História Love Will Remember {Vol: 02 Da Coleção Opposite} - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin & Ally, Laura Marano, R5, Raini Rodriguez
Personagens Laura Marano, Personagens Originais, Raini Rodriguez, Ross Lynch
Tags Romance Raura Rourtney
Exibições 16
Palavras 1.216
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Primeiro Registro


P.O. V Laura

- Lau aqui está oque você me pediu, mas entroca você não pode contar para ninguém sobre isso, tudo bem? - ele perguntou me olhando com um olhar sério.

- Sim, Cárter eu já entendi, eu não irei contar para ninguém sobre essa papelada do Ross - sim, eu estou investigando.

- Tudo bem, mas tenha juízo, muitas vezes as pessoas podem agir de forma horrível quando você descobre quem elas são de verdade - ele falou e logo depois sumiu.

Eu sei que eu não devia estar espionando o Ross, mas desde que eu conversei com o meu pai semana passada sobre a Bunny  eu não consigo tirar ele da minha cabeça.

Flashback ON:

- Você sabia que um dia ela iria acabar descobrindo Lau - meu pai falou né olhando.

- Eu sei, mas eu não queria que tivesse sido daquele jeito - falo o abraçando.

- Nós não podemos escolher o jeito que as coisas acontecem - ele falou fazendo carrinho nos meus cabelos.

- Mas e o livre arbítrio? - eu pergunto a ele tentando não chorar.

- Minha querida, o livre arbítrio não é para nós, nos não somos humanos - ele falou saindo do abraço.

- Eu sei, mas eu estou me sentindo como uma agora - falo deixando algumas lágrimas caírem.

- Porque você agiu como uma - ele falou me olhando seriamente.

- Você está certo - falo pensativa. - Você acha que devo ir falar com ele.

- Não - ele falou e eu franzi o cenho.

- Porque não? - pergunto olhando torto.

- Querida, eu e a sua mãe sabemos de coisas sobre ele que fariam você sentir nojo dele, quando nós a separemos dele foi para o seu bem, tudo que ele falou para você foi uma mentira, você não pode ir atrás dele, você tem que ficar o mais longe possível dele - eu não consegui falar nada por causa da confusão na minha cabeça. - Vá falar  com  a sua filha.

Flashback OFF

E agora eu estou aqui abrindo os arquivos dele. Sim, os arquivos, ao todo são quinze caixas, a minha sorte é que a Bunny foi para a casa dos meus pais e a Raini está vindo me ajudar.

- Lau você está aqui? - eu ouvi a voz da Raini da sala.

- Espera aí - falo e vou até a cozinha com uma forma com um bolo de chocolate que eu fiz.

- Oi, eu fiz bolo  para comermos enquando olhamos tudo isso - falo a olhando.

- Você não havia me dito que seriam tantas caixas - ela falou com uma cara feia.

- São só quinze - falo revirando os olhos.

- Quinze caixas com centenas de momentos vividos e anotações, ele não deveria ter tantas - ela falou se sentando no sofá. - Isso só prova que o seu pai tem razão.

- Eu sei, mas nós precisamos ver, abri a primeira pasta - eu falei me sentando do lado dela e pegando um pedaço de bolo enquanto o "vídeo" começou a se reproduzir no meio da sala.

Vídeo On:

-  Doutor como foi lá? - a enfermeira perguntou para o parteiro.

- Poderia ter sido melhor, infelizmente um dos dois bebês não sob - o homem falou para a enfermeira enquanto tirava as luvas.

- Oque aconteceu eu achei que os dois estavam bem - ela falou apreensiva.

- E eles estavam, mas você tinha que ter visto o outro bebê, ele saiu queimado vivo - o homem falou o olhando.

- Como assim?! - a enfermeira perguntou preocupada. - Você acha que foi a mulher?

- Não, ela é um anjo, ela não pode fazer isso. - ele falou olhando para dentro do quarto onde o casal e o bebê estão. - O bebê que sobreviveu  o matou.

- Oque?! Como isso é possível?! - a perguntou apavorada.

- Eu não sei - ele falou encarando o bebê.

- Oque devemos fazer? Ligar para Eles? - ela perguntou mais apreensiva.

- Não, não vamos ligar para Regentes, já que os pais não sabiam que eram gêmeos não vamos contar para eles - o homem falou para a mulher a sua frente.

- Tudo bem - ela falou ainda com um olhar chocado.

- Vamos, nós temos mais o que fazer - ele falou começando a andar.

Vídeo OFF

- Aí Meu Deus! Eu literalmente con ordo co seu pai - a Raini falou em olhando.

- Calma que esse foi o primeiro de muitos - eu digo a olhando.

- Lau, ele deve ser muito sortudo, como os Observadores não mostraram isso para os Regentes?! - ela perguntou aflita e curiosa.

- Talvez nós podemos descobrir se olharmos os outros registros - eu falo a olhando.

- Mais um vídeo a caminho - ela falou pegando a segunda pasta.

P. O. V  Courtney

Já se passou uma semana desde que eu "voltei dos mortos" e que eu vim morar na casa do Ross junto com a minha filha, eu devo dizer que eu estou gostando bastante de passar um tempo com ela, a única pessoa que atrapalha é o dono da casa.

- Ross você pode fazer o favor de calar a boca?! - pergunto, eu já não aguento mais ouvir ele reclamado no telefone.

- Cala a boca você! - ele fala totalmente esautado.

- Com quem você tá falando em? Ninguém daquela prefeitura vai fazer nada - eu falo colocando café em um copo.

- Quem te disse que eu estou falando com alguém da prefeitura? - ele me perguntou me olhando com aquele olhar e sorriso cafajeste dele.

- Porque você tá tão preocupado em? Pelo o que eu sei ou sabia os demônios tem medo de você, mesmo os que estão fora do inferno - falo o olhando, fazendo começar a andar na minha direção e desligando o telefone. -  A não ser que não tenha sido alguém aqui de baixa! Você está com medo que isso chegue aos ouvidos da sua namoradinha? Ou à é eu esqueci é ex-namoradinha - falo o olhando sinicamente, faze do ele parar na minha frente.

- Você não tem medo do perigo não? - ele perguntou me prensando na bancada da pia.

- Depende do momento, alguns momentos o perigo me excita - falo sussurrando no ouvido dele enquanto eu esfrego a minha perna na perna esquerda dele. - Você precisa me dizer do que eu preciso ter medo - sussurro de novo.

- Você... - ele ia continuar mas ouvimos passos vindo da escada.

- Oi! - a Paloma falou assim que adentrou a cozinha.

- Oi, como você está? - perguntou a olhando, tentando desfarsar o momento desagradável e tenso de antes.

- Eu que pergunto, está tudo bem aqui? - ela perguntou com uma sombrancelha levantada.

- Sim, porque não estaria? - o Ross falou a abraçando. - Eu tenho que resolver algumas coisas importantes, não me esperem pro jantar.

- Tudo bem - ela falou dando um beijo no rosto dele e ele logo depois me olhou.

- Eu não vou te beijar - falo o olhando, Oque fez a Paloma rir.

- Tudo bem - ele falou indo até a porta. - Até depois







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...