História Love without limits. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Criminal, Drama, Obsessão, Policial, Possessão
Exibições 81
Palavras 866
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Novo capitulo amores.
Então Team Taylor Ou Team Cam??
Curiosa para saber viu.

Capítulo 7 - Descobertas.


Fanfic / Fanfiction Love without limits. - Capítulo 7 - Descobertas.

 

''Dois caras, uma garota.'' Façam suas apostas. 

Pov Cam.

Pulo com destreza a janela do quarto de Sofi, que a mesma deixou aberta.  Sei  que essa hora ela deve estar na escola, Stefan e a esposa saíram, pois vi eles brigando enquanto se encaminhavam para o carro.  Desço as escadas da casa e me encaminho ao escritório do Stefan. Abro a porta com cuidado e observo as enormes prateleiras de livros a minha frente. Vou ate sua mesa e abro a primeira gaveta, encontrando papeis da delegacia, abro a segunda e nada também. A terceira estava trancada, porem com uma chave de fenda, consegui abrir a gaveta. É sempre bom vim preparado.  Encontro uma foto da minha mãe. Desgraçado! Na foto ela sorri e vestia roupa de colegial. Percebo que na gaveta há um fundo falso, o abro e encontro uma coisa que nunca pensei encontra. Um diário, com o nome da minha mãe.  Ele é verde e tem o nome da minha mãe escrito com letras de forma. ‘’Isabella’’. Pego a foto e o diário e saio, subo as escadas correndo quando ouço barulho de carro. Pulo a janela de Sofi, e estou de volta ao meu quarto.  Estou curioso sobre o diário e decido ler. O abro com cuidado na primeira pagina, e começo a me entregar a leitura.

27/04/1994.

Querido diário.

Conheci um garoto, ele é tão lindo, e gentil. Eu o ajudei. A turminha do Damon estava batendo nele, porem eu intervi. Cuidei dos machucados dele e conversamos, foi épico. Hoje não estou maldizendo o dia antes de começar, pois sei que irei vê-lo novamente.  Seu nome é tão lindo como o próprio rapaz. Stefan.

 

Paro de ler abismado, como assim? Eles se conheceram antes? Tudo estava ainda mais confuso, se ele era o principezinho que ela falou como foi capaz de fazer isso com ela?  De matar ela.  Respiro fundo e continuo a leitura.

28/04/1994.

Querido Diário.

Stefan e eu estamos cada vez mais próximos, nos beijamos ontem. Porém hoje aconteceu uma coisa estranha, Damon não parava de me encarar. Bom, você deve esta se perguntando quem diabos é Damon? Ele é o boyzinho metido da escola, o típico Bad Boy . Se acha o tal, já foi ate preso. Stefan sempre me diz para eu ficar longe dele, porém sinto que tem algo a mais.

Ouço meu telefone tocar, fecho o diário e corro para atender. O nome Alex esta destacado na tela.

Ligação on.

_Fala! –Atendo ríspido.

_Nossa, ainda esta na Tpm? –Zoa ele o que me deixa puto.

_Falo logo idiota. –Respondo com dor de cabeça já.

_Você não sabe o que eu descobri. –Anuncia querendo fazer suspense. _Seu pai, esta vivo.

Minhas mãos tremem, como assim? Porra!

_Como?- Exclamo abismado. _Minha mãe sempre disse que ele tinha morrido.

_Bom, andei investigando e parece que seu suposto pai se chama Damon Salvatore. E é um dos reis do trafico na Califórnia.

_D-Damon? –Meu pensamento se volta ao diário. Então o cara que minha mãe odiava é meu pai?

_Bom, é só isso mano. –Ele deveria esta fazendo algum esquema de assalto.

_Ok! Valeu mano. –Despeço e desligo o celular.

Ligação off.

 

Pov Sofi.

Estava na aula de matemática, odeio essa matéria.  Estou morrendo de sono, e o velho gordo continuava a falar.  O sinal toca e saio da sala, com Dani. Estamos abraçados como sempre. A mãe de Joyce veio busca-la, dai somos Dani e eu. Estamos indo ao refeitório quando ouço uma voz bem conhecida por mim.

_O que você pensa que esta fazendo? Abraçada com esse moleque?  -Taylor me encara com ódio no olhar. _Você é minha.

Com rapidez, ele puxa meu braço e sai me puxando pela escola, Daniel tenta interceder, porém imploro com o olhar que não.

_Você é minha! –Ele me beija com possessão, no estacionamento. Suas mãos passeiam pelas minhas pernas, e fico arrepiada.  Sua língua explorava minha boca, e eu sentia seu amiguinho animado em baixo. _Agora vamos.  -Ele me leva ate seu carro, um porsche branco. Estou louca, gostei do beijo desse idiota, e o pior, confundi meus sentimentos. Que droga, não sinto nada por esse imbecil, foi só coisa de momento. Sou virgem e meus hormônios estão à flor da pele.  Ele liga o carro e abaixa os óculos escuros, o que o deixa mais gato. Não sei para onde ele esta me levando, porém qualquer coisa chuto suas bolas, se eu conseguir resistir aos seus toques. 

 

Pov Stefan.

Já procurei em todo lugar, não acho a foto da Bella. Não pode ser. Tenho que achar a foto da minha amada.  E o pior o diário também sumiu. Se esse diário cair em mãos erradas, pode acabar com minha vida.

_Mary! –Chamo a imprestável da minha mulher.

_O que foi meu amor? –Pergunta a idiota com cara de besta.

_Você abriu minhas gavetas? –Indago a fitando com ódio.

_Claro que não, pergunta a empregada talvez ela tenha mexido. –Responde fazendo pouco caso da situação.

_Não seja idiota, e claro que já perguntei. –Viro as costas e respiro fundo. _Me deixa sozinho. -A mesma sai, e fico martelando quem poderia ter pegado. Apenas uma pessoa veio a minha mente. Sofi. 


Notas Finais


O que acharam ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...