História Love Wins - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Tags Anime, Comedia, Dragonballz, Gay, Mangá, Romance, Trunks, Yaoi
Visualizações 47
Palavras 1.201
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Luta, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Love wins será postada agora toda a quarta feira pessoal. Se der pra eu postar mais de um cap. na semana eu farei. Minha agenda tá super apertada nessas últimas semanas.

Capítulo 11 - 14:37 segunda parte.


Fanfic / Fanfiction Love Wins - Capítulo 11 - 14:37 segunda parte.

Depois desse começo desastroso eu comecei a refletir a caminho de assistir o grande Corleone. Realmente fiquei assustado com a presença daquele cara. Uma parte de mim começava a se arrepender terrivelmente da escolha prematura de vir pra cá. Um relacionamento comum por si só já tem suas dificuldades, imagina só um homossexual. É incrível como aguento bem pancadas fortes, mas estremeço diante da simples opinião alheia.

                Não sei se o Goten é realmente corajoso por assumir essa opção sem medo, ou se é simplesmente um idiota cabeça oca que nem se deu ao trabalho de pensar sobre. De qualquer forma não sei se consigo levar isso adiante assim. Goten literalmente me deixa inseguro. Não há nada pior do que ser apedrejado pelo mundo e seu único porto seguro ser tão firme quanto um prego na areia.

 

- Goten, espera um pouco. Precisamos conversar sério.

- Ok. Qual é o problema? (Acho que nunca respirei tão fundo na minha vida.)

 

                Puxei ele pelo pulso e calmamente andamos até uma área isolada do parque. O fluxo de pessoas ali atrás era bem menor que no centro.

 

- Você já parou pra pensar no que estamos fazendo. Tipo, acho que isso é meio louco até pra mim.

- Relaxa Trunks, é só um show de mágica. Não é como se fosse a coisa mais extraordinária do mundo.

- Não estou falando do show seu imbecil, mas sim de nós. Dessa loucura clandestina que estamos fazendo. Caralho, só me toquei agora que o dia de hoje realmente pode dar errado de maneira desastrosa. Estamos expostos aqui! Não é como no meu quarto. A qualquer momento alguém pode chegar e ver você tentando me agarrar ou segurando na minha mão.

- E daí? Não temos nada a perder. (A voz do Goten saiu tão tranquila que chegou dar medo.)

- Ah, que isso. Você tem razão Goten. Pra que se preocupar né, eu só perderia meu círculo social, o respeito do meu pai (Fora a surra) e na pior das hipóteses seria mandado pro internato de Black Peek. Realmente, nada com o que me preocupar.     

- Desde quando você ficou tão covarde Trunks?

- A partir do momento que me dei conta que minha vida tá por um fio aqui! Não quero que minha vida desmorone. Que eu vire assunto na escola, que falem pelas minhas costas ou seja motivo de piadas. Aí eu já consigo até ver a cara da minha mãe e...

- Uou, segura essa onda aí Trunks. Seu medo chegou à níveis extremos cara. Sério, você foi de salsicha pra scooby-doo em fração de segundos.

- Vai se fuder Goten. Tu nem imagina o nível de estresse que estou agora. Se ficar de piadinhas vai ser pior pra você. Acredite.

- Olha, vou ser sincero contigo. Não é que eu não me importe ou não tenha medo do que possa vir a acontecer, pois tenho. Entretanto, eu não estou afim de viver uma mentira só pra manter as aparências. Definitivamente minha mãe é bem mais durona que a sua. Obviamente eu tenho bem mais a perder que você. Gohan até me advertiu pra nunca deixar mamãe saber desse rolo contigo.

- Aí meu deus você contou pra ele?

- Lógico que contei. Ele é meu irmão, mas no fim não adianta.

- Como assim não adianta?

- Ela vai acabar sabendo de um jeito ou de outro Trunks. Nós temos duas escolhas. Ou levamos isso adiante e vemos onde vai dar. Literalmente sem arrependimentos ou desistimos agora e você vai viver uma longa mentira pro resto da sua vida. Vai namorar uma garota por aí, vai casar e mesmo assim continuará a pensar em mim. O tempo vai passar e quando você perceber você vai estar velho, se tornando uma versão deprimente do mestre kame, se masturbando secretamente toda vez que ver um cara sem camisa.

- O mestre se masturba pensando em homem? (Morri.)

- Não, mas você sim e esse é problema. Se você desistir de nós agora, acredite quando digo que não haverá mais volta.

- Ah, Goten não faz assim. Isso é chantagem.

- Chantagem? Mano, tu ficou tagarelando o tempo todo: “minha vida isso. ”, “Minha vida aquilo” e no fim das contas você só pensou em você. Sabe, eu também vou sofrer se te perder. Não quero isso, por que de verdade... eu te amo. (Aí meu deus, que lindo.) Acho que vale a pena lutar por nós,  mas não vou ficar a disposição de sua conveniência. Posso não ser o cara mais inteligente do mundo...

 - É você não é.

- Obrigado Trunks por me lembrar... posso terminar?

- Claro, fique a vontade.

- Posso não ser o cara mais inteligente do mundo, mas sei o que quero. Viver uma mentira não está nos planos e nem fudendo vou deixar você me arrastar pra essa novela louca que sua vida vai virar.

- É tão ruim assim manter algo comigo em segredo?

- Lógico que é Trunks. Usa a cabeça. Não quero ver você aos 18 cedendo às pressões do seu pai e arrumando uma namorada, quando estamos vivendo uma história juntos. Acredite, no final dessa história termina comigo bêbado num nível Johnny Depp, largado no meio da calçada a sofrer por ti. (Nossa que bad.)

- Não quero ver você sofrendo. O que tu sugere?

- Ah, não sei. Vamos levando de boa. Concordo contigo em não sair apressando nada agora, pois somos muito novos, mas quero que você pare de ficar de medinho e nos assuma. Ao menos pra você mesmo.

- Ok, certo. Vou segurar a onda, mas você tem de me prometer que vai parar de ser tão explicito e respeitar meu tempo.  

- Ok, justo. Sabes que digo isso pro seu bem né? Se você não começar a se libertar do seus preconceitos, vai acabar virando uma bichona reprimida, tipo o Sr. Picollo.

- Me respeita seu animal. Bichona é você.

- Para de levar tudo pro lado pessoal. De tudo que eu disse você só ouviu isso?

- Lógico! Sou sensível a palavras fortes.

- Aham, diz isso pra sua mãe quando ela devolver sua pulseira. (odeio quando ele fica todo espertinho de repente.)

- Tá, e agora?

- Agora? Que tal você calar a boca e me beijar. (Epa!)

 

                Nem deu tempo de nada. Goten me pegou com firmeza e me beijou com tanta vontade que pensei que fosse me engolir. Eu nem resisti. Estava com vontade de beijar esse cusão desde quando ele chegou aqui. Ele tem razão. Isso que nós temos é bom demais pra ficar soterrado em uma montanha de mentiras. Não sei como será o futuro, mas meu presente está perfeito.

                Eu estava me deixando levar, mas fui tomado por uma sensação horrível de ser observado. De repente um medo terrível se apossou de mim. Empurrei o Goten e olhei para todos os lados, mas não vi ninguém. Fechei meus olhos e tentei sentir o KI dos arredores, mas só percebi milhares de pessoas desconhecidas. Nada que eu pudesse distinguir. Peguei Goten pelo pulso e sai voado. Odiei a sensação. A última coisa que eu preciso é de um flagra nessa situação.

 

Continua...


Notas Finais


Eu só observo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...