia hora. ’’

Merda.

—Quem é? –Katie pergunta e eu a olhei apreensiva.

—Irei encontrar com Valentine, venho te buscar. –Digo e pego meu capacete.

—Não vai não. –Katie diz.

—Irei sim! –Digo firme.

—Nós iremos com você. –Gilinsky diz.

—Eu sei me cuidar, Gilinsky. –Digo.

—Nós vamos com você. –Taylor reforça e eu reviro os olhos.

—Todos? –Pergunto olhando o bando dos garotos.

—Todos. –Johnson disse sorrindo.

—Pra que em pessoal? –Pergunto.

—Valentine é perigoso. –Nash diz.

—Não para mim! –Digo firme.

—Tudo bem, mas fiquem de longe, fingem que não me conhecem, pelo amor de Deus. –Digo subindo em minha moto.

Os garotos foram para seus carros e motos, coloquei meu capacete e sai cantando pneu.

Estaciono minha moto do outro lado da rua e logo adentro ao local, rolo meu olhar procurando pro Valentine e então o encontro.

—Você veio. –Valentine diz com um sorriso nos lábios.

—Eu sempre venho. –Digo me sentando em sua frente e colocando meu capacete em outra cadeira. –Fala logo o que quer.

—Eu vou te dar algumas opções. –Valentine começa a dizer. –Primeira opção, você pode vir comigo e sua família ficará a salvo. Segunda opção, você não vem comigo e eu mato todos. Terceira opção, eu te pego qualquer dias desses por bem ou por mal e você nunca mais vê sua família e amigos, e ainda trabalhara para mim.

A encaro incrédula. Não posso acreditar no que estou ouvindo.

—Você está sonhando muito alto. –Digo me encostando-se à cadeira.

—Se fosse outra pessoa, ela iria vir comigo. –Ele diz.

—Mas eu não sou outra pessoa, eu não caio no seu papinho, eu não tenho medo de você. –Digo firme.

—É isso que eu gosto em você. Você é você. –Ele diz com um sorrisinho nos lábios.

—Por que eu? –Pergunto.

—Porque você é uma garota incrível e muito forte. Quando você se tornar Alfa, eu quero estar com você. –Ele diz.

—Isso não será possível, Valentine. Eu nunca irei com você. Saiba que eu mato e morro por aqueles que eu amo. –Digo rosnando.

—Uma pena que irei ter matar você, ou matar alguém que você ama. –Ele diz.

—Tenta a sorte. –Digo com calma nas palavras.

Levanto-me e pego meu capacete.

Valentine puxa meus braços, me obrigando a encarar o mesmo.

—Tome cuidado. –Ele diz sério e eu puxo meu braço, dou um tapa em sua cara com força e saio do local.

Atravesso a rua e vou para uma rua deserta, esperando os meninos aparecerem.

—Como foi? –Os Jacks perguntaram juntos.

Falei tudo o que Valentine tinha me dito e eles ficaram de boca aberta.

—Você é realmente muito maluca. –Shawn falou.

—Meu pai vai me matar. –Digo passando a mão no meu cabelo.

Não deu outra, meu celular começou a tocar, quando li ‘’Pai’’ no visor meu coração quase parou.

Atendi e logo ele começou a falar.

—Katherine Blake Herrera, você se encontrou com Valentine novamente?

—Pai calma.

—Não fale pra eu ter calma, Katherine.

—Eu sei que você está bravo.

—Eu estou mais que bravo! Alcancei um nível de raiva que não conseguiria entender.

—Tudo bem, quando eu chegar a casa pode me castigar.

—Castigar? Eu vou te quebrar. Espere-me em casa, irei terminar de resolver mais uma coisa aqui e irei pra lá.

Ele desligou e eu respirei fundo.

—Eu sou uma menina morta. –Digo nervosa.

—Boa sorte com Klaus. –Gilinsky diz.

—Vou precisar. E alguém avisa minha irmã que algum dos meninos irá buscar ela. –Digo e eles assentem.

Subo na moto e vou correndo para casa, subo para meu quarto e permaneço ali.

—O que faz em casa tão cedo? –Briana aparece na porta do meu quarto.

—Katherine! –Ouço meu pai gritar na sala.

Briana arregala os olhos e logo some dali.

Em segundos meu pai aparece no meu quarto e bate a porta com força.

—Bate mais forte, ainda não quebrou. –Resmungo.

—Cala a boca! –Ele grita.

—Não grita comigo. –Digo me levantando.

—Senta. –Ele diz e me empurra na cama com força. –O que você tem na cabeça pra ir se encontrar com Valentine novamente?

—Eu só queria saber o que ele queria, uns amigos também foram comigo. –Digo no mesmo tom que ele.

—Eu não quero saber de amigos! Você não pode ir falar com gente como ele, sem eu e sua família! –Ele diz e eu reviro os olhos. –O que ele queria?

—Ou eu vou com ele e minha família ficará a salvo, se eu não for ele mata todos, ou ele me sequestra, eu nunca mais vejo ninguém. –Digo e vejo os olhos dele marejar.

—Está vendo? Por isso eu não queria você perto dele, Katherine! Eu não posso perder você! –Ele diz ainda com os olhos marejados.

—E não vai! –Grito.

Leiam as notas finais. 


Notas Finais


Goxxxxxxxxxxxxtaram? Comentem!!

AAAAAH, como eu sou a louca das fanfics, estou aceitando sugestões pra uma nova fanfic.
Entãaaao, quem quiser que eu escreva algo só colocar ai nos coments o boy (da magcon) e como quer a fic (FBI, Ficção, romance, etc) e os que eu mais gostar eu faço.
Bejow.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...