História Love Will Tell Us Where To Go - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Alaine Moura, Alessandra Monroe, Brenda Nepomuceno, Harry Styles, Isabela Rangel, Liam Payne, Louis Tomlinson, Nash Grier, Niall Horan, Zayn Malik
Exibições 22
Palavras 2.795
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal! Bom, essa é a primeira fanfic, espero que vocês gostem! ♡

A fanfic será baseada no final de 2015, antes da pausa dos meninos.

A garota da capa é a Dytto, ela será a Alessandra.

Boa leitura ♡

Capítulo 1 - I - First Chapter


Fanfic / Fanfiction Love Will Tell Us Where To Go - Capítulo 1 - I - First Chapter


Estava usando um vestido longo com o cropped apertado e a saia rodada, era um vestido típico do século XVII. Andava por um belo e longo jardim com lindas flores.  Sorrir abobalhada ao passar a ponta dos meus dedos pelas pétalas das rosas. Pude sentir a aproximação de uma pessoa por trás de mim. Me virei rapidamente e me deparei com um belo rapaz. Ele tinha o rosto bem desenhado, olhos castanhos esverdeado, barba rala e um sorriso meigo se formava em seus lábios. Era ele. 

 - Você está linda, Alessandra. – me arrepiei com seu hálito fresco chocar contra o meu pescoço. Ele colocou a mão no meu rosto o acariciando. 

 - Você não sabe o quanto esperei por isso. – sorrir para ele. Então Zayn se aproximou e quando ia me beijar ouvir uma voz. 

 - Alessandra acorda! – a pessoa gritava. Ele começou se afastar e eu corria desesperada atrás dele. 

 - Não vai embora! – eu implorava em prantos. 

 - Alessandra! – a voz gritou mais alto.- Não vai embora. – me sentei sobressaltada na cama e vejo minha mãe com os braços cruzados. 

 - Você vai se atrasar pra escola. – ela batia os pés no chão. 

 - Que horas são?! – pergunto visivelmente irritada pegando meu celular embaixo do travesseiro. Bufei ao perceber que ainda faltava muito tempo para o horário de aula. – Ainda está muito cedo. – Me deitei e cobrir minha cabeça com o cobertor. Será que se eu dormisse de novo sonharia novamente? 

 - Agora Alessandra! – ela puxou meu cobertor. 

 - Mas... – ia falar mas ela me interrompeu. 

- Agora! – ela saiu do quarto. Bufei irritada e quase chorando. Eu sonhei com Zayn Malik. Ele ia me beijar e minha mãe estragou tudo. Será que ela não poderia esperar mais cinco minutos? Faço minha higiene matinal e tomo um banho rápido. 

 Meu nome é Alessandra Rose Monroe tenho 17 anos. Moro em São Paulo com minha mãe Patrícia, meu pai Henrique e minha irmã mais velha Gabrielly. Me descreveria como uma pessoa, tímida, boa aluna, comportada, um pouco mal humorada e que tem um amor enorme por uma boyband. Não é qualquer boyband é a One Direction. Eu amo muito eles, mas sempre tem um que você tem um carinho especial, no meu caso o ex integrante Zayn Malik. Essa foi a primeira vez que eu tive um sonho assim com um deles. Eu já havia sonhado antes conhecendo eles, os abraçando mas nunca quase o beijando. Eu quase beijei o Zayn, será que minha mãe tem noção do que fez? Destruiu meu sonho. Literalmente. 

 Por mais que eu ache eles talentosos, amo as músicas, falo que eles são os amores da minha vida, acho eles lindos, gostosos e tals. Meu amor por eles não é amor tipo "estou apaixonada" é amor de fã. O amor de fã, que sentimento estranho, não? Sentir esse amor é saber o quanto pode ser difícil, e mesmo assim, continuar sonhando... É conhecer as raras chances que tem e, mesmo assim, amar cada vez mais… É amar acima de tudo, amar com todas as forças... Amor de fã, por mais platônico que seja, consegue ser o sentimento mais sincero e por mais inalcançável que possa ser, amor de fã é eterno, insubstituível, indestrutível... Mesmo que por uma foto... Ou somente saber que ele existe... Que é real... Que está bem... Para garantir o nosso próprio bem estar… É suportar as piores palavras apenas por sonhar alto, mas continuar lutando é se levantar a cada recaída somente por encontrar o sorriso daquele que ama... É sentir aquela saudade imensa sem ao menos ter chegado próximo... É suportar uma das maiores e piores dores, mas nunca, jamais deixar de amar... Amar cada vez mais... É amar acima de tudo, amar com todas as forças, amar cada parte, amar cada um dos detalhes cegamente... É apoiar, defender, admirar... É conhecer sem exatamente conhecer... Amor de fã é assim, fã não, prefiro o termo Directioner e Zquad ♡. 

 Saio do banheiro enrolada na toalha e pego uma roupa adequada para ir a escola. Calça jeans e moletom largos. Demoro um pouco para arrumar meu cabelo, já que não é fácil ter cabelos cacheados. De maquiagem passo apenas delineador e bastante máscara para cílios destacando meus olhos azui. Calço meu All Star surrado, pego minha mochila e saio do quarto descendo a escada. 

- Bom dia. – meu pai falou assim que entrei na cozinha. 

 - Bom dia. – respondo mal humorada e jogo minha mochila na cadeira vazia ao meu lado. Tomei meu café em silêncio e assim que terminei sair me despedindo dos meus pais.  

- Quer uma carona? – Gaby perguntou. 

 - Não, imagina. – falo irônica. – Eu vou andando para aquele colégio que é localizado exatamente no fim do mundo. – sorrir forçada. 

 - Mal humor logo de manhã? – perguntou com um sorriso debochado nos lábios saindo de casa. 

 - Eu de mal humor? Estou tão bem humorada que estou até vendo unicórnios. – Revirei os olhos a acompanhando. 

 Entrei no carro e peguei meu celular. Coloquei as músicas no aleatório e pus meus fones de ouvido. A primeira música era Night Changes. Quase chorei quando o Zayn começou cantar, pois me lembrei do meu sonho. Me assusto quando a música muda para uma agitada. Depois de longos minutos chegamos na minha escola. 

 - Tchau maninha, se comporta. 

- Gabrielly debochou. - Vai se foder. – sair do carro e pude ouvir sua gargalhada atrás de mim. Não sei porque Gabrielly adora me irritar. As vezes até a voz dela me irrita. Fui caminhando em direção a escola e pude perceber o olhar de algumas pessoas sobre mim. 

 - Tá olhando o que seu idiota? – falei para um menino que me olhava sorrindo malicioso. 

 - Calma gatinha. – ele falou me acompanhando. – Eu só estava olhando porque você é muito linda. – me olhou dos pés a cabeça mordendo os lábios. Revirei os olhos e sair de perto dele. Marcos é o garoto mais galinha da escola. Ele sempre veio com cantadas baratas para cima de mim mas eu nunca dei bola. Entrei na sala e fui para o fundo onde é meu lugar, Isabela uma de minhas melhores amigas já havia chegado. 

 - Hey Bitch. – ela falou animadamente. 

 - Oi. – respondi seca me sentando. 

 - O que aconteceu? – ela perguntou me olhando atentamente. 

 - Sabe quando você sonha quase beijando o amor da sua vida e sua mãe te acorda? – suspirei cansada.  

 - Você sonhou beijando o Zayn? – ela gargalhou. 

 - Quase, minha mãe me acordou quando eu ia beijar ele. – ela deu risada ainda mais alta e eu deitei minha cabeça na mesa. 

 - O que tá pegando? – Ouvi a voz de Brenda. 

 - Alê sonhou beijando o Zayn. – Bella respondeu. 

 - Quase. – a corrigir. 

 - Sério? – Alaine perguntou. 

 - Sim. – levantei e vi as três rindo parecendo um bando de hienas. 

 Bella também é Directioner. O mino dela favorito é o Harry. Não sei porque ela tá rindo se ela já sonhou com o Hazza, digamos que o dela foi um pouco mais picante. Alaine não gosta das músicas muito menos deles, mas ela acha o Liam bonito. Brenda não é fã mas ouve as músicas e não tem nada contra. Seu amor mesmo é o Justin Bieber. 

 - Bom dia alunos. – a professora de matemática falou entrando na sala. 

 - Eu agradeceria se vocês parassem de rir. – Bufei e elas riram mais ainda. Não conseguir me controlar e acabei sendo contagiada pela risada delas. Agora eram quatro hienas rindo. 

 - Dá pra vocês fazerem silêncio?! – a professora reclamou olhando diretamente para nós. Ela odiava a gente. 

 - Porque você não vai se... – ia mandar ela se fuder mas fui interrompida. 

 - Desculpa professora, não foi nossa intenção atrapalhar sua aula. – Brenda falou gentilmente e eu fiz uma carreta pra ela. 

 - Puxa saco. – cantarolei. 

 - Não estou puxando saco, estou te defendendo ou melhor defendendo a gente. – ela revirou os olhos. – Se você ficar de suspensão com certeza seus pais vão te deixar de castigo. 

 - A Brenda tem razão, Alê. – Alaine falou. – Se você ficar de castigo acabou viagem. 

 - Vocês tem razão. – falei derrotada. 

 - Eu não acho, alguém tem que colocar essa mulher no lugar dela. – Bella falou e todas rimos. 

 Eu e minhas amigas vamos viajar. Precisei fazer greve de fome para que meus pais deixassem eu ir. Quer dizer, eu comia escondido, mas ninguém precisa saber disso. Eu queria conhecer o mundo todo mas sô conseguir que eles deixassem eu ir pra Londres, ainda porque eu tenho uma prima lá que vai ficar responsável pela gente. Desde criança eu sempre quis conhecer Londres, principalmente a London Eye. Linda roda gigante as margens do rio tâmisa. 

 - Alê. – Alaine me tirou dos meus desvaneios. 

 - Que foi merda? – resmunguei me virando para trás. 

 - Meu Deus você está muito nervosa. – Ela arregalou levemente os olhos. 

 - Isso é falta de homem. – Brenda brincou. 

 - Tá em falta porque ela quer, só ela estalar os dedos que pega qualquer um dessa escola. – Isabela falou. 

 - O que você queria Alaine? – perguntei já que ela não falou nada. 

 - Nada, só queria te acordar já que você estava olhando pro nada igual idiota. – ela riu.

 - Em quem você estava pensando? – Brenda perguntou maliciosa. 

 - London Eye. – respondo sorrindo boba e elas reviram os olhos. 

 Eu e as meninas somos o oposto uma da outra. Nós nunca concordamos uma com a outra, é tipo: Quando uma diz sim, a outra diz não. Quando uma pede pra parar tudo que fazemos é continuar. Elas são minha metade. A metade que eu nunca serei. A metade que me deixa louca. Elas são a melhor metade de mim. A metade que eu sempre precisarei. Apesar das discussões e de todas as diferenças, nós sabemos que somos melhores juntas.

[...]

 Sexta-feira 

Essa semana foi super corrida. Minha vida se resumiu em escola, curso de inglês e preparativos pra viagem. As meninas saíram me arrastando por quase todas as lojas do Rio de Janeiro para comprarmos roupas pro frio londrino. Agora são exatamente 06h45min da manhã e eu estou terminando de me arrumar para o último dia de aula no Brasil, iremos terminar nossos estudos em uma escola britânica. Não é intercâmbio, até porque está praticamente no final do ano letivo.  Também é meu último dia no Brasil. Iremos amanhã para Londres. Estou tão ansiosa. 

 - Alê anda logo se não eu vou te deixar aí! – me apressei ao ouvir os gritos da Gaby. Peguei minha mochila e sair do quarto correndo. Quando estava no penúltimo degrau da escada cair no chão. 

 - Droga! – resmunguei passando a mão no meu joelho que doía. 

 - Ai meu Deus! – Helena, a empregada correu até onde eu estava. – Você se machucou? 

 - Você tem 5 segundos Alê. – Gabrielly gritou do lado de fora da casa. 

 - Foi só um arranhão. – me levantei. – Tchau Helena. 

 - Tchau querida. – deu um beijo na minha testa. Sair correndo e mancando até o carro de Gaby. Entrei no veículo e coloquei o cinto de segurança. 

 - Porque você demorou? – Gaby perguntou dando partida no carro. 

 - Cair da escada. – levantei minha calça para ver a situação do meu joelho. Tinha um corte nele. 

 - Você é muito desastrada. – ela riu. – Deixa eu ver se machucou muito. – falou assim que parou no sinal vermelho. 

 - Ai! – resmunguei assim que ela tocou no machucado. 

 - Tem um kit de primeiros socorros por aqui. – ela falou mechendo na bolsa. 

 - O sinal abriu. – falei pegando a caixinha de sua mão. 

 Apertei o spray fazendo o remédio cair no machucado. Mordi os lábios na intenção de diminuir a dor. Depois de passar o remédio colei um Band-Aid por cima do machucado. 

 - Chegamos. – Gaby falou parando o carro. Ajeitei minha calça e desci do carro. 

 - Tchau. – falei antes de fechar a porta do veículo e ela apenas acenou com a mão dando partida no veículo. Fui caminhando ainda mancando pelos corredores da escola. 

 - O que aconteceu? – Alaine perguntou aparecendo ao meu lado. 

 - Cair da escada. – falei e ela deu risada. 

 - Mas você está bem? 

 - Sim, foi só um arranhão. – fiz uma carreta. 

 - Você sempre teve frescuras para esse lance de machucado. – revirou os olhos. 

 - Não é frescura, está realmente doendo. – fiz biquinho. Assim que entramos na sala Isabela e Brenda já estavam lá. 

 - Bom dia. – dei um beijo no rosto de cada uma. 

 - Vocês acreditam que a Alessandra caiu da escada e machucou o joelho? – Alaine falou como se eu tivesse quebrado a perna. 

 - Como a gente vai viajar amanhã? – Brenda falou com os olhos arregalados. 

 - Eu estou ótima, obrigado por se preocupar. – Revirei os olhos. 

 - Você está bem? – Bella perguntou.

- Acho que sim, não foi tão grave assim é só um arranhão. – pode parecer drama, mas qualquer machucadindo dói muito. 

As aulas passaram mais rápido do que eu queria. Não que eu goste da escola, mas é o último de dia aula. Vou sentir saudades da escola que eu estudei desde pequena.  

 Nada melhor do que ficar deitada assistindo The Vampire Diaries. Melhor série de todas. Damon seu lindo, me morde. Levei um susto quando Best Song Ever começou tocar. Comecei cantar junto mas logo me lembrei que era o toque do meu celular. Me levantei e fui atende-lo. Era Bella. 

 Ligação On 

 - Oi Bella. 

 - Tá fazendo o que? – perguntou direta. 

- Deitada assistindo TVD. – olhei pra TV. 

 - Qual graça você acha assistindo série de vampiros? – bufou. 

 - Você ligou pra falar mal das minhas séries?  

 - Não! – suspirou. – Eu e as meninas vamos pra uma boate, passo aí 22h pra te buscar. 

 - Eu não disse que queria ir. –Franzi o cenho. 

 - Eu não tô perguntando, tô avisando. – falou autoritária. – É o nosso último dia no Rio de Janeiro, vamos nos divertir. 

 - Não é nosso último dia, a gente vai voltar. – revirei os olhos. – Você sabe que eu não gosto de festas. 

 - Vamos por favor. – implorou. – Como é possível uma adolescente viver presa em casa? 

 - Você sabe muito bem que eu odeio festas. – bufei. 

 - E quando a gente for para Londres?  Você vai ficar presa em casa também? 

 - É diferente. – fiz biquinho. – Okay, eu vou. – revirei os olhos.

- Ebaa! – comemorou. – 22h não se atrasa! – encerrou a chamada. 

 Ligação Off 

 - Damon eu te amo, mas eu preciso sair. – dei um beijo na tela da TV e a desliguei. Joguei meu celular em cima da cama e fui pro banheiro. 

 Depois de um bom tempo embaixo do chuveiro, saio do banheiro apenas de lingerie. Tive que abrir uma de minhas malas novamente para procurar uma roupa. Fitei meu reflexo no espelho e sorrir ao ver que o resultado havia ficado bom. Ouvir a campainha tocar mas não fui atender, com certeza a empregada abriria. 

 - Oi Alê. – olhei pra trás e vi as meninas. Elas estavam lindas como sempre. 

 - Porque vocês chegaram essa hora? – perguntei olhando a hora no relógio. 

 - Nossa você está expulsando a gente? – Bella se pronuciou. 

 - Oh god! Quanto drama. – coloquei meu celular e o batom na minha pequena bolsa. 

 - Vamos? – Brenda nos chamou se olhando no espelho. 

 - Vamos tirar uma selfie antes. – Alaine sugeriu. 

 - Alê empresta o celular, o nosso tá no carro. – Bella pegou minha bolsa de minhas mãos. Fizemos a pose para a foto e como ficou legal eu postei no Instagram. 

@Aleeh_Monroe: Baladinha com as melhores. 🍻❤🎉@Bellah_Rangel @Bree.Nepomuceno @Alaine_Moura 

 - Agora vamos o Gustavo tá esperando. – Bella me puxou. 

 - Quem é Gustavo? – perguntei. - Um amigo. – ela sorriu maliciosa. 

 - Pra onde você vai? – minha mãe pergunta assim que coloco o pé no último degrau da escada. 

 - Pra balada. – respondo baixo. Me amaldiçoei mentalmente por não ter avisado a ela. 

 - A gente vai te esperar lá fora. – Brenda saiu e as meninas foram junto com ela. 

 - Quem deixou? – ela me olhou com a sobrancelha arqueada. 

 - Eu... – gaguejei pois não sabia o que responder. 

 - Deixa a menina sair, ela não é mais nenhuma criança. – sorrir agradecida ao meu pai. 

 - Então eu posso ir? – pergunto alternando o olhar entre minha mãe e meu pai. 

 - Pode sim. – ele disse. 

 - Não volta tarde. – ela bufou derrotada. 

 - Tchau. – ignorei o que mãe disse por último. 

 - Tchau. – os dois disseram em coro uníssono. 

 Sair de casa e vi as meninas dentro de um carro com um garoto moreno claro e cabelos castanhos. Entro no carro e coloco o cinto de segurança. 

 - Prontos pra festa?! – Brenda fala animadamente. Todos gritam eufóricos e o tal Gustavo que eu tenho quase certeza que é um peguete da Bella dá partida no veículo.  


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...