História Love will keep us alive - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Castielxnathaniel, Castnath
Visualizações 245
Palavras 841
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá humanos... A fic está chegando ao fim.

Capítulo 22 - Capítulo 22


Fanfic / Fanfiction Love will keep us alive - Capítulo 22 - Capítulo 22


 ~> POV’s Nathaniel


  Essa noite foi incrível, nunca imaginei que o Cast pudesse ser assim tão selvagem, minha bunda tá ardendo de tantos tapas que ele me deu, minha cabeça tá doendo dos puxões de cabelo, meus pulsos estão marcados por causa das algemas, que eu acabava forçando no meu pulso durante as estocadas, as vezes pela força que ele colocava e outras porque eu ficava tentando me agarrar em algumas coisa ou nele, minha entrada também tá castigada, ainda bem que o Alexy me recomendou uma pomada, enfim, apesar das dolorosas consequências eu não me arrependo de ter provocado ele, foi maravilhoso, todas as vezes ele conseguiu me fazer gozar sem tocar em mim, exceto quando ele me torturou, me masturbando daquele jeito, na outra vez que ele fez isso eu já tinha gozado muito mas dessa gozei ainda mais, e mais ainda quando ele fez isso enquanto estocava, esse meu ruivinho gosta de me torturar. Ainda ficava pedindo pra eu falar aquelas coisas, confesso que teve momentos que fiquei até com medo dele mas esse medo logo passava quando ele me penetrava ou me tocava de alguma forma que transformava tudo em prazer. 

  Eu ainda tô deitado, largado na cama, ele foi preparar alguma coisa pra comermos, disse que tava morrendo de fome, espero que depois que ele recuperar as energias ele não queira mais porque eu tô acabado. Ah, esqueci de falar que ele conseguiu me deixar sem voz, tentei falar com ele antes dele ir pra cozinha e não saiu nem um fio de voz. Ele voltou com a comida, mal consegui me sentar pra comer, ele trouxe uns sanduíches, miojo e uma jarra de suco, comemos tudo muito rápido e ele levou as coisas pra cozinha. Quando ele voltou eu apontei pra bolsa de coisas que eu tinha trazido, agora só tinha a pomada lá já que a algema o Cast jogou pra algum canto do quarto depois que tirou de mim e a roupa eu ainda to usando.

- Ainda quer brincar, meu loirinho? -perguntou em tom malicioso quando olhou pra bolsa

- … -tentei responder mas não consegui

- Pra que serve isso? -perguntou quando pegou a pomada, lembrou que eu não tava conseguindo falar e começou a ler as indicações da pomada- vamos montar um estoque disso. -falou rindo quando descobriu pra que era


  Me virei e fiquei deitado de barriga pra baixo, ele passou a pomada em minha entrada e depois deitou do meu lado e me puxou pra ele. Ficou fazendo cafuné e eu peguei no sono.

 Acordei no dia seguinte todo dolorido, meu ruivinho não estava mais na cama, me levantei com muita dificuldade e tomei um banho. Fui andando com muita dificuldade até a cozinha e meu ruivinho estava lá fazendo o café.

- Bom dia! -falou quando percebeu que eu estava ali

- Bom dia! -respondi me aproximando

- Eu disse que ia acabar com você se você me provocasse. -falou rindo quando percebeu como eu estava andando

- Vai se ferrar! -falei socando seu braço e ele riu ainda mais


  Me abraçou e me beijou, depois colocou o café na mesa e me chamou pra sentar em seu colo, quando acabamos ele colocou as coisas na pia e me levou no colo até a cama, me depositou na mesma com muito cuidado, me beijou com ternura, passou mais um pouco da pomada em minha entrada, ligou a tv e deitou ao meu lado. Passamos o final de semana assim, deitados vendo filmes e séries, ele pedia comida pelo delivery já que eu quase não conseguia andar e ele não sabe quase nada, esse meu ruivo deve ter dupla personalidade, quando está cuidando de mim nem de longe parece aquele que me comeu de forma tão selvagem, quase furando minha próstata e me marcando todo de todos os jeitos, mordidas, chupões, arranhões e tapas mas valeu a pena tudo isso.

  Acordo com Cast me dando um beijo, é a primeira vez que ele levanta antes de mim pra ir a escola, isso é estranho pensei que ele fosse aproveitar a oportunidade pra faltar, ele já estava arrumado então fui tomar meu banho e ele foi na padaria. Depois que me arrumei fui pra cozinha e ele já tinha voltado, tomamos café e fomos pra escola, tô com uma sensação estranha, como se algo ruim fosse acontecer.

  Chegamos na escola e tivemos uma surpresa horrível, minha intuição estava certa, algo horrível ia acontecer, tinha alguém no portão nos esperando… Era ele… meu pai… fiquei sem chão, sabia que ele ia voltar.

- Vai chamar ajuda Nath.  

- Não vou deixar você sozinho com ele. -falei apavorado

- Vai rápido, eu consigo segurar ele um pouco. -engoli seco, os dois estavam se encarando e meu pai estava com um sorriso sádico do rosto.


  Resolvi fazer o que Cast falou, se ficássemos só nós dois era capaz dele matar os dois. Quando virei de costas e corri um pouco pra dentro da escola ouvi um barulho de tiro, me virei pra olhar e não pude acreditar no que vi…


- Castiieeeellll...



Notas Finais


Isso é tudo pessoal.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...